Meus Sermões

OH! SE DESCESSES!
Isaías 64.1

 

INTRODUÇÃO
Irmãos, a mensagem hoje é daquelas que o pregador recebe, fica angustiado e perguntando: "Senhor, é isso mesmo que queres que fale ao povo?" Is 64.1: "Como gostaríamos que tu rasgasses os céus e descesses...!" Outra versão diz: "Oh! Se fendesses o céu e descesses!".

O profeta Isaías recebeu uma visão do futuro do seu povo – viu o povo de Israel definhando no cativeiro...E depois de visualizar seu povo no ponto mais baixo, o Espírito do Senhor o moveu a fazer a oração que estaria nos lábios do povo naquele momento que estava por vir.
A essência da oração se expressa nestas palavras comoventes: "Oh! ...se descesses!" No restante da oração, Isaías pede a Deus voltar a abençoar seu povo, dando-lhes vitória, poder – recuperando-lhes os dias em que eram abençoados e abençoavam...

Ao estudar a oração de Isaías esta tarde, percebi como cabe bem na situação hoje: O POVO DE DEUS TEM TUDO PARA SER UM POVO CONQUISTADOR... um povo abençoado na terra... um povo que faça muros como os da cidade de Jericó cair... que faça gigantes como aquele Golias, tombar ao chão...
Todavia, como Israel, não estamos experimentando a bênção de Deus que podíamos, porque não contamos com Deus!

Através da igreja, casamentos desfeitos deveriam ser restaurados... conflitos familiares deveriam ser resolvidos... os pobres deveriam ser socorridos... as pessoas que sofrem depressão, ajudadas... os pais em dificuldades com filhos, ajudados... os filhos abandonados, amparados...
Mas a Igreja de Jesus na terra, pouco ou nada tem conseguido, porque parece que estamos necessitados da presença de Deus! Por isso comecemos a clamar desde já com Isaías: "Oh! ...desce Senhor!"

Amados: Levantemos nossas vozes ao céu com intensidade, que Deus descerá e nos abençoará em grande poder!
Vamos bater à porta do céu, que Deus fará de nós uma igreja poderosa na terra! Amém?
A razão que Isaías apresenta ao Senhor para que Ele desça, está no próprio clamor que ele levanta, dizendo: "Oh! Se fendesses o céu e descesses!". – Ele parece dizer: "Desce, Senhor, estamos com saudades de Ti!"

Já sentiu saudades de alguém? ...então sabe o que é ter falta do sorriso, ou do calor de um toque singelo da pessoa querida... talvez até sinta dor profunda por não ter dado valor ou atenção à presença daquela pessoa antes...
Se for assim, entenderá Isaías, que descreve as coisas que o povo sentirá falta, por conta da ausência de Deus.

1- Em primeiro lugar, Isaías fala de sentir falta do sorriso de Deus.
Observe no v.15 (cap 63), Isaías dizendo: "Atenta desde os céus..." Ele reconhece que o povo não receberá nada, enquanto primeiro não conseguir que Deus olhe e atente para sua miserável condição.
Nestas palavras, Isaías reconhece que Deus escondeu o rosto do seu povo. Deixou-os "se virarem" sozinhos, pois imaginavam que podiam prosseguir sem Deus.
Talvez você imagine que Deus está sentado no céu, sorrindo bondosamente sobre nós, enquanto nós, apenas freqüentamos uma igreja e nos divertimos vendo televisão.
Oh! Podemos nos conformar com o crescimento da violência na cidade... com o aumento da embriaguez e da prostituição... podemos conviver amigavelmente com bandas "Fala Mansa" e "Fala Sério" surgindo por aí... podemos até conviver pacificamente com estas coisas, mas Deus jamais o fará!

Amados: Como igreja, quando começamos a sorrir amigavelmente para os pecados da cidade e os nossos próprios, Deus deixa de sorrir para nós e vira seu rosto para longe de nós!
Se isto surpreende, quero ler Dt 31.17,18: "...por não terem a minha ajuda, eles serão destruídos. Virão tantos desastres e tantas dificuldades, que eles dirão: "Nós estamos sofrendo tudo isso porque o nosso Deus não está conosco".

...foi assim que Deus prometeu tratar com o pecado:
Oh! Irmãos, nada satisfaz ou emociona mais do que sentir o agrado de Deus sobre sua vida – do mesmo modo, nada é mais pavoroso do que viver sem o sorriso de Deus.E não é assim que estamos por nos conformarmos com este mundo? Com suas músicas, suas revistas e seus filmes?
...não estamos envergonhados depois daquela denúncia da Revista Época sobre escândalo na igreja? [nós estamos vivendo dias sem o sorriso de Deus].

Amados: a Igreja de Jesus hoje, apesar de contar com equipamentos sofisticados, programas atraentes, ela não está experimentando a plenitude das bênçãos de Deus... ela não está caminhando de vitória em vitória, porque Deus se entristeceu e escondeu seu rosto dela.
Por isso que devemos orar com fervor: "Oh! Se fendesses o céu e descesses! Desce, Senhor! Volte a manifestar o esplendor da sua face sobre nós!"

2- Mas, além de sentir falta do sorriso de Deus, Isaías também fala da falta da mão sustentadora de Deus.
Deus tem demonstrado seu poder vez após vez em favor do povo de Israel. [no v. 12-14, Isaías lembra da maior manifestação do poder de Deus de todos os tempos em favor de Israel – foi quando abriu milagrosamente o Mar Vermelho para o seu povo escapar de Faraó].Mas agora, Deus estava retendo o seu poder, pelo que Isaías viu Israel sendo derrotado, o templo reduzido à ruínas, o povo sendo levado cativo.
Uma pergunta corria na mente do profeta: "Onde está Deus?" No v.15: "Onde estão o teu zelo e as tuas obras poderosas?"

Ele quer saber por que Deus não manifesta seu poder em favor do povo agora, como fizera tantas vezes antes... por que estava deixando Israel se virar sozinho.
O mundo muitas vezes insultou o povo de Deus dizendo: "Onde está o teu Deus?" Porém, mais triste que isso é quando o povo de Deus começa a fazer esta pergunta a si mesmo: "Onde está Deus que não nos abençoa? Onde está Deus que não nos ouve?"

Amados: O mundo quer ver o poder de Deus em nós! Quer ver nossas orações atendidas, quer ouvir nossos testemunhos de bênçãos! ...mas quando Deus retém o seu poder e não podemos testemunhar de nada, que faremos?
Oh! Precisamos recuperar o poder perdido! A igreja precisa ter o poder de Deus, porque está envolvida numa luta, e somente o poder de Deus a capacitará a vencer!

Podemos tentar fazer a obra sem o poder de Deus..., podemos tentar cumprir os cinco propósitos da igreja sem o poder de Deus: EVANGELIZAR, ADORAR, MANTER COMUNHÃO, DISCIPULAR e PRESTAR SERVIÇO – porém, fazer este tipo de obra sem o poder de Deus é como tentar quebrar enormes rochas de granito somente com nossas mãos.Por isso, amados, vamos clamar a Deus! Vamos orar: "Oh! ...desce Senhor!"

3- Finalmente, Isaías fala também de sentir falta do coração compassivo de Deus.

No v.15 ele diz: "A ternura do teu coração e as tuas misericórdias se detêm para comigo!"
Isaías estava ponderando a questão. Dizia: "Se Deus esconde seu rosto de nós, retém seu poder de nós, isto significa que não nos ama mais?"

Mas enquanto ponderava, v.16, imediatamente percebeu que Deus ainda é seu Pai: "Mas tu és nosso Pai, ainda que Abraão não nos conhece, e Israel não nos reconhece; tu, ó SENHOR, és nosso Pai; nosso Redentor é o teu nome desde a antiguidade".
Isaías sabia, que ainda que Abraão e Jacó (os patriarcas) não os quisessem reconhecer como filhos, tamanho era seu pecado, Isaías sabia que Deus perdoaria o povo se houvesse arrependimento.

Há verdade profunda aqui: Deus nunca deixa de nos amar quando entramos em pecado, mas Ele retém suas expressões de amor para conosco.

Podemos estar fora da vontade de Deus e dizer que Deus ainda nos ama – o que é uma conclusão verdadeira, mas nunca substituirá as manifestações palpáveis do amor de Deus em si.

CONCLUSÃO
Irmãos, esta oração de Isaías lembra de como nossa vida deveria ser: Deveríamos estar conscientes do sorriso de Deus; ...Deveríamos ver o poder de Deus; ...E deveríamos nos deleitar no amor de Deus (nada é melhor do que viver assim).

E deveríamos reconhecer como é terrível perder estas coisas: sentir a falta do sorriso de Deus; ...sentir a falta da mão sustentadora de Deus e sentir a falta do coração amoroso de Deus.

Se admitimos que estamos vivendo muito abaixo do lugar onde veríamos estar, se este realmente é o caso, paremos e pensemos na grandeza das coisas que estamos perdendo, e agora mesmo, comecemos a clamar: "Desce, Senhor! Estamos com saudades de Ti!"

Pr Walter Pacheco da Silveira, Ministrado na noite de quarta-feira, 18/06/2002, à Igreja Central em São Fidélis-RJ.