Meus Sermões

UMA FONTE NO DESERTO

Gênesis 21.15-18

 

Introdução

Certa vez um pai escreveu desesperado e colocou um papelzinho debaixo da porta da igreja. Era um pedido de oração em favor do filho que estava preso por tráfico de drogas. No papelzinho, estava a história de um garoto que cresceu na igreja, recebendo todo o carinho e a orientação dos pais que conheciam Jesus, mas que por essas coisas da vida, fez decisões erradas e escolheu o caminho das drogas. O clamor do pai era: pode Deus fazer alguma coisa por meu filho?

Penso nisto ao ler esta parte da Bíblia:

 

Era um dia de muita alegria na família de Abraão.

No v.8, lemos de uma grande festa acontecendo... é que naquele tempo, uma grande festa era dada quando o menino era desmamado.

 

E é justamente isto que lemos aqui: “...No dia em que Isaque foi desmamado, Abraão deu uma grande festa”.

Hoje temos o costume de festejar muito o primeiro aniversário de uma criança... mas no tempo de Abraão, festejava-se quando a criança era desmamada.

Isto podia acontecer aos 6 ou 7 anos de idade (eu contei isto à minha esposa e ela disse: “misericórdia!”)... naquele tempo não havia muita pressa em desmamar uma criança. Talvez por isso as pessoas vivessem tanto tempo... está provado que o leite materno é um alimento insubstituível.

 

Então, quando o filho, naquela época, era desmamado, os pais davam uma grande festa e convidavam os amigos e os parentes... Abraão era um homem rico e, certamente, não poupou dinheiro para fazer a festa.

Mas em toda grande festa, veja comigo o v.9, onde tem tudo para ser só alegria, sempre aparece alguém para desmanchar o prazer... aqui está escrito que Sara viu o filho de Hagar (Ismael, era o nome da criança) caçoando de Isaque... Ismaelzinho foi o desmancha prazer da festa...

 

Tem gente que é assim, como Ismael: pensa que pode caçoar, pensa que pode maltratar os outros e que nunca será descoberto... pensa que pode jogar seu veneno para trazer tristeza, pensa que pode fazer todo mundo de bobo.

 

O que este tipo de pessoa não sabe é que tudo que se planta, se colhe. Lemos isto na Bíblia: “... porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará” (Gl 6.7)... é uma lei da vida.

A vida para todos, poderia ser assim, uma grande festa... poderia ser abundante e cheia de significado... a juventude poderia crescer e chegar a horizontes ainda não imaginados... nossos filhos poderiam crescer e chegar às alturas de realizações... poderiam se desenvolver sadios, sendo motivo de orgulho para o país, para a sociedade, e para a família.

 

Mas por algum motivo, sempre há um Ismaelzinho... alguém que acha que é muito esperto, que quer brincar com a vida, caçoar dos valores, modificar as leis da natureza e levar de qualquer jeito os princípios espirituais que Deus estabeleceu para uma convivência sadia entre os seres humanos.

 

Sempre aparece alguém que pensa que aquilo que é plantando não será colhido. Esse era o caso de Ismael.

 

Observamos aqui, do v.8 para o v.9, que, enquanto todo mundo podia estar feliz naquela grande festa, Ismael caçoava de seu irmãozinho, pensando que nunca ninguém o descobriria.

Será que você está brincando com o sexo, pensando que nunca ninguém descobrirá?

 

Você é um adolescente que está brincando com o cigarro? ...com cervejas ou com as drogas, pensando que ninguém irá descobrir?

 

Será que você está brincando com os valores da família? ...caçoando também de um irmão, do pai ou da mãe?

 

Sabe, a esperteza pode durar muito tempo, mas não pode durar todo o tempo... você pode brincar com a sua vida hoje e amanhã, mas depois de amanhã verá o triste resultado de ter caçoado da sua própria vida.

 

Amado, Deus nos deu liberdade, mas podemos transformar a liberdade que Deus nos deu em nossa grande tragédia.

Deus nos criou diferentes dos animais. Os animais, Deus fez com instintos... os animais são escravos de seus instintos... mas nós, seres humanos, fomos criados com liberdade.

É por isso que se você oferece um cigarro para um cãozinho ele não aceita, ele não tem liberdade... ele tem instintos, ele só faz coisas em conformidade de seus instintos.

 

Mas ofereça um cigarro a um homem e, pode ser que ele o fume, embora a fumaça o sufoque, e ele comece a tossir e se asfixiar. É que o ser humano tem liberdade e por isso pode forçar a sua natureza.

 

Nossos pulmões não foram criados para respirar fumaça, mas usando a liberdade que Deus deu, o homem pode forçar a natureza, pode colocar fumaça para dentro de si... só que cinco anos depois começa a tossir, vai ao médico, e o médico dá o diagnóstico: “Você está condenado a morte, surgiu um câncer pulmonar que está devorando a sua vida”.

 

Então imediatamente, o homem começa a pensar, cai de joelhos e diz: “Ó Deus, por favor, não me castigue com essa doença!”

 

Pense um pouco: Deus está castigando com doença o homem por ele ter fumado? Não. Deus não vinga a ninguém com o mal. Deus não é um monstro, Ele não é vingativo como muitos imaginam.

Quando eu leio a Bíblia, eu encontro um Deus de amor, um Deus dizendo que não quer a morte de nenhum pecador.

Mas Deus estabeleceu princípios que temos que respeitar.

Se eu tivesse aqui em minha mão um microfone de cristal muito caro, e não quisesse que ele se quebrasse, eu teria que respeitar a lei da gravidade... que diz a lei da gravidade? ...que todo objeto será atraído ao centro da Terra.

 

Então, se o meu microfone é um microfone muito caro, feito de um cristal finíssimo, uma obra de arte, uma raridade no mundo, e eu não quero que se quebre, então, terei que respeitar a lei da gravidade.

 

Agora, se, usando a minha liberdade, eu soltar o microfone, ele vai cair e vai se espatifar no chão, e não é justo que eu olhe para Deus e diga: “Ó Deus, por que o Senhor está me castigando ao deixar o meu microfone espatifado?

 

Lemos na Bíblia: “...tudo o que o homem semear, isso também ceifará” (Gl 6.7).

O ser humano recebe as conseqüências de suas atitudes. Deus estabeleceu leis... as leis de Deus servem para proteger a vida e isto não é um mero capricho de Deus.

Quando você entra num zoológico, por exemplo, e vê na jaula dos leões uma placa que diz: “Não coloque a mão nesta jaula”, não é porque o administrador do zoológico seja ignorante ou seja um homem quadrado...

 

Mas você é livre, e se você quiser, você pode enfiar a mão na jaula dos leões... só que depois, quando o leão devorar a sua mão, não é justo que você vá ao administrador do zoológico e diga pra ele: “A culpa é sua!”.

 

Amado, Deus estabeleceu princípios espirituais para proteger a vida, porém, nos deu liberdade.

Podemos usar mal essa liberdade, podemos zombar das leis de Deus. Mas a única pessoa que vai se dar mal será nós mesmos... a gente não pode brincar com o que Deus estabeleceu.

 

Nesse v.9, lemos que Ismael estava rindo de Isaque... ele pensava que nunca seria descoberto, mas Sara o viu, e Ismael teve que sair de casa.

No v.14, lemos da despedida... Ismael deve ter pedido perdão a seu pai. E pela Bíblia, sabemos que Abraão amava a seu filho...

 

Abraão deve ter abraçado chorando e disse: “Filho, eu te perdôo, mas você tem que sair de casa”. E Ismael dizia: “Mas então, você não me perdoou?” E Abraão: “Te perdoei filho, mas você tem que sair de casa”.

Esta história vem desde o Jardim do Éden quando Adão e Eva desobedeceram a lei de Deus.

Tendo desobedecido a Deus, Deus disse que eles teriam que sair do jardim... imagino Adão e Eva nesta hora: eles devem ter se ajoelhado e falado:- “Senhor Deus, por favor, perdoa-nos!” E Deus disse: “Filhos, vocês já estão perdoados! Então podemos ficar? - Não, não podem ficar, vocês têm que sair.  Mas então não nos perdoou? - Perdoei filhos, mas vocês têm que sair”.

Certa vez, um jovem, na fase terminal da Aids, perguntou se Deus estava lhe castigando por ter vivido uma vida pecaminosa. Ele achava que estava pagando por seus pecados... a verdade, porém, é que Deus estabeleceu princípios que ele não respeitou, e Deus não pode mudar as leis que estabeleceu.

 

Ismael teve que sair de casa e o v.14, mostra que isto foi muito doloroso para Abraão.

Deus ama muito cada pessoa que Ele criou... e quando fazemos mal uso da liberdade, podemos nos machucar. E quando você se fere, se machuca, você acha que Deus fica olhando e pensando: “Ah! você está vendo o que fez?”

 

Não, Deus não faz isso... Ele fica sofrendo porque não era esse o sonho do Seu coração. Mas, Deus respeita a liberdade que Ele mesmo deu para o homem.

 

Lemos aqui, no final do v.14, que Hagar (mãe de Ismael) foi andando pelo deserto da vida, levando o seu filho e um pote com água... e no v.15, lemos que de repente a água acabou e ela estava no meio do deserto.

Mas Hagar não era uma mulher sem iniciativa... com certeza, ela buscou por água, procurou uma palmeira, escavou a terra... correu de um lado para o outro, mas os recursos humanos se esgotaram, não havia mais água e o filho começou a morrer no deserto... o sol queimava, a areia estava quente, não havia água.

 

Então, lemos ainda, v.15 e 16, que Hagar chegou ao desespero. Levou seu filho e o colocou debaixo de um arbusto, a uma distância como a de um tiro de um arco, 25 metros mais ou menos, e ela começou a chorar dizendo: “Eu não quero ver o momento em que meu filho der o último suspiro”.

 

É preciso destacar uma lição hoje: Nós todos estamos andando no deserto desta vida.

Mãe, talvez seu filho esteja morrendo no deserto da vida... e você como pai, já tentou de tudo, já falou com amor, com energia, já chorou, já suplicou, já aconselhou, já foi firme, soltou a corda, esticou a corda, pediu a oração do pastor, enfim, já fez de tudo, e aparentemente seu filho não tem mais remédio.

 

Você pode estar perguntando: “O que mais posso fazer para ajudar meu filho? Desde pequeno o instruí no caminho do Senhor. Ele foi educado recebendo as instruções da Palavra de Deus. Demos tudo: carinho, amor, educação, alimentação, tempo, assistência, amizade. Mas o meu filho está se perdendo, o que mais posso fazer por ele? Não sei mais o que fazer, não sei como salvá-lo”.

 

Talvez seu problema não seja seu filho. Talvez o seu lar é que está caindo aos pedaços.

Você já não sabe mais o que fazer para reestruturar sua família. Ela está se desfazendo... talvez você e a sua esposa já pensaram no divórcio, porque pensam que a única saída é a separação, e só não se separaram ainda por causa dos filhos, da questão financeira, por causa da família ou por causa da igreja, mas entre vocês já não existe mais nada, a vida se tornou um inferno. O lar está morto, está agonizando.

 

Quem sabe, você já perdeu todas as esperanças, já caiu de joelhos, e disse a Deus: “Oh, Senhor, eu não posso mais fazer nada, está tudo perdido. Já lutei, já pedi ajuda, já corri... não posso fazer mais nada”.

 

Talvez neste momento, seu problema não seja seu lar, talvez seu problema seja a saúde.

Você não sabe mais para onde ir. Você já se entregou ao abandono.

 

Talvez seu problema não seja a saúde, seja a sua vida espiritual... você já tentou mudar muitas vezes, mas nunca conseguiu cumprir as suas promessas... prometeu em casa, prometeu a si mesmo... mas não adianta, sua promessa dura 10 dias, dura um mês no máximo.

 

Você se sente um escravo de vícios, escravo de hábitos pecaminosos, e não sabe mais para onde ir... não sabe mais como encontrar uma solução para o seu problema.

 

Aqui está escrito que Hagar, “Quando acabou a água da vasilha, ela deixou o menino debaixo de um arbusto e foi sentar-se perto dali, à distância de um tiro de flecha, porque pensou: “Não posso ver o menino morrer”. Sentada ali perto, começou a chorar”.

Você já se sentou debaixo de um arbusto, e falou: “Meu Deus, eu tenho que me conformar com esse caráter, tenho que me conformar com essa situação... este meu problema não tem solução?

 

Será que neste momento, você está vivendo um momento difícil financeiramente? Você já tentou de tudo e já não sabe o que fazer?

 

Então quero que você dirija seus olhos para o deserto e veja aquela mulher, Hagar, chorando e dizendo: “Não quero ver quando o menino morrer” .

Porque, sabe, de repente, enquanto ela chorava, lemos aqui no v.17, ela ouviu do céu uma voz que lhe dizia: “Hagar, por que você está chorando?”  E ela respondeu: “Ah Senhor, estou chorando porque não posso fazer nada para salvar meu filho. Não posso fazer nada para sair desta situação. Sinto-me uma coitada na vida. Tudo dá errado pra mim. Todo mundo me rejeita. Ninguém gosta de mim. Estou perdida neste deserto, não sei para onde ir. Não tenho valores, perdi a auto-estima, me sinto muito mal, não tenho forças para levantar minha cabeça”.

 

E no v.17, a voz disse isto: “Hagar, pare de chorar, levante o menino, segure-o pela mão, porque Eu prometo uma coisa, escute bem Hagar: Eu sou o Deus Todo Poderoso, e Eu prometo que esse garoto que você pensa que não ter mais jeito, desse garoto que você pensa que só merece a morte, desse garoto, Hagar, eu farei um grande homem. Não fique chorando, pensando que está tudo perdido...”.

 

E, v.19, Hagar recebeu a orientação de levantar os olhos... em vez de chorar, ela abriu os olhos.

Hagar levantou os olhos, enxugou as lágrimas, e sabe o que ela viu lá adiante? Uma fonte de água!

 

Ela estava chorando, pensando que tudo estava perdido, quando perto dela havia uma fonte de água.

 

Nesse v.19 ainda lemos que Hagar encheu a vasilha de água, correu e deu ao menino antes dele morrer, e o menino viveu, e cresceu, e se fez um grande homem, pai de uma grande nação!

Sabe o que está Deus nos dizendo hoje? “Não existe caso que esteja perdido para mim. Eu sou o Deus Todo Poderoso”, diz o Senhor. Aleluia!!!

 

Conclusão

Você pode ter lutado com suas próprias forças... você pode ter feito tudo à sua maneira... pode ter se esforçado por suas próprias forças...

Mas eu lhe digo uma coisa: neste momento, Deus pode fazer de seu filho um grande homem. Pode fazer de seu casamento que está caindo aos pedaços, uma família feliz. Pode fazer de sua vida sem futuro, e sem esperanças, uma vida de perspectivas maravilhossísimas... Deus pode ressuscitar seus sonhos, pode ressuscitar seus valores, sua auto-imagem. Não há nada impossível para Deus!

 

Hoje Deus está pondo diante de você uma fonte de água! ...é a solução, é a saída, é o livramento!

Quando Deus abriu os olhos de Hagar, e ela viu uma fonte, ela foi até lá, encheu de água a vasilha e deu de beber ao menino...

 

Amado, aí está, neste exato momento, a sua fonte de água... você tem que correr a ela, tem que banhar-se nela.

 

Jesus é esta fonte, Ele é a solução pra você... um dia, Ele foi levantado na cruz do Calvário, e das mãos e dos pés de Jesus, não brotou água, brotou sangue, e é neste sangue que você tem que ser banhado.

 

É aos pés de Jesus que você tem que receber poder... é aos pés de Jesus que os problemas são resolvidos e nossas feridas curadas.

 

Aos pés de Jesus, nos braços de Jesus, é ali que você encontra a solução!

 

Pr Walter Pacheco da Silveira, 06.11.2005