Meus Sermões

TORNANDO-SE AMIGO DE DEUS
Romanos 5.10

 

Nós éramos inimigos de Deus, mas ele nos tornou seus amigos por meio da morte do seu Filho. Romanos 5.10

 

Introdução

A frase “O cão é o melhor amigo do homem” não é verdadeira. Quem que nunca ouviu essa frase?

Ela foi dita por um advogado norte-americano em 1870, quando defendia um fazendeiro, dono de um cão de caça, que um vizinho desconfiado acusava de andar matando suas ovelhas. O cão foi encontrado morto. Então o fazendeiro resolveu processar o vizinho e no dia do julgamento, o advogado George Vest, declarou no seu discurso: “o cão é o melhor amigo do homem”. E assim, a causa foi ganha e a frase ficou famosa.

 

Não existe um pet shop que não use essa frase: “Nós cuidamos do seu melhor amigo”. Na embalagem de uma ração para filhotes tá lá assim: “Pequenos cães, grandes amigos”!

 

Mas pense um pouco à luz da Bíblia, à luz da Palavra de Deus, quem é o melhor amigo do homem, aquele que realmente é fiel, que ama com amor único e incondicional? …irmãos, é Aquele que “nos tornou seus amigos por meio da morte do seu Filho”. Aleluia!?

 

O melhor amigo do homem não é o cão, não é o gato, não é o papagaio, não é nem outro homem. O nosso melhor amigo é Deus!

 

Pois, vivencie essa verdade na prática.

Deus é o Criador, o Senhor, o Mestre… Ele é o Juiz, o Redentor, o Pai, o Salvador e muito mais. Porém, a mais espantosa verdade é a seguinte: o Deus todo-poderoso é o nosso melhor amigo! …amigo mesmo, mais que do peito e que meu irmão camarada!

 

Sabemos pela Bíblia que no Éden, Adão e Eva desfrutavam de uma amizade íntima com Deus. Eles tinham um relacionamento simples e cari­nhoso… Adão e Eva desfrutavam a companhia de Deus, e Deus des­frutava a companhia deles.

 

Irmãos, fomos feitos para viver assim, numa amizade íntima com Deus, mantendo diálogo contínuo com Ele.

Mas a desobediência do homem fez esse relacionamento se perder.

 

Somente umas poucas pessoas, no Antigo Testamento, é que tiveram o pri­vilégio de uma amizade com Deus. Moisés e Abraão foram chamados “amigos de Deus”, Davi foi chamado “homem segundo o coração de Deus”. Entre­tanto, medo de Deus, e não amizade com Deus, era o mais comum no tempo do Antigo Testamento.

 

Mas Jesus mudou essa situação.

Quando Jesus sofreu a morte por nossos pecados na cruz, o véu do Templo, que simbolizava nossa separação de Deus, foi rasgado de cima para baixo; indicando que o relacionamento direto de Deus com os homens estava novamente disponível.

 

Ao contrário dos sacerdotes do Antigo Testamento, que tinham de passar horas e mais horas se preparando para entrar na presença de Deus, hoje pode­mos chegar a Deus e conversar com Ele a qualquer instante.

 

A Bíblia diz aqui em Rm 5.11: …nos alegramos por causa daquilo que Deus fez por meio do nosso Senhor Jesus Cristo, que agora nos tornou amigos de Deus”.

 

Ter amizade com Deus só é possível por que Jesus abriu o caminho!

No v.18 lemos que: “um só pecado condenou todos os seres humanos” mas  que “assim também um só ato de salvação liberta todos e lhes dá vida”.

 

Uma lição preciosa que tenho aprendido nesses 49 Dias de Encontros Com o Pai, é que essa vida que Jesus dá aos que confiam nEle, é uma “megavida”.

 

Quando Jesus falou em João 10.10: “eu vim para que tenham vida e a tenham com abundância”, o significado é precisamente esse: “megavida”, uma vida maravilhosa e excelente.

Estou pregando nesta manhã para alguém que ainda não experimentou essa vida de Deus? …estou pregando para alguém não consegue vencer algum pecado em sua vida? Estou pregando para alguém que não consegue vencer algum vício? Não consegue tirar um pensamento imundo de sua mente? Não consegue arrancar um sentimento sujo do seu coração?

 

Estou pregando nesta manhã para alguém que não consegue perdoar o seu irmão? Estou pregando para alguém que se sente amarrado, escravizado a uma vida de baixa-estima?… talvez com os olhos cheios de lágrimas você não esteja conseguindo enxergar essa verdade, mas a escute então: Deus é o seu melhor amigo e tem uma vida excelente para você viver.

 

Deus deseja muito, muito mesmo, que você se relacione intimamente com Ele.  

Na verdade, Deus planejou o universo e orquestrou a história, incluindo todos os detalhes da sua vida, para que você se torne amigo dEle.

 

Talvez você não consiga imaginar como um Deus perfeito e onipotente quer tanto essa amizade íntima com um ser humano limitado e pecador, mas o fato é que Deus quer você como amigo dEle, vivendo uma vida maravilhosa e excelente.  

 

Há crentes que não experimentam essa megavida… que nada sabem sobre esse desejo de Deus.

O pastor Eddy Leo falou em São Paulo que 90% dos crentes não vivem essa vida superior; apenas 10% sim… mas 90% desconhecem completamente essa vida de Deus.

 

Mas, aqui na Bí­blia, podemos aprender o pré-requisito principal para essa vida ser experimentada.

 

Vamos fazer um exame do texto de João 10.27-28: “As minhas ovelhas escutam a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna, e por isso elas nunca morrerão. Ninguém poderá arrancá-las da minha mão”.

 

A chave para você experimentar a megavida, a vida abundante, a vida maravilhosa e excelente de Deus, é você:

 

CONVERSAR COM DEUS CONTINUAMENTE.

Esse “escutar a minha voz” de que Jesus fala, é um verdadeiro diálogo – é você conhecer a voz dEle, porque Ele conhece o balido, conhece a voz das Suas ovelhas.

Então, a chave para você experimentar essa vida abundante é o diálogo contínuo com o Senhor!

 

Você jamais desfrutará essa megavida se conversar pouco com Deus, tipo apenas uma vez por semana no prédio da igreja ou tendo só um período de busca diária.

 

Se você não dialogar com Deus continuamente, num relaciona­mento íntimo com Ele, você não saberá o que é essa vida abundante.

 

É lógico que é importante ter o hábito diário de um momento com Deus no Quarto de Escuta, mas Deus quer mais que um compromisso na sua agenda.

Deus quer participar de todas as suas atividades, de todas as suas con­versas, de todos os seus problemas e até mes­mo de todos os seus pensamentos.

 

E você pode manter essa conversa contí­nua com Deus ao longo do dia! Você pode conversar com Deus sobre o que quer que estiver fazendo ou pen­sando no momento. A Bíblia diz “Orai sem cessar”; “orem sempre” (1Ts 5.17).

 

Isso significa conversar com Deus enquanto faz as compras, o trabalho de casa ou enquanto faz qualquer outra coisa.

Um conceito errado bastante comum é de que “Quarto de Escuta” significa estar num lugar sozinho com Deus.

É claro que você precisa de um tempo a sós com Deus num lugar; mas isso se refere somente a uma parte do tempo que você passa acordado. Tudo que você faz na vida, pode ser um “Quarto de Escuta”, se Deus for convidado para tomar parte e você estiver consciente de Sua presença.

No livro 49 Dias de Encontros Com o Pai, lemos de um irmão lá do século XVII, chamado Lourenço. Irmão Lourenço era um crente que viveu em Paris, França. Como crente, ele nunca se tornou um pregador, um pastor ou um grande teólogo. Ele apenas serviu como cozinheiro em uma mansão franceza. Mas o irmão Lourenço, ele era assim: ele tinha a capacidade de fazer as coisas mais insignificantes, mais comuns, como lavar pra­tos, esfregar o chão, preparar a comida… ele fazia essas coisas conversando com Deus. Irmão Lourenço conversava com Deus enquanto fazia suas atividades.

 

Hoje em dia,  nós pensamos que é preciso escapar do trabalho, deixar as atividades, sair da rotina, para adorar a Deus… pensamos que é preciso fazer todos os telefonemas primeiro, deixar a casa varrida, a comida pronta, para então, adorar a Deus…

E quando não dá para parar, Deus fica esperando a adoração e o crente fica abatido com  o seu sentimento de culpa: “que péssimo crente que sou”… e o diabo, aproveitando a situação pra dizer: “Tá vendo, seu crente meia-tigela. Você não tem consagração mesmo!”

 

Mas sabe por que isso acontece? …é porque não aprendemos a pensar na presença de Deus durante todo o tempo.

 

E alguns crentes são tão desatentos da presença de Deus que quando vão orar, eles declaram assim: “Senhor Deus, entrando novamente na sua presença…”. Por que, Deus tinha saído?

 

O irmão Lourenço achava fácil conversar com Deus nas tarefas comuns da vida; ele não precisava de retiros espirituais especiais para estar em comunhão com Deus… ele não precisava subir o monte todas as vezes.

Tem gente que sobe monte, desce monte, que a experiência já se tornou banal, e o pior é quando desce do monte e desce da comunhão também … melhor então é que tivesse ficado lá em cima!

 

Irmão, entenda isso: para ter a vida abundante, a megavida de Deus, o pré-requisito principal é que você converse com Deus continuamente… a chave para experimentar essa vida abundante é você dialogar com Deus.

 

Esse é o ideal de Deus. No Éden, Adão e Eva esta­vam em constante comunhão com Deus. E como Deus está com você durante todo o tempo, nenhum outro lugar é mais perto dEle do que o lugar onde você está.

Uma providência que o irmão Lourenço tomava era fazer conti­nuamente orações curtas e informais ao longo do dia, em vez de tentar horas de orações longas e complicadas.

 

Hoje, em uma época como a nossa, tão agitada, tão corrida, tão cheia de coisas, como é importante sermos simples – porque a vida vai se sofisticando e nós vamos perdendo a simplicidade. Já percebeu que o disco de vinil virou CD, que já virou MP3… que o espaguette virou miojo… e que a bicicleta virou Biz e a peruca virou aplique, e a escova virou chapinha? …é, as coisas vão se sofisticando!

 

Porém, no que diz respeito à conversar com Deus, a Bíblia diz para sermos simples. Está escrito: orai sem cessar”.

Mas como isso é possível? Será necessário um programa de computador que gere orações contínuas? Haverá uma espécie de aparelho eletrônico, já disponível no mercado, que torne possível esse “orar sem cessar”?

 

Que nada! Uma maneira de você conseguir um diálogo contínuo com Deus é fazendo “orações de um fôlego só” ao longo do dia.

 

Veja como é simples: você escolhe uma frase curta que pode ser repetida para Jesus em uma respiração: “O Senhor está comigo”; “Eu recebo o Seu amor”; “Jesus, eu dependo do Senhor”; “Jesus, me dá direção”

 

Outro recurso para orar sem cessar consiste em você orar no espírito, orar em línguas.

O apóstolo Paulo escreveu aos crentes de Corinto (1Co 14.14-19): ”Eu vou orar com a minha inteligência, mas tabém vou orar com o meu espírito” – duas formas de orar: com a inteligência e com o espírito; e de cantar também, porque ele falou: “vou cantar com o meu espírito, mas também vou cantar com a minha inteligência”. E ele deu os parâmetros para essa modalidade de oração.

 

Mas comece a fazer essas orações com a maior freqüência possível, e dialogar continamente com Deus se tornará num hábito do seu coração.  

 

Praticar a presença de Deus é uma habilidade que você pode desenvolver.

Assim como os músicos praticam escalas diariamente, a fim de tocar músicas com facilidade, você deve se obrigar a pensar em Deus em diversos momentos do dia. Treine sua mente a se lembrar de Deus!

 

Você pode escrever pequenos bilhetes para você mesmo, lembrando que Deus está com você. Escreva, por exemplo: “Deus é comigo e Ele luta por mim!”

Outro dia, o Marcelo, líder em treinamento da minha célula, me enviou uma mensagem no celular que dizia assim: “Deus está agindo”. Aquela frase conquistou o meu coração. Desde então, eu lembro de usá-la em oração várias vezes no dia.

 

Eu li no livro Uma Vida Com Propósitos, que os monges beneditinos usam o alarme de um relógio, para os lembrar de hora em hora, que devem fazer sua “prece das horas”.

Então, que acha de configurar o seu celular para despertar de hora em hora afim de você falar com Deus e pensar nEle?

 

Em alguns momentos você vai sentir a presença de Deus, em outros não. É normal. E na verdade, nós não louvamos a Deus para nos sentir bem, mas louvamos a Deus para agir­ bem. O objetivo não é a sensação, mas a consciência constante da realidade de que Deus está presente.

 

Esse é o estilo da vida de adoração: ter diálogo contínuo com o Pai. Amém?

 

Conclusão

Existem outros segredos sobre como cultivar amizade com Deus e se qualificar para experimentar a vida abundante, mas não espere até amanhã.

Comece hoje mesmo a praticar uma conversa contínua com Deus. Afinal, Deus é o seu melhor amigo.

 

Pode imaginar o benefício do diálogo contínuo com Deus para um cristão que está aflito… que tem uma promissória para pagar segunda-feira e não tem o dinheiro?

Consegue imaginar o benefício do diálogo contínuo com Deus para uma mãe, cujo filho terminou o segundo grau e quer fazer a faculdade, mas ela não tem dinheiro para ajudar o filho e sofre, chora, as vezes se desespera e derrama lágrimas?

 

Consegue imaginar o benefício disso para um pai, um homem ou uma mulher, que está sob suspeita de uma terrível doença? 

 

Consegue imaginar o benefício do diálogo contínuo com Deus para alguém que rompeu um relacionamento semana passada e que acha estar sozinho na vida?

 

Porque nesse diálogo, Deus vai falar ao coração dizendo: “Filho, filha, você acha que está sozinho na vida, mas não está. Eu sei do seu problema. Eu conheço a sua vida. E estou aqui para ajudar você, porque Eu sou o seu melhor amigo!”

 

Pr Walter Pacheco da Silveira