Meus Sermões

O QUE FAZER QUANDO NÃO SOUBER O QUE FAZER?
2 Crônicas 20.12

 

“Ó nosso Deus, castiga essa gente, pois não somos bastante fortes para resistir a esse enorme exército que está avançando contra nós. Não sabemos o que fazer e olhamos para ti, pedindo socorro!”

 

Introdução

O que você deve fazer quando não souber o que fazer?

Isso é uma aflição, é friozinho na barriga e é muito comum. De vez em quando passamos por situações assim.

 

É o tal do “beco sem saída” ou do “estou no mato sem cachorro” ou ainda “estou encurralado”. Expressões que o povo usa para expressar que está num ponto de não são saber o que fazer.

 

Foi o caso do rei Josafá aqui do texto bíblico.

O rei Josafá está num beco sem saída. Tem uma grande multidão, fortemente armada pronta para atacar Jerusalém. Não dá tempo para pra nada e nem há recursos para o rei fazer resistência àquele aparato militar que quer varrer Jerusalém do mapa.

 

Diante dessa situação, Josafá está com medo... quem não estaria? ...mas aí, ele faz algo tremendo, inusitado, surpreendente: Josafá se põe a buscar o Senhor, convocando toda a nação para orar e jejuar com ele. E na sua oração, o rei diz assim: “Ó nosso Deus, castiga essa gente, pois não somos bastante fortes para resistir a esse enorme exército que está avançando contra nós. Não sabemos o que fazer e olhamos para ti, pedindo socorro!”

 

Veja só: diante da situação tão desesperadora, o rei Josafá admite a sua incapacidade, reconhece que não sabe o que fazer... mas ele põe os seus olhos em Deus.

 

Idéia Central

Então, nesse texto, a Bíblia nos ensina uma grande verdade: quando não se sabe o que fazer, o melhor a fazer é buscar a Deus.

 

Frase de Efeito

Olha para Deus!

 

Ligação

Desse episódio podemos tirar quatro lições para a nossa vida. Que lições são essas? ...primeira:

 

QUANDO VOCÊ NÃO SOUBER O QUE FAZER, BUSQUE A DEUS EM ORAÇÃO E JEJUM

Veja o que está no v.3: “Josafá ficou com medo e orou a Deus, o Senhor, pedindo socorro. Depois deu ordem para que todo o povo de Judá jejuasse”.

Essa é a primeira lição: buscar a Deus em oração e jejum!

 

Há momentos em que os problemas vêm sobre nós como uma torrente caudalosa, como uma avalanche avassaladora, como um terremoto assustador. E nessas horas, os nossos recursos são absolutamente insuficientes para a situação ser enfrentada e vencida. Nós nada podemos fazer senão recorrermos ao Deus do céu, e clamar por Sua ajuda e por Seu socorro.

 

O rei Josafá fez assim... na mesma hora que ele se viu sem nada, ele lançou mão de recursos sobrenaturais. A oração e o jejum são esses recursos... oração e jejum são verdadeiras armas espirituais disponíveis ao povo de Deus.

É por isso que muitas pessoas, mesmo não sendo crentes ainda, vem e pedem as orações do povo de Deus, porque esses recursos, quem é de Deus tem.

 

Jesus, quando morreu na cruz abriu caminho direto para Deus. O crente confia nessa verdade e fala com Deus.

 

Já o jejum é um outro recurso espiritual que o crente possui.

Fazer jejum significa abster-se de algo, o mais comum é abster-se de alimento, com um propósito espiritual. Quem não é crente, ficar sem comer é dieta, é fazer greve de fome. Mas o crente em Jesus, quando jejua, o faz com o propósito de centrar-se em Deus, de manter-se focalizado nEle – o que lhe confere mais poder, mais autoridade!

 

Então, meu irmão, quando você não souber o que fazer, não confie em sua própria destreza nem nos recursos naturais. Mas, busque a Deus em oração e jejum...

 

A Bíblia ensina que quando nos humilhamos sob a onipotente mão de Deus, então, o braço do Senhor sai em nossa defesa e nos concede a vitória.

 

Meu irmão que está em dificuldade... que está indeciso, sem saber o que fazer: olha para Deus!

 

...a segunda lição para a nossa vida:

QUANDO VOCÊ NÃO SOUBER O QUE FAZER, CONFIE EM DEUS

Acompanhe comigo a leitura que farei a partir do v.4:

“Todos se reuniram para pedir socorro ao Senhor; de todas as cidades do país o povo veio a Jerusalém.

5A gente de Judá e de Jerusalém se reuniu no pátio novo do Templo, e Josafá se pôs de pé no meio deles 6e orou assim:

– Ó Senhor, Deus dos nossos antepassados! Tu és o Deus do céu e governas todas as nações do mundo. Tu és forte e poderoso, e ninguém pode resistir ao teu poder. 7Tu és o nosso Deus; expulsaste os moradores desta terra de diante do teu povo de Israel e deste a terra deles para sempre a nós, os descendentes de Abraão, teu amigo. 8O teu povo tem morado nesta terra, e aqui construímos um Templo em tua honra. Nós dissemos assim: 9“Se alguma desgraça cair sobre nós como castigo, seja guerra, ou doenças, ou falta de alimentos, então nos ajuntaremos em frente deste Templo, onde tu moras, e no nosso sofrimento clamaremos a ti pedindo socorro, e tu atenderás o nosso pedido.”

10– Agora os amonitas e os moabitas, junto com os edomitas, invadiram o nosso país. Quando os nossos antepassados estavam vindo do Egito, tu não os deixaste invadir as terras daqueles povos. Por isso, os nossos antepassados se desviaram delas e não destruíram aqueles povos. 11Mas agora eles nos pagam assim: estão nos atacando para nos expulsar da terra que nos deste para sempre. 12Ó nosso Deus, castiga essa gente, pois não somos bastante fortes para resistir a esse enorme exército que está avançando contra nós. Não sabemos o que fazer e olhamos para ti, pedindo socorro!”

 

Sabe, a segunda lição importante é que não basta orar a Deus, não basta pedir oração, não basta fazer oração.

É preciso também que confiemos nAquele a quem pedimos. Isso parece muito básico e até sem importância de ser mencionado, mas a confiança do rei Josafá em Deus, é muito saliente nesse texto. 

 

A princípio, a coisa mais natural do mundo é que quem pede a ajuda de Deus, creia, confie que Ele realmente ajuda.

 

Mas muitas vezes não é assim que acontece. Há vezes do beco em que nos metemos ser tão estreito, tão sem saída, que ficamos incrédulos... desacreditando de haver um livramento, uma solução.

Já ouviu falar daquele chefe de família na roça, um homem crente, que já estava angustiado com a falta de chuva na sua plantação? Certo dia, antes de voltar ao trabalho e as crianças irem para a escola, num dia ensolarado, ele reuniu a família em torno da mesa para uma oração, pedindo a Deus que mandasse chuva sobre a terra. Toda a família orou fervorosamente. Quando foi dito o “amém” do finalzinho da oração, a caçulinha da casa correu ao quarto e trouxe de lá o seu guarda-chuva. Assim que viu aquilo, o pai disse logo: “Filha, faz muito sol lá fora. Não é necessário que carregue o guarda-chuva”. Mas a menininha respondeu: “Ora papai, a gente não pediu a Deus pra mandar a chuva?”

 

Ah! Que a gente tenha essa confiança!

Você já imaginou como seria maravilhoso se, além de fazer oração, você tivesse essa confiança?

Essa é a segunda lição que aprendemos nesse texto da Bíblia: Josafá tinha confiança em Deus... ele reconhece que Deus é Deus, o soberano Senhor nos céus e que domina sobre todas as nações da terra.

 

Josafá faz oração, mas a oração dele é consciente de que nas mãos de Deus estão toda a força e o poder e que não há nada nem ninguém que possa resistir a Deus... que possa fazer barreira à Sua vontade.

 

O rei Josafá diz na sua oração, v.5: “Tu és o Deus do céu e governas todas as nações do mundo. Tu és forte e poderoso, e ninguém pode resistir ao teu poder”. Então, veja: o rei Josafá conhece a Deus e confia nEle!

 

Que lição maravilhosa essa!

Confiar inteiramente, sem nenhuma reserva, que Deus domina sobre tudo e sobre toda a situação.

Nesta semana surgiu uma preocupação no país porque o presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, que tem ordem de prisão por crime de traição, se refugiou na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa, capital de Honduras. As autoridades estão temerosas por atos de violência e terrorismo. Mas Deus está no controle das nações!

 

Ainda estamos apreensivos com a questão da nova gripe. 92 pessoas já morreram por causa dessa doença aqui no Rio. Mas Deus está no controle!

 

Quem sabe essa semana você se aborreceu, deu vontade de chutar o balde, porque se viu numa situação difícil... Mas Deus está no controle! Com um “click” Ele diminui o volume, muda as coisas, estabiliza tudo!

 

Ah! Quando uma pessoa compreende a grandeza de Deus, os grandes problemas que ela tem ficam pequenos.

Josafá tinha conhecimento de Deus e confiou em Deus. Veja o modo como ele fez oração... ele orou fundamentado na Palavra de Deus...

 

Porque é a Bíblia que faz revelação de que Deus é quem governa o mundo e diz que Ele é forte e poderoso!

 

Está escrito nos Salmos (47.2): “o Senhor, o Altíssimo, deve ser temido; ele é o grande Rei que governa o mundo inteiro”. Também está escrito (47.9): “...todo poder neste mundo pertence a Deus; ele domina tudo”.

 

Portanto, Josafá foi um rei que, quando não soube o que fazer, acabou fazendo a coisa mais certa: ele buscou a Deus e confiou nEle.

Você não sabe o que fazer? ...confie em Deus. Olha para Deus, irmão!

...terceira lição:

QUANDO VOCÊ NÃO SOUBER O QUE FAZER, OUÇA E OBEDEÇA A PALAVRA DE DEUS

Confira comigo o que está escrito a partir do v.13:

“Todos os homens de Judá estavam ali de pé em frente do Templo, junto com as suas mulheres e os seus filhos e até as crianças de colo. 14De repente, o Espírito de Deus desceu sobre um levita que estava ali no meio do povo. Chamava-se Jaaziel e era descendente de Asafe. Jaaziel era filho de Zacarias, neto de Benaías, bisneto de Jeiel e trineto de Matanias. 15Jaaziel disse:

– Povo de Judá, moradores de Jerusalém e rei Josafá, prestem atenção! Escutem isto que o Senhor Deus diz: “Não se assustem, não fiquem com medo deste enorme exército, pois a batalha não é contra vocês, mas contra mim. 16Amanhã vocês os atacarão quando eles vierem pela subida de Zis. Vocês se encontrarão com eles no fim do vale que dá para o deserto de Jeruel. 17Quando os encontrarem, vocês não precisarão lutar. Fiquem parados ali e verão como o Senhor Deus salvará vocês. Povo de Judá e moradores de Jerusalém, não se assustem, nem fiquem com medo; marchem contra os inimigos amanhã, pois eu, o Senhor, estarei com vocês.”

18Então o rei Josafá se ajoelhou e encostou o rosto no chão; e todo o povo de Judá e os moradores de Jerusalém também se ajoelharam na presença de Deus, o Senhor, e o adoraram. 19Aí os levitas que eram descendentes de Coate e de Corá começaram a louvar o Senhor, o Deus de Israel, em voz bem alta”.

 

Quando todos os homens, mulheres e crianças se reuniram para falar com Deus em oração, Deus se manifestou e falou com eles, trazendo-lhes sua Palavra.

No v.3 está escrito que o rei Josafá, imagina isso, o rei, “ficou com medo e orou a Deus, o Senhor, pedindo socorro”.

 

Medo proveitoso esse! Não é como o medo de baratas... ter medo de baratas é tolice. Olha o seu tamanho e o tamanho da barata!

 

Josafá teve medo, mas nem toda forma de medo é ruim. O medo que o rei Josafá teve o levou a buscar a Deus em oração. Bendito medo!

 

Experimente! Quando sentir frio na barriga e ficar sem saber o que fazer, faça o que o rei Josafá fez: tenha uma audiência com Deus.

A nação inteira foi convocada para buscar a Deus, ter um encontro com Deus e ouvir a Palavra dEle.

 

Você sabe que por intermédio da oração nós falamos com Deus, nessa hora Deus também fala conosco, mas de modo muito especial, Deus nos fala por meio da Sua Palavra, que ficou escrita para nós no formato de livros que chamamos Bíblia. A Bíblia é a Palavra de Deus.

Naquela situação do rei Josafá e do seu povo, a Palavra de Deus veio a eles. Deus lhes falou através do levita Jaaziel, que disse, v.17: “Nesta peleja, não tereis de pelejar; parai, estai em pé e vede a salvação do Senhor para convosco”.

 

E tanto o rei como todo o povo, ao ouvir a Palavra de Deus se sentiu encorajado a não olhar para as circunstâncias e nem temer as ameaças do inimigo, porque a Palavra que ouviram de Deus lhes acalmou o coração...

 

A Palavra de Deus gerou fé no coração deles!

 

Amado, quando não souber o que fazer, ouça e obedeça a Palavra de Deus... olha para Deus, seguro!  

 

...a quarta lição para a nossa vida é a seguinte:

QUANDO VOCÊ NÃO SOUBER O QUE FAZER, LOUVE A DEUS COM CONFIANÇA

Acompanhe comigo o que está escrito a partir do v.20, se não tem a Bíblia, acompanhe com o vizinho aí – é muito importante que você acompanhe essa leitura:

“Na manhã seguinte, todos se levantaram cedo e foram para o deserto de Tecoa. Ao saírem, Josafá ficou de pé e disse:

– Povo de Judá e moradores de Jerusalém, escutem! Confiem no Senhor, seu Deus, e estarão seguros; confiem nos profetas dele, e tudo o que vocês fizerem dará certo.

21Depois de consultar o povo, Josafá ordenou que alguns cantores vestissem roupas sagradas e marchassem à frente do exército, louvando a Deus e cantando assim:

“Louvem a Deus, o Senhor, porque o seu amor dura para sempre.”

22Logo que começaram a cantar, o Senhor Deus causou confusão entre os moabitas, os amonitas e os edomitas, e eles foram derrotados. 23Os amonitas e os moabitas atacaram os edomitas e os destruíram completamente; depois os amonitas lutaram contra os moabitas, e os dois lados também acabaram se destruindo. 24Quando o exército de Judá chegou a um lugar alto no deserto, eles viram o chão coberto de mortos; ninguém tinha escapado com vida.

25Aí Josafá e os seus soldados avançaram e começaram a pegar tudo o que havia no acampamento inimigo. Encontraram muitos animais de carga, armas, roupas e objetos de valor. Levaram três dias pegando as coisas, mas havia tanto, que não puderam levar tudo. 26No quarto dia, todos se reuniram no vale de Beraca e louvaram o Senhor. É por isso que aquele lugar se chama vale de Beraca até hoje.

27Depois os soldados de Judá e de Jerusalém, com Josafá à frente, voltaram alegres para Jerusalém. Estavam contentes porque o Senhor Deus lhes tinha dado a vitória na luta contra os seus inimigos. 28Quando chegaram a Jerusalém, foram até o Templo, ao som de música de harpas, liras e trombetas. 29Quando os outros povos souberam que o Senhor havia derrotado os inimigos de Israel, ficaram todos com medo. 30Assim o reinado de Josafá continuou tranqüilo, pois Deus lhe deu paz com todas as nações vizinhas”.

 

Interessante isso!

Quando o povo ouviu a voz de Deus, o medo que sentiam foi substituído pelo louvor, eles começaram a cantar!

 

Aqui aprendemos sobre o louvor, sobre a adoração como arma de ataque... os exércitos inimigos foram enfrentados, não com armas carnais, mas com louvor.

 

Josafá e seu povo louvaram a Deus para derrotar o inimigo.

Tem crente que só consegue louvar depois... depois dos inimigos derrotados. Mas eles fizeram diferente: louvaram para vencer o inimigo.

 

Portanto, precisamos compreender que há vezes em que o louvor não é apenas conseqüência da vitória, mas a causa da vitória. Foi o que aconteceu!

 

Está escrito no v.22 que "Tendo eles começado a cantar e a dar louvores, pôs o Senhor emboscada contra os filhos de Amom e de Moabe e os do monte Seir que vieram contra Judá, e foram desbaratados".

 

O louvor é a arma de ataque dos filhos de Deus no campo de batalha... o povo louvou a Deus com fé, com confiança, e o inimigo foi desbaratado, foi vencido!

Irmão, quando não souber o que fazer, não fique impressionado olhando para o inimigo... ao invés disso, louve a Deus com confiança...

 

Olha para Deus... porque quem vai sair vencedor nessa batalha vai ser você! Aleluia!

 

Conclusão

Quando os problemas parecerem sem solução, faz o que o rei Josafá fez: busque a Deus em oração e jejum, confie em Deus, obedeça a Palavra de Deus e louve a Deus com confiança.

Se você fizer isso, o inimigo será desbaratado e você vai experimentar vitória!

 

Apelo

Essa Palavra tocou o seu coração? ...você entendeu que quando não se sabe o que fazer a melhor coisa a ser feita é olhar para Deus?

Mas você, do meio do seu problema, do beco sem saída em que se meteu, até hoje ainda não buscou a Deus com seriedade, ainda não olhou para Deus para ser salvo, para ser ajudado... Eu quero convidar você a entregar sua vida para Deus hoje... entregar tudo, o problema e a própria vida.

 

Se você olhar para Deus, Ele te ajudará e salvará. Você está disposto a deixar de confiar em outras coisas e a entregar sua vida para Deus somente?

 

 

Pr Walter Pacheco da Silveira, 27.9.2009 – Baseado em material de Hernandes Dias Lopes