Meus Sermões

O TOQUE DE JESUS
Marcos 1.30-31; 9.17-27; 1.40-42

 

Introdução 

Hoje quero pensar um pouquinho com os irmãos sobre o Toque de Jesus.

Existe uma gravação do Kaiúka que é uma oração que eu fiz: “Espírito de Deus toque em mim com seu poder. Eu quero ser mudado. Toque em mim com seu poder”.

 

Escrevi essa oração num papel de rascunho, e ele aproveitou, colocando música... ficou legalzinha!

 

Mas há muitos outros cânticos, que também são verdadeiras orações, quem falam desse toque abençoador de Jesus.

 

Toque significa contato...

Contato de Jesus conosco e, conseqüentemente, o nosso contato com ele... essa é uma experiência maravilhosa!

 

Esse toque, esse contato, é um toque que realmente abençoa... quando Jesus nos toca, somos abençoados de alguma forma.

 

Quem for sábio, irá até se esforçar mais para estar cada vez mais perto de Jesus.

 

Vejamos, na Bíblia (usando em especial o Evangelho de Marcos), o que o toque de Jesus pode fazer conosco e por nós.

 

1. O TOQUE DE JESUS PODE NOS TRAZER CURA

Veja Marcos 1.30-31: “A sogra de Simão estava de cama, com febre. Assim que Jesus chegou, contaram a ele que ela estava doente. 31Ele chegou perto dela, segurou a mão dela e ajudou-a a se levantar. A febre saiu da mulher, e ela começou a cuidar deles”.

O toque de Jesus levou cura à sogra de Pedro... ela estava prostrada com alguma enfermidade que, dentre os sintomas, a havia deixado com febre.

 

Jesus tocou naquela mulher e ela sarou... o toque de Jesus pode trazer cura!

 

Cura física, cura emocional, cura espiritual!

 

Amados, precisamos clamar com fé, porque esse toque é para nós e para os nossos semelhantes!

 

2. O TOQUE DE JESUS PODE TRAZER LIBERTAÇÃO

Agora vamos ver Marcos 9.17-27: “Um homem que estava na multidão respondeu:

– Mestre, eu trouxe o meu filho para o senhor, porque ele está dominado por um espírito mau e não pode falar. 18Sempre que o espírito ataca o meu filho, joga-o no chão, e ele começa a espumar e a ranger os dentes; e ele está ficando cada vez mais fraco. Já pedi aos discípulos do senhor que expulsassem o espírito, mas eles não conseguiram.

19Jesus disse:

– Gente sem fé! Até quando ficarei com vocês? Até quando terei de agüentá-los? Tragam o menino aqui.

20Quando o levaram, o espírito viu Jesus e sacudiu com força o menino. Ele caiu e começou a rolar no chão, espumando pela boca.

21Aí Jesus perguntou ao pai:

– Quanto tempo faz que o seu filho está assim?

O pai respondeu:

– Ele está assim desde pequeno. 22Muitas vezes o espírito o joga no fogo e na água para matá-lo. Mas, se o senhor pode, então nos ajude. Tenha pena de nós!

23Jesus respondeu:

– Se eu posso? Tudo é possível para quem tem fé.

24Então o pai gritou:

– Eu tenho fé! Ajude-me a ter mais fé ainda!

25Quando Jesus viu que muita gente estava se juntando ao redor dele, ordenou ao espírito mau:

– Espírito surdo-mudo, saia desse menino e nunca mais entre nele!

26O espírito gritou, sacudiu o menino e saiu dele, deixando-o como morto. Por isso todos diziam que ele havia morrido. 27Mas Jesus pegou o menino pela mão e o ajudou a ficar de pé”.

 

Aleluiua!

O toque de Jesus é um toque libertador... é um toque capaz de tirar as pessoas das garras do inimigo!

 

E a bênção da libertação tem um alcance múltiplo, considere: É bom para o liberto, é bom para a família do liberto e é bom para as pessoas em geral, as instituições, escolas, delegacias, bombeiros... é bom para todos da localidade onde o liberto vive!

 

Fala-se muito hoje em dia sobre a necessidade da igreja ser relevante para a cidade.

Uma igreja será relevante se ela, além de outras coisas, cumprir, talvez principalmente, a tarefa de colocar as pessoas em contato com Jesus, de forma que elas sejam alcançadas pelo toque libertador de Jesus.

 

3. O TOQUE DE JESUS PODE NOS TRAZER RESTAURAÇÃO

O texto agora é Marcos 1.40-42: “Um leproso chegou perto de Jesus, ajoelhou-se e disse: – Senhor, eu sei que o senhor pode me curar se quiser. Jesus ficou com muita pena dele, tocou nele e disse: – Sim! Eu quero. Você está curado. 42No mesmo instante a lepra desapareceu, e ele ficou curado”.

Um leproso, ajoelhado diante de Jesus, implorava que fosse limpo de sua lepra... e Jesus atendeu ao pedido dele.

 

Trata-se de um toque de cura, mas, em se tratando de um leproso daqueles tempos, foi mais que uma cura: era uma restauração...

 

Um leproso naquela ocasião era forçado a morar longe das outras pessoas e, ao aproximar-se delas devia gritar: “sou imundo, imundo”. Imagine o constrangimento...

 

Uma das definições de restauração, que encontramos em alguns dicionários é: “ato de reaver a independência ou a nacionalidade perdida”.

Quer dizer, Jesus, além de curar o leproso, devolveu pra ele a sua independência e o direito do convívio em sociedade, convívio com o seu povo.

 

Essa restauração pode muito bem ilustrar a restauração maior que Jesus veio para fazer: a restauração das pessoas a um convívio como povo de Deus, convívio esse que começa aqui e entra a eternidade à fora.

 

Como está em Efésios 2.19: “Portanto, vocês, (...) não são mais estrangeiros nem visitantes. Agora vocês são cidadãos que pertencem ao povo de Deus e são membros da família dele”.

Jesus pode, quer e veio para efetuar essa restauração.

 

Você pode ser restaurado. Faça como o leproso: clame a Jesus...

 

Irmão: Leve “leprosos” a Jesus!

 

Conclusão

O toque de Jesus é amplamente abençoador.

Vimos, através desses episódios bíblicos que ele: Cura, Liberta e Restaura.

 

A nossa tarefa como igreja é, através do evangelho, aproximar as pessoas de Jesus, para que elas sejam tocadas por ele e sejam curadas, libertas e restauradas...

 

Irmãos, precisamos cumprir nossa tarefa com fé e destemor.

 

 

Pr. Walter Pacheco da Silveira. Fonte.: Pr Walmir Vigo Gonçalves