Meus Sermões

OS VALORES DA IGREJA
Diversos

 

Introdução

De vez em quando precisamos pensar nos valores da igreja... é isto que vamos trabalhar nesta manhã.

Irmãos, não é interessante querermos ter uma multidão de convertidos... mas pessoas transformadas em discípulos comprometidos.

 

Esta é a missão que Jesus deixou para a igreja, quando disse: “vão a todos os povos do mundo e façam com que sejam meus seguidores” (Mt 28.19).

 

Somente um discípulo pode ser um ministro de verdade.

 

Nós somos uma igreja em células.

E a célula é um local de vida para nós... é onde aprendemos – aprendemos a ser como família, como adorar ao Senhor, como edificar a vida uns dos outros, orar uns pelos outros e levar outras pessoas à Jesus.

 

Cada célula, normalmente, possui no mínimo cinco pessoas e se multiplica quando essas pessoas ganham outras e um novo líder é gerado.

 

Você, certamente, já está participando de uma célula e, brevemente, a sua célula se multiplicará... então, você poderá ver esse maravilhoso processo de multiplicação acontecendo.

 

Uma igreja em células está alicerçada sobre valores espirituais... e esses valores definem a forma como vivemos a vida da Igreja.

E quais são esses valores espirituais? ...não vou conseguir mencionar todos hoje, mas vejamos até onde consigo:

 

...primeiro:

1. CADA CRENTE É UM MINISTRO

Esse é o primeiro valor inegociável da igreja que somos aqui: cada crente é um ministro, não é apenas um membro da igreja; é um ministro dela, com funções sagradas!

Houve um tempo em que ministro na igreja era só um e outro... estes formavam o clero...

 

Mas desde a Reforma Protestante, o sacerdócio universal dos crentes – isto é, que cada crente é um ministro –  foi restaurado.

 

Mas ainda hoje, nos nossos dias, o vírus daquele clericalismo tem mantido pessoas anestesiadas e improdutivas na igreja.

São clérigos... se colocam acima dos leigos, afirmando que são eles os que sabem, os que conhecem e chegam até a proibir que outros membros possam pregar ou ensinar sem a presença deles.

 

Hoje, irmãos, na maioria das igrejas evangélicas, a única função dos membros é ir ao local de reuniões para o culto de domingo pela manhã, de domingo a noite, se assentar no banco, e olhar para frente a fim de ouvir o pregador.

 

E existe também um clericalismo do lado avesso.

É aquele quando o povo contrata um pastor e exige que ele faça sozinho a obra de Deus... eles apenas sustentam com o dinheiro, pagando para que a obra de Deus seja feita.

 

No primeiro caso, o clero proíbe o povo de servir... mas, nesse segundo caso, o

povo não quer servir.

 

Por isso, irmãos, que não queremos apenas ter uma multidão de convertidos, mas pessoas transformadas em discípulos comprometidos.

Esse é o valor número um!

 

Todos nós nos convertemos, viemos para Jesus, mas é preciso avançar em nosso compromisso como discípulos.

 

Porque não somos esquentadores de banco de igreja... somos ministros de Cristo!

 

Agora, ser um ministro, significa ser um produtor e não um consumidor ou cliente da igreja.

Quando um crente compreende que ele deve produzir, e não simplesmente consumir, acontece uma verdadeira revolução na postura dele em relação à igreja onde participa.

Esse crente não se preocupa mais em saber com o que a igreja pode oferecer pra ele; antes, se preocupa em saber como ele pode ser útil na igreja;

 

Esse crente já não responsabiliza mais o pastor pelo seu crescimento espiritual, porque sabe que ele mesmo pode e deve ter intimidade com Deus.

 

Esse crente tem disposição para dar apoio e socorro ais irmãos, mesmo aos mais novos, em suas guerras.

 

Esse crente, que entendeu que ele é um ministro de Cristo, se tiver que mudar para outra cidade, ele não pede carta de transferência não... sabe o que acontece? ...ele leva a igreja junto com ele. Ele sabe que Igreja não é o prédio, mas é onde ele está.

 

Então, ele telefona avisando: “Alô pastor... tô informando que, aqui em casa, iniciamos uma nova célula da igreja! ...pastor, manda o roteiro da semana!!”

 

...e aí, vem o segundo valor espiritual que nós temos:

2. DEUS NÃO HABITA NO PRÉDIO DA IGREJA

O segundo valor fundamental da visão de células é que nós não somos templistas – adoradores de templo, de prédio.

Templo pra nós não é considerado um lugar sagrado... sagrado é o nosso corpo e o

lugar onde vivemos, sagrada é a casa onde moramos.

 

A nossa casa é uma extensão da Igreja – por isso que casas são tão importantes no Novo Testamento.

 

Há pessoas que fazem uma divisão em suas vidas, de modo que a vida delas é diferente: se elas estão no prédio da igreja, adorando a Deus, ali a vida delas é de um jeito... e quando vão para casa, onde passam mais tempo, lá a vida delas é de outro jeito.

Quer dizer: quando saem do prédio da igreja, entram numa outra vida com outros costumes, com outros hábitos e princípios.

Irmãos, esta é uma visão maligna... acabou o tempo em que ser crente era apenas comparecer aos domingos, no templo.

 

Em nossa visão de Reino de Deus hoje, ser crente é ser discípulo de Jesus, ser seguidor de Jesus em nosso dia-a-dia.

Porque igreja acontece em todo lugar: na rua, na escola, no supermercado, no comércio, e acima de tudo, nas nossas casas! ...de vez em quando minha filha de 5 anos pergunta: “hoje tem igreja?” ...às vezes é plena terça-feira, e eu respondo: tem. Tem sim!

 

Uma implicação prática disso, irmãos, é que não esperamos mais que as pessoas venham ao prédio, mas nós é que vamos até onde elas estão.

 

Por muito tempo nosso prédio tem nos dito: “Fiquem!”, mas o mover de Deus diz: “Ide, busquem os perdidos!” ...mas o prédio no tem falado: “Deixem que eles venham”.

 

Em uma igreja em células, nós também não recrutamos membros de outras igrejas, nós fazemos discípulos.

Porque membros de igreja não podem alcançar muito para Deus, discípulos, porém, podem conquistar nações.

 

Se você é um ministro, onde você for, a igreja irá junto com você... se você se mudar para outra cidade, a igreja irá junto com você... você não vai à igreja – você carrega a igreja. Amém?

 

...terceiro valor espiritual:

3. NOSSA VISÃO É CONQUISTAR A NOSSA GERAÇÃO

Temos descoberto que nós dependemos de Deus... isso já está na boca dos líderes...

Por outro lado, irmãos, temos que rejeitar a passividade... uma coisa é depender de Deus, outra coisa é ficar sem fazer nada...

 

Muitas vezes, fica-se sem fazer nada e quando se pergunta: “O que está fazendo?” ...a resposta é: “Estou esperando em Deus... estou dependendo de Deus”.

 

Olhe, nós não estamos esperando a vinda do Espírito Santo, porque cremos que Ele já veio e está em nós.

O Espírito Santo está movendo há dois mil anos, não precisamos buscar o mover... o que temos é apenas de entrar nele!

 

Mas há muitos irmãos buscando o mover e correm pra ver se pegam um aqui e outro ali e vivem nessa busca sem fim...

 

Estão dependendo de Deus? ...estão... mas erram pela passividade, porque enquanto buscam o mover, nunca entram nele de verdade.

 

Mas glória a Deus, hoje, pelo poder do Espírito Santo, há quem crê na multiplicação das células e na conquista de nossa geração.

Você deve crer na multiplicação das células, porque temos um encargo pela salvação de almas.

 

O inferno existe e muitas pessoas estão indo para lá agora mesmo... e louvado seja Deus: há quem tem tomado consciência disso  e está gastando cada vez mais tempo, dinheiro e energia para que uma alma seja salva.

 

 

Pr Walter Pacheco da Silveira, 5.7.2008 (a partir de material de Pr Aloisio Silva)