Meus Sermões

DEZ PASSOS PARA UMA VIDA MELHOR - 1

Êxodo 20.1-17

 

Introdução

Terminamos a série de pregações sobre “Os Sete Pecados” (1).

Foram abordados: o orgulho, a inveja, a ira, a impureza, a gula, a preguiça e a avareza.

 

Inclusive, se algum de vocês tiver interesse, poderá adquirir na Office Paper(2), uma apostila contendo as sete pregações. Você só vai pagar o preço de custo.

 

Assim, vou dar início hoje a uma nova série de pregações. (3)

Quero falar sobre Dez Passos Para Uma Vida Melhor, expondo cada um dos Dez mandamentos.

 

Vou fazer construir uma base primeiro e, depois, nas próximas pregações, consideraremos cada um dos mandamentos.

 

Será um exercício muito saudável, como escreveu John Stott, um dos mais importantes teólogos do último século, tomar os Dez Mandamentos como o nosso padrão... porque são leis de Deus para a nossa vida ser melhor.

 

Os dias em que estamos vivendo bem podem ser definidos pela palavra insatisfação.

De todas as partes ouvimos pessoas falarem dos seus mais variados problemas.

 

No mundo inteiro tem havido revoltas, protestos, greves, roubos, assaltos, crimes de todo tipo...

 

Os pobres, em sua condição de carência de recursos, vivem insatisfeitos... mas os ricos também, embora tenha facilidades financeiras para muitas coisas, há muitos insatisfeitos...

 

Observamos o progresso do homem: à medida que o homem sobe explorando o espaço, pela nave Discovery da ciência, a sua moral, a sua índole, desce tão baixo pelo desfiladeiro da corrupção.

 

O que está acontecendo?

O que está acontecendo é que está faltando ao homem, está faltando ao ser humano, à homens e à mulheres, está faltando a direção para a vida... está faltando a direção para a vida

 

Está faltando as duas coordenadas que Deus preparou para que a nossa vida seja dirigida para o bem.

 

Uma coordenada é vertical e a outra é horizontal.

A linha vertical tem a ver com a relação do homem para cima, para Deus(4)... e isto está representado pelo mastro da cruz.

 

A linha horizontal tem a ver com a relação entre o homem e o seu próximo(5)... é o braço da cruz, e esta linha é dependente daquela.

 

A nossa boa relação com o próximo, depende da nossa correta relação com Deus... a moral nunca será mais forte ou melhor do que o temor de Deus no coração humano.

É interessante observarmos que Deus entregou os Dez Mandamentos por escrito a Moisés.

Os Dez Mandamentos foram escritos sobre duas tábuas de pedra e escritos a dedo pelo próprio Deus! (6)

 

Isso não significa que havia cinco mandamentos em cada tábua... alguns estudiosos do texto bíblico são da opinião de que todos os dez estavam escritos nas duas tábuas, uma para Deus mesmo e a segunda para o povo de Israel.

 

Mas, outros estudiosos opinam o seguinte: Na primeira tábua de pedra Deus escreveu quatro mandamentos, os quais tratam dos deveres das pessoas para com Deus...

 

E na segunda tábua ou placa de pedra, Deus escreveu seis mandamentos, que tratam dos deveres que temos para com as outras pessoas.

 

Eu aceito esta opinião mais facilmente... também penso que Deus colocou aqueles quatro na primeira placa e os outros seis na segunda... é uma opinião pessoal minha.

 

O certo, porém, e todos os estudiosos da Bíblia concordam nisso, é que os Dez Mandamentos tratam de duas áreas básicas da vida humana: os quatro primeiros mandamentos dizem respeito ao relacionamento do homem com Deus, e os outros seis mandamentos dizem respeito ao relacionamento do homem com os seus semelhantes.

 

Isso é interessante! (7)

Foram usadas duas tábuas de pedra: na primeira estão os mandamentos que nos ensinam a reverenciar a Deus, a ter amor por Deus... são os quatro primeiros mandamentos.

 

E na segunda tábua estão os mandamentos que nos ensinam a respeitar o próximo... e são seis mandamentos.

Na primeira, então temos os mandamentos que, obedecidos, nos levam a ter reverência a Deus e, na segunda tábua, os mandamentos que nos levam a ter respeito pelo próximo.

 

E podemos afirmar que isto é resultado daquilo: primeiro o homem precisa ter reverência, ter respeito por Deus, amor por Deus – essa é a primeira coordenada aí então, quando o homem reverencia a Deus e tem amor por Deus, o resultado disso é que ele terá respeito ao próximo.

 

Logo, o que é mesmo que está faltando ao homem? ...está faltando a obediência aos princípios de Deus.

Deus deu as duas coordenadas para que a nossa vida possa ser melhor: a primeira é para reger a nossa relação com Ele e a segunda, é para reger a nossa relação com o próximo.

 

Por isso, toda a insatisfação sentida pelo homem se deve ao fato dele não obedecer as coordenadas de Deus.

 

Quero ler Ex 34.1-8(8): “O Senhor Deus disse a Moisés: – Corte duas placas de pedra iguais àquelas que você quebrou, e eu escreverei nelas as mesmas palavras que estavam nas primeiras. 2Amanhã cedo esteja pronto para subir o monte Sinai a fim de se encontrar comigo ali no alto do monte. 3Ninguém deverá subir com você; ninguém deverá estar em qualquer parte do monte. As ovelhas, as cabras e o gado não deverão ficar pastando perto do monte. 4Então Moisés cortou outras duas placas de pedra, iguais às primeiras, e, no dia seguinte, como o Senhor havia ordenado, ele se levantou bem cedo e subiu o monte Sinai, levando consigo as duas placas. 5O Senhor desceu numa nuvem, ficou ali com Moisés e disse qual era o seu nome, isto é, o Senhor. 6Então Deus passou diante de Moisés e disse em voz alta: – Eu sou o Senhor, o Deus Eterno! Eu tenho compaixão e misericórdia, não fico irado com facilidade, e a minha fidelidade e o meu amor são tão grandes, que não podem ser medidos. 7Cumpro a minha promessa a milhares de gerações e perdôo o mal e o pecado. Porém não deixo de castigar os seus filhos e até os netos, os bisnetos e os trinetos pelos pecados dos pais. 8Moisés se ajoelhou, encostou o rosto no chão e adorou a Deus”.

Neste trecho da Bíblia, observamos que o problema não estava na falta das diretrizes, mas na obediência do homem à elas.

 

Deus havia escrito os mandamentos... lemos sobre isso no capítulo 20; mas agora no capítulo 34, lemos no v.8, que aquelas duas tábuas de pedra, Moisés quebrou.

 

Por que quebrou? ...porque ele se encheu de indignação... Moisés quebrou as duas tábuas de pedra nas quais Deus havia escrito os mandamentos, por que os mandamentos de Deus já estavam quebrados no coração do povo de Israel ao adorarem um bezerro de ouro.

 

Então veja: eles tinham os mandamentos de Deus, mas não obedeceram... esse é o problema.

 

Mandamentos de Deus são para serem obedecidos e quando o homem obedece, então ele tem uma vida melhor, ele vive melhor.

Agora, entenda que os mandamentos de Deus são completos e perfeitos... eles são em número de dez!

 

O número dez no Antigo Testamento é tido como um número sagrado, por exemplo: no Livro de Gênesis, quando da criação de todas as coisas, já no primeiro capítulo encontramos a expressão: “E disse Deus”, “e viu Deus”, “e Deus abençoou” exatamente dez vezes... também são dez os patriarcas antes do dilúvio (vai de Adão até Noé), e outros dez patriarcas (de Noé até Abraão) após o dilúvio...

 

Dez também é o número base das medidas do tabernáculo... e além desses exemplos, a Palavra de Deus nos fala de dois outros números sagrados, de certa relevância na Bíblia, que é o 3 e o 7, que somados (3 + 7) dá quanto? ...exatamente dez... esse é o numero de dedos que temos!

 

O número dez costuma ganhar o significado de pleno e completo.

Assim, os Dez Mandamentos são tudo o que Deus espera que obedeçamos para sermos felizes.

 

O homem não precisa adicionar nada e nem retirar nada... os Dez Mandamentos de Deus são perfeitos e completos.

 

Mas sabia que, para zombar disso, é que as cartas de baralho foram criadas? (9)

O rei Carlos, da França foi quem criou as cartas de baralho... ele era um homem degenerado, mau, que escarnecia de Deus e de Seus mandamentos. E numa invenção maligna, ele escolheu personagens da Bíblia para as suas cartas, como: o rei para representar o diabo; a dama, representar Maria, mãe de Jesus... copas e ases para representar o sangue de Cristo... o valete, o próprio Cristo, paus e outros símbolos para representar as perseguições e a destruição dos cristãos.

 

E o desprezo dele pelos Dez Mandamentos foi expresso pelo número dez de suas cartas... jogar cartas de baralho não é sadio... eis um alerta oportuno quanto ao uso do baralho!

 

Jesus falou e lemos em Mt 5.17-20(10): “Não pensem que eu vim para acabar com a Lei de Moisés ou com os ensinamentos dos Profetas. Não vim para acabar com eles, mas para dar o seu sentido completo. 18Eu afirmo a vocês que isto é verdade: enquanto o céu e a terra durarem, nada será tirado da Lei – nem a menor letra, nem qualquer acento. E assim será até o fim de todas as coisas. 19Portanto, qualquer um que desobedecer ao menor mandamento e ensinar os outros a fazerem o mesmo será considerado o menor no Reino do Céu. Por outro lado, quem obedecer à Lei e ensinar os outros a fazerem o mesmo será considerado grande no Reino do Céu. 20Pois eu afirmo a vocês que só entrarão no Reino do Céu se forem mais fiéis em fazer a vontade de Deus do que os mestres da Lei e os fariseus”.

Nessas palavras, Jesus fala da lei de Deus com paixão e reverência... Ele diz que nem a menor letra(11) e nem o menor traço (o til), se omitirá da lei de Deus.

 

O alfabeto hebraico tem 22 letras e o “yod”, é a menor de todas... ela é como o nosso “i”.

 

O til, não é exatamente um acento como ocorre no português, porque não há acentos no hebraico... o til, na verdade,  é uma pequena marca que distingue algumas letras hebraicas... como no zain, men, num, shin...

 

Mas nos dias de Jesus haviam os escribas (os mestres da Lei) e os fariseus...

 

Eles criam que os Dez Mandamentos eram os grandes princípios da vida, mas que precisavam ser interpretados, e aí, eles criaram mil e um regulamentos para mostrar como os Dez Mandamentos de Deus deveriam ser praticados.

 

Por exemplo, o quarto mandamento, que fala sobre guardar o sábado.

Os escribas, doutores da Lei tinham a função de preparar os regulamentos. Então eles diziam que nenhum trabalho deveria ser feito... carregar um fardo no sábado era trabalhar.

 

E eles definiam o que era fardo: “é o peso igual a um figo seco... é igual ao volume de tinta suficiente para escrever duas letras... é igual à quantidade de óleo para untar um machucado”.

 

Já os fariseus era uma classe de homens separados das atividades da vida para guardar esses regulamentos.

 

No século III foi feito um resumo dessas leis que se compõe de 63 tratados... recebeu o nome de Mishnah...

 

Mais tarde, a partir do Mishnah, nasceu o Talmud... o Talmud de Jerusalém tem 12 volumes e o da Babilônia tem 60 volumes...

 

Então, para os escribas e os fariseus, servir a Deus era guardar milhares de leis, de regras e de regulamentos.

Mas é claro, Jesus não se referiu a este uso da lei, quando disse aquela palavra de Mt 5.18(12): “Eu afirmo a vocês que isto é verdade: enquanto o céu e a terra durarem, nada será tirado da Lei – nem a menor letra, nem qualquer acento. E assim será até o fim de todas as coisas”.

 

Jesus estava se referindo à essência da lei: que o homem deve buscar a vontade de Deus e achando, deve dedicar toda a sua vida em obedecer a Deus.

 

Os fariseus e os escribas estavam certos em procurar a vontade de Deus e se dedicar à ela de corpo e alma... mas eles estavam errados em achar que a vontade de Deus estava naqueles regulamentos fabricados por eles mesmos.

 

Os escribas e os fariseus, portanto, desprezavam a essência da lei, ficavam com a letra, e interpretando a lei minuciosamente, chegavam a contrariar e a negar o verdadeiro espírito dela.

 

Mas Jesus falou da essência da lei... a essência de toda a lei está na reverência a Deus(13), ao Seu nome, ao Seu dia, no respeito aos pais e, no respeito ao que é do próximo.

Portanto, é reverência a Deus e respeito ao próximo que Jesus veio cumprir... Jesus veio mostrar, em Pessoa, o que é devido a Deus e o que é devido ao próximo.

 

E Jesus mostrou isso, não em palavras, não na letra, mas na Sua própria vida entre os homens.

 

E Jesus falou, lemos no v.20: “Pois eu afirmo a vocês que só entrarão no Reino do Céu se forem mais fiéis em fazer a vontade de Deus do que os mestres da Lei e os fariseus”.

 

Alguém pode pensar que Jesus cumpriu a lei e que todas as responsabilidades e deveres já estão cumpridos por Cristo e que, portanto, o homem agora pode fazer o que quiser.

 

Mas Jesus adverte que a justiça do crente deve exceder, deve ultrapassar, a dos fariseus e escribas.

 

O que Jesus quis dizer com isto?

Ele estava dizendo que os fariseus faziam tudo motivados pela lei... eles cumpriam a lei e afirmavam: “Já satisfiz a lei e nada mais falta”.

 

O crente, porém, não é motivado pela força da lei... o crente não obedece a lei motivado pela força do regulamento que está escrito... não, o crente é motivado pelo amor.

 

O crente obedece a Deus pelo amor... obedece agradecido – agradecido porque a lei de Deus, ao invés de limitar a sua vida, ao invés de prender os seus passos, os mandamentos de Deus são para ele diretrizes para uma vida melhor.

 

Conclusão

Ora, sabendo disso, que a essência dos mandamentos de Deus é que o homem tenha reverência a Deus e respeito ao próximo, procuremos obedecer – quem obedece aos mandamentos de Deus, desfruta de uma vida melhor! ...repita isso!

E não é justamente isto que você mais procura? ...ter uma vida melhor?

 

Então você acaba de receber uma poderosa luz!

 

A Bíblia ensina que todos quantos obedecerem aos mandamentos de Deus, terão uma vida melhor.

 

Está escrito aqui em Ex 20.6, é Deus mesmo dizendo: “...sou bondoso com aqueles que me amam e obedecem aos meus mandamentos e abençôo os seus descendentes por milhares de gerações”.

 

A questão é: você vai obedecer aos mandamentos de Deus ou vai viver como se eles não existissem?

 

 

Pr Walter Pacheco da Silveira, 25/11/07