Meus Sermões

PRINCÍPIOS PARA GRANDES CONQUISTAS
Josué 6.1-20
 

“Os portões da cidade de Jericó estavam muito bem fechados, para não deixar que os israelitas entrassem. Ninguém podia entrar, nem sair da cidade.
2O Senhor Deus disse a Josué:
– Olhe! Eu estou entregando a você a cidade de Jericó, o seu rei e os seus corajosos soldados. 3Agora você e os soldados israelitas marcharão em volta da cidade uma vez por dia, durante seis dias. 4Na frente da arca da aliança, irão sete sacerdotes, cada um levando uma corneta de chifre de carneiro. No sétimo dia você e os seus soldados marcharão sete vezes em volta da cidade, e os sacerdotes tocarão as cornetas. 5Quando eles derem um toque longo, todo o povo gritará bem alto, e então a muralha da cidade cairá. Aí cada um avançará diretamente para a cidade.
6Josué chamou os sacerdotes e disse:
– Carreguem a arca da aliança, e na frente fiquem sete sacerdotes levando cornetas.
7E disse ao povo:
– Comecem a marchar em volta da cidade! E que os soldados marchem na frente da arca da aliança de Deus, o Senhor!
8Então, seguindo as ordens de Josué, os sete sacerdotes ficaram na frente da arca e começaram a tocar as cornetas. 9Os soldados iam na frente dos sacerdotes que tocavam cornetas, e um grupo de guardas seguia a arca. Durante esse tempo as cornetas tocavam. 10Mas Josué tinha dado ordem ao povo para não gritar, nem fazer barulho até que ele mandasse. 11Aí Josué ordenou que os sacerdotes dessem uma volta ao redor da cidade, carregando a arca da aliança. Depois voltaram ao acampamento e passaram a noite lá.
12No dia seguinte Josué se levantou de madrugada, e os sacerdotes carregaram a arca. 13Os sete sacerdotes que levavam as sete cornetas iam na frente, tocando sem parar. Os soldados iam na frente deles, e um grupo de guardas seguia a arca. As cornetas não paravam de tocar. 14No segundo dia marcharam de novo uma vez em volta da cidade e voltaram ao acampamento. E fizeram isso durante seis dias.
15No sétimo dia levantaram-se de madrugada e marcharam em volta da cidade sete vezes no mesmo dia. Foi só nesse dia que deram sete voltas em redor da cidade. 16Na sétima volta, quando os sacerdotes acabaram de tocar as cornetas, Josué disse ao povo:
– Gritem agora! O Senhor Deus está entregando Jericó a vocês! 17A cidade deve ser destruída, junto com tudo o que há nela, como oferta para Deus. Somente ficará viva a prostituta Raabe e a sua família porque ela escondeu os nossos espiões. 18Mas não peguem em nada daquilo que vai ser destruído. Se ficarem com qualquer coisa que eu mandei destruir, vocês vão trazer desgraça e destruição ao acampamento israelita. 19Mas os objetos de prata, ouro, bronze e ferro serão separados para o Senhor e colocados no seu tesouro.
20Então os sacerdotes tocaram as cornetas. Logo que o povo ouviu este som, gritou com toda a força, e a muralha caiu. Aí todos subiram, entraram na cidade e a tomaram.
 
Deus havia ordenado ao povo de Israel que ninguém guardasse nada do que era para ser destruído, mas a ordem foi desobedecida. Acã escondeu algumas coisas, e por isso o Senhor ficou muito irado com os israelitas. Acã era filho de Carmi, descendente de Zabdi e descendente de Zera, da tribo de Judá.
2Josué enviou alguns homens da cidade de Jericó até Ai, cidade que fica a leste de Betel, perto de Bete-Avém. Ele mandou que fossem ver a terra. Eles foram e examinaram bem a cidade. 3Então voltaram e deram a Josué o seguinte relatório:
– Não é preciso que todo mundo vá. Mande só dois ou três mil homens atacarem Ai porque existe pouca gente lá.
4Assim foram mais ou menos três mil. Porém os homens de Ai fizeram os israelitas recuarem 5e mataram uns trinta e seis. E eles perseguiram os israelitas desde o portão da cidade até as pedreiras, matando-os na descida. Então o povo ficou completamente desanimado e perdeu toda a coragem.
6Em sinal de tristeza, Josué rasgou a sua roupa e se jogou no chão, com o rosto em terra, na frente da arca da aliança de Deus, o Senhor. Os líderes de Israel fizeram a mesma coisa e ficaram ali com Josué até de tarde. E fizeram como ele: também jogaram terra na cabeça para mostrar que estavam tristes.
 
Introdução
O texto nos fala de conquistas... Nós temos grandes conquistas para alcançar...
E uma das nossas maiores conquistas é nos multiplicar em outros...
Nossas crianças que amam a Deus precisam se reproduzir em outras crianças que amam a Deus...
 
Mas não apenas as crianças... os adolescentes, os jovens e os adultos também... até pessoas na terceira idade, que amam a Deus, precisam se reproduzir, precisam se multiplicar, em outras pessoas que amam a Deus.
 
E a principal tarefa do pastor é precisamente esta: levar a sua gente, levar o seu povo a ser um povo conquistador, multiplicador... um povo que conquista almas para o Reino de Deus.
 
O desafio que temos é muito grande... é o maior de todos os tempos!
 
Mas, entenda o desafio.
O desafio não é do tipo fazer uma maçã se reproduzir em outra maçã; não!
 
O desafio que temos não é fazer uma manga se reproduzir em outra manga, ou um limão se reproduzir em outro limão...
 
Não! Não é esse o nosso desafio!
 
Porque isso é pouco... isso é um pequeno desafio...
Fazer uma maçã se reproduzir em outra significa gerar apenas uma duplicação...
 
Mas, o que temos diante de nós é um grande desafio: é o desafio da multiplicação – gerar novos discípulos, gerar novos seguidores de Cristo!
 
Se apenas nos reproduzirmos em mais outro, não temos a visão do Reino.
A visão do Reino de Deus é multiplicação...
Não é maçã se reproduzindo apenas em outra maçã na fruteira do Senhor... é maçã se transformando em macieira... é manga se transformando em mangueira... é limão se transformando em limoeiro...
 
Ora, o que é mais vantajoso: uma maçã que se duplica em outra, ou uma maçã cuja semente é capaz de gerar uma macieira?
 
É lógico que é uma maçã se transformando em macieira!
 
Sabe, irmãos, esse é o nosso verdadeiro potencial.
Nós, filhos de Deus, não somos só uma maçã... dentro de nós está uma semente capaz de dar origem a um novo pé de maçãs... a uma macieira!
 
E esse é o nosso grande desafio: sermos macieiras... sermos crentes frutíferos... crentes que dão frutos!
 
E você sabe qual é o fruto do crente?
Vamos lá: qual é o fruto do gato... é outro gato; qual é o fruto do homem... é outro homem... então, qual é o fruto do crente? ...é outro crente.
 
A pintura mental mais bonita que faço, é a de um crente repleto de outros crentes à sua volta, todos convertidos a Jesus e batizados, como resultado da vida frutífera dele.
 
Esse é o desafio que temos...
Quando eu leio a Bíblia (em Ef 4.15), Deus diz pra mim: "cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo". A visão do Reino de Deus é de crescimento em tudo!
 
Quando eu leio a Bíblia (em Is 54.2), Deus diz pra mim: "Amplia o lugar da tua tenda, e as cortinas das tuas habitações se estendam; ... alonga as tuas cordas".
 
Quando eu leio a Bíblia no livro de Atos, Deus diz pra mim (em Atos 5:14) que "a multidão dos que criam no Senhor, tanto homens como mulheres, crescia cada vez mais". O número deles aumentava... multiplicava...
 
Irmãos, nós temos uma grande conquista pra fazer!
Mas, precisamos aprender os princípios de Deus que geram essa conquista.
 
Quero tomar o exemplo do povo de Israel, liderado por Josué.
Numa batalha, a de Jericó, eles foram vencedores, mas na batalha seguinte, eles foram vergonhosamente derrotados.
 
Nós precisamos entender os princípios que levam à vitória ou que levam ao fracasso, na luta por grandes conquistas.
 
O primeiro princípio que precisamos entender é o da:
1- ORAÇÃO E DEPENDÊNCIA DE DEUS
Em Josué 5:13-15 lemos do desafio de Israel diante da Cidade de Jericó e em Josué 7:2-4, lemos do desafio de Israel diante da cidade de Ai.
E podemos notar que tanto Josué como o povo de Israel, tiveram atitudes diferentes diante desses desafios.
 
Na primeira, para a conquista da cidade de Jericó, ele orou, ele ouviu a Deus, ele recebeu estratégias de Deus.
 
Mas na segunda, para a conquista da cidade de Ai, talvez por menosprezar o desafio, nem Josué nem o povo fez oração... o que lemos que fizeram foi somente planejamento, planejamento humano.
 
Então, diante da cidade de Ai, o que não faltou foi um ai para cada um deles: "Ai meu pé... ai minha cabeça... ai minha barriga... ai de mim... ai meu Deus do céu!"
 
A lição para nós é essa: Se quisermos grandes conquistas, a busca em oração tem que ter lugar na nossa vida... precisamos orar e depender de Deus.
 
O próximo princípio que precisamos entender é o da:
2- ESTRATÉGIA E PLANEJAMENTO
No capítulo 6, antes de encarar o desafio de Jericó, lemos que houve estratégia e planejamento, mas em Josué 7, diante de Ai, não lemos nada disso.
É fácil perceber, que para a conquista de Jericó, então havia uma estratégia sobrenatural dada por Deus, e o povo seguiu o planejamento de Deus à risca.
 
Mas quanto ao desafio de Ai, não havia nenhuma estratégia (muito menos sobrenatural, muito menos dada por Deus). Josué, o líder, enviou 3 mil homens sem um planejamento claro do que fazer e eles foram humilhados.
 
A lição para nós: Se quisermos grandes conquistas, se quisermos a multiplicação, se quisermos o crescimento, se quisermos o aumento do número de conversões... do número de batismos, então, nós temos que seguir à risca o planejamento e as estratégias que Deus está dando.
Você sabe que estamos nos estruturando em células... esta é a estratégia de Deus... na Carta aos Hebreus, isto é chamado de nos "reunir como igreja".
 
Em Hb 10.25 está escrito: "Não deixemos de reunir-nos como igreja...".
O que é "reunir como igreja"?
É fazer, por exemplo, aquilo que lemos em Romanos 12.10: "Amem uns aos outros com o amor de irmãos em Cristo e se esforcem para tratar uns aos outros com respeito".
 
Reunir como igreja é fazer o que lemos em Efésios 5:21: "Sejam obedientes uns aos outros", ou em Colossenses 3.9, onde lemos: "Não mintam uns para os outros".
 
Reunir como igreja é fazer o que está em Romanos 16.16: "Cumprimentem uns aos outros com um beijo de irmãos".
 
Dá para fazermos isto aqui no prédio? Não, aqui não dá... somos mais de 200!
Agora, segundo a Bíblia, quando nos reunimos como igreja, isto é, numa casa, onde somente cabe um grupo pequeno de pessoas, uma célula, ali então podemos fazer tudo isso.
 
Se você já leu o livro de Atos deve estar lembrado que "cada dia o Senhor juntava ao grupo as pessoas que iam sendo salvas". No capítulo 4 lemos que "muitas pessoas que ouviram a mensagem creram, e os homens que creram foram mais ou menos cinco mil".
 
Mas lá no cap 2.46, está escrito que os crentes "nas suas casas partiam o pão e participavam das refeições com alegria e humildade. Eles louvavam a Deus por tudo e eram estimados por todos. [então] E cada dia o Senhor juntava ao grupo as pessoas que iam sendo salvas".
 
O que estou mostrando é que na Bíblia, a Igreja do sonho de Deus, tem duas reuniões: o povo se reunia como igreja nas casas e também no templo - sendo que nas casas (ou células, ou grupos, ou outro nome que se queira dar), obviamente, eles faziam aquilo que não podiam fazer no templo.
Essa é a estratégia... Deus tem dado métodos, visão... nós faremos bem em seguir à risca o planejamento e as estratégias que Deus está dando.
 
Outro princípio a ser entendido é este, o da:
3- SANTIDADE E COMPROMISSO
A santidade é o fator fundamental para as conquistas.
Um povo que tem brechas de pecado não vai contar com o favor de Deus, dará legalidades ao diabo.
 
Antes de Josué e seu povo conquistar Jericó, houve um período de santificação, todo o povo se santificou, mas quando partiram para a conquista de Ai, o pecado de um homem chamado Acã foi a brecha para o fracasso.
 
A lição para nós é esta: A santidade é uma condição necessária para as grandes conquistas.
 
Finalmente, precisamos entender o princípio da:
4- UNIDADE E RESPONSABILIDADE
Irmãos, para não sermos frustrados em nossas conquistas é preciso a participação de todos, o envolvimento de todos, naquilo que queremos conquistar.
Em Jericó, todo o povo rodeou a cidade e fez o que Josué ordenou. Agora, em Ai, a maioria absoluta do povo ficou relaxada e apenas 3 mil foram à batalha.
 
E qual foi o resultado? ...poucos trabalharam, então todos saíram derrotados.
 
Lição: Se quisermos grandes conquistas, se quisermos mais crianças convertidas à Jesus, mais adolescentes e jovens convertidos a Jesus, mais adultos e mais idosos convertidos a Jesus... se quisermos mais batismos sendo realizados, tem que haver um envolvimento de todos nesse desafio!
 
Conclusão
Irmão, irmã, creia no poder do Espírito Santo que habita em você para fazê-lo ganhar vidas. Creia no poder do Espírito Santo para fazer de você uma macieira, uma pessoa frutífera para a glória de Deus!
 
Você deve estar pensando: Porque tanto esforço ou por que trabalhar com células... é porque nós sabemos quanto vale cada pessoa para Deus. Nós fomos transformados pelo poder de Jesus e não podemos guardar essa benção só para nós.
 
Pr Walter Pacheco da Silveira, 17/10/2007