Meus Sermões

QUAL É O TAMANHO DO SEU DEUS?
Salmo 139

Introdução
Há um só Deus vivo e verdadeiro. Não existe outro...
Os deuses dos povos são ídolos, criados pela imaginação humana ou forjados pelo engano do diabo.

Quem é o seu Deus? Qual é o tamanho do seu Deus?
Davi, no Salmo 139, fala sobre três atributos exclusivos de Deus...
Estes três atributos revelam para nós toda a majestade de Deus.

...eis o primeiro atributo:
1. Deus é onipotente
Lemos no v.13-18: “Tu criaste cada parte do meu corpo; Tu me formaste na barriga da minha mãe. 14Eu te louvo porque deves ser temido. Tudo o que fazes é maravilhoso, e eu sei disso muito bem. 15Tu viste quando os meus ossos estavam sendo feitos, quando eu estava sendo formado na barriga da minha mãe, crescendo ali em segredo, 16tu me viste antes de eu ter nascido. Os dias que me deste para viver foram todos escritos no teu livro quando ainda nenhum deles existia. 17Ó Deus, como é difícil entender os teus pensamentos! E eles são tantos! 18Se eu os contasse, seriam mais do que os grãos de areia. Quando acordo, ainda estou contigo”.

Nesses versos sabemos que Deus criou não apenas o universo, os céus e a terra, mas Deus também nos fez e de uma forma assombrosamente maravilhosa.

Deus trouxe à luz aquilo até então não existia... do nada Ele fez todas as coisas.

Ele é a causa de todas as coisas.

O nosso Deus existe antes de todas as coisas e tudo veio a existir pela vontade dEle e pelo decreto dEle.

Quanto a nós, em especial, lemos no v.13, que Deus nos moldou no ventre da nossa mãe.

Ali, Deus fez cada célula do nosso corpo... Ele colocou em nós todos os códigos genéticos.

Segundo o Dr. Marshall Nirenberg, prêmio Nobel de Biologia, temos em nosso corpo 60 trilhões de células vivas. Em cada célula há um metro e setenta centímetros de fita DNA, onde estão gravados e computadorizados todos os nossos dados genéticos.

Isto é tão tremendo que se esticarmos a fita DNA do nosso corpo, teríamos 102 trilhões de metros de fita, ou seja, 102 bilhões de quilômetros.

Não somos produtos do ocaso nem de uma explosão cósmica... A evolução é uma teoria improvável, impossível...

O que na verdade permanece é o fato irretorquível, irrefutável, absoluto, de que Deus, Vivo e Verdadeiro, Ele é o criador de todas as coisas.

O nosso Deus é, portanto, onipotente – o Senhor Todo-poderoso!

...o segundo atributo revela neste Salmo:
2. Deus é onisciente
Deixei pra lemos agora o v.1-6: “Ó Senhor Deus, tu me examinas e me conheces. 2Sabes tudo o que eu faço e, de longe, conheces todos os meus pensamentos. 3Tu me vês quando estou trabalhando e quando estou descansando; tu sabes tudo o que eu faço. 4Antes mesmo que eu fale, tu já sabes o que vou dizer. 5Estás em volta de mim, por todos os lados, e me proteges com o teu poder. 6Eu não consigo entender como tu me conheces tão bem; o teu conhecimento é profundo demais para mim”.

O nosso Deus criou e conhece todas as coisas...

Nada para Deus é oculto... Ele conhece cada estrela do universo e chama cada uma pelo nome... lemos no Sl 147.4: “Foi ele quem resolveu quantas estrelas deviam existir e chama cada uma pelo nome”.

Deus também nos conhece!

Cada célula do nosso corpo, cada fio de cabelo da nossa cabeça... Deus conhece.

Lemos no v.1 que Deus nos sonda (examina) e nos conhece.

Os olhos de Deus penetram os nossos pensamentos e esquadrinham o nosso andar e o nosso deitar... Deus conhece todos os nossos caminhos.

Até mesmo as nossas palavras ainda não pronunciadas.

Está escrito no v.4: “4Antes mesmo que eu fale, tu já sabes o que vou dizer.

Deus conhece nossas palavras mesmo antes que elas cheguem à nossa língua.

Deus também nos cerca por trás e por diante, pois diz o v.5: Ele está em nossa volta, por todos os lados, e nos protege com o Seu poder.

Deus sabe tudo, vê tudo, conhece perfeitamente bem a tudo... nada escapa ao conhecimento de Deus.

Isso significa que não pessoa capaz de tapear a Deus ou apanhar Deus de surpresa.

Ele sabe tudo... conhece o nosso passado, o nosso presente e o nosso futuro no exato momento de agora.

...e o terceiro atributo revelado neste salmo é esse:

3. Deus é onipresente
Lemos no v.7-12: “Aonde posso ir a fim de escapar do teu Espírito? Para onde posso fugir da tua presença? 8Se eu subir ao céu, tu lá estás; se descer ao mundo dos mortos, lá estás também. 9Se eu voar para o Oriente

ou for viver nos lugares mais distantes do Ocidente, 10ainda ali a tua mão me guia, ainda ali tu me ajudas. 11Eu poderia pedir que a escuridão me escondesse e que em volta de mim a luz virasse noite; 12mas isso não adiantaria nada porque para ti a escuridão não é escura, e a noite é tão clara como o dia. Tu não fazes diferença entre a luz e a escuridão”.

Deus é inescapável... jamais podemos nos esconder dEle, ou nos ausentar do campo de visão do Espírito de Deus.

O salmista se perguntava, lemos no 7: “Aonde posso ir a fim de escapar do teu Espírito?”

Não existe como!

Se subirmos ao céu, Deus estará lá... se descermos ao mais profundo abismo, também lá, Deus estará.

O salmista continua declarando: Se tomarmos as asas da alvorada e viajarmos para além dos mares, ainda lá a mão de Deus nos haverá de guiar.

Se tentarmos nos esconder sob o manto das trevas, mesmo assim, nós não conseguiremos, porque para Deus a luz e as trevas são a mesma coisa.

Deus está em toda parte.

Não há nenhum canto do mundo e do universo, onde pudéssemos ir para nos esconder de Deus.

Deus é como a sombra à nossa direita... Ele também não dorme nem precisa de descanso...

Conclusão
Porque Deus é onipotente, onisciente e onipresente, algo muito importante que Davi compreendeu é que, pessoa alguma, pode abrigar pecado em seu coração.

Por isso que Davi conclui o salmo 139 com esta declaração: “Ó Deus, examina-me e conhece o meu coração! Prova-me e conhece os meus pensamentos. 24Vê se há em mim algum pecado e guia-me pelo caminho eterno” (Sl 139:23-24).

É isso: diante da majestade de Deus, Vivo e Verdadeiro, Poderoso, que conhece todas as coisas e que é inescapável, porque Sua presença enche a terra... devemos também clamar: Ó Deus, examina o meu coração!


Pr Walter Pacheco da Silveira, baseado em artigo pastoral de: Rev. Hernandes Dias Lopes, 19.09.2007