Meus Sermões

Meu Peniel

Gênesis 32.22-32

 

Introdução

"Virou o carro, virou a minha vida" é o título de um livro escrito por Anthony Garotinho, relatando a dramática experiência que ele teve com Deus, quando sofreu um acidente de automóvel em 1994... o acidente resultou na conversão de Garotinho a Jesus.

 

"Virou o carro, virou a minha vida", é um livrinho interessante!

 

Mais interessante ainda, porém, é a história de Jacó.

Ele também teve uma experiência dramática com Deus... e se ele tivesse escrito um livro, bem que poderia ter chamado o livro de “Mudei de Nome, Por Que Mudei de Vida”.

 

Deixe-me fazer uma apresentação de Jacó...

Jacó foi um homem que imaginou poder ter a bênção de Deus, sem ter santidade.

 

Ele tinha fé, fazia cultos, mas trazia consigo problemas sérios de comportamento (ele mentia, enganava, tinha fraqueza de caráter, fugia da responsabilidade).

 

A história de Jacó é cheia de trapaça, de mentira, de humilhação e de fuga.

 

Jacó já nasceu disputando espaço com o seu irmão gêmeo, Esaú... disputando a primogenitura – o direito de chefiar a família...

Na hora do parto de Rebeca, Esaú nasceu primeiro, mas em seguida, com a mãozinha agarrada ao calcanhar de Esaú, veio Jacó...

 

Inclusive, esse foi o nome que lhe deram devido justamente a isto, à esse incidente: o nome Jacó significa “defraudador, suplantador, enganador”.

 

Mais tarde, querendo a bênção de qualquer jeito (a herança da primogenitura), Jacó colocou a mãe numa fria, numa situação constrangedora, e enganou o seu pai, Isaque, sendo abençoado no lugar de Esaú.

Isaque estava envelhecido, a vista já havia ficado fraca... e precisando dar a bênção antes de partir, disse à Esaú: “Filho, vá ao campo caçar alguma coisa para mim. Prepare-me aquela comida saborosa e venha para que eu o abençoe antes de morrer”.

 

Rebeca ouviu, contou em segredo para Jacó, e Jacó, em acordo com a mãe, correu ao campo, caçou alguma coisa, preparou uma comida saborosa, vestiu uma roupa com o cheiro de Esaú e se apresentou ao pai.

 

Esaú deu um beijo no filho (era Jacó), mas sentindo o cheiro de Esaú, lhe deu a bênção...

 

Quando Esaú soube, ficou zangado e disse: “Não é à toa que o seu nome é Jacó. Esta é a segunda vez que ele me engana!

 

Diante do pecado praticado contra Esaú, seu irmão, Jacó fugiu para longe... ele achou que o tempo resolveria as coisas para ele.

 

Mas, a vida de Jacó ficou foi amarrada (quem planta, colhe!).

Jacó começou a trabalhar com seu tio, trabalhou 20 anos, mas foram 20 anos de trabalho em vão.

 

Depois de muita luta, Jacó conseguiu algumas coisas na vida... mas o pecado estava lá, atormentando... seu nome continuava Jacó – aquele que engana!

 

Ele já havia passado por um lugar chamado Maanaim, v.2, “Acampamento de Deus”... mas havia um lugar, que agora, Jacó precisava enfrentar: era Peniel, mencionado no v.30 – lugar de encarar a Deus face a face!

 

Jacó havia chegado a um momento crítico... agora, ele precisava definir as coisas: abandonar a Deus ou amá-Lo?

Em meio à sua vida incoerente, porque professava a religião de seus pais, mas não a vivia com retidão, então Jacó foi levado a uma crise existencial decisiva ali naquele lugar chamado Peniel.

Ali em Peniel, ele deveria ter sua vida confrontada com Deus... cada trapaça, cada mentira, cada fuga da responsabilidade, cada pecado... tudo seria colocado cara a cara com Deus!

 

E Peniel é exatamente isto: é um lugar de encontro com Deus (v.30).

 

Peniel é um lugar de sentir profunda dor pelos pecados... é lugar de chorar... é lugar de confronto consigo mesmo e com Deus...

 

Aqui em Peniel, onde você está, Deus vai mostrar quem você é.

Peniel é isso: lugar de luta, de arrependimento, de guerra, de choro, de pranto... em Peniel, você irá ouvir claramente a voz reveladora de Deus... você jamais esquecerá Peniel!

 

Jacó sentiu profunda dor nesse lugar... você também experimentará essa dor, porém, sairá daqui completamente curado e vitorioso, em nome de Jesus!

 

É maravilhoso... Deus usa esse lugar para transformar radicalmente a vida das pessoas!

Aquele encontro de Jacó com Deus, resultou numa transformação radical da vida dele... ele havia chegado ali como enganador, mas saiu de lá como príncipe de Deus!

 

Aqui em Peniel, onde o homem é confrontado com Deus face a face, aqui neste lugar, Deus mudou o nome de Jacó para Israel – mudou o nome, porque lhe havia mudado a vida!

 

Agora, para ter esse encontro radicalmente transformador com Deus, Jacó precisou tomar duas atitudes:

Primeira, tomar a decisão de enfrentar o seu passado – a inimizade com seu irmão, Esaú;

 

Segunda, tomar a iniciativa de ficar só.

 

Em Peniel, Jacó fez passar adiante de si tudo o que lhe pertencia, lemos no v.22-23: “Naquela mesma noite Jacó se levantou e atravessou o rio Jaboque, levando consigo as suas duas mulheres, as suas duas concubinas e os seus onze filhos.  Depois que as pessoas passaram, Jacó fez que também passasse tudo o que era seu”. 

Jacó fez passar família, bens, relacionamentos, preocupações, dívidas, duplicatas, compromissos... tudo, Jacó fez passar adiante de si...

 

É que estar ali em Peniel, num lugar de encontro com Deus, era preciso que Jacó estivesse só – estar a sós com Deus – para fazer uma reflexão profunda, separado de tudo e de todos.

 

Um encontro com Deus exige luta.

Jacó não estava ali para um passeio... ele estava ali para lutar com Deus (não fisicamente), mas lutar com Deus a fim de obter vitória para a sua vida.

 

Era necessário um duelo decisivo entre a sua humanidade pecaminosa e a santidade de Deus.

 

Amado: você está aqui neste lugar e é para isto... você veio para um encontro com Deus... você veio para conquistar uma vida vitoriosa... veio lutar por isso! Amém?

 

Pois, eu lhe digo, este lugar é o seu Peniel agora.

 

É o seu lugar de luta e de choro... o seu lugar de dor... mas também é o lugar da sua transformação! Aleluia!! [quantos dizem “amém?]

 

A luta de Jacó com Deus em Peniel, pode ser descrita por meio de algumas afirmações:

Primeiro, que, essa é uma luta de Deus com o homem, v.24.

 

Não apenas um anjo, mas o próprio Deus – a expressão “O Anjo do Senhor” deve ser entendida como o próprio Deus.

 

Deus veio para confrontar a vida de Jacó, os seus padrões, o seu comportamento, as suas atitudes mentais... enfim, o seu passado e o seu pecado.

 

E o texto diz que Jacó ficou só, sozinho, em luta com o Senhor, até o dia amanhecer.

 

Meu amado, você está aqui, então, não é para ouvir mais uma pregação... não é para ouvir as músicas... você veio para Peniel afim de lutar e sair daqui com vida vitoriosa... mas, isso exigirá de você uma grande luta!

 

A segunda afirmação que quero fazer é que Deus quer te nocautear, colocar por terra todas as suas resistências e defesas, v.25.

O v.25 diz: “Quando o homem viu que não podia vencer, deu um golpe na junta da coxa de Jacó, de modo que ela ficou fora do lugar”. 

 

Deus desconjuntou Jacó... Deus desarticulou Jacó... Deus quebrantou Jacó.

 

Ser nocauteado é render-se e reconhecer que eu sou enfermo e preciso de cura.

 

Jacó, até então, tentou fazer de conta que era um homem de Deus (mas agora, era preciso vencer sua hipocrisia e justiça própria, e ser confrontado com a verdade).

 

Se você veio para este fim de semana a fim de lutar por sua bênção, mas veio cheio de justiça própria, Deus vai derrubar você em Peniel!

 

É preciso que você seja levado a um profundo arrependimento e, para isso, Deus precisará quebrar você.

 

A terceira afirmação que faço é: o propósito de Deus em trazer você para este lugar, o Peniel, é confrontar você com a sua real situação, v.27.

Em Peniel, Deus opera uma cirurgia profunda de caráter, de identidade no homem... mas para isso Ele tem que abrir os porões da nossa vida.

 

Sabe os porões? ...aqueles quartos escuros entre o solo e o assoalho, onde coisas velhas são guardadas? ...Deus terá que abrir os porões da sua vida.

 

No v.27 está escrito: “Aí o homem perguntou: -Como você se chama? -Jacó-respondeu ele”. 

É absolutamente necessário tirar as máscaras e confessar quem realmente temos sido.

 

A pergunta que Deus faz hoje é: Qual o seu nome? ...Jacó respondeu: “Meu nome é enganador, é defraudador, é trapaceiro... esse é o meu nome”.

 

Mais que o nome, esta era a identidade do caráter de Jacó.

Moça, Deus está perguntando hoje pra você: Qual é o teu nome? ...rapaz, Deus está perguntando hoje pra você: Qual é o teu nome?

 

Jacó respondeu a Deus: “Meu nome é enganador”... da mesma forma, você agora deve responder a Deus qual é o seu nome, o seu verdadeiro nome (aquele que você realmente tem sido)!

 

Talvez, você precise admitir e dizer a Deus: Senhor, meu nome é mentiroso... eu tenho mentiras com a esposa/marido, tenho mentiras aos pais, mentira nos negócios, mentira com os pastores...

Certa ocasião, um homem crente, que discutia todos os dias com a mulher pelas razões mais bobas, que xingava tudo quanto era nome feio e que de vez em quando até batia na esposa (sem ninguém saber disso), foi convidado para pregar numa reunião da igreja. E no dia da pregação, falou justamente sobre o comportamento do homem no lar, fazendo belíssimos comentários sobre o seu próprio papel de marido e chefe de família. Após a pregação, um de seus filhos, comentou com os colegas: Hummm! Filme de ficção eu já vi, mas sermão de ficção é a primeira vez... e que triste, tendo o meu próprio pai no papel principal”.

 

E assim tem havido muitos e muitas, vivendo uma vida de mentiras...

 

Talvez, seja o caso de você dizer hoje a Deus: Meu nome é Estúpido...

Sou uma pessoa estúpida, violenta... ou sou uma mulher grossa, ignorante... um homem bruto, arrogante... esse é o meu nome!

 

Desonesto – quem sabe, alguém aqui hoje, precise admitir que carrega esse nome, porque: vende gato por lebre, sonega, vive fazendo serviço porco, rouba do patrão...

 

Meu nome é adúltero – tenho casos de sexo que ninguém sabe... gosto da pornografia... de fantasias mentais...

 

Meu nome é rebelde – sou filho respondão, sou malcriado... ovelha que não se submete, que fala mal dos líderes...

 

Meu nome é preguiçoso (irresponsável) – porque não assumo meu papel... sou homem ou mulher que não pára em emprego porque sou irresponsável... sou consumista... compro e não pago...

 

Meu nome é insensível, cínico – sou egoísta, não me compadeço com o sofrimento alheio (às vezes até de pai e mãe)... sou cínico em relação ao mover do Espírito Santo... sou cheio de incredulidade...

 

Meu nome é arrogante – gosto de pisar nas pessoas, de me fazer superior a elas... não aceito que ninguém toque em minha vida...

 

Meu nome é hipócrita – aparentemente, sou um santo, mas por trás sou uma pessoa completamente carnal e sem vida com Deus...

Me falaram uma vez: “Hipócrita é uma pessoa que aos domingos é uma pessoa diferente”... no domingo ora, usa a Bíblia, louva... mas nos outros dias...

 

Meu nome é avarento – não reparto com ninguém... pouco me importa a necessidade dos outros... roubo a Deus nos dízimos e ofertas...

 

Amado, se você não confessar a sua real identidade para Deus, não haverá vida vitoriosa para você – sem arrependimento e confissão, não há mudança de vida, não há vitória!

Não é possível seguir no plano de Deus sem enfrentar o pecado – Jacó fugiu por 20 anos e as conseqüências do pecado só cresceram...

 

Agora, eram 400 homens marchando contra ele. O v.6 diz: “Os mensageiros voltaram e disseram: -Estivemos com Esaú, o seu irmão. Ele já vem vindo para se encontrar com o senhor. E vem com quatrocentos homens”. 

 

Aqui em Peniel, se você não enfrentar seus pecados, eles é que te enfrentarão – o diabo ganha legalidade sobre nós quando andamos em tevas.

Satanás e seus aliados é tipo morcego... vive nas trevas.

 

Mas o caminho para a vida vitoriosa é a confissão de pecados e o arrependimento.

 

Não há atalhos.

Jacó tentou primeiro resolver com presentes. O v.20 revela o que Jacó fez: reuniu alguns mensageiros e lhes disse: “...não se esqueçam de dizer isto (a Esaú): “O seu criado Jacó vem vindo ai atrás” É que Jacó estava pensando assim: “Vou acalmar Esaú com os presentes que irão na minha frente. E, quando nos encontrarmos, talvez ele me perdoe.

 

Não resolve...

 

Só quando assumimos o nosso pecado é que nos vemos livres dele – pecado tem nome, CIC e RG.

 

Quero lhe dar o exemplo de Davi.

O rei Davi foi um homem segundo o coração de Deus – começou muito bem na fé... mas caiu porque não cuidou das bases de sua vida – desprezou sua família e deixou de “fazer guerra” contra o inimigo.

 

O pecado levou Davi a atos absurdos: Cobiça, adultério, engano, homicídio...

Pecado oculto sempre trará maldições: a morte e a imoralidade entraram em sua casa. A vida de Davi tornou-se um inferno... ele mesmo declarou num dos salmos: “Enquanto calei o meu pecado, os meus ossos se envelheceram dentro de mim...” (Sl 32.3).

 

Davi somente voltou à sua posição depois de choro e arrependimento – sua atitude diante de Nata foi o seu verdadeiro Peniel.

Então ele declarou: “Confessei-te o meu pecado (no hebraico: fiz declaração pública e ordenada e a minha iniqüidade não mais ocultei. Disse: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões e tu perdoaste a iniqüidade do meu pecado” (Sl 32.5).

 

E a próxima afirmação é esta: Deus quer fazer de você Israel, “um Príncipe de Deus”, esse é o significado do nome Israel(verso 28).

Amado, se você for determinado o suficiente para ir até o fim nesta luta com Deus, sua identidade e sua vida serão mudadas neste lugar!

 

...você vai deixar Peniel com uma vida vitoriosa!

 

Lemos no v.28: “Então o homem disse: -O seu nome não será mais Jacó. Você lutou com Deus e com os homens e venceu; por isso o seu nome será Israel”. 

 

Uma outra afirmação é que: nesta luta de Peniel, Deus prevalece quando o homem prevalece.

Se você não agarrar em Deus neste lugar com a atitude de “não te deixarei se não me mudares”, sairão você e Deus, frustrados daqui.

 

A vitória de Deus está em você se deixar dominar pela sede e pela fome de Deus – o seu choro e arrependimento têm que comover o coração de Deus e leva-lo a mudar a sua vida.

 

Quero lhe dizer: o Deus Todo-Poderoso tem uma grande dificuldade... Ele não resiste à um coração humilde e arrependido... a Bíblia diz que Deus não rejeita (Sl 51.17).

 

Eu afirmo mais: Em Peniel, Deus altera a maneira de nós andarmos, v.31.

Deus colocou uma marca no andar de Jacó... ele nunca mais foi o mesmo depois de Peniel... todos podiam notar uma marca de Deus em seu caminhar.

 

Quero ler o v.31: “O sol nasceu quando Jacó estava saindo de Peniel, e ele ia mancando por causa do golpe que havia levado na coxa”. 

 

Você também vai começar um novo dia como Jacó... o sol nascia e um homem de Deus andava diferente!

 

E ouça mais esta afirmação: Essa luta com Deus mudará ambientes e circunstâncias em sua vida, v.32.

Diz o v.31 que, desde então, os judeus nunca mais comeram do nervo do quadril dos animais... os costumes foram mudados, gerações foram tocadas, por causa do encontro de Jacó com Deus em Peniel.

 

Está escrito:

 

Deus espera que ao sair daqui, o ambiente onde você vive seja mudado... a sua família, seus amigos, seu ambiente de trabalho... tudo receberá o impacto do que Deus vai fazer com você!

 

Conclusão

Você está aqui num lugar de encontro com Deus... você está em Peniel e este é um lugar de decisão!

Você vai continuar sendo Jacó, e deixar que seus inimigos tratem com você? ...ou você vai lutar com Deus para ser transformado em Israel, em príncipe, em princesa?

 

Você vai insistir numa vida desenfreada até que a mão de Deus o apanhe, ou você vai confessar o seu pecado e se humilhar para mudar de vida hoje?

 

Amado, para você ter uma vida vitoriosa, tem que haver arrependimento.

O arrependimento é uma dor profunda que nos faz decidir nunca mais voltar ao pecado (porque todas as vezes que recebemos proposta para tornar ao pecado, nos lembramos da dor do nosso arrependimento, e dizemos NÃO ao pecado).

 

Deus quer te dar uma vida vitoriosa sobre o pecado... mas é preciso ter arrependimento hoje... quando o pecado é lembrado com dor, há cura.

 

Portanto, aqui neste lugar, você terá um encontro face a face com Deus...

Chore em sua presença... hoje é dia de romper com o passado... hoje é dia de romper com o pecado.

 

Pr Walter Pacheco da Silveira