Meus Sermões

Lições de Uma Parábola

Mateus 18.23-24

 

23 “Por isso, o Reino dos céus é como um rei que desejava acertar contas com seus servos.

24 Quando começou o acerto, foi trazido à sua presença um que lhe devia uma enorme quantidade de prata.

25 Como não tinha condições de pagar, o senhor ordenou que ele, sua mulher, seus filhos e tudo o que ele possuía fossem vendidos para pagar a dívida.

26 “O servo prostrou-se diante dele e lhe implorou: ‘Tem paciência comigo, e eu te pagarei tudo’.

27 O senhor daquele servo teve compaixão dele, cancelou a dívida e o deixou ir.

 

Introdução

Uma das mais constantes preocupações dos discípulos de Jesus, era conhecer os mistérios do reino dos céus.

Até hoje os céus exercem fascínio e atrativos ao ser humano... pela televisão a gente vê os esforços do homem em conquistar o espaço... foi emocionante ver o astronauta se mover para fora da espaçonave, em pleno espaço...  mas nada vemos sobre o homem cavando para baixo... o homem quer o céu, ele tem anseio por conhecer os mistérios dos céus.

 

É natural que seja assim, afinal, homem e mulher foram criados por Deus e para o prazer de Deus... estar onde Deus está, esse é o anseio mais profundo do ser humano.

 

Uma revista norte-americana fez uma pesquisa sobre o que os americanos pensam do céu: 80% disseram crer na existência do céu... 67% disseram crer na existência do inferno... 72% acharam que suas chances de ir para o céu estão entre boas e excelentes... 62% acharam que seus amigos também irão para o céu...

Porém, a Palavra de Deus afirma diferente: a Bíblia afirma que o céu é 100% real e o inferno também é 100% real... a Bíblia também afirma categoricamente: 100% dos que crêem em Jesus terão a vida eterna e irão para o céu e, 100% dos que rejeitam a Jesus irão para o inferno.

 

“Você está fazendo planos de ir para o céu?” ...eu li esta frase outro dia e a achei muito interessante.

Os discípulos, movidos por essa ânsia de conhecer sobre o céu, perguntaram a Jesus: “Quem é o maior no reino dos céus?”, a pergunta aparece no v.1.

Essa pergunta dos discípulos motivou Jesus, que apresentou uma série de ensinamentos aos discípulos.

 

Dessa série de ensinos, estou destacando hoje, esta parábola, conhecida pelo título “A Parábola do Servo Impiedoso”.

 

É uma história que Jesus contou... nessa história, Jesus conta da angustiosa situação de um pobre homem que, se viu em apuros, para resgatar uma enorme dívida, que havia contraído com o seu patrão.

A situação do homem era realmente muito angustiante, porque, não podendo mesmo pagar a dívida, ele então, se prostrou humilhado... o empregado se ajoelhou diante do patrão e fez pedido de misericórdia. Está escrito no v.26: “O servo prostrou-se diante dele e lhe implorou: ‘Tem paciência comigo, e eu te pagarei tudo”.

 

É aí que lemos no v.27, algo impressionante que está escrito: “O senhor daquele servo teve compaixão dele, cancelou a dívida e o deixou ir”. O patrão teve pena dele, perdoou a dívida e deixou que fosse embora.

 

O que podemos aprender disso? ...o que podemos aprender dessa parábola é que:

 

1- DEUS FAZ CONTAS COM OS HOMENS

Esta é uma grande verdade que a Bíblia ensina muitas vezes.

Em 2Co 5.10, o apóstolo Paulo afirmou isto: “Pois todos nós devemos comparecer perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba de acordo com as obras praticadas por meio do corpo, quer sejam boas quer sejam más”.

 

O próprio Senhor Jesus, em certa ocasião, ensinou que não somente o que nós fazemos, mas até mesmo o que nós falamos, haverá de ser relatado em juízo perante Deus.

 

Está escrito aqui mesmo no evangelho de Mateus (12.36): “Mas eu lhes digo que, no dia do juízo, os homens haverão de dar conta de toda palavra inútil que tiverem falado. 37 Pois por suas palavras vocês serão absolvidos, e por suas palavras serão condenados”.

 

Desse fato homem nenhum pode fugir... a Bíblia diz que “todos devemos comparecer perante o tribunal de Cristo”. Não haverá exceção, Deus pedirá contas.

Ele nos criou, Ele nos trouxe a existência, Ele nos fez com o propósito de vivermos para o Seu prazer... o propósito da vida é justamente este: vivermos para dar prazer a Deus...

 

Então, chegará o dia em que todos seremos julgados... e tudo será conhecido: Deus examinará e revelará abertamente, na sua exata realidade, as coisas que fazemos às escondidas, em segredo... Deus examinará e revelará nosso caráter, nossas palavras, nossas atitudes, nossas motivações...

 

E como resultado do julgamento de Deus, pessoas irão perder a alegria ou irão receber aprovação...

 

Hoje pela manhã ouvimos do Adriano uma colocação curiosa; ele nos guiava na adoração e a certa altura, declarou isto: “Deus não engole qualquer coisa”.

É verdade... nenhuma pessoa consegue tapear a Deus... não há homem nem mulher capaz de embrulhar a Deus...

 

Portanto, essa primeira verdade deve nos levar a sermos sóbrios... deve nos levar a viver de maneira íntegra, correta e santa.

 

Se você não sabe, lemos na Bíblia isto: “Terrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo!” (Hb 10.31)... você não vai querer ser reprovado por Ele, vai?

 

...outra evidência dessa parábola é que:

2- TODOS OS HOMENS TÊM PARA COM DEUS UMA DÍVIDA INCALCULÁVEL, A QUAL NÃO PODERÃO PAGAR

Lemos aqui no v.24, que quando o homem decidiu pôr em ordem suas contas com os empregados, foi-lhe trazido um que lhe devia 10.000 talentos.

O “talento” era uma espécie de moeda antiga, de grande valor, em uso nos tempos de Jesus.

 

É difícil fazer um calculo exato do valor dos dez mil talentos, referidos nessa parábola... tenho uma Bíblia de Estudo, que numa nota de roda-pé de página, há a indicação de que cada talento correspondia a 6.000 denários, totalizando então, 60 milhões de denários...

 

O certo é que a dívida daquele empregado estava muito além das suas posses, muito além dos seus bens, muito além das suas possibilidades de pagar...

Aquele empregado tinha tudo para dizer, o que um comediante proferiu em seu show. Diante da platéia, ele falou: “Ai de mim... devo tanto, mais tanto, que se eu chamar alguém de “meu bem”, o banco toma!”.

 

Eu quero lhe dizer que a nossa dívida para com Deus é uma dívida tão grande assim...

É uma dívida tão incalculável, que somos obrigados a reconhecer a nossa incapacidade de pagá-la com os nossos próprios recursos.

 

Sim, somos devedores a Deus – o que devemos a Deus? ...ora, na Bíblia lemos isto: “Vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados, 2 nos quais costumavam viver, quando seguiam a presente ordem deste mundo e o príncipe do poder do ar, o espírito que agora está atuando nos que vivem na desobediência. 3 Anteriormente, todos nós também vivíamos entre eles, satisfazendo as vontades da nossa carne, seguindo os seus desejos e pensamentos. Como os outros, éramos por natureza merecedores da ira. 4 Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, 5 deu-nos vida com Cristo, quando ainda estávamos mortos em transgressões pela graça vocês são salvos. 6 Deus nos ressuscitou com Cristo e com ele nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus, 7 para mostrar, nas eras que hão de vir, a incomparável riqueza de sua graça, demonstrada em sua bondade para conosco em Cristo Jesus. 8 Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; 9 não por obras, para que ninguém se glorie. 10 Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou antes para nós as praticarmos”.

 

Ah! Nós devemos a Deus o nosso respeito, devemos nossa obediência, devemos o nosso serviço, devemos a nossa adoração...

 

E essa nossa dívida para com Deus é tão incalculável que não temos como pagá-la.

Você poderia dizer: “Bem, em minha vida inteira eu vou respeitar a Deus, vou amá-Lo, vou obedece-Lo... eu vou servir e vou adorar a Deus por toda a minha vida”.

 

Todavia, por mais que você se esforce e consiga fazer isso, passando a vida inteira obedecendo a Deus, servindo e adorando a Deus, você não conseguiria quitar a sua dívida com Ele.

Porque o prejuízo de Deus foi grande... quando o homem pecou contra Deus, Deus foi ofendido e o homem, obra da criação de Deus, se tornou vil, dado a maldade, mentira, injustiça e a tantas outras coisas insuportáveis para Deus.

 

E poderia o homem, por si mesmo, mudar a sua condição e tornar a agradar a Deus?

Tem uma parte na Bíblia em que lemos isto: “Será que o etíope pode mudar a sua pele? Ou o leopardo as suas pintas? ...e na seqüência, diz a palavra do Senhor: “Assim também vocês são incapazes de fazer o bem, vocês, que estão acostumados a praticar o mal” (Jr 13.23).

 

Nós temos para com Deus uma dívida incalculável, a qual não poderemos pagar. Você precisa se conscientizar disso: Deus não lhe deve favor algum, mas eu e você, somos devedores a Deus.

 

...e desta verdade, partimos para a terceira evidência da parábola, e a evidência é que:

3- A NOSSA DÍVIDA PARA COM DEUS TEM DE SER PAGA.

Nossa dívida para com Deus tem de ser paga, não por nós, não pelo devedor, não pelo pecador... mas por outro.

Se nós mesmos não temos capacidade, não temos recurso, de quitar nossa própria dívida para com Deus, porque nos falta integridade para isto, retidão para isto, até vontade para isto, quem então poderia saldar essa dívida?

 

Ouça isto: Diante de um juiz muito íntegro, famoso por suas sentenças sábias e justas, compareceu certa vez um criminoso confesso. Toda a cidade se pôs em suspense, esperando a sentença que o juiz daria ao caso. Foi feito o julgamento, e o réu, foi condenado a pagar uma multa muito alta, muito pesada, caso contrário, teria que passar muitos anos na cadeia. Aquele juiz deu a sentença, porém, no momento seguinte, ele desceu até ao banco do réu e pagou, ele mesmo, a multa que havia estabelecido. O criminoso era o filho do próprio juiz.

 

Sabe, foi exatamente isto que Deus fez por nós.

Deus é o supremo Juiz, e sabendo Deus, que nós homens e mulheres, não temos como pagar a nossa dívida com Ele, então, Ele mesmo desceu à condição de réu, tomou o nosso lugar e Ele mesmo pagou com o Seu sangue tudo o que devíamos.

 

Então, assim é que, através de Jesus, Deus-Pai saldou completamente a nossa dívida para com Ele.

 

Está escrito aqui na Bíblia: “...vocês estavam espiritualmente mortos por causa dos seus pecados... Mas agora... Deus perdoou todos os nossos pecados e anulou a conta da nossa dívida... Ele acabou com essa conta, pregando-a na cruz” (Cl  2.13-14).

 

A nós agora, só resta, aceitar o perdão e com ele a salvação eterna... A cruz em que Jesus morreu... esse foi o preço do nosso perdão.

 

Conclusão

Você já aceitou o perdão de Deus oferecido pelo sacrifício de Jesus na cruz?

O perdão de Deus é a porta para um novo começo.

 

Talvez você venha vivendo dias de complexos de culpa... pois a mais gloriosa notícia de Deus para você, se resume numa palavra: "perdão".

 

Se você tem o desejo de viver no céu com Deus, e de viver um pouco do céu agora mesmo, em sua vida com Deus aqui na terra, você deve receber o que Deus fez, em Jesus, por você.

O jornalista Gióia Junior, anos antes de seu falecimento, escreveu isto:

“No Banco Celestial da Habitação

Onde há muitas moradas... vou morar

Sem precisar pagar um só tostão

Pois Jesus pagou tudo em meu lugar!"

 

Quer ter essa certeza também? ...receba agora, pela fé, o que Deus fez para você em Jesus.

 

Pr Walter Pacheco da Silveira, 11 de setembro de 2005.