Meus Sermões

O ORGULHO
Provérbios 16.18

 

Introdução
Lá no Sexto Século, alguém classificou os pecados em Sete Pecados Mortais e nomeou os sete pecados mortais: orgulho, ódio, inveja, impureza, gula, preguiça e avareza.

Não existe uma parte da Bíblia que mencione todos estes pecados juntos. A Bíblia, porém, condena cada um desses pecados, separadamente, em muitas passagens.

Mas eu quero aproveitar esta lista dos Sete Pecados Mortais e, em sete domingos, tratar de cada um deles. Vamos ao primeiro? ...O primeiro pecado mortal é o Orgulho ou Soberba.

Desenvolvimento
O primeiro dos pecados mortais é o orgulho.

Ele vem em primeiro, porque, como lemos em Pv 16.18: “O orgulho vem antes da destruição”. O que a Bíblia está dizendo é que o orgulho precede a quase todos os outros pecados.

Sabe o que é o orgulho? ...é aquela exaltação do ego, é aquela condição mental em que uma pessoa se encontra, quando começa a pensar, deliciosamente, que é superior a todo mundo.

A Bíblia também diz aí em Pv 16.5: “O Senhor detesta os orgulhosos de coração. Sem dúvida serão punidos”. E ainda no mesmo livro de Provérbios, em 29.23, lemos: “O orgulho do homem o humilha”.

Agora, o orgulho que Deus detesta não é o respeito próprio ou o legítimo sentimento de dignidade pessoal.

O que Deus reprova, é sim, o amor próprio, soberbo, indesejável, desproporcionado.

É esse orgulho que é repugnante para Deus. Deus não suporta, não admite o orgulho. Ouça o que Deus diz: “ ...Não vou tolerar os homens de olhos arrogantes e de coração orgulhoso” (Sl 101.5).

Eu guardo uma anotação do que o orgulho faz: "O orgulho divide os homens". - O orgulhoso não pede licença; atropela. O orgulhoso não pede perdão; justifica-se. O orgulhoso não dá explicações; ameaça. O orgulhoso não pede ajuda... Não agradece; só cobra. Não perdoa; vinga-se. Não delega autoridade; faz tudo sozinho. O orgulhoso não elogia; só reclama..."

Terá alguma destas coisas semelhança conosco?

O orgulho pode assumir várias formas, mas todas têm origem no coração humano.

Algumas pessoas são orgulhosas no olhar, no vestir... outras, se orgulham da vida social que levam... se orgulham de seus negócios, de sua raça...

Noutras palavras, o orgulho pode ser espiritual, intelectual, material e social; mas o mais repugnante dos quatro, é o orgulho espiritual – a soberba do espírito é que levou Lúcifer à queda e é por aí que começam todos os pecados.

Ouça o que está escrito na Bíblia, em Es 14.12-15: “Como você caiu dos céus, ó estrela da manhã, filho da alvorada! Como foi atirado à terra, você, que derrubava as nações! 13 Você, que dizia no seu coração: “Subirei aos céus; erguerei o meu trono acima das estrelas de Deus; eu me assentarei no monte da assembléia, no ponto mais elevado do monte santo. 14 Subirei mais alto que as mais altas nuvens; serei como o Altíssimo”.15 Mas às profundezas do Sheol você será levado, irá ao fundo do abismo!”

Aqui encontramos Lúcifer dizendo: “Eu subirei... eu erguerei o meu trono... eu subirei mais alto... eu serei...”. Foi justamente o orgulho do coração de Lúcifer, o primeiro pecado cometido no mundo.

Amado: Quando nós, como Lúcifer, começamos a sentir que somos auto-suficientes e todo-poderosos, já estamos pisando terreno perigoso.

A pessoa que, cheia de orgulho, começa a confiar em seus feitos, em suas virtudes próprias, pondo de lado a mão de Deus, essa pessoa está destinada ao juízo de Deus.

Aquele que repete o gesto do antigo fariseu que disse: “Graças te dou, ó Deus, porque não como os demais homens”, que se julga bom e justo a seus próprios olhos, que está vestido de trapos imundos, mas pensa que é o homem mais bem vestido do mundo... a esse Deus abomina.

Está escrito no livro de Tiago 4.6: “Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes”.

Há pessoas que se gabam em sua justiça própria, que se acham melhores que seus semelhantes, e dizem: “Eu não faço isso, não faço aquilo”.

São pessoas que guardam a lei, mas que se esquecem do espírito dela – são culpadas da soberba espiritual.

...pensam ser muito puros; pensam ser mais espirituais que os outros, porque oram várias vezes ao dia, porque fazem leitura da Bíblia, porque cumprem todos os deveres religiosos e, por isso, acham que todos os outros estão em constante pecado...

Conta-se que certo senhor foi passar uns tempos fora, visitando os seus familiares. E quando voltou, encontrou um tal de João na rodoviária, e perguntou: “Oh! João! Houve alguma novidade na minha ausência?” “O senhor nem imagina”, disse o João, “deu uma ventania tão forte, mas tão forte, que derrubou a minha casa”. “Isso não me espanta nem um pouco”, disse o homem, que aliás se dizia cristão: “Eu bem que avisei, João, seus pecados iam ser castigados”. João respondeu: “Hummm... o vento derrubou a casa do senhor também,!” “Não me diga!” exclamou horrorizado e comentou: “Como são os mistérios de Deus, né?!”.

Infelizmente, é comum encontrar esse tipo de cristão por aí. Nas igrejas tem o “crente pavão” - ele tem postura de rei: é soberbo, prepotente, arrogante e orgulhoso. Acha-se o mais crente, o mais espiritual, o melhor em tudo; é pavão! ...ele nunca olha para a feiúra dos seus próprios pés.

Pessoas espiritualmente orgulhosas esquecem que não existe uma igreja 100% perfeita na terra.

Jesus disse que o trigo e o joio crescem juntos e que nós não temos o discernimento necessário para estabelecer quem é joio e quem é trigo, até que chegue o fim do tempo.

Todavia, hoje temos muitos fariseus que estão tentando separar o joio do trigo e fazendo aquilo que Deus disse que nunca devia ser feito até que Jesus venha de novo.

Em Laodicéia havia uma igreja orgulhosa, lemos no livro do Apocalipse. E, geralmente, somos como aquela igreja da Laodicéia. Nosso testemunho é: "Somos ricos. Temos fartura de bens e não necessitamos de nada." Mas Deus vem e diz: "Você não entende que é pobre, coitado, miserável, cego e nu. Aconselho-lhe a se arrepender, a ungir seus olhos com colírio, a fim de que possa ver." 

A atitude de pessoas orgulhosas assim, é de arrogância, é de superioridade, é de desprezo ou desdém pelos outros... pois, amados: de todas as soberbas esta é a pior!

Outra forma de orgulho é a soberba intelectual.

A Bíblia diz aos que sofrem desse orgulho: “A ciência incha, mas o amor edifica” (1Co 8.1); o conhecimento traz orgulho. O conhecimento enche a pessoa de orgulho. Ela sabe, ela é entendida...

Esse tipo de orgulho é o que se manifesta diante daqueles que não estudaram, que não conseguiram um diploma na escola...

Esse orgulho é o que se manifesta diante daqueles que, talvez, até nem escrever ou ler conseguem... e vem o orgulhoso e diz: “Não é assim que se faz. Você não sabe porque não aprendeu. Deixa comigo. Eu sei”.

O orgulhoso intelectual, o tipo que acha que sabe-tudo, se esquece de que nossas capacidades mentais e habilidades para o conhecimento, são dadas por Deus!

Ora, o grande conhecimento que temos hoje, em grande parte, é resultado dos esforços de muitas outras pessoas antes de nós... haverá razão para o orgulho?

O orgulho faz muito mal à pessoa. Ela se enche de confiança própria ao invés de se encher de confiança em Deus.

Convém lembrar outro provérbio bíblico, Pv 3.5: “Confie no Senhor de todo o seu coração, e não se apóie em seu próprio entendimento”.

Os orgulhosos não gostam de esperar em Deus e de confiar nEle.

Um garoto que brincava no quintal de casa, inventou de empurrar uma enorme pedra, claramente superior às suas próprias forças. O menino empurrava a pedra com as mãos, com os pés, com as mãos e uns dos pés, com o corpo, de costas, e a pedra não se mexia. Então começou a chorar. Aí, o pai, que observava tudo, aproximou e disse: “Filho, você está chorando, mas ainda não usou todos os recursos!”. “Usei, sim, papai”, respondeu a criança, que chorava. “Não”, corrigiu o pai, “você não tentou tudo; você ainda não pediu a minha ajuda”.

É o que o orgulhoso faz... não confia no Pai que está Céu!

Outra manifestação do orgulho é aquela provocada pelos bens materiais.

A pessoa tem geladeira nova, roupas caras, negócio próprio e se orgulha de tudo, dizendo: “Eu consegui, eu conquistei, eu comprei...”, esquecendo que tudo vem de Deus.

A Bíblia diz em Dt 8.18: “...lembre-se do Senhor, o seu Deus, pois é ele que lhes dá a capacidade de produzir riqueza...”.

Nesse orgulho causado pelos bens materiais, a pessoa se exalta ao invés de exaltar a Deus; ela se concentra naquilo que tem ao invés de se concentrar naquilo que é aos olhos de Deus... e aí, ela se torna escrava do que possui.

No Sl 62.10, lemos esse conselho: “...se as suas riquezas aumentam, não ponham nelas o coração”. E em outra parte a Bíblia diz: “...o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram com muitos sofrimentos” (1Tm 6.10).

Amado: vem de Deus todas as coisas que possuímos, inclusive a habilidade de acumular riquezas! ...até mesmo o tempo para desfrutar dos bens materiais nos vem de Deus!

Então, por que todo esse orgulho pelas coisas materiais? ...O orgulho é um dos sentimentos mais ridículos que o homem pode abrigar. Tudo o que temos nos foi dado.

...Tiago, em sua carta, ensina: “Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, que não muda como sombras inconstantes” (Tg 1.17).

Tudo quanto você possui, você possui porque recebeu de Deus. É Deus quem lhe deu a força para o trabalho, a mente para pensar e um maravilhoso país, o Brasil, que lhe dá oportunidade e liberdade. Tudo isso lhe tem vindo de Deus!

Conclusão
Sim, a Bíblia ensina que o orgulho é pecado.

Amado: qualquer espécie de orgulho é pedra de tropeço para o reino de Deus.

O maior pecado que deixará homens e mulheres fora do reino de Deus é o pecado do orgulho. Esse é o pecado que Deus mais odeia.

Agora, que é que você pode fazer com esse pecado?

Você deve confessar o seu orgulho. Todo orgulho que você possuir deve ser confessado.

Tempo para meditação (música ao fundo).
Talvez, você seja como aquele garoto que brincava no quintal de casa.

Estava fazendo as suas coisas, estava levando a sua vida, mas a certa altura, você encontrou uma pedra, surgiu um obstáculo no seu caminho, um problema difícil apareceu diante de você.

Qual é a pedra que está no seu caminho? ...a rebeldia de um filho? ...a incompreensão do marido? ...a insatisfação da esposa?

Qual é a pedra no seu caminho? ...problemas financeiros?...nervosismo? ...rancor? ...pornografia?...a mentira? ...a rejeição?

E agora, quem sabe, exatamente como fez aquela criança, você também tem se lançado, sozinho, a remover essa pedra, a resolver esse seu problema, a dar um jeito nessa sua situação...

Porém, cheio de orgulho, você tem dito: “Eu posso dar um jeito. Eu sei o que fazer... eu mesmo resolvo isso...”.

E assim, com suas próprias forças e sabedoria, você fez de tudo, tentou de uma forma, tentou de outra... imaginou que podia, por si mesmo, remover a pedra... porém, só se machucou mais, só se feriu mais, e agora... agora você chora o seu problema, chora a sua dor, chora por sua condição... chora por causa do seu próprio fracasso, da sua própria derrota... chora porque lamenta não saber mais o que fazer, chora porque esgotou todos os recursos, chora porque acabou as forças...

Veja a que ponto o teu orgulho te fez chegar!

Ah! Mas eu tenho uma boa notícia para você: Deus, o nosso Pai que está no céu, tão bom e tão amável, tem contemplado a sua situação. Deus, a tudo tem observado com grande atenção.

Nesta hora mesma, quando você chora o seu fracasso, quando você lamenta sua falta de força, sua falta de poder, sua falta de condição, e com a voz embargada, diz: “Já fiz de tudo! Tentei tudo! Experimentei tudo!”

Ah! Deus vê você e cheio de ternura te diz: “Filho, filha, você ainda não usou todos os recursos. Eu sou o Deus vivo e Todo-poderoso, Eu sou Aquele te fez e que te ama, que faz milagres e coisas maravilhosas acontecer, e você ainda não pediu a minha ajuda”.

Pois, Deus está te dizendo hoje: “Deixa teu orgulho. Peça que Eu te ajude e Eu te ajudarei”.

Pr. Walter Pacheco da Silveira