Meus Sermões

OS ERROS DO HOMEM QUE SE ACHAVA CERTO
Lucas 15:25-32 

 

Introdução
Hoje eu quero meditar com você sobre “os erros do homem que se julgava certo”. 

Mas antes, deixe que eu lhe pergunte: Já aconteceu, alguma vez, de você ter se achado cheio de razão, e de ter dito com convicção: “É sim! Eu garanto! Tenho certeza absoluta do que estou dizendo!” ...e por fim, você descobriu que estava redondamente enganado em seu ponto de vista? Tente lembrar se você já passou por isto. 

Esse texto que acabamos de ler conta a história de um homem que passou por esta experiência. Ele se achava completamente cheio de razão e não estava (justamente nos três aspectos em que se sentia tão seguro de si, ele esta era redondamente enganado). Diga: Misericórdia! 

Irmãos: Jesus contou esta história, querendo que as pessoas que O ouviam, se identificasse com este homem “certo” aos seus olhos, porém errado aos olhos do Pai Celestial. 

Portanto, observe e procure identificar o que Deus quer que você reconheça com a história do homem certo que cometeu três erros. 

O primeiro erro desse filho que se julgava certo, foi... 
Fazer uma avaliação errada do seu irmão (v. 30) 
Observe como ele se dirigiu, falando ao pai, no v.30: “Mas quando volta para casa esse teu filho, que esbanjou os teus bens com as prostitutas, matas o novilho gordo para ele?” 

Este irmão mais velho errou ao julgar o seu irmão (repare que ele nem mais considerava o seu irmão, pois falou dele dizendo “esse teu filho”...). 

Ele não conseguia ver o fim da experiência que o seu irmão havia tido: seu irmão saiu de casa, abandonou o pai... mas agora, arrependido, estava de volta e buscava a reconciliação. 

Mas ele insiste em considerar o irmão como um perdido, um rebelde, alguém sem conserto, um ingrato que não merece perdão... 

O pai, porém, que via corretamente, discordando daquele filho mais velho afirmou, isto que se lê no v.32: “...Meu filho... ele estava morto e voltou à vida, estava perdido e foi achado.” 

Irmãos, aprendamos isto: Deus, que é o nosso Pai, é cheio de misericórdia! Amém? [diga depois de mim: “O nosso Deus é cheio de misericórdia”!] 

Alguém pode ter errado com você, pode lhe ter feito o que é mal, mas quando Deus resolve abraçar, resolve receber de volta em seus braços aquele que errou, nós não devemos fechar o nosso coração àquela pessoa. 

Porque, pode ocorrer de alguém ficar chateado com Deus, como ficou o filho mais velho com o seu pai aqui! Já viu isso? 

Deus perdoa a alguém e acontece de algum irmão ficar triste, pelo que diz: “Ah! Essa não! Deus converteu fulano ou Deus ta abençoando fulano... logo fulano que me fez isso, isso e aquilo outro... e agora vou ter que aturar ele na igreja!!” 

Ah! Você vai errar gravemente se não aprender a distinguir um pecador perdido de um pecador remido. 

Jesus deixou bem claro que a nós, filhos de Deus, cabe perdoar como o Pai perdoa. 

Irmão, pense bem: haverá alguma pessoa para quem você tem fechado a cara e negado o perdão? ...esse é um erro que o filho mais velho cometeu e que você não deve cometer. Amém? 

O segundo erro do homem que se julgava certo, foi... 
Fazer uma avaliação errada do seu Pai (v.28 e 29) 
Quero ler o v.28 e 29: “O filho mais velho encheu-se de ira, e não quis entrar. Então seu pai saiu e insistiu com ele. Mas ele respondeu ao seu pai: Olha! Todos esses anos tenho trabalhado como um escravo ao teu serviço e nunca desobedeci às tuas ordens. Mas tu nunca me deste nem um cabrito para eu festejar com os meus amigos”. 

Este irmão errou novamente, agora ao murmurar contra o seu pai. 

Ele reclamava ser alvo de um tratamento desigual. Sentia-se injustiçado. 

Claro que o pai respondeu, mostrando a verdade pra ele, lemos no v.31: “Meu filho, você está sempre comigo; e tudo o que tenho é seu.” 

Murmuração. Você sabe o que é isto? 

A Bíblia, no Velho Testamento, fala de como os judeus murmuraram contra Deus no deserto, duvidando se Ele estaria mesmo presente e se Ele realmente cumpriria suas promessas. 

A Bíblia também nos alerta para o fato de que, corremos o risco, de murmurarmos contra Deus... corremos o risco de cometer o mesmo erro daquele filho mais velho: 

Será o caso de alguém aqui, achar que Deus não está sendo justo... que o está tratando com desigualdade? 

Irmão: Deus não faz acepção de pessoas. Todos são amados... todos são queridos... Diga: Todos são amados por Deus! 

A questão é que Deus é misericordioso e o nosso coração ainda é duro... 

Aprenda a ser misericordioso como Deus é, aprenda a ser grato e fiel para com o Pai... você deve lutar para não cair no exemplo deste filho que se achava certo, mas que errava gravemente ao murmurar. Amém? 

O terceiro erro desse homem que se julgava certo, foi esse: 
Fazer uma avaliação errada de si mesmo (v.29) 
“Há tantos anos te sirvo, sem transgredir uma ordem tua...” 

Este irmão mais velho até parece gêmeo daquele fariseu da parábola contada por Jesus, que dizia: “graças a Deus eu não como aquele publicano...”. Ele se julgava perfeito, sem erros! 

E este falso censo de justiça própria é terrivelmente danoso para o indivíduo. Infalível, perfeito, justo... nenhum de nós o é! 

Por isso, o terceiro erro deste homem que se julgava certo foi o de dispensar a humildade. 

A soberba é avenida para o desastre... Não se deixe dominar por este sentimento. Amém? 

Você já observou que os grandes homens de Deus foram todos humildes? 

Moisés: Ex 3:11 “Quem sou eu para ir a Faraó e tirar do Egito os filhos de Israel?”4:10 “Então disse Moisés ao Senhor: Ah Senhor! eu nunca fui eloqüente, nem outrora, nem depois que falaste a teu servo; pois sou pesado de boca e pesado de língua.” 

Gideão... Jeremias... Pedro... 

Todos estes homens foram abençoados e serviram ao Senhor com poder, porque antes de tudo, foram humildes. Souberam reconhecer suas limitações diante de Deus. 

Portanto, para não cair no erro do filho mais velho: Lembre-se que Deus resiste ao soberbo, mas dá graça ao humilde. 

Conclusão 
Estes foram os três erros do homem que se julgava absolutamente certo: 
Ele fechou a cara para o irmão, negando-lhe o perdão; 
Ele murmurou contra o pai, achando-se alvo de injustiça; 
Ele dispensou a humildade, achando-se muito perfeito e bom.

O pior de tudo: com esses erros ele ficou privado da festa... 

Aplicação (colocar-se em pé e orar) 

Quem sabe, nesta manhã, você também veio pensando que tudo estava perfeito em sua vida e agora, por um toque de Deus no seu coração, descobriu que há algo para mudar. 

Será que você está com problemas para perdoar alguém? 

Sua comunhão está rompida com algum outro irmão e você tem se negado a liberar perdão? 

Ou talvez você esteja envolvido no pecado da murmuração: tem duvidado da fidelidade do Senhor, tem sido ingrato para com Ele, achando que Ele tem sido injusto... 

Ou ainda, pode ser que você esteja sofrendo do mal da soberba. Você tem se esquecido de que os méritos da sua salvação, vem do sangue do Cordeiro e não de suas atitudes... Há soberba, orgulho, em seu coração? 

Meu irmão, minha irmã: Esse, então, é um tempo para você se consertar... Ore agora e peça ao Espírito Santo para purificá-lo. Saia daqui, nesta manhã, livre destes erros. Amém?

Pr Walter Pacheco da Silveira - 19/10/2003