Meus Sermões

QUE SE CALE O GALO
Lucas 22:54-65

 

"Eles prenderam Jesus e o levaram até a casa do Grande Sacerdote. E Pedro os seguia de longe. 55 Quando acenderam uma fogueira no meio do pátio, Pedro foi e sentou-se com os que estavam em volta do fogo. 56 Uma das empregadas o viu sentado ali perto da fogueira, olhou bem para ele e disse: -Este homem também estava com Jesus! 57 Mas Pedro negou, dizendo: -Mulher, eu nem conheço esse homem! 58 Pouco tempo depois, um homem o viu ali e disse: -Você também é um deles! Mas Pedro respondeu: -Homem, eu não sou um deles. 59 Mais ou menos uma hora depois, outro insistiu: -Você estava mesmo com ele porque também é galileu. 60 Mas Pedro respondeu: -Homem, eu não sei do que é que você está falando! Naquele instante, enquanto ele falava, o galo cantou. 61 Então o Senhor virou-se e olhou firme para Pedro, e ele lembrou das palavras que o Senhor lhe tinha dito: "Hoje, antes que o galo cante, você dirá três vezes que não me conhece." 62 Então Pedro saiu dali e chorou amargamente". 

Introdução
Amados, a figura de Pedro é uma das mais humanas de toda a Bíblia (em Pedro vemos o processo de transformação da fragilidade em firmeza de uma forma extraordinária).

Quando Jesus chamou a Simão para segui-lO, Jesus deu a ele um novo nome que apontava para o que ele chegaria a ser algum dia.

Mas o nome de "Simão" era muito apropriado para este impulsivo e rude homem, pois significa: "Cana agitada pelo vento", frágil, instável, que pode quebrar-se facilmente.

Nos primeiros três anos que este homem passou seguindo a Jesus, ele havia feito horrores ao seu próprio nome... essa "cana agitada pelo vento" em incontáveis ocasiões demonstrava uma maturidade impressionante e outras vezes uma insensatez igualmente impressionante.

Mas Jesus disse à esse homem: "Você é Simão... mas de agora em diante o seu nome será Pedro... que quer dizer "pedra", rocha". De cana frágil para uma rocha sólida, de instável personalidade para um caráter firme e estável. 
Amado: O mesmo, Jesus faz contigo e comigo quando Ele nos encontra: Ele nos vê como somos, mas se propõe a não nos deixar assim. Jesus vê o que nós não vemos em nós mesmos: nossa fragilidade, nossa instabilidade, nossa insegurança, nossos temores... e Ele vê o produto terminado, vê a obra concluída - a Simão, Ele disse: "Você é Simão, mas eu te vejo como Pedro, rocha". Aleluia!

Oh! Como Jesus é diferente! Quem conhece a História, sabe que Ele ficou ao lado da mulher adúltera, quando todos se afastavam dela.... 
Que Ele entrou na casa do publicano, quando todos se revoltavam contra ele... 
Que Ele chamou as crianças para perto dEle, quando todos queriam mandá-las embora... 
Jesus perdoou a Pedro, quando ele próprio se condenava. 
Jesus elogiou a viúva pobre, quando todos a ignoravam. 
Ele resistiu ao diabo, quando todos teriam cedido à sua tentação. 
Jesus amou os pobres, quando todos buscavam riquezas. 
Curou enfermos, quando foram abandonados pelos outros. 
Jesus morreu na cruz, quando todos festejavam a páscoa. 
Jesus assumiu a culpa pelos pecados do mundo, quando todos lavavam suas mãos na inocência. 
Jesus ressuscitou da morte, quando todos pensavam que Ele estivesse derrotado. 
Oh! Jesus é único! Incomparável! Ele é diferente! 

Jesus viu em Simão um Pedro, uma rocha mesmo! ...todavia, era Simão, "a cana"! E Jesus não desistiu até vê-lo transformado em rocha (o processo seria longo e doloroso, tanto para Pedro como para Jesus), mas Jesus aguardaria e veria o resultado.
Esta noite Jesus está vendo você de um modo muito especial! Está bem?

Os acontecimentos da última semana de Jesus na terra estavam avançando. 
Jesus se reuniu com os Seus discípulos pela última vez, comeu com eles, aproveitou para lhes dar os últimos conselhos, os animou, os consolou, reafirmou para eles as Suas promessas...

E ali estava Pedro muito próximo, quando, surpreendentemente, Jesus fez a declaração de que naquela mesma noite todos se escandalizariam, tropeçariam e cairiam por causa dEle (Mt 26.31-35; Mc 14.27-31).

A reação da "cana" chamada Pedro, cheia de emoção, não se fez esperar: "Pedro respondeu: -Eu nunca vou dizer que não o conheço, mesmo que eu tenha de morrer com o Senhor!...". 
E ali mesmo a "cana" se balançou com força como se fosse um furacão, outra vez.

E Jesus disse a Simão Pedro o que ele nem imaginava: "Nesta mesma noite, antes que o galo cante, você [minha querida cana agitada pelo vento, se quebrará de tal maneira que] ...dirá três vezes que não me conhece" (Mt 26.34). 
Você negará as vezes que rimos juntos...
Negará as vezes que passou ao meu lado e viu mortos ressuscitar...
Negará as vezes que curei doentes e você mesmo sarou em meu nome... Você negará as vezes em que se recostou ao meu lado para ouvir os meus ensinos... 
Negará o que lhe foi revelado de mim a você, que sou o Yeshua Hamaschia - o Messias, o Filho do Deus Vivo... 
Por fim, Pedro, você negará o seu melhor Amigo, o seu Senhor e Mestre.

A noite escura da prisão de Jesus havia chegado e levaram Jesus para a casa do Sumo Sacerdote. 
A Bíblia diz que João e Pedro foram atrás, seguindo a Jesus, que estava sendo escoltado por soldados, por oficiais e por outras autoridades...

Mas sobre isto, o v.54 (final) diz de Pedro: "E Pedro os seguia de longe". 
A hora escura de Pedro havia chegado também: as perguntas que faziam, a confusão do momento e toda aquela multidão sufocava o coração de Pedro.

No v.55 lemos que quando chegaram à casa do Sumo Sacerdote, Pedro parou no pátio. Mas do lugar onde estava, ele podia ver como castigavam a seu Amigo, como O esbofeteavam, como O injuriavam. E Pedro se sentou junto a uma fogueira com um grupo de gente que não cria em Jesus.
Irmãos: Há dois graves perigos que devemos evitar: seguir a Jesus de longe e sentar-nos para nos aquecer junto daqueles que zombam de Jesus.

Enquanto estava sentado ali, três vezes disseram que Pedro conhecia a Jesus, e três vezes ele negou enfaticamente que não era verdade. 
Primeiro, no v.56 diz que veio uma empregada, viu Pedro sentado ali, olhou bem para ele e disse: "Este homem também estava com Jesus! Mas Pedro negou dizendo: Mulher, eu nem conheço esse homem!"

Na segunda vez, diz o v.58, veio um homem e vendo a Pedro disse: "Você também é um deles". E Pedro respondeu: "Homem, eu não sou um deles".

Na terceira vez, mais ou menos uma hora depois, veio outro e tornou a dizer, v.59: "Você estava mesmo com ele porque também é Galileu". E Pedro, já meio saturado com aquilo respondeu: "Eu não sei do que é que você está falando".

Então, num momento e de forma inesperada, se ouviu um ruído que encheu a noite: era um galo! 
Onde havia se escondido esse galo? Ora, é comum que os galos cantem pela manhã, anunciando o amanhecer, mas esse galo [esse galo] anunciou a noite mais escura na vida de Pedro.

O galo cantou! Cantou uma, duas, três vezes... QUE SE CALE ESSE GALO!

O coração e a alma de Pedro desfaleceram, não só porque o galo havia cantado e porque ele havia negado a Jesus, mas porque o seu próprio Senhor e Amigo o viu naquela hora escura.
V.61 registra: "...o galo cantou. Então o Senhor virou-se e olhou firme para Pedro, e ele lembrou das palavras que o Senhor lhe tinha dito".

O olhar de Jesus para Pedro não foi de condenação. Com certeza foi um olhar de misericórdia, um olhar através do qual Jesus dizia: "Pedro, meu amigo, minha frágil cana, está lembrado do que eu lhe disse? ...Satanás conseguiu cirandar sua mente e assim tem feito, mas não se esqueça, eu orei e estou orando por você, para que sua fé não falte e quando você voltar ao seu lugar depois desta noite escura, o meu plano para você continua em vigor (o que eu lhe disse, continua valendo), e será você quem vai ajudar a seus irmãos, será você quem os animará, será você quem os levantará. Desde o princípio declarei que você é Pedro, "rocha", e muito em breve você deixará de ser "cana agitada pelo vento" (Lc 22.31, 32). Aleluia!

O texto diz no v.62 que "Pedro saiu dali e chorou amargamente". Lhe veio a culpa, a vergonha e a dúvida acerca do amor de Jesus por ele. 
Seria possível que depois disto, seu Senhor lhe continuaria amando? Poderia Pedro satisfazer as expectativas de seu Senhor de algum dia converter-se em "rocha" e deixar de ser a "cana frágil" que até agora tem sido?

Pedro seguiu para o seu lugar de esconderijo, mas não sabia que algo havia acontecido: aquele canto do galo havia entrado por dentro dos seus tímpanos de modo que ele não conseguia fazer com que se calasse. 
Pedro se levantou na manhã seguinte e ali estava esse cântico: "Co-co-ro-co-có", ...mas era ensurdecedor, não se ouvia mais nada... só o galo. Pedro deve ter feito como o Quico da turma do Chaves faz: "Cale-se! Cale-se! você me deixa louco!".

Em Jo 21.3 lemos o que Pedro fez depois disto: Ele disse aos discípulos que ia pescar: "Eu vou pescar... é o que sei fazer melhor". Acabou o assunto de ser evangelista ou pregador. Pedro disse: "Eu vou fazer a única coisa que sei fazer direito: vou pescar... quem sabe assim, esse galo se cala de uma vez!"

Mas não havia forma de calar o galo: Pedro preparou as redes, organizou o barco, mas o galo continuava cantando.

No dia da ressurreição, as mulheres receberam uma mensagem do anjo, que havia se sentado no lado direito do túmulo onde Jesus fora sepultado (Mc 16.6-7).
Era um recado do próprio Jesus em que Ele dizia: "vão e digam a todos os discípulos, E A PEDRO... Digam a Pedro que, todavia, seu amigo o ama. Assegurem a Pedro que Eu, Jesus, quero vê-lo. Digam-lhe que, apesar do que aconteceu, Eu continuo vendo-o como "rocha" mesmo que se haja quebrado como "cana frágil". 

As mulheres lhe deram a mensagem, mas o galo não se calava... 
Esse insistente galo cantava e cantava e com cada entonação gritava na lembrança de Pedro: "Jamais poderás ser o que Ele disse que serías, jamais deixarás de ser cana, foi um sonho crer que algum dia serias uma rocha". 

E nisso mais o galo cantava, e mais Pedro pedia: "Que se cale esse galo!" 

Conclusão
Intentaram pescar toda a noite, mas não conseguiram nem um só peixe...
À distância, um estranho lhes pergunta se conseguiram pescar alguma coisa e lhes dá umas instruções que eles obedecem e naquele instante se enchem as redes (Jo 21.4-14). 

João disse a Pedro que o estranho era Jesus e Pedro se lançou desnudo (como estava) a seu encontro.
Amados: A melhor forma de irmos ao encontro com Jesus é desnudos, descobertos, sem cobertas externas que ocultam o que há dentro.

E de forma milagrosa o cântico do galo começou a diminuir. Aleluia!

Já à margem, Jesus começou uma conversa que determinou o futuro de Pedro. 
Jesus se dirigiu a ele chamando-o Simão, ou seja "cana agitada pelo vento". 

O que Jesus lhe perguntou também era um ponto final à pergunta que Pedro vinha fazendo todos estes dias."Simão, filho de João, você me ama...?". (Jo 21.16).

Ao perguntar a Pedro se Ele O amava, Jesus lhe estava afirmando que, todavia (sem importar o acontecido), Ele amava a Pedro.

Três vezes Jesus perguntou a Pedro se ele o amava e, três vezes o comissionou ao cumprimento do que havia determinado para ele: apascentar Suas ovelhas. 
Duas vezes Pedro contestou a pergunta de Jesus, dizendo: "por que se me pergunta outra vez"?

Entretanto, Jesus perguntava a Pedro por seu compromisso de amor... é quando ele disse: "O Senhor sabe que eu o amo".

Então, algo começou a ocorrer: O cântico do galo se foi convertendo em sussurro, começou a diminuir sua intensidade, o eco foi sumindo.

E na terceira vez que Jesus lhe perguntou: "Simão, filho de João, você me ama?", Pedro já não podia dizer outra coisa, senão, que apelar para o conhecimento sobrenatural de Jesus de todas as coisas.
Em Jo 21.17 está escrito que Pedro respondeu assim: "O Senhor sabe tudo e sabe que eu o amo, Senhor!". 
Pedro estava dizendo: "Jesus, o Senhor sabe de tudo e só o Senhor pode confirmar se eu O amo ou não; só o Senhor pode dizer se ainda há possibilidade de algum dia eu vir a ser aquilo que o ser planejou para mim". 

Então, algo ocorreu surpreendentemente dentro de Pedro: O galo deixou de cantar!
Jesus afirmou para Pedro que aquilo que ele havia dito um dia, (de morrer com Ele), seria verdade: a frágil cana, o impulsivo pescador, o rude e apressado discípulo ao fim se converteria em uma rocha sólida que dificilmente seria sacudida.

E o galo se calou para sempre.

Haverá alguém aqui nesta noite com um galo cantando assim por dentro? 
Com a consciência doída por um peso, por um sentimento de culpa, de miséria tão grande?

Quantos aqui, à semelhança de Pedro, também têm negado a Jesus um lugar no coração? Negado a Jesus a sua atenção, a sua obediência, o seu amor... e que hoje, se encontram fazendo de tudo para calar, mas esse galo não se cala?

Ouça, você precisa responder a Jesus. 
Ele pergunta: "Você me ama?"

Jesus só está aguardando ouvir a confirmação do seu amor por Ele. E enquanto você assegura para Jesus que O ama, Ele confirma a você que, todavia, sem importar o que tenha acontecido, (sem importar a idade do seu pecado e quão terrível tenha sido), Ele pode mudar você, transformar a sua vida de uma "cana frágil" em uma "rocha sólida".

E quando isto ocorrer, você perceberá que já deixou de cantar o galo.

Que tal assegurar para Jesus esta noite o seu amor por Ele?

Pr Walter Pacheco da Silveira, Páscoa-2003