Meus Sermões

PRINCÍPIOS PARA GRANDES CONQUISTAS
Josué 6:1-21 e 7:1-8

 

Introdução
Nós temos grandes conquistas para alcançar: Temos crianças no aprisco que precisam crescer, que precisam alcançar maturidade, que precisam se reproduzir em outras crianças para a glória de Deus...

Sim, crianças podem evangelizar crianças e trazê-las aos cultos para a glória de Deus...

Mas não somente crianças, temos adolescentes e jovens, temos adultos, temos pessoas na terceira idade... todos precisam se reproduzir em outros para a glória de Deus.

Ouvi dizer que a principal tarefa do pastor é treinar os santos... não o Santos Futebol Clube, mas os santos que pertencem ao Senhor Jesus... O maior desafio do pastor é levar a sua gente, é levar o seu povo, a ser um povo que se reproduz.

O desafio é fazer a maçã se reproduzir em outra? ...não. É fazer a manga se reproduzir em outra? Não. É levar o limão a se reproduzir em outro? Também não. Isso somente representaria a duplicação - mas o desafio que temos é maior - é multiplicação!

Irmãos, irmãs, o desafio que Deus dado ao pastor, e por ele a nós outros, é o desafio de transformar maçã em macieira... manga em mangueira... limão em limoeiro...

Isto é, pessoas que sejam frutíferas... crentes que dão frutos! ...e sabe qual é o fruto do crente? ...são outros crentes.

A pintura mental mais bonita que faço, é a de um crente repleto de outros crentes à sua volta, todos convertidos a Jesus e batizados, como resultado da vida frutífera dele.

Esse é o desafio que temos... Eu creio que Deus quer 100% de crescimento nosso. De dízimo é 10%, é o limite mínimo, embora vivamos a vida inteira só dizimando na base de 10%... mas de crescimento, é 100%.

Quando eu leio a Bíblia (em Ef 4.15), Deus diz para mim: "cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo".

Quando eu leio a Bíblia (em Is 54.2), Deus diz para mim: "Amplia o lugar da tua tenda, e as cortinas das tuas habitações se estendam; ... alonga as tuas cordas".

Quando eu leio a Bíblia no livro de Atos, único livro de história da igreja no NT, Deus diz para mim (em Atos 5:14) que "a multidão dos que criam no Senhor, tanto homens como mulheres, crescia cada vez mais". Aumentava... multiplicava...

O desafio é 100%, irmãos... Deus quer o aperfeiçoamento dos santos... quer que todos cheguemos a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo! Temos que conquistar isto!

Mas, precisamos aprender os princípios de Deus que geram a conquista daquilo que estamos sonhando.

Vamos tomar o exemplo do povo de Israel, liderado por Josué.

Numa batalha, a de Jericó, eles foram vencedores. Na batalha seguinte, foram vergonhosamente derrotados.

Precisamos entender os princípios que levam à vitória ou ao fracasso, na luta por grandes conquistas.

O primeiro princípio que precisamos entender é o da:
1- ORAÇÃO E DEPENDÊNCIA DE DEUS
Em Josué 5:13-15 lemos do desafio de Israel diante da Cidade de Jericó) e em Josué 7:2-4, lemos do desafio de Israel diante da cidade de Ai.

E podemos notar que tanto Josué como o povo de Israel, tiveram atitudes diferentes diante desses desafios.

Na primeira, para a conquista da cidade de Jericó, ele orou, ele ouviu a Deus, ele recebeu estratégias de Deus.

Mas na segunda, para a conquista da cidade de Ai, talvez por menosprezar o desafio, nem Josué nem o povo fez oração... o que lemos que fizeram foi somente planejamento, planejamento humano.

Então, diante da cidade de Ai, o que não faltou foi um ai para cada um deles: "Ai meu pé... ai minha cabeça... ai minha barriga... ai de mim... ai meu Deus do céu!"

A lição para nós é essa: Se quisermos grandes conquistas, a busca em oração tem que ser proporcional.

O próximo princípio que precisamos entender é o da:
2- ESTRATÉGIA E PLANEJAMENTO
No capítulo 6, antes de encarar o desafio de Jericó, lemos que houve estratégia e planejamento, mas em Josué 7, diante de Ai, não lemos nada disso.

É fácil perceber, que para a conquista de Jericó, então havia uma estratégia sobrenatural dada por Deus, e o povo seguiu o planejamento de Deus à risca.

Mas quanto ao desafio de Ai, não havia nenhuma estratégia (muito menos sobrenatural, muito menos dada por Deus). Josué, o líder, enviou 3 mil homens sem um planejamento claro do que fazer e eles foram humilhados.

A lição para nós é esta: Se quisermos grandes conquistas, se quisermos a multiplicação, se quisermos o crescimento, se quisermos o aumento do número de conversões... do número de batismos, então, nós temos que seguir à risca o planejamento e as estratégias que Deus está dando ao pastor, nosso líder.

Recorde que aprendemos que há cinco propósitos de Deus para a igreja: adoração, discipulado, serviço, comunhão e evangelismo... e depois que assimilamos isto, começamos a ouvir sobre células, ou como a Bíblia chama no livro de Hebreus, de "reunir como igreja".

Veja Hb 10.25: "Não abandonemos, como alguns estão fazendo, o costume de assistir às nossas reuniões. Pelo contrário, animemos uns aos outros e ainda mais agora que vocês vêem que o Dia está chegando". Nessa tradução lemos "nossas reuniões".

Talvez na sua versão, o verso 25 seja lido assim: "Não deixemos de congregar-nos, [ou, "não deixando a nossa congregação"] como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima".

Mas como eu gostaria que você tivesse acesso também à Nova Versão Internacional da Bíblia, que é a mais recente tradução da Bíblia em português e que se caracteriza pela precisão, beleza de estilo, clareza e dignidade. Essa versão traduz assim: "Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas procuremos encorajar-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês vêem que se aproxima o Dia".

Reunir como igreja. O que é "reunir como igreja"? ...é fazer, por exemplo, aquilo que lemos em Romanos 12.10: "Amem uns aos outros com o amor de irmãos em Cristo e se esforcem para tratar uns aos outros com respeito". Reunir como igreja é fazer o que lemos em Efésios 5:21: "Sejam obedientes uns aos outros", ou em Colossenses 3.9, onde lemos: "Não mintam uns para os outros". Reunir como igreja é fazer aquilo que está em Romanos 16.16: "Cumprimentem uns aos outros com um beijo de irmãos".

Nossa reunião aqui no aprisco, aqui no prédio, não permite isso.

A Bíblia diz para nos esforçarmos para tratar uns aos outros com respeito... mas muitas vezes eu entro e saio sem falar com você; a Palavra diz para sermos obedientes uns aos outros, mas se todos vocês me mandarem fazer uma coisa, eu não vou fazer, eu não conseguirei fazer. A Bíblia também diz para cumprimentar com um beijo de irmão, mas eu ficaria com os lábios calejados se fosse fazer isso... vocês são muitos!

Deixa eu lhe confessar algo: Nós pastores costumamos nos colocar à porta, ao final das reuniões, para saudar as pessoas. Então, vem o primeiro, o segundo, o terceiro... o quadragésimo quinto, o nonagésimo oitavo... e o último. Então, nós acabamos com uma ligeira câimbra no rosto e vamos para casa desse jeito (formato de riso).

Agora, segundo a Bíblia, quando nos reunimos como igreja, isto é, numa casa, onde somente cabe um grupo pequeno de pessoas, então podemos fazer tudo isso.

Se você já leu o livro de Atos deve estar lembrado que "cada dia o Senhor juntava ao grupo as pessoas que iam sendo salvas". No capítulo 4 lemos que "muitas pessoas que ouviram a mensagem creram, e os homens que creram foram mais ou menos cinco mil". Mas lá no cap 2.46, está escrito que os crentes "nas suas casas partiam o pão e participavam das refeições com alegria e humildade. Eles louvavam a Deus por tudo e eram estimados por todos. [então] E cada dia o Senhor juntava ao grupo as pessoas que iam sendo salvas".

O que estou mostrando é a que na Bíblia, a Igreja tinha duas reuniões: o povo se reunia como igreja nas casas e também no templo - sendo que nas casas (ou células, ou grupos, ou outro nome que se queira dar), obviamente, eles faziam aquilo que não podiam fazer no templo.

Mas ao longo dos anos, a Igreja deixou de se reunir nas casas e passou a se reunir apenas num prédio. Por isso que os prédios foram ficando bonitos, suntuosos... até catedrais começaram a ser construídas!

Mas era essa a vontade de Deus? Não. Deus criou a igreja para voar com duas asas: a asa das reuniões nas casas e asa das reuniões no prédio, no lugar grande, onde há espaço para o ajuntamento solene de todo o povo.

O que nós aqui, estamos vivendo hoje, é o retorno à igreja conforme Jesus planejou. E Deus tem dado métodos ao pastor. Nós faremos bem em seguir à risca o planejamento e as estratégias que Deus está dando ao líder.

Outro princípio a ser entendido é este, o da:
3- SANTIDADE E COMPROMISSO
A santidade é o fator fundamental para as conquistas.

Um povo que tem brechas de pecado não vai contar com o favor de Deus, dará legalidades ao diabo.

Antes de Josué e seu povo conquistar Jericó, houve um período de santificação, todo o povo se santificou, mas quando partiram para a conquista de Ai, o pecado de um homem chamado Acã foi a brecha para o fracasso.

A lição para nós é esta: A santidade é uma condição necessária para as grandes conquistas.

Finalmente, precisamos entender o princípio da:
4- UNIDADE E RESPONSABILIDADE
Irmãos, para não sermos frustrados em nossas conquistas é preciso a participação de todos, o envolvimento de todos, naquilo que queremos conquistar.

Em Jericó, todo o povo rodeou a cidade e fez o que Josué ordenou. Agora, em Ai, a maioria absoluta do povo ficou relaxada e apenas 3 mil foram à batalha.

E qual foi o resultado? ...poucos trabalharam, então todos saíram derrotados.

A lição para nós é esta: Se quisermos grandes conquistas, se quisermos mais crianças convertidas à Jesus, mais adolescentes e jovens convertidos a Jesus, mais adultos e mais idosos convertidos a Jesus... se quisermos mais batismos sendo realizados, tem que haver um envolvimento de todos nesse desafio!

Conclusão
Irmão, irmã, creia no poder do Espírito Santo que habita em você para faze-lo ganhar vidas. Creia no poder do Espírito Santo para fazer de você uma macieira, uma pessoa frutífera para a glória de Deus!

Você deve estar pensando: Porque tanto esforço ou por que trabalhar com células... é porque nós sabemos quanto vale cada pessoa para Deus. Nós fomos transformados pelo poder de Jesus e não podemos guardar essa benção só para nós.

Por isso, ajude-nos!

Pr Walter Pacheco da Silveira