Ilustrações Ilustrações T

Transporte

 

Jô Soares é quem fez essa observação outro dia: "Pára-quedas é o único meio de transporte que quando enguiça, você chega mais rápido". - Fonte: www.reflita.brs.com.br/pararir.html

 

"Rose vende livros e por tal motivo viaja de um lugar para outro usando os mais variados meios de transporte. Outro dia ela pegou carona com um caminhoneiro. No início tudo parecia normal, mas depois ela percebeu que o rumo da conversa ia colocando-a numa situação constrangedora. As intenções do motorista estavam claras. Primeiro foram as palavras e depois ele partiu para os fatos. Desviou o caminhão da estrada principal, estacionou-o num lugar deserto e avançou sem se importar com as lágrimas da indefesa vítima. Estava tudo perdido. Ou estaria, se de repente, providencialmente, um homem alto e corpulento não batesse na porta do caminhão. O motorista jogou Rose para fora e fugiu. Rose Aparecida suplicou que o homem a acompanhasse até a estrada. Ali o protetor da trêmula garota fez parar uma caminhonete, disse a Rose que não tivesse medo daquela pessoa e misteriosamente desapareceu como num passe de mágica. Rose contou-me a história chorando. "Sei que foi um anjo" afirmou convencida do fato. - Fonte: Pr. Bullón, em www.sisac.org.br

 

A gente pode morar numa casa mais ou menos, Numa rua mais ou menos, Numa cidade mais ou menos, E até ter um governo mais ou menos. A gente pode dormir numa cama mais ou menos, Comer um feijão mais ou menos, Ter um transporte mais ou menos, E até ser obrigado a acreditar mais ou menos no futuro. A gente pode olhar em volta e sentir que tudo está mais ou menos. Tudo bem. O que a gente não pode mesmo, nunca, de jeito nenhum, É amar mais ou menos, É sonhar mais ou menos, É ser amigo mais ou menos, É namorar mais ou menos, É ter fé mais ou menos, É acreditar mais ou menos. Senão a gente corre o risco de se tornar uma pessoa mais ou menos.

 

Conta-se que uma jovem faleceu e foi para o céu. Na porta o anjo lhe disse: - Aqui todos recebem um meio de transporte a fim de conhecer o Reino. Será de acordo com o seu procedimento na Terra: sua vida pessoal, seus relacionamentos com Deus, com sua família, seus irmãos, seu testemunho, etc. Pelo que estamos observando, você tem direito a um Fusquinha 1965. A jovem ficou espantada: - O que?! Só um fusquinha? - Sinto muito, mas sua vida na Terra não foi muito legal. Pode pegar o seu Fusquinha. A jovem outra vez ficou espantada. Era um "caidinho" com a porta emperrada, os pneus carecas e com pouco combustível. - O que foi fazer com isto? - disse ela. - Bem - respondeu o anjo - é o que conseguimos fazer com o material que você mandou... A jovem saiu muito chateada e foi embora. No dia seguinte ela apareceu com o "caidinho" toda feliz e o anjo lhe perguntou: - Que felicidade é esta? Ontem você ficou tão triste? O que aconteceu? - É que vi meu pastor andando de patinete... 

 

Certo navio que fazia transporte diário de passageiros entre duas cidades, cada vez que entrava no porto chocava-se com o cais ou tinha outras dificuldades para atracar. Im dia, porém, chegou e entrou no porto sem qualquer dificuldade. Nem parecia o mesmo navio. Um marinheiro de outra embarcação, exclamou com surpresa: "Que será isso!? Não aconteceu nada hoje!" "É o mesmo navio, meu amigo, a diferença é que temos um novo mestre". Por analogia podemos dizer que até a vinda de Jesus ao mundo, o homem vivia em choque constante com Deus, consigo mesmo e com a sociedade, causando desse modo os mais variados transtornos! O mundo passou a viver uma vida de desequilíbrio, moral e social... - Moyses de Sá, em O Jornal Batista.