Ilustrações Ilustrações S

Servo

 

«Nós nem cremos...», disse o poeta Medeiros e Albuquerque, «...que escravos outrora tenha havido em tão nobre país». Esse é o sentimento que move o coração de Deus. (Pedro Moura – Revista Compromisso – 3º Trimestre de 2000).

 

O diácono Candinho foi membro de uma igreja evangélica em Jacarepaguá durante muitos anos. Convertido em 1927, conheceu pessoalmente e conviveu com o grande missionário judeu Salomão Luiz Ginsburg, de quem contava muitas experiências, inclusive esta: Uma ocasião, no Estado do Rio, o missionário tinha de chegar a determinado lugar de difícil acesso onde estava sendo aguardado. Conseguiu quem o conduzisse, e aproveitou a oportunidade de falar sobre o Evangelho ao guia. Este respondeu: - "Não, missionário. Eu não posso aceitar a sua religião, porque ficarei proibido de beber, fumar, de fazer tantas coisas que gosto de fazer. Os crentes são escravos. Não têm liberdade". O missionário pediu ao guia um maço de cigarros, e ao invés de acender um cigarro, guardou o maço no bolso e prosseguiu viagem sob a admiração do guia, que não ousava dizer nada. As horas foram passando e o missionário continuava de posse dos cigarros. Lá pelas tantas, o companheiro sentindo um desejo irresistível de fumar, não se conteve: - "Como é, o senhor não vai me devolver os cigarros?" - "Não" - respondeu o missionário. O inveterado fumante perdeu a calma e ameaçou tomar do missionário os cigarros, à força, ao que este respondeu: - "Espere, vou devolver-lhe os cigarros; eu só fiz isto para provar-lhe que eu não sou escravo, mas você é escravo. Você está querendo brigar comigo porque não pode passar sem fumar uma hora. Isto é ser escravo". "Não reine portanto o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências." "Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça?" (Rm 6.12,16).

 

Adolph Deissman sugeriu que a palavra “cristão” tem o significado de “escravo de Cristo”, como “cesareo”, escravo de César. 3 Soube que há tempos, num lugar desses próximo à fazendas, uma Kombi atropelou uma vaca e o animal morreu no acidente. Nada, entretanto, acontecendo ao motorista e passageiros. Mas foi um transtorno. Agora era necessário localizar o dono daquela vaca. O proprietário tinha que ser encontrado. “É fácil”, alguém sugeriu, “vamos procurar a marca do dono gravada no couro do animal”. Fizeram isso. Mas, meus amigos, aconteceu que a vaca possuía muitas marcas diferentes no couro. Ela havia pertencido à vários donos e agora, quem era o seu dono atual?

 

Um escravo que tinha a confiança de seu dono, viu um dia, no mercado dos escravos, um negro cujo corpo corcovado e pernas cambaleantes, denotavam a sua extrema fraqueza e velhice. O escravo implorou ao patrão que o comprasse. Este mostrou a sua surpresa, mas deu o seu consentimento e o velho mudou de dono, e foi levado para o seu novo domicílio. O escravo levou-o para sua cabana, meteu-o em sua própria cama, repartiu a sua comida com ele, deu-lhe água em sua caneca, levava-o ao sol, levava-o à sombra. Alguém curioso, perguntou: “É teu pai?” Respondeu ele: “Não, senhor”. “É teu irmão?” “Não, senhor”. “Então só pode ser grande amigo teu, com certeza!” “Não, ele é meu inimigo. Há muitos anos ele me roubou da minha aldeia e vendeu-me como escravo. Mas o Senhor Jesus manda-nos amar os nossos inimigos”.

 

Li acerca de uma forma de escravatura entre as formigas na Amazônia que ilustra a difícil situação do homem. Centenas de formigas de uma raça, reúnem-se periodicamente fora do seu ninho para capturar formigas mais fracas das colônias vizinhas. Depois de destruírem as resistentes defensoras dessas colônias, carregam para fora os casulos contendo as larvas das formigas trabalhadoras. Quando estas "crianças capturadas" saem do casulo, elas pensam que fazem parte da família das formigas invasoras e lançam-se nas tarefas para que nasceram. Nunca chegam a compreender que são vitimas do inimigo para fazerem trabalho forçado.

 

"O escravo tem apenas um dono; o ambicioso tem tantos donos quantos sejam os homens úteis à sua fortuna." Jean de La Bruyère, escritor, FRA, 1645-1696.

 

O filósofo grego Epíteto estava certo quando disse: "Nenhum homem é verdadeiramente livre até que se domine". Jesus o expressou nestas palavras: "Aquele que comete pecado é escravo do pecado" (Jo 8.34).

 

Pesquisadores repetidamente têm descoberto que na maioria das igrejas, 10% das pessoas fazem 90% do trabalho. - Joel Comiskey, "Multiplicando a Liderança".

 

Harold Weitsz, pastor do Centro Cristão Little Fall na África do Sul, ecoa esse pensamento quando escreve: "Não falamos mais de "membros de célula", mas de "pessoas em treinamento para se tornarem líderes de célula". (...) Devemos nos comprometer 100% com o sacerdócio de todos os crentes. - Joel Comiskey, "Multiplicando a Liderança".

 

Thomas Edison disse certa vez que um gênio é 99% transpiração e 1% inspiração. Ele provou isso com sua vida. - Joel Comiskey, "Multiplicando a Liderança".

 

Conrad Hilton, o famoso executivo de hotéis, disse: "O sucesso parece estar conectado com a ação. Pessoas de sucesso continuam se movendo. Elas cometem erros, mas não param". - Joel Comiskey, "Multiplicando a Liderança".

 

Você permitiria ao funcionário da portaria de um hospital se oferecer voluntária, rápida e gratuitamente, para substituir o anestesista, que ficou preso no trânsito, em uma cirurgia de risco, em alguém que você estima e quer salvar a vida? Pois bem, vamos falar bem rapidamente sobre voluntariado. Não basta querer. O querer é fundamental e importante. Mas precisa poder ser. Para poder ser... precisa conhecer.

 

No interior de muitos santuários, acima do púlpito, costuma-se ler: "Aqui nós vimos para adorar; daqui saímos para servir". E é isso mesmo. O culto deve levar-nos ao conhecimento da vontade de Deus, quando nos reunimos em adoração, e, depois, à disposição firme de cumpri-la em todas as áreas de nossa vida.

 

Não conheço este Jesus garçom, que me obedece, que se constrange com pressões e acaba fazendo o que quero, o que determino, o que ordeno.

 

Numa das viagens de Dom Pedro II à Europa, a Princesa Isabel tinha assumido a regência do Império e na chefia do Gabinete Conservador encontrava-se João Alfredo. Foi nessa época, mais precisamente no dia 13 de maio de 1888, às 15 horas 1 15 minutos que a Princesa Isabel assinou a lei Áurea, abolindo a escravidão no Brasil. José do Patrocínio, o grande batalhador pela abolição, chorando, disse: "Meu Deus! Não há mais escravos em minha terra!" Por esse ato, Isabel foi aclamada a Redentora.

 

Quando a igreja ora, o reino de Deus e a obra do evangelho avançam, porque "quando trabalhamos, nós trabalhamos; quando oramos Deus trabalha" - Oswald Smith.

 

Contam que certo dia um fósforo disse a uma vela: "Eu tenho a tarefa de acender-te." Assustada, a vela respondeu: "Não, isto não! Se eu for acesa, os meus dias estarão contados. Ninguém vai mais admirar a milha beleza". O fósforo perguntou: "Tu preferes passar a vida inteira, inerte e sozinha, sem ter experimentado a vida?" "Mas queimar dói e consome as minhas forças", sussurrou a vela insegura e apavorada. "É verdade", respondeu o fósforo, "mas este é o segredo da nossa vocação. Nós somos chamados para ser luz! O que eu posso fazer é pouco. Se não te acender, perco o sentido da minha vida. Existo para acender o fogo. Tu és uma vela: tu existes para iluminar os outros, para aquecer. Tudo o que tu ofereceres através da dor, do sofrimento e do teu empenho será transformado em luz; Tu não te acabarás consumindo-te pelos outros. Outros passarão o teu fogo adiante. Só quando tu te recusares, então morrerás!" Querem saber o que aconteceu? Dizem que, em seguida, a vela afinou o seu pavio e disse cheia de alegria: "Eu te peço, acende-me".

 

Três conceitos errôneos da atitude de servir: Servir por servir - significa a justificação dos fins em si mesmos. É apenas ocupar o cargo ou a função. Servir por servir não leva ao desenvolvimento, ao crescimento, à expansão. Servir por ganância - é lutar pelo poder, é lutar pela posse. É conquista de ocupação, é resultado de uma ação política. Não é servir. Servir por status - é expressão de um sentimento de vaidade. É necessidade de projeção de si mesmo ou carência de auto-afirmação.

 

Embora a palavra portuguesa "trabalho" proceda, como entendem alguns, da raiz latina trab, trabis, que significa carga ou trave colocada sobre os escravos para obrigá-los ao serviço, ou, como afirmam outros, de tripalium, em latim, "instrumento de tortura", o conceito de trabalho, à luz da Bíblia e da ética, afigura-se de grande importância.

 

Os mestres palestinos não eram pagos, mas os alunos demonstravam-lhes seu apreço com uma variedade de serviços. Um ditado rabínico antigo dizia o seguinte: "Todo serviço que um escravo faz para seu senhor o discípulo fará para seu professor, menos o desatar as correias das sandálias". João seleciona exatamente esse dever, que os rabinos consideravam humilhante demais para ser realizado pelo discípulo, para descrever sua posição em relação à ostentada pelo Messias que viria.

 

Tem havido gente demais para mandar, pouca para servir. Até o termo servo virou título de nobreza, usado com orgulho: "Sou servo de Deus", ou "Eu sirvo a Deus e não aos homens!"

 

No boletim de uma igreja batista estava escrito: "Ministro da Igreja: todos os membros. Auxiliar dos ministros: o Pastor da Igreja". De fato, os pastores têm a incumbência de treinar e equipar a igreja para ela cumprir seu ministério.

 

Horton cita um episódio de Lutero. Um sapateiro convertido perguntou-lhe o que deveria fazer para servir bem a Deus. Talvez esperasse o conselho de fechar seu negócio e tornar-se pregador do evangelho. Lutero respondeu: "Faça um bom sapato e venda por um preço justo". Ele serviria a Deus sendo um profissional competente e honesto.

 

Uma enfermeira fazia curativos em muitas feridas de um paciente. Alguém, impressionado, disse-lhe: "Nem por um milhão eu faria um trabalho desses". Ela respondeu-lhe: "Eu também não, mas faço tudo por amor a Jesus, como se estivesse cuidando dele. Ele me amou, cuidou da minha dor, das minhas feridas. Estou retribuindo esse amor".

 

George Muller disse que o servo não deve procurar ser rico e honrado neste mundo, onde seu Mestre foi pobre e desprezado.

 

Parece que, certa vez, perguntaram a Hemingway, vendo-o deitado numa rede, se estava descansando. "Não, estou trabalhando", respondeu o escritor norte-americano. Dias depois, ao encontrá-lo cortando a grama do jardim, indagaram se estava trabalhando, e ele: "Não, agora estou descansando".

 

Da Idade Média chegou chegou até nós a deliciosa história de um homem que foi enviado pelo rei a estudar a reação das pessoas ao trabalho. O emissário real parou diante de uma grande construção na França e perguntou a um trabalhador o que ele estava fazendo. Mal-humorado, o homem foi logo atacando: "Por acaso você é cego? Não está vendo a minha dificuldade em cortar estas pedras com ferramentas primitivas, debaixo deste sol infernal? É a coisa mais chata do mundo, mas eu tenho que agradar o chefe". O emissário saiu de fininho e se aproximou de um segundo operário: "O que está fazendo, meu caro?" Este respondeu: "Bem, eu estou moldando estas pedras de modo que se ajustem aos planos do engenheiro. O trabalho é enjoado, monótono, mas eu ganho cinco francos por semana que dão para sustentar mulher e filhos. Sabe como é, podia ser pior!" Um pouco mais animado, o emissário se dirigiu ao terceiro operário: "E você, o que está fazendo?" Olhando para o azul do céu, o operário disse, emprestando à voz alguma emoção: "Meu amigo, vai ser uma linda catedral, e eu estou ajudando a construí-la". Você está apenas quebrando pedra ou ajudando a embelezar o mundo com o seu trabalho?

 

Trabalho duro nunca matou ninguém, mas para quê correr riscos?

 

Cerca de 80% dos pastores crêem que o ministério afetou suas famílias de uma maneira negativa. Fonte: http://www.linhaberta.com/ed42/ora.html

 

Samuel Brengle após ter sido apresentado como o grande Dr. Brengle disse: “O machado não pode gloriar-se das árvores que derrubou. Ele não poderia fazer nada, não fora o lenhador. Ele é quem fez o serviço: fez o machado, afiou-o, e usou-o. No momento em que ele o atira de lado, o machado transforma-se em ferro velho. Que eu jamais perca isto de vista”. Fonte: Evaldo Rocha

 

J. Oswald Sanders declarou: “A verdadeira grandeza e a verdadeira liderança, não é alcançada conseguindo a sujeição de pessoas ao nosso serviço, mas mediante nossa consagração ao serviço às pessoas”.  Fonte: Evaldo Rocha

 

Um capelão foi chamado para prestar assistência a um soldado seriamente ferido. Este, agonizante, solicitou ao capelão que escrevesse uma carta à sua antiga professora da Escola
Bíblica. "Diga-lhe que eu morri com Cristo por causa do que ela me ensinou nas classes da igreja.  A memória de sua determinação e a maneira agradável e simpática com que, com amor, nos convidava a aceitar Cristo como Senhor e Salvador ficou gravada em meu coração. Diga a ela que  a encontrarei no Céu." A mensagem foi enviada e algum tempo mais tarde o capelão recebeu esta resposta: "Espero que Deus me perdoe. No mês passado eu renunciei a meu cargo de professora da Escola Bíblica. Abandonei meus alunos porque sentia que meu trabalho estava sendo infrutífero.  Como eu lamento minha impaciência e falta de fé! Eu vou pedir a meu pastor que me permita retornar à classe que deixei. Eu aprendi que quando se semeia para Deus a colheita é certa e santificada!" Que valor temos dado ao nosso trabalho para o Senhor? 

 

Quem cedo madruga, fica com sono a tarde.

 

Tem que trabalhar! Um pesquisador do Instituto Agrícola chegou ao sítio e começou a prencher o formulário. -Esta terra dá mandioca? -Não senhor, respondeu o sitiante. -Dá batata? -Não senhor. -Dá milho? -Não senhor. Dá feijão? -Não senhor. -Dá arroz? -Não senhor. -Quer dizer que por aqui não adianta plantar nada? -Ah! Se plantar é capaz de dar.

 

01 - Um Viciado em Trabalho não tem quarto...... .. Tem escritório!

02 - Um Viciado em Trabalho não tem amigos...... .. Tem contatos!

03 - Um Viciado em Trabalho não tem vida........ .... Tem carreira!

04 - Um Viciado em Trabalho não tem sonhos...... ... Tem projetos!

05 - Um Viciado em Trabalho não tem encontros... ... Tem reuniões!

06 - Um Viciado em Trabalho não toma cerveja..... .. Toma decisões!

07 - Um Viciado em Trabalho não faz sexo........ .. Descarrega o stress!

08 - Um Viciado em Trabalho não navega na Internet... Faz pesquisas!

09 - Um Viciado em Trabalho não tem domingo..... ... Tem hora-extra!

10 - Por último, fique tranqüilo: Um Viciado em Trabalho não fica lendo esses e- mails... Ele Trabalha! Ou seja, não é o seu caso......

 

Em um concurso para carteiro, a primeira questão era: “Qual a distância entre a Terra e a Lua?”. Um dos candidatos se levantou de imediato e devolveu a prova, em branco, ao examinador. E explicou: “Se é para trabalhar nesse percurso, eu desisto”. 30/11/06

 

Enquanto se recupera de uma cirurgia, o paciente pergunta ao médico: - Doutor, me diga em português bem claro: o que é que está acontecendo comigo? Por que não consigo mais fazer os serviços de casa como antes? – Ah, você não tem nada, só está com um pouco de preguiça. E o paciente: - Então, doutor, agora traduza isso em termos médicos para que eu possa dizer à minha mulher. 30/11/06

 

Lavar os pés dos discípulos hoje, talvez significa que você deva ir à casa dele e fazer uma faxina na cozinha, banheiro, quartos, quintal, jardim... 30/11/06

 
A escritora brasileira Cora Coralina, aos 14 anos, começou a escrever poemas e contos (1910), e depois de viúva, em 1934, reiniciou seu trabalho. Em 1965, aos 76 anos de idade, com a volta para a casa onde nasceu, em Goiás, publicou seu primeiro livro “Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais”, que já tem chegada à 20º edição. Seleções. 16/12/06
 

Um jovem se candidata ao cargo de auxiliar de delegado. Na entrevista, o delegado pergunta: _Quanto é 1 e 1? _ Onze – responde o rapaz. Não era exatamente o que o delegado queria, mas ele reconhece que o garoto tem razão. E segue adiante: _Quais são os dois meses que começam com “m” ? _Mês que vem e mês passado. Irritado com o raciocínio singular do rapaz, o delegado resolve lançar um desafio: _Quem matou Getúlio Vargas? O rapaz se mostra surpreso e admite: _Não sei. _Bom, vá para casa e tente descobrir – diz o delegado, satisfeito por tê-lo frustrado. Em casa, o rapaz diz à mãe: _A entrevista foi ótima! Primeiro dia de trabalho e já estou investigando um homicídio! 22/12/06

 

Fazer tarefas domésticas pode ajudar a reduzir risco de câncer de mama: A atividade física e, em particular, fazer tarefas domésticas, contribui para reduzir o risco de contrair câncer de mama em mulheres de todas as idades, segundo um estudo divulgado hoje no Reino Unido. A pesquisa, patrocinada parcialmente pelo Cancer Research UK acompanhou 218 mil mulheres de nove países europeus durante 6,4 anos, ao longo dos quais 3.423 delas desenvolveram câncer. (...) Os pesquisadores analisaram o efeito de atividades como o trabalho, as tarefas domésticas e o lazer no desenvolvimento da doença. Todas estas ações combinadas reduziam o risco de contrair câncer de mama nas mulheres que já estavam na menopausa, mas, por outro lado, não foi detectado um impacto claro no caso das mais jovens. No entanto, os pesquisadores descobriram que fazer trabalhos domésticos regularmente contribuía para reduzir significativamente o risco de câncer em ambos os casos. "Neste amplo grupo de mulheres, o aumento da atividade física não ocupacional e, em particular, o do trabalho doméstico, foi associado significativamente a um risco reduzido de câncer de mama, independente de outros fatores de risco", afirmam os especialistas em artigo a ser publicado em janeiro na revista "Cancer Epidemiology Biomarkers and Prevention". Fonte: da Efe, em Londres, 8/12/2006. 11/1/07

 

O valor do servo está baseado na comunhão com seu Senhor. 15/1/07

 
O professor Merval Rosa, em aula no Seminário do Norte, costumava dizer: “O melhor antídoto contra o tédio é a ação”. Esta foi a receita de Deus para o sofrimento de Elias na caverna: a ação, o trabalho, uma missão. – Manancial 1T2000. 17/1/07
 
Achei magnífica a mensagem desta música da Aline Barros: “Usa-me, Senhor, usa-me. Como um farol que brilha à noite; Como ponte sobre as águas; Como abrigo no deserto; Como flecha que acerta o alvo”. 29/1/07
 

OIT: Mundo tem 195 milhões de desempregados. O mundo tem 195,2 milhões de desempregados, o equivalente a 6,3% de sua força de trabalho, revelou nesta quinta-feira a Organização Internacional do Trabalho (OIT), sediada em Genebra. 1/2/07

 

O Brasil é campeão mundial em ações trabalhistas, com cerca de dois milhões de processos por ano, segundo um levantamento do sociólogo José Pastore, especialista em relações do trabalho há mais de 40 anos. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo. Nos Estados Unidos, o número de processos não passa de 75 mil. Na França, por sua vez, ele gira em torno de 70 mil e, no Japão, 2,5 mil, de acordo com o sociólogo. A média de ações no Brasil é de 1 para cada 100 habitantes. 12/2/07

 

Havia uma fazenda onde os trabalhadores viviam tristes e isolados.  Os trabalhadores estendiam suas roupas surradas no varal e alimentavam seus magros cães com o pouco que sobrava das refeições. Todos que viviam ali trabalhavam na roça do Sinhôzinho, um homem rico e poderoso, que, dono de muitas terras, exigia que todos trabalhassem duro, pagando por isso muito pouco. Um dia, chegou ali um novo empregado. Era um jovem agricultor em busca de trabalho. Recebeu, como todos, uma velha casa, onde iria morar enquanto trabalhasse ali. O jovem, vendo aquela casa suja e descuidada, resolveu dar-lhe vida nova. Pegou uma parte de suas economias, foi até a cidade, comprou algumas latas de tinta. Chegando em casa, em suas horas vagas, cuidou da limpeza, lixou as paredes, pintou-a com cores alegres e brilhantes, e colocou flores nos vasos. Aquela casa limpa e arrumada chamava a atenção de todos que passavam. O jovem sempre alegre trabalhava feliz na fazenda. Os outros trabalhadores lhe perguntavam: - Como você consegue trabalhar feliz e sempre cantando, com o pouco dinheiro que ganhamos? O jovem olhou para os amigos e disse: - Bem, este trabalho, hoje, é tudo o que eu tenho. Ao invés de blasfemar e reclamar, prefiro agradecer por ele. Quando aceitei este trabalho sabia de suas limitações. Não é justo que agora que estou aqui, fique reclamando. Eu o aceitei e farei com capricho e amor aquilo que aceitei fazer. Os outros olharam admirados. Como ele pode pensar assim? Afinal, acreditavam ser vítimas das circunstâncias, abandonados pelo destino. O entusiasmo do rapaz em pouco tempo chamou a atenção de Sinhozinho, que passou a observar a distância os passos dele. Um dia Sinhôzinho pensou: - Alguém que cuida com tanto cuidado e carinho da casa que emprestei, cuidará também com o mesmo capricho da minha fazenda. Ele é o único aqui que pensa como eu. Estou velho e preciso de alguém que me ajude na administração da fazenda. Sinhôzinho, foi até a casa do rapaz, e, após tomar um café fresco, ofereceu ao jovem o emprego de administrador da fazenda... 15/2/07

 

Era época de Carnaval. Um dos foliões, que morava no interior, se preparou para ir ao ensaio na cidade. Colocou uma máscara de diabo no rosto, pegou o carro e saiu. No caminho ele foi surpreendido por uma tempestade. O seu carro desgovernou, saiu da estrada e caiu num precipício. Apesar dos estragos, ele saiu com vida. Desorientado, o folião procurou algum socorro. Caminhou um pouco e logo avistou, não muito longe, uma igreja com os fiéis reunidos nela. Os fiéis, vendo este homem mascarado, pensando que fosse o diabo, se puseram a correr. Uns saíram pela frente, outros fugiram pelos fundos e ainda outros pularam pela janela. Mas, uma senhora, meio idosa, por causa da sua idade, não conseguiu fugir. E foi a ela que o homem se dirigiu para pedir socorro. Ela, porém, com medo, não sabendo o que fazer, se ajoelhou diante dele, exclamando: “Senhor Satanás, não me faça nenhum mal, pois somos amigos. Na verdade, nestes meus quase setenta anos de idade, embora tenha sempre procurado servir a Deus, nunca deixei de lhe servir também um pouco”. Esta história, meio pitoresca, nos mostra o que realmente acontece na vida de muitas pessoas. Elas se dizem cristãs, mas nunca deixam de servir também um pouco ao diabo. Elas estão sempre com um pé da igreja e o outro no mundo, isto é, querem servir a Deus e ao diabo ao mesmo tempo. 21/2/07

 

O fazendeiro para um empregado: - Nesta terra dá arroz? O homem respondeu: Num dá não, sinhô. E feijão, dá? O homem: De jeito ninhum! E frutas e verduras? O homem: Também num dá não, sinhô. Soja, café, amendoim, não dá nada??? O homem: Já disse, dotô, num dá nada. Quer dizer que não adianta eu plantar, que não dá nada mesmo? O homem respondeu: bão, prantando é outra coisa ? 26/2/07

 

O saudoso Reverendo Josué Alves de Oliveira, pastor da Igreja Congregacional de Santos, SP, em seu opúsculo "A Excelência do Ministério", explica-nos com maestria a diferença entre ser um escravo de homens e sermos escravos de Deus: "O escravo dos homens não tem vontade própria, nem liberdade de ação. Sua vontade é a do seu senhor, imposta por violência e prepotência. Não é o caso de Paulo e dos ministros em geral, que servem por amor e plena submissão ao Senhor Jesus. São escravos voluntários porque ouvem o chamado e, em prova de gratidão pela maravilha da salvação, querem servir. É uma decisão voluntária e pessoal. " ( pág. 78, capítulo III). Conquanto o Rev. Josué estivesse expondo a questão quanto aos ministros do Senhor, a explicação é válida para todo e qualquer servo de Deus, que se dispõe voluntariamente a obedecê-lo: tem que ser uma decisão pessoal, e, se imposta, que o seja pela consciência, e nunca pela força. 3/3/07

 

Raciocínio do preguiçoso: Quem trabalha muito, erra muito. Quem trabalha pouco, erra pouco. Quem não trabalha não erra. E quem não erra... é promovido. 19/3/07

 

"O meu trabalho me fascina tanto que chego a ficar parado olhando para ele sem conseguir fazer COISA nenhuma". 10/4/07

 

P.T. Forsyth: “Em lugar de colocar-se a serviço de Deus, a maior parte das pessoas quer um Deus que esteja a seu serviço. O que fazemos, depois de nossos atos de culto, na vida pratica, evidencia o tipo de Deus em que cremos e o tipo de adorador que somos (Heb. 12:28). 24-12-2007

 

“Quando agimos, colhemos os frutos do nosso trabalho, mas quando oramos, colhemos os frutos do trabalho de Deus”. – Max Lucado - 25-12-2007

 

Certa vez eu estava discipulando um senhor de mais ou menos 60 anos de idade. Num dos encontros de discipulado, ele contou: “Em todas os meus anos como trabalhador, nunca houve um dia em que eu trabalhasse 8 horas. Sempre fazia mais!” Logo pensei na postura do servo. 08-01-2008

 

Que nunca nos esqueçamos que nossos irmãos em Cristo são antes de tudo os filhos do Senhor. Devemos amar os filhos do Senhor, orar pelos filhos do Senhor. Servir os filhos do Senhor. E que bênção é saber que os filhos do Senhor são nossos irmãos! 8.1.2008

 

Pessoas viciadas em trabalho sofrem de estresse, insônia e, a longo prazo, hipertensão ou doenças vasculares. Esses costumam ser os sintomas fisiológicos mais freqüentes, mas também são comuns a irritabilidade, a ansiedade, a depressão, a sensação de angústia, a preocupação constante com o rendimento profissional e a sensação de vazio emocional. A elaboração de listas sobre pendências, a falta de tempo para o lazer até mesmo nos fins de semana e o distanciamento cada vez maior da família e dos amigos são comportamentos comuns aos viciados em trabalho. Mar Gámez. 10.1.2008

 

O vício em trabalho é uma dependência como qualquer outra, já que não pode ser controlada voluntariamente pelos que sofrem dela. No entanto, longe de causar rejeição, ela é vista quase como uma virtude, sendo socialmente aceita. Na maioria das vezes, ninguém enxerga o trabalho excessivo como um mau comportamento. Pelo contrário, muitos aplaudem essa conduta e tentam apresentá-la como exemplar, como um modelo a ser seguido pelos outros. Em alguns casos, no entanto, os viciados em trabalho não têm consciência de que são dependentes, afirma Valentín Martínez-Otero, doutor em Psicologia e professor da Universidade Complutense de Madri. Mar Gámez. 10.1.2008

 

Era uma tarde de inverno. Uma senhora passa pela rua e vê um menino de pés descalços, roupa em frangalhos, diante de uma vitrine. Seus olhinhos estão presos na exposição de sapatos. Ela perguntou sorrindo: - O que está fazendo aqui? Não está sentindo frio? - Estou pedindo ao bom Jesus que me arranje um par de sapatos. - Então venha comigo. Vejamos se Jesus gosta de ajudar meninos como você. Entrou com ele na loja, onde, aliás, era muito conhecida e pediu uma bacia com água quente para lavar os pés do menino. Depois lhe comprou meias de lã e um par de sapatos. O garotinho continuava surpreso sem dizer uma palavra. No final, quando a mulher fez menção de deixá-lo, ele a fitou demoradamente: e perguntou? - A senhora é a mãe de Jesus? - A mãe de Jesus? - Não, meu filho, sou apenas serva de Jesus. O Senhor espera que sejamos Seus servos. 29.1.2008

 

Vale lembrar Aline Barros: “Usa-me, Senhor! Como um farol que brilha à noite; como ponte sobre as águas; como flecha que acerta o alvo, quero ser usado (da maneira que te agrada) em qualquer hora e em qualquer lugar... eis aqui a minha vida...usa-me!” 29-01-2008

 

"Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão do fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza" (1 Tm 4.12). Lord Chesterton uma vez afirmou: "Eu creio no arrependimento à beira da morte, mas não quero depender dele". Durante uma enfermidade séria, a mente não funciona normalmente. Acertar a vida com Deus é algo que deve ser feito no vigor da saúde. Mas, como se interessa pelos Seus filhos, "a mão do Senhor não está encolhida para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvi­do, para que não possa ouvir". Ele nos ama de modo igual, na doença ou na saúde, na vida ou na morte. Em minha experiência, não conheci muitas pes­soas que tenham encontrado Cristo no leito de morte. Quando aceitamos Cris­to na juventude, a vida é salva. Quando o aceitamos na velhice, a alma é salva e a vida eterna é garantida, mas a oportunidade de viver uma vida por Cristo passou. Oração: Senhor Jesus, motiva o meu coração a buscar os jovens que es­tão começando a sua aventura na vida e os velhos que chegam ao fim de sua jornada. Ajuda-me a levar-lhes a mensagem do teu amor que salva. 11.2.2008

 

Certo fazendeiro contava acerca de um desentendimento que houve entre ele e seu vizinho. Por pouco não houve entre eles uma cena de sangue. Passa­dos alguns dias, saiu de carro sob fortes chuvas e, no caminho, notou que ou­tro automóvel estava atolado no barro. Para sua surpresa, o motorista em apuros era o seu inimigo. A principio ele pensou em passar de lado e deixá-lo com seu próprio infortúnio, mas venceu o sentimento vingativo e parou para ajudá-lo. Aquele ato transformou o inimigo de outrora num dedicado amigo. Que grande recompensa resultou de um simples ato de solidariedade humana. Aquilo que palavras ásperas e mau humor não haviam conseguido, foi alcan­çado em poucos minutos por um ato de bondade, praticado no lamaçal do caminho. Na rua, no metrô, no ônibus, no afã da vida diária, ou no lamaçal do ca­minho, a fraternidade de Cristo operará milagres em qualquer tempo. A hu­manidade em toda parte, a nossa vizinhança, está sedenta por esta demons­tração de amizade e atos de presteza que só Cristo inspira. "Servindo-vos uns aos outros em amor." Earl Perry (Kansas, E.U.A.). 12.2.2008

 

alguns anos atrás, um rapaz, ao concluir seu curso na universidade, foi obrigado a suceder seu pai, como chefe dos negócios da família, ainda que inteiramente contra a sua vontade. Aquele jovem havia imaginado para si uma carreira mais importante, e havia se desapontado ao descobrir que não pas­sava de um simples leiteiro da região. Além disso, descobriu outras dificulda­des geradas na nova carreira. Tinha de negociar com os fazendeiros, de quem comprava o leite; tratar com dezenas de motoristas que guiavam os caminhões trazendo e distribuindo o leite. Além disso, os fregueses estavam sempre prontos a queixar-se por qualquer anormalidade quanto ao leite. Um dia a este moço, desanimado e confuso, começou a contar as suas dificuldades a um amigo. O amigo ouviu por algum tempo e, então, interrompeu: "O que você tem? Você acha que é o único a ter dificuldades na vida? Se conhecesse a vida de alguns outros, haveria de ver que nada sabe! Você deveria esquecer esta idéia errônea de que é um leiteiro maltratado. Deveria dar valor ao fato de ser o homem incumbido da importantíssima tarefa de fornecer aos meninos desta cidade um leite puro e bom". Esta nova idéia, pouco a pouco, penetrou no coração do jovem e trans­formou-lhe a vida. Viu a importância do seu trabalho, interessando-se no pro­blema da boa alimentação para o povo, e começou a cooperar com outros a favor do melhoramento da cidade. Assim foi resolvido o problema pessoal deste rapaz, porque mudou a concepção do seu próprio trabalho. 18.2.2008

 

"Chegou a hora de substituir o ideal de sucesso pelo ideal de serviço". Albert Einstein. 18.2.2008

 

Nos tornamos uma geração de pessoas que cultua o trabalho e trabalha no lazer. O escritor Charles Swindoll ilustra esse fato. Certo dia a sua filhinha disse para ele: “Papai, eu quero lhe dizer uma coisa,mas vou dizer bem depressa”. Percebendo a sua frustração, o pai respondeu: “Pode falar, querida, e não precisa falar depressa. Fale devagar”. A resposta da garotinha então, foi: “Então, papai, escute devagar!” 22.2.2008

 

Numa de suas peregrinações pelos sertões africanos, o grande Living­stone viu-se, de repente, abandonado por seus companheiros de viagem. Per­guntaram-lhe se tinha medo, ao que respondeu: "Sou imortal até que cumpra o meu trabalho". 25.2.2008

 

Quando Wilberforce se converteu, trêmulo e receoso, procurou seu ami­go, o grande estadista da época, Sr. William Pitt, a quem relatou o fato. Por duas horas seu amigo esforçou-se para convencê-lo de que ocorria com ele apenas uma preocupação de visionário, de fanático, talvez inconsciente. Mas o rapaz permaneceu firme na sua conversão. Durante vinte e cinco anos havia sido um jovem entregue apenas à recreação, alegrando-se, cantando, desper­tando a inveja dos seus colegas pela sua jovialidade. Entretanto, a verdadeira felicidade só lhe foi manifesta ao conhecer Cristo. Agora, pois, depunha sua saúde, inteligência, eloqüência e influência aos pés de seu Senhor, declaran­do: "Façam os outros o que quiserem, pois eu servirei ao Senhor! ("L. L. Landrum"). 25.2.2008

 

Um crente maduro disse saudosamente: ”Oh, que eu pudesse volver o relógio 20 anos e continuar a ministrar para o Senhor!” É um desejo louvável mas impossível de concretizar. Só nos é dada uma vida. Dentro dos propósitos soberanos de Deus, uma vida, quer longa quer curta, é suficiente. 28.2.2008

 

Se a Igreja quiser ter uma presença de impacto nessa sociedade, ela precisa vivenciar o caminho da intimidade com Deus e do serviço a Ele no mundo. 13.3.2008

 

Chefe - diz Jimmy ao patrão - nós vamos fazer uma grande limpeza de inverno lá em casa amanhã, e minha mulher precisa de mim para deslocar objetos do sótão, da garagem e do jardim. - Estamos com falta de empregados, Jimmy - responde o patrão. - Não posso dar a você o dia de folga. - Obrigado, chefe ­ agradece Jimmy. - Eu sabia que podia contar com o senhor! 13.3.2008

 

Em suas Meditações Sobre A Morte, Baxter revela o coração do pregador: "Meu Senhor, não tenho nada a fazer neste mundo, exceto buscar-Te e servir-Te; não tenho nada a fazer com o coração e suas afeições, exceto amar-Te intimamente; não tenho nada a fazer com os lábios e com a caneta, exceto falar sobre Ti, a favor de Ti, e publicar a tua glória e a tua vontade". 17.3.2008

 

Contam que na carpintaria houve uma vez uma estranha assembléia. Foi uma reunião de ferramentas para acertar suas diferenças. O martelo era o presidente, mas teria de renunciar. A causa? Fazia demasiado barulho e vivia o tempo todo golpeando O martelo aceitou sua culpa, mas pediu que também fosse expulso o parafuso, dizendo: "Ele dá muitas voltas para conseguir o que deseja." O parafuso concordou, mas pediu a saída da lixa. Ela é muito áspera no tratamento com os demais, entrando sempre em atritos. A lixa acatou, com a condição de que expulsassem o metro. Ele mede os outros segundo a sua medida, como se fosse o único perfeito. Nesse momento entrou o carpinteiro, juntou todas as ferramentas e iniciou o seu trabalho, transformando uma rústica madeira em um fino móvel. Senhores, todos temos defeitos, mas o carpinteiro trabalha com nossas qualidades, com nossos pontos valiosos. Notamos que o martelo é forte, o parafuso une e dá força, a lixa retira as asperezas e o metro é preciso e exato. Quando uma pessoa busca defeito em outra, a situação torna-se tensa e negativa. Quando se busca os pontos fortes dos outros, florescem as melhores conquistas humanas. Visão Missionária 1T2005. 19.3.2008

 

Humilhar a si mesmo por meio de atos de servidão é uma das maiores ferramentas que Deus nos deu para vencer a vida narcisista. O narcisismo é a base para o vício sexual desenvolver-se. Viver atento às necessidades dos outros e ter um coração de servo minará completamente a vida narcisista e neutralizará a tentação poderosa de cobiçar mais pelo que é proibido. Steve Gallagher, em No Altar da Idolatria Sexual. 04.04.2008

 

Às vezes, o trabalho é algo penoso, forçado, um esforço obrigatório, pouco reconfortante. Isso pode ser percebido na origem da palavra trabalho, que vem do latim tripallium, o nome de um instrumento com o qual se castigavam os escravos no tempo do Império Romano. 6.5.2008

 

Qual o seu ministério? ...eu sei qual é o seu ministério! O irmão tem o ministério do canto; é capaz de ficar encostado no canto... no canto sem fazer nada! 6.5.2008

 

Com freqüência, alguns dizem que, "na igreja, 10% dos membros assumem 90% das responsabilidades". Espero que isso seja um exagero, mas receio que essas palavras provavelmente são mais exatas do que alguns estão dispostos a admitir. 7.5.2008

 

Uma pesquisa feita por uma empresa, líder em tecnologia para o mercado financeiro, descobriu que, entre os empregados que estavam planejando sair das suas empresas, a maioria achou que estavam sendo mal pagos. Entretanto, menos de 20% estavam recebendo menos do que o normal para suas funções. Bill Coleman, da página de Internet www.salary.com, crê que muitos trabalhadores insatisfeitos têm mais títulos em excesso do que salários injustos. Algumas companhias dos EUA dão aos seus empregados títulos pomposos, embora as responsabilidades no trabalho não aumentem. Com o passar do tempo, os empregados acham que merecem mais dinheiro do que o mérito real de suas tarefas. Coleman diz: "Quando se trata de salário, o que conta é o que você faz, e não como você é chamado". É interessante ver como Jesus lidou com as questões de títulos e responsabilidades. Durante a última ceia, ele fez o trabalho de um servo humilde, lavando os pés dos seus discípulos e apresentado o cenário de uma afirmação impressionante com relação à humildade: "Vocês me chamam 'Mestre' e 'Senhor', e com razão, pois eu o sou. Pois bem, se eu, sendo Senhor e Mestre de vocês, lavei-lhes os pés, vocês também devem lavar os pés uns dos outros" (João 13:13-14). Cristo, o Senhor, estabeleceu o exemplo para todos que iriam segui-lo, confirmando, o que conta não é o título pelo qual somos chamados, mas o que fazemos. 1.9.2008

 

Robert E. Speer contou o seguinte fato: "Há muitos anos atrás eu fui recepcionado pelo Reitor de uma pequena faculdade no sul do país. O estabelecimento de ensino tinha poucas acomodações e estas já estavam ocupadas. Fui, então, convidado a me hospedar em sua casa. Eu acordei bem cedo na manhã seguinte. De repente, eu ouvi o que parecia ser alguém andando na ponta dos pés dentro de meu quarto. Eu permaneci quieto em minha cama e abri um pouco os olhos para ver quem era. Para minha surpresa, vi o Reitor entrar e pegar minhas botas sujas e sair. Eu me levantei e fui até a porta. Abri apenas uma pequena fresta e o vi caminhar até o fim do corredor. A seguir ele sentou-se no chão e começou a polir as botas. Aquela visão me fez chorar. Sua hospitalidade e consideração me mostraram que grande homem ele realmente era. Alguns anos depois ele alcançou grande notoriedade nacional. Por causa de sua completa humildade de espírito, Deus o exaltou sobremaneira." (Speer foi um conceituado advogado, algumas vezes membro do Congresso americano e autor de "Princípios de Jesus). 15.10.2008

 

Conta-se a história de dois escultores a quem perguntaram o que estavam fazendo. Um deles respondeu: "Estou cortando pedras em blocos." O outro deu uma resposta totalmente diferente:"Faço parte de uma equipe que está construindo uma catedral." Ao encarar seu trabalho hoje, o que você estará fazendo: simplesmente cortando pedras em blocos, ou participando da construção de uma catedral? 14.11.2008

 

"É pelo trabalho que a mulher vem diminuindo a distância que a separa do homem. Somente o trabalho pode garantir a ela uma independência completa". Simone de Beauvoir, escritora, FRA, 1908-1986. 13.1.2009

 

Conta-se a história de um estudante ambicioso em um colégio altamente competitivo. Um pouco antes do último ano, ele encontrou um místico oriental que lhe disse: "Você não vê que está poluindo sua alma com o seu modo de vida? A sua idéia de felicidade é trabalhar 24 horas, e estudar para tirar uma nota maior que a do seu colega. Não é assim que se deve viver. Venha juntar-se a nós em um lugar especial onde todos compartilhamos e amamos uns aos outros." Achando que aquela era uma ótima idéia, ele telefonou para seus pais e disse que estava abandonando a escola para viver em uma comunidade. Seis meses depois, eles receberam uma carta dele: "Queridos papai e mamãe, sei que vocês ficaram aborrecidos com minha decisão. Mas quero dizer-lhes que ela mudou a minha vida. Pela primeira vez, tenho paz. Aqui não há competição, ninguém tenta passar a frente de ninguém. Este modo de vida está tão em harmonia com meu eu interior, que em apenas seis meses tornei-me o discípulo número dois de toda a comunidade. E creio que até junho serei o número um." Quando a competitividade leva à excelência, ela é algo bom, mas não quando leva à disputa! Certo dia, os discípulos de Cristo começaram a discutir sobre quem seria o maior no Seu Reino. Jesus ouviu, depois pegou uma toalha e uma bacia de água e começou a lavar os pés deles. Quando Ele terminou, eles estavam sem fala, com os corações expostos, e com as atitudes corrigidas.  "Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois Ele... a Si mesmo Se esvaziou (Fp 2:5-7). Não dispute, sirva! 13.1.2009

 

Método do tijolo para contratação de funcionários: O método consiste em colocar todos os candidatos num galpão e disponibilizar 200 tijolos para cada um. Não dê orientação alguma sobre o que fazer. Em seguida, tranque-os lá e, após seis horas, volte e verifique o que fizeram. Segue a análise dos resultados:

1 - Os que contaram os tijolos, contrate como contadores.

2 - Os que contaram e em seguida recontaram os tijolos, são auditores.

3 - Os que espalharam os tijolos e os classificaram pela forma e propriedades físicas são engenheiros.

4 - Os que tiverem arrumado os tijolos de maneira muito estranha, difícil de entender, coloque-os no Planejamento, Projeto e Implantação e Controle de Produção.

5 - Os que estiverem jogando tijolos uns nos outros, coloque-os em Operações.

6 - Os que estiverem dormindo, coloque-os na Segurança.

7 - Aqueles que picaram os tijolos em pedacinhos e estiverem tentando montá-los novamente, devem ir direto à Tecnologia da Informação.

8 - Os que estiverem sentados sem fazer nada ou batendo papo-furado, são dos Recursos Humanos.

9 - Os que disserem que fizeram de tudo para diminuir o estoque mas a concorrência está desleal e será preciso pensar em maiores facilidades, são vendedores natos.

10 - Os que já tiverem saído, são gerentes.

11 - Os que estiverem olhando pela janela com o olhar perdido no infinito, são os responsáveis pelo Planejamento Estratégico.

12 - Os que estiverem conversando entre si com as mãos no bolso demonstrando que nem sequer tocaram nos tijolos e jamais fariam isso, cumprimente- os com muito respeito e coloque-os na Diretoria.

13 - Os que levantaram um muro e se esconderam atrás são do Departamento de Marketing.

14 - Os que afirmarem não estar vendo tijolo algum na sala, são do Departamento Jurídico.

15 - Os que reclamarem que os tijolos 'estão uma merda, sem identificação, sem padronização e com medidas erradas', coloque na Qualidade.

16 - Os que estiverem chamando os demais de 'companheiros' , elimine imediatamente antes que criem um sindicato. 26.1.2009

 

Nenhuma Desculpa é Aceitável! Da próxima vez que você achar que tem um motivo para DEUS não usá-lo, lembre-se das seguintes pessoas:

1.Noé foi bêbado

2.Abraão era muito velho

3.Isaque era um partidarista até injusto

4.Jacó era um mentiroso

5.Lia era feia

6.José foi escravo e assediado

7.Moisés foi um assassino[como Davi e Paulo]

8.Ester era órfão e prisioneira de guerra

9.Gideão era medroso

10.Sansão tinha cabelos longos

11.Raabi era prostituta

12.Davi adulterou

13.Jeremias e Timóteo eram muitos jovens

14.Elias era desprezível suicida

15.Isaías pregou nu

16.Jonas fugiu de Deus

17.Noemi era viúva

18.Jó perdeu tudo

19.João Batista comia gafanhotos

20.Os discípulos dormiram enquanto Jesus orava

21.Marta se preocupava com tudo

22.Felipe via dificuldade

23.Maria Madalena era endemoniada

24.Zaqueu era muito baixo

25.Pedro era muito impulsivo

26.Marcos tinha desistido de tudo

27.Timóteo tinha úlcera de estômago

28.E Lázaro já havia morrido! 3.2.2009

 

"Existem três Tipos de pessoas no mundo: As que fazem as coisas acontecerem; as que assistem as coisas acontecerem e as que não se dão conta das coisas que acontecem." 5.2.2009

 

Certa vez perguntaram ao compositor alemão Franz Joseph Haydn qual a razão de suas composições sacras serem tão alegres. Ele respondeu: - Não posso fazê-las de outro modo. Quando penso em Deus e em Sua graça manifestada em Jesus Cristo, meu coração fica tão cheio de alegria que as notas parecem saltar e dançar da pena com que escrevo. Já que Deus me tem dado um coração alegre, deve ser-me permitido servi-lo com alegria. 28.4.2009

 

Todo Mundo, Alguém, Qualquer Um e Ninguém. “Havia um importante serviço a ser feito e Todo Mundo estava certo de que Alguém o faria. Qualquer Um poderia tê-lo feito, mas Ninguém pensou nesta hipótese. Alguém reclamou porque o serviço era de Todo Mundo mas Todo Mundo estava certo de que Qualquer Um o faria. Só que Ninguém poderia imaginar que Todo Mundo iria tirar o corpo fora. Por fim Todo Mundo terminou culpando Alguém porque Ninguém fez o que Qualquer Um poderia ter feito“. 28.4.2009

 

Quando tinha sete anos de idade, Richard Bernstein admirava a habilidade atlética e a coragem de Jackie Robinson, o primeiro negro americano a jogar na Liga Profissional de Basebol na Era Moderna. Alguns anos depois, enquanto trabalhava no campo de golfe de uma cidadezinha, Bernstein ficou impressionado quando deu-se conta que carregava o sacode tacos do seu herói, Jackie Robinson. Quando o jogo atrasou em virtude da chuva, Robinson dividi seu guarda-chuva com ele e repartiu uma barra de chocolate com o jovem carregador. Escrevendo para o jornal local, Bernstein citou aquele humilde ato de bondade como uma inesquecível marca de grandeza. A verdadeira grandeza é revelada pela humildade, não pelo orgulho. Jesus Cristo poderosamente demonstrou e ensinou isto aos Seus ambiciosos discípulos ao dizer: “… quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; e quem quiser ser o primeiro entre vós será esse o que vos sirva; e quem quiser ser o primeiro entre vós será vosso servo; tal como o Filho do Homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos” (Mateus 20:26-28). Quando o próprio Deus andou pela terra como homem; lavou os pés, acolheu crianças e se dispôs a dar Sua vida para nos libertar da tirania egoísta do pecado. O exemplo que Ele nos mostra dá credibilidade ao Seu mandamento. 30.4.2009

 

Don Tack queria saber como era a vida dos moradores de rua. Então disfarçou-se e foi morar nas ruas de sua cidade. Descobriu que muitas organizações ofereciam comida e abrigo, e que poderia passar a noite num desses abrigos se antes ouvisse uma preleção. Don gostou da mensagem que ouviu e queria falar com o palestrante convidado após o término daquele evento. Mas, quando Don estendeu a mão para cumprimentá-lo e perguntou se poderia falar com ele, o pregador passou direto por ele como se não o tivesse visto. Don percebeu que faltavam pessoas que estivessem dispostas a construir relacionamentos, e esta era a maior falha daquele ministério para os moradores de rua no seu bairro. A partir dessa experiência, ele fundou uma entidade chamada Centro de Servos; para oferecer ajuda através da amizade. O que Don encontrou no abrigo foi o oposto daquilo que as pessoas que ouviram o apóstolo Paulo experimentaram. Quando Paulo compartilhou o evangelho, também deu-se a si mesmo. Ele testificou em: “… assim, querendo-vos muito, estávamos prontos a oferecer-vos não somente o evangelho de Deus, mas, igualmente, a própria vida; por isso que vos tornastes muito amados de nós” (1 Tessalonicenses 2:8). E disse também: “… nos tornamos carinhosos entre vós, qual ama que acaricia os próprios filhos” (1 Tessalonicenses 2:7). E nós? Será que em nosso serviço ao Senhor compartilhamos não somente nossas palavras ou dinheiro, mas também nosso tempo e amizade? Anne M. Cetas10.7.2009

 

"A pergunta mais importante é: o que você está fazendo pelos outros?" Martin Luther King Jr., orador, pastor protestante, EUA, 1929-196828.9.2009

 

Sir Winston Churchill, o primeiro-ministro inglês, resolveu falar diretamente ao povo norte-americano. O primeiro-ministro inglês falou apenas dois ou três minutos, porém disse algo que eu jamais esqueci: 'Dai-nos os instrumentos, e nós terminaremos o trabalho.'30.9.2009

 

Uma abelha visita dez flores por minuto em busca do pólem e do néctar. Ela faz, em média, quarenta vôos diários, tocando em 40 mil flores.1.10.2009

 

Misturar em doses certas oração e ação, encontrando o equilíbrio apregoado simultaneamente no início do Século XVI por Lutero ("É preciso orar como se todo trabalho fosse inútil e trabalhar como se todo orar fosse em vão") e por Loyola ("Devo rezar como se tudo dependesse de Deus, trabalhar como se tudo dependesse de mim").05/10/2009

 

As mulheres do Lar de Idosos eram senhoras aposentadas que tinham cuidado de suas famílias e carreiras. não podiam morar sós e por isso vieram morar no Lar Mansão Marrom como “última parada antes do céu”. Elas desfrutavam da companhia uma das outras, mas muitas vezes lutavam com sentimentos de inutilidade. Por vezes, questionavam por que Deus era tão lento em levá-las para o céu. Uma das mulheres, pianista por muitos anos, frequentemente tocava alguns hinos no piano do Lar. Outras mulheres se juntavam a ela e cantavam e louvavam a Deus com suas vozes. Certo dia, um auditor do governo fazia uma inspeção de rotina durante um dos momentos de adoração espontânea daquelas senhoras, quando as ouviu cantar: “O que você fará com Jesus?”, o Espírito de Deus tocou o seu coração. Ele lembrava-se deste hino dos tempos de sua infância, e reconheceu que preferira deixar Jesus para trás. Naquele dia, Deus falou com ele e lhe deu uma nova chance para responder aquela pergunta de forma diferente. E ele respondeu. Como aquelas mulheres do Lar de Idosos, Sara pensou que era avançada em idade para ser usada por Deus (Gênesis 18:11). Mas Deus lhe deu um filho na velhice, e este foi um ancestral de Jesus (Gênesis 21:1-3; Mateus 1:2,17). Como Sara e as mulheres daquele Lar, nós nunca somos tão idosos para que Deus nos possa usar. Julie Ackerman Link 28/10/2009

 

Em agosto de 2007, uma das pontes principais da cidade de Mineápolis nos EUA desmoronou no famoso rio Mississippi, matando 13 pessoas. Nas semanas que se seguiram, foi difícil não pensar naquela tragédia sempre que passava por uma ponte. Algum tempo mais tarde, estava assistindo um episódio de uma série na TV a cabo quando vi o apresentador, Mike Rowe, falar com um pintor industrial, cujo trabalho ele estava tentando copiar. Ele disse: “Na verdade não há mérito algum naquilo que você faz”. O pintor concordou e disse: “Não, mas é um trabalho que precisa ser feito”. Veja, aquele homem pinta a parte interna das torres da Ponte Mackinac, no norte de Michigan, EUA. Seu trabalho passa despercebido e é feito para assegurar que o aço da magnífica estrutura suspensa não enferruje de dentro para fora, comprometendo a durabilidade da estrutura metálica da ponte. A maioria das 12.000 mil pessoas que atravessam esta ponte todos os dias, não sabe que depende do trabalho fiel e bem feito de trabalhadores como este pintor. Deus também vê nossa fidelidade nas coisas que fazemos. Embora achemos que nossas obras, grandes ou pequenas, às vezes passem despercebidas, são observadas por um Deus que se importa. Qualquer que seja nossa tarefa hoje vamos fazê-la “em nome do Senhor Jesus” (Colossenses 3:17). 03-11-2009