Ilustrações Ilustrações P

Provação

 

Não há pessoa que alcance o topo da montanha sem antes caminhar pelo vale.

 

Lynell Waterman conta a história do ferreiro que, depois de uma juventude cheia de excessos, decidiu entregar sua alma a Deus. Durante muitos anos, trabalhou com afinco, praticou a caridade, mas apesar de toda a sua dedicação nada parecia dar certo na sua vida. Muito pelo contrário; seus problemas e dívidas se acumulavam cada vez mais. Uma bela tarde, um amigo que o visitava - e que se compadecia de sua situação difícil - comentou: "É realmente muito estranho que, justamente depois que você resolveu se tornar um homem temente a Deus, sua vida começou a piorar. Eu não desejo enfraquecer sua fé, mas, apesar de toda sua crença no mundo espiritual, nada tem melhorado". O ferreiro não respondeu imediatamente. Ele já havia pensado nisso muitas vezes, sem entender o que acontecia em sua vida. Eis o que disse o ferreiro: "Eu recebo nesta oficina o aço ainda não trabalhado e preciso transformá-lo em espada. Você sabe como é feito? Primeiro, eu aqueço a chapa de aço num calor infernal, até que ela fique vermelha. Em seguida, sem qualquer piedade, eu pego o martelo mais pesado e aplico vários golpes até que a peça adquira a forma desejada. Logo ela é mergulhada num balde de água fria, e a oficina inteira se enche com o barulho do vapor, enquanto a peça estala e grita por causa da súbita mudança de temperatura. Tenho que repetir esse processo até conseguir a espada perfeita: uma vez apenas não é suficiente". O ferreiro deu uma longa pausa e continuou: "As vezes, o aço chega até minhas mãos e não consegue agüentar esse tratamento. O calor, as marteladas e a água fria termina por enchê-lo de rachaduras. E eu sei que jamais se transformará numa boa lâmina de espada. Então, eu simplesmente o coloco no monte de ferro-velho que você viu na entrada de minha ferraria". Mais uma pausa, e o ferreiro concluiu: "Sei que Deus está me colocando no fogo das aflições. Tenho aceito as marteladas que a vida me dá, e às vezes sinto-me tão frio e insensível como a água que faz sofrer o aço. Mas a única coisa que peço é: "Meu Deus, não desista até que eu consiga tomar a forma que o Senhor espera de mim. Tente da maneira que achar melhor, pelo tempo que quiser, mas jamais me coloque no monte de ferro-velho das almas".

 

Quando a prova é grande, a fé também é; porque não somos provados menos do que a fé suporta.

 

Um palestrante falava sobre "Porque Deus Permite as Provações". Pude colher nove razões, que são as seguintes: 1) Qualificar nossa fé; 2) Multiplicar nossa fé; 3) Produzir virtudes em nós; 4) Recompensar-nos no fim de tudo; 5) Torna-nos íntegros; 6) Revelar atributos; 7) Corrigir-nos e disciplinar-nos; 8) Glorificar o Seu Nome; e 9) Conduzir-nos a Ele. 

 

Quando a tribulação cresce, o teu caráter aparece.

 

Em cada deserto de tribulações Deus tem um oásis de conforto.

 

Enquanto fazia alguma pesquisa para um projeto de escrita, entrevistei 24 pessoas que tinham sido prisioneiras durante a II Guerra Mundial. Embora não tivessem sido torturadas ou maltratadas, sofreram fome, frio, separação, perda de privacidade, e uma incerteza desgastante em relação ao que as aguardava. Nenhuma delas falou da sua libertação sem lágrimas. Perguntei-lhes, “Como é que a vossa experiência prisional afetou a vossa vida?” Todas elas disseram que durante o seu ano de aprisionamento Deus ensinou-lhes lições que as preparou para a vida. Mas quando lhes perguntei se teriam ido voluntariamente para os campos prisionais, todas elas disseram que não. A maior parte de nós não escolheria circunstâncias difíceis que nos ajudassem a aprender a confiar em Deus. Por isso, na Sua sabedoria perfeita, Ele conduz-nos muitas vezes a situações que podem fortalecer a nossa fé. - Fonte: www.gospelcom.net/rbc/pd/2000/Fevereiro2000.htm

 

Deus usa os nossos tempos de abatimento para nos edificar.

 

Um amigo meu que experimentou muitas contrariedades ofereceu um olhar renovado ao papel das nossas dificuldades. Ele enfatizou uma única palavra numa passagem que nos é familiar: «a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente» (2 Cor. 4.17). “Nós pensamos que as nossas aflições estão a operar contra nós”, disse o meu amigo, “mas Deus diz que estão a operar para nós. Estão a produzir uma glória que perdurará para sempre. Comparada com as nossas tribulações, a glória é sempre maior. É por isso que nunca desanimamos”. Da perspectiva de Deus, as nossas maiores desilusões e dores, não são senão «momentâneas». É-nos difícil de aceitar isto enquanto estamos no meio das nossas tribulações, mas podemos confiar na palavra do nosso bondoso Pai de amor. - Fonte: www.gospelcom.net/rbc/pd/2000/Fevereiro2000.htm

 

Deus pode tecer os espinhos da vida transformando-os numa coroa de glória.

 

Deus pode dar chuvas de bênçãos nas tempestades da adversidade.

 

Em Outubro de 1991, um incêndio destruiu 2.500 casas nos arredores de Oakland, Califórnia. Quando os donos assolados voltaram e removeram as cinzas negras, descobriram que todos os seus haveres tinham sido reduzidos a fuligem. Mas um homem e a sua filha descobriram um pequeno coelho de porcelana. Admiraram-se que um objeto tão frágil tenha sobrevivido intacto. Outras vítimas desta catástrofe encontraram também louças e objetos de porcelana que de alguma maneira tinham desafiado este fogo consumidor. No Domingo a seguir ao desastre, um pastor local levou para o seu púlpito um vaso intacto, o qual era a única coisa que ele tinha recuperado da sua casa. Ele perguntou à sua congregação: "Sabem porque este vaso ainda está aqui e a minha casa desapareceu?" Ele respondeu à sua questão dizendo: "Porque isto já tinha passado pelo fogo antes." Poderão as impetuosas provações da vida de fato se mostrarem ser uma bênção? O apóstolo Pedro revela-nos que podem. Ele explicou-nos que várias provações podem resultar em "louvor, honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo" (I Pedro 1:6-7). Provações ardentes podem ser muito dolorosas, mas se pela graça de Deus as conseguirmos suportar, a nossa fé pode emergir da ardente fornalha, mais pura e forte do que era antes. - Fonte: www.gospelcom.net/rbc/pd/2002/10/page26.html

 

O fogo refina o ouro, a adversidade refina o homem.

 

Hace ya tiempo un grupo de señoras se reunieron en cierta ciudad para estudiar la Biblia. Mientras que leían el tercer capítulo de Malaquías, encontraron una expresión notable en el tercer versículo que decía: "Él purificará... y los refinará como se hace con la plata" (Mal. 3,3). Una de las señoras propuso visitar un platero y reportarles a las demás lo que él dijera sobre el tema. Ella fue y sin decir el objeto de su diligencia, pidió al platero que le dijera sobre el proceso de refinar la plata. Después de que el platero describiera el proceso, ella le preguntó: "Señor, ¿usted se sienta mientras que está en el proceso de la refinación?" - "Oh, sí señora", contestó el platero; "debo sentarme con el ojo fijo constantemente en el horno, porque si el tiempo necesario para la refinación se excede en el grado más leve, la plata será dañada". La señora inmediatamente vio la belleza y el consuelo de la expresión: "Él purificará... y los refinará como se hace con la plata" Dios ve necesario poner a sus hijos en un horno, su ojo es constantemente atento en el trabajo de la purificación, y su sabiduría y amor obran juntos en la mejor manera para nosotros. Nuestras pruebas no vienen al azar, y Él no nos dejará ser probados más allá de lo que podemos sobrellevar. La señora hizo una pregunta final: "¿Cuándo sabe que el proceso está completo?" - "Pues es muy sencillo", contestó el platero, "Cuando puedo ver mi propia imagen en la plata, se acaba el proceso de refinación". "Os daré corazón nuevo, y pondré espíritu nuevo dentro de vosotros; y quitaré de vuestra carne el corazón de piedra, y os daré un corazón de carne. Y pondré dentro de vosotros mi Espíritu, y haré que andéis en mis estatutos, y guardéis mis preceptos, y los pongáis por obra." Ezequiel 36:26,27

 

Nós aprendemos a confiar na escola da provação.

 

Cristo pode transformar provações dolorosas em vitórias gloriosas.

 

Uma jóia não pode ser polida sem fricção, e nós não podemos alcançar a perfeição sem provação.

 

Num sermão intitulado “Faith tested and Crowned,” (Fé testada e coroada), Alexander Maclaren fez a distinção entre ser tentado e ser provado. Ele disse: “a primeira palavra insere a ideia de apelar para o que há de pior no homem, com o intuito de que o homem se entregue e faça o mal. A última significa um apelo à melhor parte do homem, com o desejo de que ele permaneça de pé.” Maclaren prosseguiu: “Tentação diz: ‘Faz o que é agradável; não te atrapalhes pelo facto de ser errado.’ Prova ou provações diz: ‘Faz o que é nobre e correcto; não hesites pelo facto de ser penoso.’” - Fonte: http://www.gospelcom.net/rbc/pd/1999/Setembro99.htm

 

Não faz muito tempo, o teto do ginásio de esportes da cidade americana de Hartford desabou. É que seus construtores, ao edificá-lo, tinham-se preocupado só com o lado estético, fazendo uma bela estrutura. Mas ela não suportou o peso da neve e do gelo acumulados no telhado. Existem muitos casamentos que vivem o mesmo problema. Começam com uma belíssima cerimônia religiosa, e tudo parece muito promissor. O Casal se sente bastante feliz, na expectativa de uma vida a dois cheia de alegrias. Mas pouco depois passam a sentir o "peso" do relacionamento, e rachaduras surgem aqui e ali. É aí então que muitos desabam. (Internet).

 

Me lembro da primeira crítica que recebi em meu ministério, sendo um pastor recém-formado. A crítica que ouvi me fez deixar a casa de uma família da igreja e ganhar a rua até minha casa em lágrimas. A dor foi tão grande que até brotoejas vermelhas, que coçavam, me apareceram pelo corpo. Foi horrível. Mas reconheço que aquela primeira crítica, aquela dor, me preparou para momentos mais difíceis mais tarde e, o melhor, brotoejas nunca mais!

 

Comentando Romanos 8.28, Jorge Müller: "Em mil aflições, não são quinhentas delas que cooperam para o bem do crente, mas novecentas e noventa e nove e mais uma - as mil".

 

"O cristão tem seus pés na terra, mas a cabeça está nos céus". - A.T. Robertson

 

Amados, cheios de convicção, precisamos voltar a cantar: "Minhas provações não são maiores que o meu Deus, e não vão me impedir de caminhar. Se diante de mim não se abrir o mar, Deus vai me fazer andar por sobre as águas!"

 

Quando  a  Estrada  de  Ferro  Union  Pacific  estava  sendo construída, uma bem elaborada ponte de  madeira  foi  armada sobre um desfiladeiro, no oeste. Querendo testar a ponte, o construtor levou um trem com carregamento  extra  a  fim  de dobrar o seu peso normal. O trem foi conduzido até o meio da ponte  onde  permaneceu  durante  um  dia  inteiro.  Um  dos trabalhadores  perguntou:  "VocÊ  está  querendo  quebrar  a ponte?" "Não," respondeu o construtor , "eu  estou  tentando provar que  a  ponte  não  quebrará."  Da  mesma  forma,  as tentações que Jesus enfrentou não tinham a intenção  de  ver se Ele pecaria, mas de provar que Ele não podia pecar. O que o nosso relacionamento com Deus, a partir  do  momento em que Cristo entrou em nosso coração,  tem  provado? – Fonte: http://intervox.nce.ufrj.br/~tprobert

 

Viajantes contam de uma árvore em países tropicais, cujas artes internas são, às vezes, comidas por formigas enquanto a casca e as folhas se mantêm aparentemente bonitas, e sua debilidade só é percebida quando algum vento forte a derruba. Mas não é a tempestade que a torna fraca, apenas revela o quão fraca era. E sua debilidade é o resultado da atuação de insetos que, por um longo período  de tempo, a destroem por dentro. De certa forma, se nós permitimos que nosso caráter seja minado por uma constante negligência às nossas obrigações, ou pela tolerância e ocultação dos pecados que cometemos diariamente, ou se cedermos às tentações que habitualmente nos assolam, não poderemos esperar nada mais do que a ruína quando as provações nos atingirem. 29.1.2008

 
Um jovem pediu a um crente mais idoso que orasse para que ele tivesse mais paciência. O homem mais velho ajoelhou-se e começou: “Senhor, envia a este jovem tribulações de manhã; envia a este jovem tribulações de tarde; envia a este jovem“ Nesse momento o jovem crente interrompeu: “Não, não, eu não pedi que orasse por tribulações. Eu queria que orasse por paciência.“ “Ah,“ respondeu o sábio crente, “É pela tribulação que aprendemos a paciência.“ As suas palavras ecoam o apóstolo Paulo em Romanos 5:3 quando ele disse que a “tribulação produz a perseverança.“ De acordo com um comentador da Bíblia, a palavra que é traduzida por perseverança ou paciência quer dizer “firmeza, a capacidade de manter-se firme sob as dificuldades.“ 13/1/07
 
Na véspera de uma prova, quatro alunos resolveram chutar o balde: iriam viajar, faltar à prova e então "dar um jeitinho" com o professor. Voltaram na terça, sendo que a prova havia ocorrido na segunda. Então dirigiram-se ao professor: "Professor, fomos viajar, o pneu furou, não conseguimos consertá-lo, tivemos mil problemas, e por conta disso tudo nos atrasamos, mas gostaríamos de fazer a prova". O professor, sempre compreensivo disse: "Claro, vocês podem fazer a prova hoje à tarde, após o almoço". E assim foi feito. Na hora da prova, o professor colocou cada aluno em um canto da sala e começou a ditar a prova: "Primeira pergunta, valendo 1 ponto...", e fez uma pergunta sobre Bond Valuation. Segunda pergunta, valendo 9 pontos: Qual pneu furou?" Uma das coisas que mais escravizam o ser humano é a mentira, a Bíblia diz que o diabo é o pai da mentira, e nos diz ainda: "e conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará". 29.1.2008
 
"Os mais puros minérios provêm de fornos mais quentes, assim como os mais reluzentes relâmpagos estrugem das mais impetuosas tempestades." Paul E. Holdcraft. 1.2.2008
 

Observai a seguinte declaração: "A presença do Pai acompanhava a Cris­to, e nada Lhe sucedia sem que o amor infinito o houvesse permitido para bênção do mundo. Aí residia o Seu e o nosso motivo de conforto. A quem está imbuído do Salvador que o circunda com Sua presença, nada pode atingir sem permissão do Senhor. Todos os sofrimentos e desgostos, todas as tentações e provas, todas as nossas tristezas e pesares, todas as perseguições e privações, em suma, todas as coisas cooperam para o nosso bem". 12.2.2008

 

Sentei-me, uma tarde, num parque do Norte da Inglaterra, ao lado de um velho mineiro aposentado. Notei que ele tinha uma longa cicatriz na face es­querda, que atravessava todas as rugas de seu rosto. "Sofreu algum acidente nas minas?", perguntei-lhe. Um brilho estranho veio aos seus olhos, enquanto respondia: "Não, moço, esta cicatriz foi deixada por uma garrafa quebrada, quando na minha mocidade seguia o general William Booth, fundador do Exército da Salvação. Tenho orgulho desta cicatriz". Quando leio as Escrituras e encontro o versículo desta meditação, recor­do, envergonhado, quão diminuto têm sido meus esforços e quão fraca, a mi­nha resistência contra o mal, em nome de Jesus Cristo. A cicatriz honrosa que aquele homem trazia no rosto era, sem dúvida, "resistência até o sangue". A maioria de nós não precisa, hoje em dia, sofrer a tal ponto, mas se quisermos realmente avaliar nossa resistência ao pecado e ao mal, temos de olhar para a cruz de Cristo e lembrar que Ele morreu para que tivéssemos vida. Não deve­mos nos alegrar pela Sua obra redentora em nossas vidas e ter orgulho dos conflitos que enfrentamos em seu nome? William Walton (Inglaterra). 12.2.2008

 

Certa vez, para assistir a uma reunião de senhoras em Carot, nas Filipi­nas, tivemos de lançar-nos dentro de uma corrente tempestuosa. Nosso navio era muito pequeno e enquanto ele balançava de cá para lá, meu filhinho disse: "Mamãe, será que vamos submergir?" Assegurei-lhe que não, porque o piloto conhecia o mar e o navio estava livre de perigo. Afirmei-lhe que não, porque o Bom Pastor estava vigilante a nos guiar. O seu temor desvaneceu-se, quando juntos recitamos o Salmo 23. Logo estávamos perto de Carot, e a situação mudou. Os ventos pararam, a água estava tranqüila e o nosso navegar foi suave. Em nossa vida cristã, somos sempre assaltados pelas provações, dificul­dades e oposição. Se confiarmos no grande Pastor de nossas almas, ele nos levará a estarmos sempre pacientes, e a conhecer a sua paz, que sobrepuja toda a compreensão. Sra. Esperanza B. Bailen (Filipinas). 14.2.2008

 

Quão bem me recordo de meu professor de música! Certa manhã, na classe, ele desenhou vários pontos negros sobre uma folha de papel branco. A classe toda observava curiosa, sem poder imaginar a melodia. A seguir, dese­nhou as linhas da pauta, algumas pausas e uma clave de sol. Então os pontos desenhados a principio tomaram a forma de notas musicais. Solfejando-as, descobrimos que estávamos cantando: "A Deus, supremo criador, anjos e homens dêem louvor". Há muitos pontos e manchas negras em nossas vidas. Geralmente não podemos entender por que aparecem e por que Deus permite que isto aconteça. Se, porém, deixarmos Cristo entrar em nossos corações, Ele poderá aliviar nossa tristeza, dor e desapontamento, e transformá-los em valores. Se tiver­mos confiança inalterável em Deus e lhe formos gratos por tudo, Ele fará sur­gir algo glorioso de nossas adversidades. Irene Clemons (E.U.A.). 14.2.2008

 

Estamos instalando em nossa igreja um novo fogo de luz elétrica, em memória de um dos nossos ex-pastores muito estimado. Não esqueço do que me disse a sua viúva, a seu respeito. Ele suportou uma terrível enfermidade. Todos os que o conheceram admiravam-se de tão boa alma, com uma longa folha de serviços prestados à Causa. Fora exatamente a vítima de uma enfer­midade que lhe trouxera dores tão atrozes durante as últimas semanas. Con­tudo, no meio de todo aquele sofrimento atroz, ele disse: "Eu sei que é pro­fundo o escuro vale, mas há uma luz do outro lado". Vendo-o sofrer tanto, sua esposa devotada confessa perguntou-lhe: "Porque o bom Senhor permite tudo isto? Eu não posso compreender". E ele Replicou: "Devo negá-lo? Devo ser seu seguidor somente nos dias de sol e não na escuridão?" No meio das grandes provações da vida, precisamos desta espécie de fé que nos leva a cantar: "Onde quer que seja, com Jesus irei". Arthur W. Brown (Ontário, Canadá). 18.2.2008

 

Joãozinho não havia estudado e a professora resolveu fazer uma argüição oral. - Vejamos ... Joãozinho. Diga-me dois pronomes.  - Quem? Eu? - Parabéns! Dez! - Joãozinho, você prefere que a mamãe dê a você. 13.3.2008

 

Há um provérbio chinês que diz: "O diamante não pode ser polido sem fricção, nem o homem pode se aperfeiçoar sem o sofrimento". 26.3.2008

 

É por meio das provações da vida que Deus disciplina o homem para a santidade. Steve Gallagher, em No Altar da Idolatria Sexual. 04.04.2008

 

Um velho violinista explicou porque seu violino tinha grande qualidade. Ele era feito de um certo tipo de árvore européia. Mas nem todas as árvores daquele tipo produziam bons violinos como o seu. "As árvores na floresta, protegidas por outras árvores, não produziriam", disse ele. "Os bons violinos são fabricados com madeira das árvores que crescem em ladeiras, que são envergadas pelos ventos, que são castigadas pelo sol, cujas raízes têm que penetrar profundamente no solo em busca de água e que têm que ser robustas para sobreviver". Da mesma forma o cristão se torna mais forte e mais útil quando enfrenta e supera grandes testes. Não gostamos de passar por lutas, de caminhar em meio a tormentas, de encarar crises em nossa vida diária. Preferimos uma vida serena e tranquila, sem lutas e problemas, sem sustos e sem esforços. Ao menor sinal de dificuldades, clamamos ao Senhor pedindo que nos socorra, que nos segure com Suas fortes mãos e nos proteja de todo mal. Mas não foi assim quando Jesus esteve com Seus discípulos. Ele permitiu que passassem por vários momentos de aflição, que enfrentassem tempestades no Mar da Galiléia, que entendessem que cada luta era um momento de crescimento espiritual que os prepararia para enfrentar o mundo e alcançar grandes vitórias. 30.4.2008

 

George Bernard Shaw disse certa vez: "A Inglaterra e a América do Norte são dois países separados por um idioma comum". Um exemplo do mundo dos esportes demonstra isso. Sou um fanático por beisebol e conheço muito bem a expressão "bola curvada". Trata-se de uma jogada em que a bola lançada muda de direção em pleno ar, enganando o oponente. Embora os jogos e culturas sejam diferentes, o conceito de bola curvada retrata uma realidade familiar em qualquer idioma. A vida está repleta de ocasiões em que inesperadamente recebemos uma "bola curvada" e ficamos vulneráveis. Em tais momentos de medo e confusão, é confortante saber que temos um Deus que é suficiente para qualquer desafio. Devemos esperar provações (1 Pedro 4:12). Mas talvez fiquemos chocados pelas circunstâncias que enfrentamos. Porém, Deus nunca é pego de surpresa! Ele permite as nossas provações, e ele pode nos capacitar a reagir de uma maneira que venha a honrá-lo. Pedro escreveu: "aqueles que sofrem de acordo com a vontade de Deus devem confiar sua vida ao seu fiel Criador e praticar o bem" (v. 19). Com a força de Deus, podemos enfrentar as jogadas mais importunas desta vida. 11.8.2008

 

Conta-se a história de um menino que estava brincando com seu barquinho no lago. De repente, o barquinho se afastou dele. Um homem, que estava por perto, viu a cena e começou a atirar pedras na água, adiante do barquinho. O menino perguntou: - O que você esta fazendo? De repente, algo muito interessante aconteceu. Quando as pedras bateram na água, produziram ondas que empurraram o barquinho de volta ao menino. Embora as pedras tivessem agitado a água tranqüila do lago, elas alcançaram o efeito desejado. É assim que Deus procede, às vezes. Quando nos afastamos de sua presença, Ele atira pedras adiante de nós para nos forçar a retornar à praia de seu amor. 17.9.2008

 

"Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias". (Martinho Lutero). 19.1.2009

 

Na quinta crônica de Nárnia, A Viagem do Peregrino da Alvorada, Edmundo, Lúcia e seu mimado primo Eustáquio foram convocados para ajudar numa aventura no mar do oriente. Ao longo do caminho, Eustáquio é tentado por um tesouro encantado e se transforma em um dragão. O dragão desesperado aceita a ajuda do grande leão, Aslan, rei de Nárnia. Mas Eustáquio somente poderá ser libertado se permitir que as garras de Aslan cortem dolorosamente o corpo do dragão. Grato por seu livramento, Eustáquio decide tornar-se um menino melhor. Receber o dom da salvação, por meio de Cristo, é um evento que acontece apenas uma vez. Porém, o tornar-se semelhante a ele, muitas vezes requer sofrimentos e lutas. Isto envolve deixar velhos hábitos pecaminosos e substituí-los por outros, virtuosos. Paulo escreveu: "Vocês foram ensinados a despir-se do velho homem, que se corrompe por desejos enganosos… a revestir-se do novo homem, criado para ser semelhante a Deus em justiça e em santidade" (Efésios 4:22-24). O que está perturbando você hoje? Quem sabe Deus está usando a admoestação amável de um amigo, ou uma provação dolorosa, para estimular você a deixar um hábito pecaminoso e substituí-lo por um caráter santificado (Romanos 8:29; 1 Pedro 4:1-2). O processo de tornar-se semelhante a Cristo às vezes é doloroso, mas sempre vale a pena. 28.1.2009

 

C. S. Lewis: "Deus fala na nossa consciência, sussurra nos nossos prazeres e grita na nossa tribulação. A tribulação é o megafone de Deus para um mundo surdo". 28.1.2009

 

Certa vez uma serva de Deus estava perplexa com o grande número de aflições que pareciam fazer dela o seu alvo. Um dia, passando por uma vinha no esplendor do outono, notou que as videiras não estavam podadas e que sua folhagem ostentava um luxuriante viço. Notou ainda que as ervas daninhas e o capim estavam crescendo ali à vontade e que o terreno parecia totalmente em descuido. Enquanto considerava aquilo, Deus lhe deu uma mensagem tão preciosa que ela não pôde deixar de passá-la adiante: "Filha, você não entende a razão de tantas provações em sua vida? Observe esta vinha e aprenda a lição que aí está. O lavrador deixa de podar, de revolver a terra, de limpar ou de colher o fruto maduro, quando não espera mais nada da vinha naquela estação. Ela é deixada de lado porque a estação de fruto já passou, e qualquer esforço nessa ocasião não traria resultado. A vida livre de sofrimento reflete a mesma inutilidade. Você quer, pois, que eu pare de podar a sua vida? Devo deixá-la entregue a si mesma?" E o coração consolado exclamou: "Não!" - Homera Homer-Dixon 18.2.2009

 

Essas tempestades tropicais, com ventos que vão acima de 300 quilometros por hora, acompanhados de chuvas torrenciais, raios e relampagos, podem ser devastadoras. Contudo, cientistas nos informam que esses furacoes tem um valor incrível. São eles que dissipam uma grande porcentagem do calor opressivo acumulado no equador; também são indiretamente responsáveis pela maior parte das chuvas que ocorrem nas florestas das Américas do Sul e do Norte. A conclusão final a que chegamos é que os furacões oferecem à humanidade muito mais beneficios do que podemos imaginar. As Escrituras nos ensinam que as aflições que Deus permite que sobrevenham a seus filhos são muito semelhantes aos furacões. Elas chegam de maneira violenta, trazendo com elas dores e promovendo grandes devastações. No entanto, são essas mesmas aflições que tem o incrível potencial de produzir eternos dividendos. Se você se encontra em meio a um furacão... não desista! Ele é temporário; logo vai passar, e os resultados certamente poderão transformar a sua vida para todo o sempre! 16.4.2009

 

As árvores que têm os galhos mais fortes e as raízes mais profundas são as mesmas que suportaram os maiores vendavais e as piores tempestades, ano após ano. 4.5.2009

 

Era uma vez um ferreiro que, após uma juventude cheia de excessos, resolveu entregar sua alma a Deus.  Durante muitos anos trabalhou com afinidade, praticou a caridade, mas, apesar de toda sua dedicação, nada parecia dar certo na sua vida. Muito pelo contrário, seus problemas e dívidas acumulavam-se cada vez mais. Uma bela tarde, um amigo que o visitava e que se compadeceu de sua situação difícil, comentou: - É realmente estranho que, justamente depois que você resolveu se tornar um homem temente a Deus, sua vida começou a piorar. Eu não desejo enfraquecer sua fé, mas apesar de toda a sua crença no mundo espiritual, nada tem melhorado. O ferreiro não respondeu imediatamente. Ele já havia pensado nisso muitas vezes, sem entender o que acontecia em sua vida. Entretanto, como não queria deixar o amigo sem resposta, começou a falar e terminou encontrando a explicação que procurava. Eis o que disse o ferreiro: - Eu recebo nesta oficina o aço ainda não trabalhado e preciso transformá-lo em espadas. Você sabe como isto é feito? - Primeiro eu aqueço a chapa de aço num calor infernal, até que fique vermelha. Em seguida, sem qualquer piedade, eu pego o martelo mais pesado e aplico golpes até que a peça adquira a forma desejada. - Logo, ela é mergulhada num balde de água fria e a oficina inteira se enche com o barulho do vapor, enquanto a peça estala e grita por causa da súbita mudança de temperatura. - Tenho que repetir esse processo até conseguir a espada perfeita, uma vez apenas não é suficiente . O ferreiro deu uma longa pausa, acendeu um cigarro e continuou: - Às vezes, o aço que chega até minhas mãos não consegue agüentar esse tratamento. O calor, as marteladas e a água fria terminam por enchê-lo de rachaduras. - E eu sei que jamais se transformará numa boa lâmina de espada. Então, eu simplesmente o coloco no monte de ferro-velho que você viu na entrada de minha ferraria. Mais uma pausa e o ferreiro concluiu: - Sei que Deus está me colocando no fogo das aflições. Tenho aceito as marteladas que a vida me dá e às vezes sinto-me tão frio e insensível como a água que faz sofrer o aço. - Mas a única coisa que peço é: - Meu Deus, não desista, até que eu consiga tomar a forma que o Senhor espera de mim. - Tente da maneira que achar melhor, pelo tempo que quiser. - Mas jamais me coloque no monte de ferro-velho das almas.14.5.2009

 

Na Universidade de Chicago “Divinity School”, em cada ano eles têm o que chamam de “Dia Batista”. Nesse dia cada um deve trazer um prato de comida e há um picnic no gramado.Sempre, no “Dia Batista”, a escola convida uma das grandes mentes da literatura no meio educacional teológico. Num ano eles convidaram o Dr. Paul Tillich. Dr. Tillich falou durante 2 horas e meia provando que a ressurreição de Jesus era falsa. Ele questionava estudiosos e livros e concluiu que, a partir do momento que não havia provas históricas da ressurreição, a tradição religiosa da igreja caía por terra, porque era baseada num relacionamento com um Jesus que havia ressurgido, mas, de fato, Ele nunca havia ressurgido literalmente dos mortos. Quando concluiu sua teoria, ele perguntou se havia alguma pergunta. Depois de uns 30 segundos, um senhor negro de cabelos brancos se levantou no fundo do auditório. — “Dr. Tillich, eu tenho uma pergunta” ele disse enquanto todos os olhos se voltavam para ele. Ele colocou a mão na sua sacola, pegou uma maçã e começou a comer. Dr. Tillich... CRUNCH, MUNCH... Minha pergunta é uma questão muito simples.... CRUNCH, MUNCH... Eu nunca li tantos livros como o senhor leu... CRUNCH, MUNCH... e também não posso recitar as Escrituras no original grego... CRUNCH, MUNCH... Eu não sei nada sobre Niebuhr e Heidegger... CRUNCH, MUNCH...” e ele acabou de comer a maçã. “Mas tudo o que eu gostaria de saber é: essa maçã que eu acabei de comer... estava doce ou azeda?Dr. Tillich parou por um momento e respondeu com todo o estilo de um estudioso: —  “Eu não tenho possibilidades de responder essa questão, pois eu não provei a sua maçã.” O senhor de cabelos brancos jogou o que restou da maçã dentro do saco de papel, olhou para o Dr. Tillich e disse calmamente: — “O senhor também nunca provou do meu Jesus, Como pode afirmar o que está dizendo? Mais de 1000 pessoas que estavam assistindo não puderam se conter em aplausos. Você já provou Jesus? Divinity.uchicago.edu25.5.2009

 

Um grupo de soldados, em Anzio, Itália, foi separado de sua companhia pela artilharia alemã. Quando a casa da fazenda onde estavam se defendendo foi duramente atacada, apenas três dos quinze soldados estavam bem -- todos os demais estavam feridos. O oficial estava caído entre os escombros, mas conseguiu pegar sua Luz Diária. O texto que ele viu ao pegar a Palavra de Deus foi: "Vindo o inimigo como uma corrente de águas, o Espírito do SENHOR arvorará contra ele a sua bandeira" (Is 59.19). O oficial, com alegria, leu o texto em voz alta, declarando sua confiança de que todos eles seriam salvos. Poucos minutos depois o caminhão do hospital dos aliados parou em frente ao local onde estavam e todos foram colocados nele e conduzidos para um lugar seguro. O estranho foi que os soldados da artilharia alemã, por trás de suas trincheiras bem próximo a eles, assistiram a tudo sem disparar um tiro sequer. Quando o caminhão atravessou um cruzamento próximo dali, um outro grupo de alemães mostrou-se igualmente indiferente a eles que seguiram sem problemas o seu caminho. Todos concordaram que aquela operação havia sido uma intervenção direta de Deus. Muitas vezes nos sentimos como aqueles soldados das forças aliadas. Tudo parece perdido e as esperanças são quase nulas. Vemo-nos feridos pelas derrotas constantes, abatidos pelas frustrações experimentadas, desesperados pelas dúvidas inquietantes, angustiados pela falta de fé diante das circunstâncias. Não conseguimos mais ficar de pé e só esperamos o pior. Mas Deus sempre está junto a Seus queridos nos momentos de grande tribulação. Quando nossos inimigos espirituais apertam o cerco, o amado Senhor se coloca à nossa frente e ergue a bandeira de Sua vitória. As derrotas recolhem suas armas, as frustrações batem em retirada, as dúvidas são humilhadas e a incredulidade completamente destruída.  Confie totalmente em Deus, mesmo que tudo pareça perdido. 4.6.2009

 

O único sobrevivente de um naufrágio conseguiu chegar a uma pequena ilha deserta. Ele orou fervorosamente para Deus o salvar. Diariamente ele olhou atentamente o horizonte à espera de ajuda, mas parecia que não havia esperança. Exausto com o passar do tempo, ele conseguiu construir uma pequena cabana de madeira para se proteger e guardar os poucos pertences que lhe restavam. Entretanto, um dia, depois de sair buscando algo para comer, ele chegou em casa para achar a pequena cabana dele em chamas, a fumaça subindo para o céu. O pior tinha acontecido; tudo estava perdido. Ele ficou atordoado com aflição e raiva. "Deus, como pôde você fazer isso comigo!" ele gritou. Porém, cedo no próximo dia, ele foi despertado pelo som de um navio que estava chegando à ilha. O navio havia chegado para salvá-lo. "Como vocês sabiam que eu estava aqui?" ele perguntou. "Nós vimos o sinal da fumaça", eles responderam. É fácil ficar desanimado quando coisas más acontecem. Mas não deveríamos perder a esperança, porque Deus está trabalhando em nossas vidas, até mesmo no meio de dor e sofrimento. Lembre-se, da próxima vez em que sua cabana estiver em chamas, aquilo pode fazer um sinal de fumaça que chama a graça de Deus. 4.6.2009

 

Voando em círculos com suas asas estendidas, o falcão de repente mergulhou em direção ao solo. Ouvi um baque surdo e então o vi subir outra vez com uma refeição em suas garras. Os falcões conseguem detectar suas presas a grande distância. Deus formou a intrincada estrutura do olho do falcão, dando-lhe uma visão entre as mais penetrantes da natureza. Quando atravessamos tempos difíceis, pode parecer que Deus não vê o que acontece. Podemos buscar conforto no fato de que Ele, que pode formar um olho, verdadeiramente enxerga as circunstâncias em que nos encontramos. Agar descobriu isto quando estava perturbada com a perseguição de Sara. Agar fugiu para o deserto para encontrar alívio. Em meio a seu desespero, Deus foi até ela e a confortou com a promessa de um filho. Agar exclamou: "Tu és Deus que [me] vê" (Gênesis 16.13). Com esperança renovada, ela foi capaz de enfrentar as circunstâncias em que estava. Deus cumpriu a promessa e Ismael nasceu. Como Agar, podemos confiar nas promessas de Deus em meio às provações e saber que Ele nos enxerga e nos confortará no deserto em que nos encontramos. Veremos que Deus é tudo de que precisamos. Deus vê tudo o que acontece em minha vida.8.6.2009

 

O escritor Lynell Waterman conta a história do ferreiro que, depois de uma juventude cheia de excessos, decidiu entregar sua alma a Deus. Durante muitos anos trabalhou com afinco, praticou a caridade, mas, apesar de toda a dedicação, nada parecia dar certo em sua vida. Muito pelo contrário; seus problemas e dívidas se acumulavam cada vez mais. Certo dia, um amigo que o visitava comentou: "É realmente muito estranho que, justamente depois que você resolveu se tornar um homem temente a Deus, sua vida começou a piorar. Eu não desejo enfraquecer sua fé, mas, apesar de toda sua crença no mundo espiritual, nada tem melhorado pra você". O ferreiro explicou: "Eu recebo nesta oficina o aço ainda não trabalhado e preciso transformá-lo em espada. Primeiro eu o aqueço num calor infernal até que fique vermelho. Em seguida, sem qualquer piedade, eu pego o martelo mais pesado e aplico vários golpes, até que a peça adquira a forma desejada. Depois a mergulho num balde de água fria e a oficina inteira se enche com o barulho do vapor, enquanto a peça estala e grita por causa da súbita mudança de temperatura. Tenho que repetir esse processo até conseguir a espada perfeita; uma vez apenas não é suficiente". O ferreiro deu uma longa pausa e continuou: "Às vezes, o aço chega até minhas mãos e não consegue agüentar esse tratamento. O calor, as marteladas e a água fria, provocam-lhe muitas rachaduras; e eu sei que jamais se transformará numa boa lâmina de espada. Então, eu simplesmente o coloco no monte de ferro velho que você viu na entrada de minha ferraria". O homem deu uma pausa e concluiu: "Sei que DEUS está me colocando no fogo das aflições. Tenho aceito as marteladas que a vida me dá, e às vezes sinto-me tão frio e insensível como a água que faz sofrer o aço. A única coisa que peço é: "Meu DEUS, não desista até que eu consiga tomar a forma que o Senhor espera de mim. Tente da maneira que achar melhor, pelo tempo que quiser, mas jamais me coloque no monte de ferro velho das almas".10.7.2009

 

Sempre julguei que os furacões seriam alguma coisa que a humanidade poderia simplesmente dispensar - se pudesse... Entretanto, apenas recentemente tomei conhecimento de que eles são absolutamente necessários para manter o equilíbrio na natureza. Essas tempestades tropicais, com ventos que vão acima de 300 quilômetros por hora, acompanhados de chuvas torrenciais, raios e relâmpagos, podem ser devastadoras. Contudo, cientistas nos informam que esses furacões tem um valor incrível. São eles que dissipam uma grande porcentagem do calor opressivo acumulado no equador; também são indiretamente responsáveis pela maior parte das chuvas que ocorrem nas florestas das Américas do Sul e do Norte. A conclusão final a que chegamos é que os furacões oferecem à humanidade muito mais benefícios do que podemos imaginar. As Escrituras nos ensinam que as aflições que Deus permite que sobrevenham a seus filhos são muito semelhantes aos furacões. Elas chegam de maneira violenta, trazendo com elas dores e promovendo grandes devastações. No entanto, são essas mesmas aflições que tem o incrível potencial de produzir eternos dividendos. Se você se encontra em meio a um furacão... não desista! Ele é temporário; logo vai passar, e os resultados certamente poderão transformar a sua vida para todo o sempre! 28.10.2009    

 

Um grande escritor russo conta a história de um guia e de sua equipe que caminhavam por uma trilha dentro da mata, quando de repente depararam-se com um grande animal morto. Todos sentiram repugnância e rapidamente levaram a mão ao nariz para evitar sentir o mal cheiro. Porém, o guia aproximou-se mais e mais do corpo do animal em decomposição e apontando para ele, disse: "Prestem bem atenção nos dentes deste animal. Vejam como são enormes, bonitos e brancos! E vejam que garras poderosas, de ferro!". Aqueles eram detalhes no animal que ninguém havia percebido. Quando os naturalistas recolheram depois aquela carcaça, constataram que aquele animal tinha sido o maior de sua espécie já encontrado até então. Procure observar o lado positivo das adversidades. Extraia delas importantes lições para o seu amadurecimento espiritual. Entenda que Deus está sempre no controle da situação. Deus está falando em silêncio para nós através da tormenta, e espera que nós o busquemos de todo o coração. Aproveite este dia e busque mais graça do Senhor para enfrentar as tribulações e alcançar a vitória em Cristo. 28.10.2009