Ilustrações Ilustrações F

Fiel

 

"Não esquecerei de ti" é uma maravilhosa promessa de Deus para Seu povo, dentre as muitas encontradas no livro de Isaías, lembrando aos Seus filhos que estavam cativos na Babilônia que, em breve, viria livramento pelas mãos de Ciro, rei da Pérsia (Isaías 44.28), por mais incrível que essa situação pudesse parecer. No tempo oportuno, no entanto, o livramento veio, tal qual aconteceu a Israel pelas mãos de Ciro (Esdras 1.1-4). Mesmo nas dificuldades, devemos crer que há uma boa notícia: Deus caminha conosco, pois prometeu jamais esquecer-se de nós, e o que Ele promete Ele cumpre (Jeremias 1.12).

 

Moisés e Arão, cometeram um erro e não tiveram permissão de entrar em Canaã. Isto é prova da seriedade da autoridade delegada. Deus é mais severo com aqueles com aqueles que O representam. Ver Nm 18.1; Lc 12.48.

 

No último sermão de domingo pela manhã do ano 2001, o pastor que nos preside, Marlucio Alves Batista, fez o desafio de sermos fiéis no mínimo, no pouco, nas pequenas coisas. E ele disse: "é aí que se começa".

 

El general Charles Gordon (1833-1885), uno de los héroes más admirados de Inglaterra, era un cristiano devoto. Puesto que no le preocupaban los asuntos de condición social y riquezas, sentía una fuerte pasión por hacer la voluntad de Dios. Gordon deseaba servir al Señor fielmente, ya fuera por medio de una gran responsabilidad o de una tarea pequeña que nadie notara. En una carta a un amigo dijo que «gobernar países grandes, u... ocupar el lugar más pequeño eran la misma cosa en realidad, porque Cristo gobierna los asuntos de ... gobierno como... los asuntos pequeños.» ¿Creemos, como creía Gordon, que Jesucristo es el gobernante omnipotente de todo? ¿Recordamos que Él es Señor de nuestros «asuntos pequeños» tanto como de los gobiernos de los «países grandes»? ¿Reconocemos que todo, grande o pequeño, ha de hacerse «como para el Señor y no para los hombres»? (Colosenses 3:23).

 

Esto me recuerda la respuesta del astuto estadista norteamericano Bernard Baruch cuando le preguntaron quién pensaba él que era la más grandiosa personalidad de nuestra era. A la edad de 94 años dijo con gran sabiduría: «El hombre que hace su trabajo todos los días. La madre que tiene hijos y se levanta para darles desayuno, mantenerlos aseados y mandarlos a la escuela. El hombre que mantiene limpias las calles... Los soldados desconocidos... millones de ellos.» El apóstol Pablo también hizo hincapié en la importancia de la fidelidad en la vida diaria. Apremió a sus hermanos en la fe a que se establecieran, llevaran una vida tranquila, y proveyeran para sus propias familias (1 Tesalonicenses 4:11; 1 Timoteo 5:8). La mayoría de nosotros somos cristianos ordinarios que vivimos vidas rutinarias. Sin embargo, nuestro Dios extraordinario quiere que todos seamos discípulos diarios fieles y fructíferos. (Fonte: Osvaldo Carnival )

 

Recebi um e-mail com a indicação do Salmo 119.30 e baseado nele a pessoa dizia: "A minha escolha é ser fiel".

 

En 1989, la cadena CBS presentó una mini serie de TV llamada Lonesome Dove [Paloma solitaria]. Es una historia que absorbe tu atención. Se trata de dos antiguos guardias montados de Tejas en el antiguo Oeste que encuentran muchos peligros mientras conducen un hato de ganado en dirección norte hacia Montana. En la mini serie, el capitán Woodrow Call acepta cumplir el último deseo de su amigo Gus McCrae de enterrar su cuerpo en Tejas. Mientras viajaba de Montana a Tejas, a Call le preguntaron muchas veces por qué había emprendido un viaje tan peligroso. En una ocasión, el capitán sencillamente mira a quien le pregunta y dice despacio: «Le mi palabra.» Se produce una pausa larga cuando los dos hombres se miran a los ojos. Entonces el extraño dice: «Se nota que sí.» El capitán asiente con la cabeza y da la vuelta. Ese momento fue potente porque captó el carácter de Woodrow Call. Sus creencias, palabras y acciones eran una. «Le mi palabra» lo decía todo. El salmista describió una persona de integridad como aquel «que aun jurando en daño suyo, no por eso cambia» (Salmo 15:4). Eso significa que mantenemos nuestra palabra incluso si nos cuesta mucho hacerlo. Si aceptamos realizar una tarea, debemos hacerla. (Fonte: Osvaldo Carnival). 

 

A fidelidade de Deus é exaltada por aquele tradicional hino que diz: "Tu és fiel, Senhor, meu Pai celeste, pleno poder aos teus filhos darás. Nunca mudaste, tu nunca faltaste: Tal como eras, tu sempre serás".

 

Certo dia pela manhã uma secretária chegou ao trabalho dizendo que havia passado por uma situação terrível em que quase batera o carro e afirmou: “Mas Deus é fiel!” A questão é: Deus deixaria de ser fiel caso tivesse batido? Para muitos Deus controla tudo o que é bom, e nada do que seja mau está debaixo de sua mão.

 

O homem coroa o sucesso; Deus coroa a fidelidade.

 

A fidelidade nas coisas pequenas é uma grande coisa.

 

Houve uma época em que um indígena, um cacique de nome Juruna (falecido em 2002), foi eleito deputado. Antes mesmo de ser eleito, Juruna andava dizendo que “palavra de branco não merece confiança”. E caminhava pelo território nacional ouvindo pessoas importantes e registrando as declarações das autoridades em fitas cassetes de um gravador, para depois, não ser desmentido. Quantos de nós lamentamos não ter gravado as palavras ouvidas? Quantas declarações nos são feitas e mais tarde, negadas? A inconstância da palavra de alguns obrigava Juruna a se utilizar dum gravador...

 

Certo funcionário de uma empresa, crente, foi chamado um dia ao gabinete do dono da empresa. Sem meias palavras, o dono foi direto ao assunto: -"Estamos reestruturando a empresa e precisamos de uma pessoa exatamente do seu tipo para ocupar a posição de gerente do setor. Analisamos a sua ficha e vimos que só há um problema com você: é a sua religião. O cargo é incompatível com a sua fé. De modo que você terá que fazer uma opção entre a promoção no emprego e sua igreja. Mas você não precisa responder agora. Vá para casa, hoje é sexta-feira, pense, e na segunda nos diga o que foi que decidiu". Nosso irmão foi para casa envolto no manto da dúvida. De um lado, almejava o cargo - afinal, era a grande chance de sua vida. Quanta gente - pensou - não gostaria de estar em seu lugar! Por outro lado, e sua fé? e a igreja? e Deus? Os pensamentos se desencontravam em sua cabeça. Seu coração virou campo de batalha entre o certo e o errado, entre o real e o ideal. Noites sem dormir, não podia se concentrar num só pensamento. O pior fim de semana de sua vida, o pior sábado, o pior domingo... Na segunda-feira, lá estava ele na empresa, já ansioso por encontrar-se com o dono: - "E aí?" - quis saber o dono - "Qual é a sua decisão?" - "Acho que vou aceitar a proposta que me fez". O patrão nem levantou a cabeça: - "Então pode passar imediatamente no Departamento de Pessoal e pedir suas contas. Você está despedido!" - "Mas... patrão, foi o senhor mesmo que me fez a proposta!" - "Sim, e você foi provado e não passou no teste. Se foi capaz de tão rapidamente trair o seu Deus, quem me assegura que mais rapidamente ainda não trairá a sua empresa?" (João Soares da Fonseca - Revista Compromisso/3º Trim-2001).

 

Diz o Sl 22.3: "Contudo, tu és santo, entronizado entre os louvores de Israel". Gosto de como Marcos Witt explica este texto: "Imagino o Senhor Jesus sentado em seu trono. Miguel se acha à sua esquerda e Gabriel, à direita. Estão lá no céu, fazendo o que fazem todos os dias: enviando uma cura aqui, um milagre ali, e muito mais. de repente, o Senhor faz um movimento com a mão, que todos já sabem que quer dizer "Silêncio". O coro angelical pára de cantar; os músicos celestiais cessam os instrumentos e há um silêncio total. O Senhor se levanta do trono e chega à sacada dos céus para ver o que está acontecendo. Nota-se que ele está escutando algo. Gabriel e Miguel se entreolham, já sabendo do que se trata. É que isso já ocorreu muitas vezes durante o tempo que estão com o Senhor. Então ouve-se o som de um cântico... O Senhor se aproxima de Miguel e lhe diz: "Estás escutando isso?" "Sim, Senhor", responde Miguel. "Como é belo!" "Sabias que são os meus filhos?" Indaga o Senhor. "Sim, Senhor", replica o anjo, "aqueles que compraste com o teu precioso sangue". O Senhor se retira outra vez para continuar escutando o cântico que agora sobe até ele. Em seguida, aproxima de Gabriel e lhe diz: "Não é maravilhoso?" "Sim, Senhor", diz o anjo. "É um cântico magnífico!" Nesse instante, o volume da canção subiu e mudou um pouco. E nessa hora, o Senhor não reprime mais sua vontade e, voltando-se para Gabriel Miguel, lhes diz: "Com licença, rapazes, mas tenho de ir lá para esse lugar, onde estão cantando para mim e me adorando. Prometi que, toda vez que me louvassem, eu estaria no meio deles e lhes tiraria todas as dores e regaria sua alma com meu frescor e com meu Espírito. Depois nos vemos. Vou lá!" E nesse momento, ele desce ao Sião que nós construímos para ele. (Marcos Witt, em Adoremos, pg 147). 

 

Outro dia, alguém me disse por meio de uma mensagem de e-mail: "Como posso me preocupar se meus olhos tem visto a fidelidade de meu Pai?"

 

Um colega de São Paulo, enquanto dirigia, observou em um carro que seguia à sua frente, um adesivo com esta frase: "Deus é fiel. E você?". Há alguns anos, devido à campanha de uma igreja, víamos em muitos lugares somente a primeira sentença, "Deus é fiel". Isso foi (e ainda é) um bom testemunho, pois ressalta uma das virtudes do nosso Deus, a fidelidade. Entretanto, como chamou-me a atenção o novo adesivo! Essa virtude do Senhor demanda uma atitude de resposta de nossa parte - "E você é fiel?"

 

Aprenda a ter compromisso com Deus. Estabeleça um dia de fidelidade a Deus - um dia de cada vez.

 

Li algures a história de um sábio monge que se dedicava a meditar nas criaturas de Deus e aconselhar àqueles que iam à sua procura. Uns jovens rebeldes, desses que pensam tudo saber, decidiram pôr em ridículo o sábio, fazendo-lhe uma pergunta formulada de tal maneira que ao receber qualquer resposta, mudariam-na, assim, zombando do velho homem. Apresentaram-se, então, diante do sábio como um pássaro entre as mãos, escondidas às costas, e perguntaram-lhe se a ave estava viva ou morta. A intenção era matar o pássaro se a resposta fosse que estava vivo, ou deixá-lo voar, se o oposto. Que surpresa, porém, receberam os jovens quando o sábio monge respondeu: "Isso depende de vocês, pois a vida do pássaro está em suas mãos". Assim Deus tem posto a responsabilidade da vida nas mãos de cada um de nós. O irmão pode ser um bom ou mau mordomo, Que fará o irmão de sua vida? Sejamos fiéis em tudo. - Paulo Roberto Sória, em O Jornal Batista.

 

Bernard Shaw declarou: "Em certas pessoas a fidelidade é feita de borracha e condescendências. Seus atos desmentem secretamente suas afirmações". De tanto proliferar a mentira, a falsidade, a hipocrisia, o engano, a iniqüidade, os homens, perdem para certos animais em matéria de fidelidade. Dirigindo-se aos poucos amigos que comparecem às Tulhérias no seu regresso da ilha de Elba, disse o grande Napoleão: "Há duas espécies de fidelidade: a dos cães e dos gatos que nunca abandonam a casa".

 

Um pastor estava contando: "Fui pastor interino de uma igreja onde havia uma crente fiel a Jesus. Com muito amor, resolveu presentear sua igreja com alguns ventiladores de teto no dia do aniversário. Dirigindo-se a uma casa especializada, propôs a compra dos mesmos em módicas prestações. Com voz firme, o gerente respondeu que a firma só vendia a dinheiro. Nada adiantou a penso insistência. Quase desiludida, pediu-lhe permissão para falar com o dono da casa. Expondo-lhe a situação, a resposta foi a mesma: "Não vendemos fiado a ninguém". Quando saia triste do escritório, o homem he perguntou a finalidade de tantos ventiladores. Deixando tudo claro, foi-lhe concedida a compra como queria. No fim de tudo, nossa irmã pediu as duplicatas para serem assinadas. Olhando firme nos seus olhos, disse o cidadão: "A senhora não é crente?" "Sim, senhor!" respondeu. "Então não precisamos de duplicatas. Nós confiamos em sua palavra". - Samuel Barreto, em O Jornal Batista.

 

Conta-se a história de um soldado russo que foi capturado por Napoleão quando os franceses invadiram a Rússia. O soldado foi trazido a Napoleão e a letra N foi estampada na carne de sua mão direita. Então lhe explicaram que isto significava que agora ele pertencia a Napoleão. Ao ouvir isto, o soldado russo tomou a espada e com um golpe cortou sua própria mão direita. Então, levantando o toco ensangüentado gritou: "Agora não há nenhuma parte de mim que não pertença a meu país". Os soldados de Cristo também precisam deste tipo de lealdade. Precisamos mostrar ao mundo que não há parte de nós, nenhum setor de nossas vidas que não pertença a Cristo. Devemos proclamar a todos os homens que Deus está acima de tudo e que sua vontade é suprema.

 

Policarpo de Esmirna quando encarcerado recebeu uma proposta: a de renunciar o seu Senhor, a sua fé, ele seria liberto. Ele respondeu: "Há 86 anos sirvo ao meu Senhor, e Ele nunca me fez algum al, e agora hei de negá-Lo?" E resoluto marchou até a estaca onde amarrado a ela seu corpo cansado e velho foi incendiado. - Josemar de Souza Pinto, em O Jornal Batista.

 

Miguel Sattlher nasceu em Friburgo, na Alemanha. Foi frade num convento beneditino, onde chegou à função de prior. Os estudos das epístolas de Paulo levou-o a duvidar das coisas que aprendera e praticava no convento. Um certo dia, abandonou o mosteiro e se casou. A sentença proferida contra ele, e cumprida à risca, é das mais monstruosamente cruéis na história do cristianismo. Eis os seus termos: "Miguel Sattlher deverá ser entregue ao carrasco. Este o levará até a praça e aí primeiro lhe cortará a língua. Depois, o amarrará a uma carroça e com tenazes incandescentes tirará, por duas vezes, pedaços de seu corpo. Em seguida, a caminho do lugar da execução, fará isso cinco vezes mais e depois queimará seu corpo até o pó como um arqui-herege". No dia 20 de maio de 1527 Miguel Sattler foi executado na cidade de Rotemburgo. Como he tivessem cortado apenas um pedaço da língua, ainda conseguiu falar ao povo e orar a Deus em voz alta. Quando já na fogueira as chamas queimaram as cordas que lhe prendiam os pulsos, ele levantou os dedos indicadores: era o sinal combinado com os irmãos para indicar que aqueles sofrimentos eram insuportáveis. Sua esposa, que resistiu a todos os esforços para que se retratasse, foi afogada, oito dias depois, no rio Neckar. A história exige que sejamos fiéis à santa doutrina cristã batista. Fiéis não simplesmente porque é uma doutrina que nos foi transmitida como herança por meio de rasto de sangue, mas porque é a sã doutrina contida no Novo Testamento... - Agrício do Vale, em O Jornal Batista.

 

Um jovem, que trabalhava em uma tinturaria, saiu para entregar um terno a um cliente. Ao chegar ao endereço indicado, verificou tratar-se de uma taberna. Parando diante do local, pediu a um homem, que ali  se encontrava, que chamasse o proprietário para buscar a encomenda ali fora. O taberneiro, bastante irritado, telefonou para a tinturaria e reclamou, mostrando toda a sua indignação. Ao retornar para a loja, o jovem rapaz foi ameaçado de demissão caso o fato se repetisse. "Trabalhando ou sem trabalhar," respondeu o moço, "eu não entrarei em  tal lugar. Desde pequeno eu prometi à minha mãe que não entraria em  uma taberna e cumprirei a minha palavra." O tempo passou e o jovem se tornou o proprietário daquela tinturaria. Até que ponto temos sido fiéis  às nossas promessas e convicções? 13/12/06

 

No boletim de uma comunidade evangélica o pastor tratava de questões financeiras. A certa altura do recado, ele fez essa inquietante pergunta: "Tem sido fiel?" e advertiu entre parêntesis: "porque não há "quase fiel").

 

O velho exército russo tinha  uma  tradição  que  dizia  que quando um sentinela era colocado em  um  determinado  posto, apenas o oficial que o colocou ali ou o próprio Czar poderia retirá-lo. Durante a Primeira Guerra Mundial, contava-se que um determinado sentinela  foi  destacado  para  uma  posição muito perigosa. O oficial que o  colocou  ali  acabou  sendo morto na batalha e o soldado recusou-se a deixar  seu  posto até que uma ordem chegou assinada pelo Czar. Nós, como soldados do Grande General, temos sido  destacados para muitas tarefas e muitos lugares diferentes. Sabemos que estamos ali pela vontade do Senhor e  alegramo-nos  em testemunhar o privilégio de poder servir ao nosso Deus.  Não há bênção maior ou felicidade mais completa do que  ter  a plena consciência de que estamos no lugar que Deus quer  que estejamos e fazendo a Sua vontade.

 

Certa vez, na Inglaterra, um pastor pregou um sermão que desagradou ao Rei Henrique VIII, que estava presente no culto. O Rei exige que o pastor se desculpasse no sermão seguinte. No domingo seguinte, Latimer, o pastor, começou a pregar assim: “Latimer, sabes que terás de falar hoje diante do poderoso mnarca, que pode tirar-te a vida ou te enviar às galés? Pensa bem, Latimer, o que vais fazer, pois és ministro de Deus, e ele tem estado presente em todos os teus caminhos. Transmite, pois, com fidelidade ao Rei dos reis a tua mensagem.” E em seguida, Latimer pregou o mesmo sermão que havia pregado no domingo anterior À tarde, o Rei Henrique VIII mandou chamar o pregador e lhe perguntou como se atrevia a dizer o mesmo sermão, já que o mesmo havia sido censurado. E Latimer respondeu: “Majestade, o meu dever é anunciar a verdade de Deus, mesmo que a vida me seja tirada. E eu fui fiel ao meu mandato.” Impressionado, o Rei disse: “Louvado seja Deus. Tenho um servo tão fiel.”  25-12-2007

 

Ninguém pode fazer nada grande se não souber fazer pequeno. Disse Jesus: “Aquele que é fiel no pouco é fiel no muito”. 8.1.2008

 

Se os mártires cristãos pudessem reviver, por certo agradeceriam a Deus a morte cruel que tiveram. Policarpo foi um deles. Foi pastor da Igreja de Esmirna e na sua juventude, conviveu com o apóstolo João. Aos 86 anos ele foi julgado por ser cristão. O juiz estava ansioso por lhe poupar a vida. No seu último momento, quando os algozes iam amarrá-Io ao poste, o magistrado disse: "Faça o juramento e eu o soltarei. Negue a Cristo." Ao que Policarpo, corajosamente respondeu: "Eu o tenho servido durante oitenta e seis anos, e Ele nunca falhou. Como poderia eu blasfemar contra o Rei que me salvou?" E morreu, agradecendo a Deus o privilégio de dar a sua vida pelo Salvador. 10.1.2008

 

Um soldado disse a seu comandante: "Meu companheiro não voltou do campo de batalha senhor, peço permissão para ir buscá-lo". "Não!" respondeu o comandante, "ele deve estar morto e não posso arriscar a vida de um soldado para buscar um cadáver". O soldado se afastou e ignorando a ordem de seu superior foi em busca do amigo. Após algum tempo ele retorna ferido mortalmente trazendo nos ombros o corpo do amigo morto. Não falei para você não ir? Bradou o comandante. Agora vou perder outro soldado por causa de um homem morto, diga-me se valeu a pena este sacrifício que você fez. Valeu sim senhor, respondeu o soldado ferido. Quando cheguei ao seu encontro ele ainda estava vivo e teve tempo de me dizer: "Sabia que você viria me buscar". 23-01-2008

 

Um dia, um velhinho foi a uma de suas consultas periódicas ao médico, só que desta vez um pouco apressado. O médico então lhe perguntou: "Por que a pressa?" e ele respondeu: "Todos os dias neste horário vou visitar minha esposa que está num asilo". E o médico comentou: "Que bacana! Então vocês matam as saudades, batem papo, namoram um pouquinho!" E o velhinho diz: "Não! Ela não me reconhece mais, por causa de sua doença". O médico surpreso então pergunta: "Mas, por que então tanta pressa para vê-la, já que não o reconhece mais?" E com um sorriso no rosto, o velhinho responde: "Mas eu a reconheço! Eu sei quem ela é e o que representa na minha vida há tantos anos. Por isso todos os dias eu a reconquisto, como se cada conquista fosse única e verdadeira". Este é o verdadeiro amor, incondicional! 29-01-2008
 

A bela esposa de Hernando De Soto, famoso explorador espanhol, ob­servava o marido no momento em que ele partia do porto de Havana para uma outra viagem expedicionária. Ele seguia para o território norte da Flórida com a intenção de atravessar o rio Mississipi. As semanas se prolongaram em meses, e os meses em mais de um ano, e De Soto não voltava. Os pretendentes à mão de sua esposa diziam-lhe que certamente a expedição estava perdida e que De Soto não voltaria nunca mais. Ela porém, desprezando a todos eles, dizia: "Ele sempre voltou. Ele há de vol­tar". Durante três anos mais, ela manteve a esperança de seu retorno. Mas em vão, porque ele nunca mais voltou. De Soto perecera de febre e seu corpo fora lançado ao rio Mississipi. Que belo quadro de verdadeiro amor sua esposa ex­pressou. Diariamente nos defrontamos com situações que não podemos resolver. Mas uma coisa podemos fazer, com toda a certeza, é sermos leais a Cristo. Garfiel Evans (Cuba). 8.2.2008

 

Hutton, escrevendo a respeito de Walter Scott, especialmente sobre a literatura deste, produzida no último período da sua vida, aplica a ele as mes­mas palavras com as quais Cícero descreveu um contemporâneo: "um homem que sabiamente resistiu à adversidade, que não desfaleceu ante a infelicidade, e que no meio das bofetadas do destino manteve a sua dignidade..." Nesta descrição de caráter há algo que nos alegra. E lembra-nos a história de Jó, que com fidelidade serviu ao Senhor, em todas as circunstâncias da vida, nos enchendo de admiração e regozijo. A maior tarefa que um homem pode receber é a de manter a dignidade da alma no meio dos sofrimentos da vida. 12.2.2008

 

"Dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, genero-samente vos darão" (Lc 6.38). Não distante do Fort-de-France, Martinica, jaz à morte uma velha irmã leiga da Igreja. Durante sua longa enfermidade, ela dependera da bondade de amigos e vizinhos. Dias houve em que nada tinha para comer, porém não se queixava. Um dia, quando o pastor estava para retirar-se, ela tocou-lhe no braço e murmurou: Espere, quero que o senhor leve isto". Os trêmulos dedos des­carnados tatearam um momento sob o travesseiro, tirando depois um peque­no embrulho. "Leve isto", disse ela, "é a parte do Senhor para a expansão de Sua obra e para apressar a Sua vinda. Embora tenha havido ocasiões em que eu não tinha nada para comer, não tocaria de modo nenhum em Seu dinheiro. São meus dízimos e ofertas para o Senhor." 18.2.2008

 

Estamos instalando em nossa igreja um novo fogo de luz elétrica, em memória de um dos nossos ex-pastores muito estimado. Não esqueço do que me disse a sua viúva, a seu respeito. Ele suportou uma terrível enfermidade. Todos os que o conheceram admiravam-se de tão boa alma, com uma longa folha de serviços prestados à Causa. Fora exatamente a vítima de uma enfer­midade que lhe trouxera dores tão atrozes durante as últimas semanas. Con­tudo, no meio de todo aquele sofrimento atroz, ele disse: "Eu sei que é pro­fundo o escuro vale, mas há uma luz do outro lado". Vendo-o sofrer tanto, sua esposa devotada confessa perguntou-lhe: "Porque o bom Senhor permite tudo isto? Eu não posso compreender". E ele Replicou: "Devo negá-lo? Devo ser seu seguidor somente nos dias de sol e não na escuridão?" No meio das grandes provações da vida, precisamos desta espécie de fé que nos leva a cantar: "Onde quer que seja, com Jesus irei". Arthur W. Brown (Ontário, Canadá). 18.2.2008

 

Certa senhora levava consigo uma caixa de preciosíssimas jóias, ao dei­xar sua casa para uma viagem. Pediu a uma pessoa amiga que garantisse a guarda e a responsabilidade sobre o valioso material. Após receber tal pro­messa, entregou a caixa aos cuidados da "guardiã". Mas, refletindo sobre a possibilidade de, na sua ausência, a pessoa usar algumas das jóias, a senhora voltou e levou três preciosidades consigo. Ao retornar ao lar, seu primeiro cuidado foi com a caixa de tão preciosos adornos, certificando-se de que tudo lá estava. Uma por uma das jóias foi examinada e encontrada em perfeito es­tado. A amiga havia sido fiel, pois guardara tudo com zelo. Entretanto, das três que levara consigo, uma perdera-se no caminho e não pôde ser recupera­da. Quem era a responsável? A amiga? Certamente não, pois ela guardara apenas "o que lhe fora entregue". Sem dúvida, teria guardado seguramente também as jóias que sua amiga levara, e que não deixara a seu cuidado. Igualmente, aquilo que não temos entregue a Cristo jamais poderemos espe­rar que ele o guarde! (J. B. Figgis). 18.2.2008

 

Certa vez, um cantor famoso foi convidado a dar um concerto em benefí­cio dos soldados da Primeira Guerra Mundial. O presidente da comissão que o convidou lhe disse: "Como se trata de um beneficio, não exigimos natural­mente que o senhor apresente o que tem de melhor. Seu nome é suficiente para atrair as multidões. Eu sugiro canções simples que não exijam grande es­forço de sua parte". Dizem que o cantor sentiu-se ofendido e enchendo-se de orgulho, respondeu: "Eu não me contento em fazer menos do que o melhor que posso". E nosso dever solene tirar o máximo proveito de nossos dons e oportu­nidades e cumprir fielmente, e da melhor maneira, qualquer tarefa, seja gran­de ou pequena. Deus espera que façamos o melhor, não importa qual seja a obra que temos em mãos. Estamos nós fazendo o melhor para ter a aprovação do Mestre: "Muito bem servo bom e fiel"? 18.2.2008

 

Certo cristão, desejando fazer publicamente sua profissão de fé, apresen­tou-se ao pastor, que o cumulou de perguntas sobre seus conhecimentos dou­trinários. Saiu-se mal o pobre examinado, e o pastor o exortou a que estudas­se um pouco mais. Ao retirar-se, com muita humildade mas com profunda convicção, disse o homem ao pastor: "Eu sei que não sou capaz de falar por Cristo, mas sou capaz de morrer por Ele". 18.2.2008

 

São Gregório de Nazianzo, doutor da Igreja Católica, ao surgirem contendas a seu respeito, declarou: "Jogai-me no mar, pois é melhor que eu seja prejudicado do que venha o nome de Cristo a sofrer por minha causa". 18.2.2008

 

Viveu em Nova Delhi, Índia, um oficial inglês, o coronel Wilayat, que pregava o evangelho ao povo. Um grupo de fanáticos o seqüestrou e exigiu que ele recitasse o credo maometano. Negou-se a fazê-lo e se declarou cris­tão. Espancado e pisoteado, foi intimado a tornar-se muçulmano. "Jamais! Nunca negarei meu Salvador, o Senhor Jesus Cristo", confirmou veemente­mente. Pouco depois, o golpe seco da espada assassina eliminava seus sofri­mentos e permitia que sua alma subisse para Deus. Mais um mártir do cristia­nismo. 19.2.2008

 

A 28 de março de 1849, quatorze cristãos foram condenados à morte, em Madagascar. Razão: sua fé em Cristo. A execução da pena revestiu-se de as­pecto áspero e doloroso. Nas cercanias de Atanarivo, à beira de larga rocha, escancarava-se profundo abismo. Na ponta de uma corda, a vitima era sustida sobre o despenhadeiro, enquanto o executador perguntava: "Renuncia à ora­ção?" Ante o enfático "não!" da valorosa resposta, vinha a ordem final: "Cor­ta!" E mais um crente selava com seu sangue a firmeza de sua fé. 19.2.2008

 

Conta-se que D.L. Moody realizava em Londres uma de suas cruzadas, e naquela noite pregaria sobre o arrependimento. Chegando ao local, foi informado de que D. Pedro II, Imperador do Brasil, estava no auditório. Moody não mudou a mensagem; pregou sobre arrependimento. No meio da mensagem, olhou na direção do Imperador e afirmou: "Até mesmo um grande imperador precisa arrepender-se e crer em Jesus Cristo". Do outro lado do estádio D. Pedro balançou a cabeça afirmativamente. O homem moderno precisa urgentemente ouvir esta mensagem: Arrepende-te, pois é a ordem divina. Revista Manancial UFMBB - 13.3.2008

 

Após a destruição de Pompéia, muitas pessoas foram encontradas em posições distintas, sepultadas em ruínas; algumas nos subterrâneos, como se houvessem fugido, para se protegerem. Outras em quartos mais altos. E onde foram encontradas as sentinelas romanas? Na porta da cidade, onde haviam sido colocadas por seus capitães, e com as carabinas nas mãos. Enquanto a terra tremia sob seus pés e a cinza chovia sobre elas até as cobrir, ficaram firmes em seus postos como estátuas; e ali, depois de mil anos foram encontradas. Como servos de Jesus: Fiquemos firmes onde o Capitão Divino nos colocou. 13.3.2008

 

Interessante na Bíblia que a palavra grega pístis pode ser traduzida tanto por fé como por fidelidade, por isso, o que tem fé, merece fé; o que crê de verdade, é crível, tem credibilidade; o que confia é tambem confiável. O Fruto do Espírito, em Gálatas 5:22, tem, entre outros "gomos" a fidelidade. O desafio da vida cristã é de exercitarmos nossa fé e de sermos fiéis no guardar e transmitir o depósíto das verdades que recebemos (2Tm 2:2). 14.3.2008

 

Não está escrito "muito bem, servo bom e bem-sucedido", e sim "muito bem, servo bom e fiel". No último dia, o que realmente será levado em conta não é o nosso sucesso, e sim a nossa fidelidade. 15.3.2008

 

Como você sabe, o Corinthians foi rebaixado para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro de Futebol em 2008. Mas a sua torcida decretou: ''Eu Nunca Vou Te Abandonar". Os desportistas dizem que o Corinthians é o único time que não tem uma torcida - é a única torcida que tem um time, e por isso ela é chamada de fiel. 7.5.2008

 

O General O. O. Howard encontrava-se, certa vez, na costa do Pacífico e alguns amigos resolveram fazer uma recepção em sua homenagem. Programaram a festa para uma quarta-feira, à noite. Seria um grande acontecimento e o Presidente confirmou sua presença. Um dos que participaram da reunião de programação do evento sugeriu: "Creio que seria melhor avisá-lo logo para que esteja pronto na noite de quarta-feira". Alguns amigos foram até o General e lhe disseram: "General, quarta-feira à noite nós gostaríamos de vê-lo em uma reunião de negócios". "Bem, cavalheiros, vocês não poderão me ver naquela noite. Eu já tenho um compromisso previamente marcado". Finalmente eles disseram: "É uma recepção, e o presidente dos Estados Unidos estará lá". Então, o velho veterano, com os olhos faiscando, levantou-se e disse: "Vocês precisam saber que eu sou um cristão e que prometi ao Senhor que toda quarta-feira à noite eu estaria na Sua igreja, na reunião de oração, e que não existe nada nesse mundo que me faça quebrar meu compromisso". A recepção aconteceu, mas foi na quinta-feira à noite. Ainda do lado de fora, antes do início da recepção, alguém perguntou: "Onde está o ministro influente que conseguiu mudar a data de um evento em que o Presidente estaria presente?" Eles disseram: "Não é um ministro do Evangelho; é o General Howard." Temos nós mantido fielmente o compromisso com Deus? Tem o nosso relacionamento com o Senhor sido prioritário em nossas atitudes? Temos compreendido que nenhum de nossos objetivos seria alcançado se o Senhor não nos revestisse de Suas maravilhosas bênçãos? Muitas vezes trocamos a reunião de oração, fonte de energia espiritual para uma vida bem sucedida, por uma festa, ou um cinema, ou por qualquer outro acontecimento que julgamos mais interessante naquele dia. Depois nos queixamos de que Deus não nos abençoou como desejávamos. Mas fomos nós que deixamos a Sua presença para seguir outros caminhos. A escolha é nossa e podemos preferir um momento com Deus ou um divertimento no mundo. É claro que precisamos ter momentos de lazer e diversão, que precisamos descansar e sair com a família, que devemos dedicar um tempo com nossos filhos. Mas a reunião de oração dura apenas uma hora ou pouco mais, igual tempo gastamos com a evangelização, e as reuniões de final de semana umas duas horas. Sobra muito tempo para outras coisas e não precisamos comprometer nosso tempo com Deus com o que podemos fazer em qualquer outro horário. Você arruma sempre desculpas para não ir à igreja ou, como o General de nossa história, não abre mão de desfrutar das bênçãos que Deus tem para sua vida? 31.7.2008

 

A vida é uma estrada que precisa ser trilhada com coragem. Seja qual for a nossa decisão durante esta caminhada, sempre haverá aqueles que a julgarão errada. E à medida que os problemas apareçam e as lutas se tornem árduas, ficaremos tentados a acreditar que nossos críticos estavam certos. Para que as vitórias venham, homens e mulheres precisam de muita paz e, para alcançá-la, necessitarão de muita coragem. Muitos são os nossos sonhos. Passamos a vida buscando realizá-los. Traçamos planos e estratégias e, como atletas em uma maratona, corremos na expectativa de nossas conquistas. Alcança-los é fácil? Quase sempre não. Devemos

desistir diante das dificuldades? Claro que não. A Palavra de Deus nos assegura que somos mais do que vencedores e, confiantes nas Suas promessas, como soldados valentes, seguiremos em frente com determinação e perseverança. O mundo nos oferecerá muitos atalhos para que cheguemos mais rapidamente às nossas conquistas. As tentações virão e, mais uma vez, necessitaremos de coragem para resisti-las. Se ao redor todos são desonestos, como santos do Senhor devemos ter a coragem de não enveredar pelo caminho da desonestidade, mesmo que isso nos custe um tempo maior para chegar aos nossos sonhos. Se os amigos nos apontam caminhos injustos que nos facilitem a jornada, tenhamos a coragem de ignorá-los, mesmo que os nossos caminhos de justiça sejam mais longos. Se a arrogância e a prepotência forem primordiais para que vençamos etapas, com coragem diremos "não" e, mesmo demorando um pouco mais, com amor chegaremos lá, com a cabeça erguida e sendo abraçados pelo Senhor que nos dará os parabéns pela firmeza e fidelidade. Assim como o Senhor falou para Josué, fala também para nós: "Sê forte e corajoso." 1.9.2008

 

http://oglobo.globo.com/blogs/moreira - Igreja evangélica se recusa a receber dízimo de US$ 600 mil - O sortudo Robert Powell faturou a bolada de 6 milhões de dólares na loteria da Flórida. Como mandam os ensinamentos cristãos pregados por sua igreja, o americano virado para a Lua resolveu doar 10% do prêmio para ela. Mas a iniciativa não foi bem recebida pela igreja evangélica First Baptist Orange Park. Educadamente, o pastor David Tarkington (foto) não aceitou o cheque com o dízimo de Robert, argumentando que os cofres da igreja estão fechados para prêmios ganhos em loterias e em cassinos. Adaptando um famoso dito católico: dízimo demais o pastor desconfia. Depois da recusa de David, um outro pastor da região "cresceu o olho" (cobiça não é pecado?). Lorenzo Hall, da El-Beth-El Divine Holiness Church, comentou que 600 mil verdinhas podem fazer muitas coisas boas. "Eu sou contra as loterias, mas, se um membro da minha igreja ganha um prêmio, desejo e espero que ele dê 10% para a igreja", disse o líder religioso a uma afiliada da TV NBC. Lorenzo concluiu afirmando que não pergunta aos fiéis de onde vêm o dinheiro que desejam doar. Simplesmente deposita na conta. Da igreja. Será que o felizardo Robert vai passar a freqüentar a igreja do pastor Lorenzo? 16.9.2008

 

Alguns anos atrás, um pregador mudou-se para Houston, Texas/EUA. Poucos dias depois que chegou, teve que ir de ônibus de sua casa até o centro da cidade. Quando se sentou, descobriu ter recebido 25 centavos a mais no troco pelo que pagara pela passagem. Considerando o que deveria fazer, pensou: - É melhor devolver os 25 centavos. Seria errado mantê-lo. Então ele pensou: - Oh!, esquece. Apenas 25 centavos. Quem se preocuparia por quantia tão pequena? Além do mais, a empresa de ônibus já tem bastante; nunca sentirão falta. Aceite-o como um presente e fique quieto. Quando chegou ao ponto onde desceria do ônibus, parou momentaneamente na porta, então entregou a moeda ao motorista e disse: - Tome, você me deu troco a mais. O motorista, com um sorriso, respondeu, - Você não é o novo pregador? Eu tenho pensado sobre ir lhe ouvir. Eu queria apenas ver o que você faria se eu lhe desse troco a mais. Quando nosso amigo saiu do ônibus, agarrou-se literalmente o poste mais próximo, e disse: "Oh! meu Deus, me perdoe! Eu quase vendi seu filho por vinte e cinco centavos!" Pensemos nisto! 20.11.2008

 

Uma das histórias mais fascinantes escritas em anos recentes é intitulada "Questão 7." Conta a experiência de um pregador, seu filho e uma escolha que ele foi forçado a fazer. O jovem era um pianista realizado. O governo opressor de seu país queria realizar uma propaganda. Ele foi convidado para uma apresentação em uma reunião. O pai disse ao filho que não gostaria que ele participasse aconselhando-o a não tocar naquele dia. O governo enviou ao jovem um questionário que ele começou a preencher. No dia da reunião o pianista compareceu. Antes de subir ao palco para a apresentação, o jovem ouviu o locutor falando ao microfone: Nós somos benevolentes para com a igreja. Nosso próximo participante é prova disso." O jovem lembrou-se do quadro pregado na parede de sua casa que dizia: "Sê fiel até a morte e te darei a coroa da vida." Ele não podia continuar. Quebrou um vidro e cortou a sua mão ficando, assim, impedido de tocar. Logo a seguir ele fugiu, atravessando a fronteira oeste da Alemanha. Quando o pai soube de sua fuga, foi até o quarto do filho. Sobre sua escrivaninha estava o questionário social que recebera para preencher. A questão número sete perguntava: "Que pessoa tem sido a maior influência de sua vida?" Em letras maiúsculas estava escrita a resposta: "Meu pai." 4.12.2008

 

Em qualquer ponto, a vida reta começa com pensamentos retos. (Bruce J. Milne) 28.1.2009

 

No conto A Christmas Carol (Um Cântico de Natal) de Charles Dickens, a personagem principal é Ebenézer  Scrooge. Quando era menino, apreciava ver a versão a preto e branco desse filme, com Alastair Sim representando o papel de Scrooge. Alastair fazia um trabalho fenomenal ao representar o cruel, miserável, egoísta Scrooge. Eu ainda procuro todos os Natais nos guias de televisão para saber quando posso ver aquela representação do conto de Dickens. Tantos anos a ver os trabalhos árduos de Scrooge danificaram algo em mim - o significado do nome "Ebenézer ." Eu tenho-o associado a Scrooge, mas o seu significado original está a anos-luz disso. Em 1 Samuel, a seguir a uma decisiva batalha com os Filisteus, os Israelitas ergueram uma pedra como memorial da ajuda de Deus na batalha. Eles chamaram a essa pedra Ebenézer , que significa "Pedra de Ajuda," para lembrar ao povo como Deus os tinha resgatado dos seus inimigos (7:12). Que contraste! Um nome que eu associava a um homem egoísta de fato serve para relembrar a ajuda de Deus imediata e pronta. Ao caminharmos pela vida fora, concentremo-nos na fidelidade do Senhor e não no egoísmo do homem. Olhemos para Ele como o nosso verdadeiro Ebenézer  - a nossa ajuda nos desafios da vida. - Bill Crowder 5.2.2009

 

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, convidou o pastor batista Rick Warren para fazer a oração solene na cerimônia de sua posse, no dia 20 de janeiro de 2009. A decisão gerou mal-estar entre as organizações pró-direitos dos homossexuais, as uniões gays e a legalização do aborto. Para o pastor, tais comportamentos são inaceitáveis à luz da Bíblia Sagrada. Porém, ele é fiel à Palavra.17.2.2009

 

Na China antiga, as pessoas desejavam estar seguras contra as hostes bárbaras e, por isso, construíram a grande muralha chinesa. Ela era tão alta que ninguém poderia subir através dela e tão espessa que nada poderia derrubá-la. Eles se colocaram por trás da muralha para apreciar sua segurança. Durante os primeiros cem anos da existência da muralha, a China foi invadida três vezes. Em nenhuma delas as hostes bárbaras derrubaram a muralha ou subiram por ela. Em todas as oportunidades eles subornaram um porteiro e marcharam direto pelo portão. Os chineses estavam tão ocupados confiando nas paredes de pedra que se esqueceram de ensinar integridade aos seus filhos. Até que ponto Deus pode confiar em nossa integridade? Como tem sido o nosso testemunho em relação à corrupção reinante no mundo atual? Como os nossos irmãos da igreja contemplam nossas atitudes? E os nossos amigos incrédulos, que conclusão tiram de nossa vida espiritual? A maior fonte de poder espiritual que podemos demonstrar a todos que nos conhecem é uma vida de íntimo relacionamento com o nosso Senhor Jesus Cristo. 20.2.2009

 

Um jovem, que trabalhava em uma tinturaria, saiu para entregar um terno a um cliente. Ao chegar ao endereço indicado, verificou tratar-se de uma taberna. Parando diante do local, pediu a um homem, que ali se encontrava, que chamasse o proprietário para buscar a encomenda ali fora. O taberneiro, bastante irritado, telefonou para a tinturaria e reclamou, mostrando toda a sua indignação. Ao retornar para a loja, o jovem rapaz foi ameaçado de demissão caso o fato se repetisse. “Trabalhando ou sem trabalhar”, “respondeu o moço” , “eu não entrarei em tal lugar”. Desde pequeno eu prometi à minha mãe que não entraria em uma taberna e cumprirei a minha palavra. O tempo passou e o jovem se tornou o proprietário daquela tinturaria. Até que ponto temos  sido fiéis às nossas promessas e convicções? Somos facilmente conduzidos pelas situações em que estamos envolvidos ou temos, com firmeza, obedecido aos ensinos do Mestre Jesus Cristo, mantendo nossa postura de verdadeiros cristãos? Quando o nosso coração se enche das coisas de Deus, temos prazer em servir ao Senhor e não há coisa alguma que nos desvie do propósito de andar na Sua presença. O mundo pode ser sedutor, mostrar luzes atraentes, ser convidativo a todo tipo de prazeres carnais, mas a alegria verdadeira e eterna só é alcançada quando entregamos a vida completamente no altar do Salvador. 3.4.2009

 

Alguns pregadores que por aqui passam afirmam que os que são indocumentados devem voltar para o Brasil. São oportunistas. É intrigante o fato de usarem nossos púlpitos para dizerem isto. Mais intrigante quando recebem nossas ofertas gordas em dólares americanos – dinheiro de dízimos e ofertas de imigrantes indocumentados, diga-se de passagem, de gente dígna que trabalha duro, gente abençoada. A maioria (95%) dos pregadores convidados que vêm pregar nos Estados Unidos vêm com o Visto B1-B2 (de turista). Os que vêm participar de conferências com este tipo de visto, pela Lei, podem ser apenas ouvintes, não preletores.  As ofertas que recebem deveriam declarar ao fisco americano. Provavelmente não declaram nem ao fisco brasileiro. Podem declarar se quiserem, pois o Governo Americano emite legalmente um documento (ITIN – uma certa identidade de pagador de imposto) reconhecendo que imigrantes indocumentados trabalham aos milhões por aqui e precisam pagar seus impostos. Os imigrantes indocumentados trabalham ilegalmente, mas legalmente pagam impostos com este número fornecido pelo Governo. Pura hipocrisia oficial! Uma necessidade contundente, porém. Quem trabalha precisa mesmo pagar impostos. Deveria todavia usufruir de todos os benefícios sociais que seus impostos pagos deveriam prover. Aqueles pregadores visitantes ao pregarem sem autorização são ilegais por uma semana ou por um mês ou dois. Os outros por muitos anos. Dá no mesmo.  Para pregar ou cantar em igrejas e receber ofertas é preciso portar o visto religioso, pois aqui na terra do Tio “$am” pregar o Evangelho é “profissão” e para receber oferta (honorário) tem que ter visto apropriado. É tão ilegal quanto é ilegal grande parte de evangélicos sonegarem impostos em seu país. É pecado sonegar impostos? É a pergunta que nacionais e estrangeiros fazem em qualquer país. Jesus disse: “Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.”  - Josimar Salum25.5.2009

 

Um fazendeiro cristão era constantemente escarnecido por um não-cristão por não trabalhar no final de semana, ir à igreja e dar o dízimo fielmente para o trabalho do Senhor. Ao final de uma estação, teve uma colheita muito fraca e o não-cristão disse a ele: "Onde está o seu Deus? Pelo que vejo, Ele falhou com você, não é?" "Oh, não", disse o cristão, "meu Deus não fecha Seus livros no fim da estação de colheitas. Qual o tempo indicado para Deus nos atender? Que prazo devemos Lhe dar para que nos responda e nos abençoe? Devemos estipular um tempo para Deus ou é Ele quem sabe a ocasião oportuna? Muitas vezes murmuramos contra o Senhor por nossos sonhos demorarem a ser realizados. Queixamo-nos ao ver outras pessoas relatarem testemunhos das coisas maravilhosas que Deus faz em suas vidas enquanto nós continuamos esperando por nossos anseios. Mas estamos errados. Deus sabe o que é melhor para nós e o tempo certo para termos as nossas bênçãos alcançadas. A Ele pertence o tempo, a vida, as respostas, as bênçãos. Glórias devem ser dadas a Ele. As pessoas que não têm Cristo no coração não entendem o que é fé e confiança.  Querem ver os resultados imediatos.Pensam apenas no hoje e se esquecem de que aquela pretensa alegria ou aquele rápido sucesso pode se acabar logo no dia de amanhã. São êxitos enganosos, sem base, sem firmeza, sem garantia de que permanecerão. O mundo, quase sempre, é uma escada de dois lados. Com a mesma velocidade que se sobe de um lado, começa-se a descer do outro. A grande alegria de uma noite pode converter-se no choro do dia seguinte. As bênçãos do Senhor podem não vir no tempo desejado, mas serão verdadeiras e se estenderão por toda a eternidade.17.6.2009

 

A fidelidade de Deus cumprirá todas as suas promessas em nossas vidas. (J. Blanchard)25.8.2009

 

Acordei com uma forte ressaca e do lado da cama tinha um copo d'água e duas aspirinas. Olhei em volta e vi minha roupa passada e pendurada. O quarto estava em perfeita ordem. Havia um bilhete de minha mulher: "Querido, deixei seu café pronto na cozinha. Fui ao Supermercado. Bjs." Desci e encontrei uma mesa cheia, café esperando por mim. Perguntei à minha filha: - O que aconteceu ontem? - Bem, Pai, você chegou às 3 da madrugada, completamente bêbado, vomitou no tapete da sala, quebrou móveis, urinou na cristaleira, fez estragos até chegar no quarto. - E por que está tudo arrumado, café preparado, roupa passada, aspirinas para a ressaca e um bilhete amoroso da sua mãe? - Bem, é que mamãe o arrastou até a cama e, quando ela estava tirando a sua calça, você gritou: NÃO FAÇA ISSO MOÇA, EU SOU CASADO E AMO MINHA ESPOSA!21.10.2009

 

Quando o bispo de Madras estava viajando pela Índia, foi apresentado a uma jovem menina escrava que era uma excelente testemunha para o Senhor. Por sua persistência em falar de Jesus e Seu amor para outros, ela ganhou muitos para Cristo. Enquanto o bispo olhava para ela, viu que seu rosto, pescoço e braços tinham muitas cicatrizes. Por causa de sua fidelidade e testemunho, ela havia sido muito espancada. Com lágrimas nos olhos, o bispo perguntou à menina: "Criança, como você conseguiu aguentar toda esta brutalidade?" Um pouco surpresa, ela respondeu: "não ficaria contente em poder sofrer por Cristo, senhor?" Sua humilde resposta falou profundamente ao seu coração. Lembrou-lhe que se alguém está verdadeiramente em Cristo, deve estar preparado para ser ridicularizado e até receber tratamento áspero do mundo. A vida com Deus nos proporciona momentos de grande regozijo e satisfação. A certeza de Seu cuidado e de Sua proteção nos faz viver com tranqüilidade e nos motiva a encarar as intempéries do cotidiano com a confiança dos vitoriosos. Esta comunhão não nos garante uma vida sem lutas. Elas nos tingem como acontece com qualquer outra pessoa. Enfrentamos perseguições, injúrias, zombarias e até discriminação. Mas os verdadeiros filhos de Deus não se abatem, nem se dobram, nem retrocedem. Pelo contrário, levantam a cabeça e glorificam a Deus pelo privilégio de verem provada a sua fé. E seguimos em frente... Com alegria... Seguros nas mãos do Senhor!27.10.2009

 

Savonarola, dominicano italiano, agitava Florença com seus sermões perturbadores. O Papa, desejando silenciar o caloroso pregador, ordenou que um bispo dominicano fosse a Florença tentar convencer o rebelado. "Santo Padre, obedecerei, mas desejo que sejam fornecidas armas", solicitou o bispo. "Que armas?", indagou o Papa. "Ora, esse monge prega que não podemos ter concubinas, nem cometer simonia ou viver licenciosamente. Se o que ele diz a esse respeito for verdade, como lhe replicarei?" "Ora, ora – respondeu o Papa – agrade o monge, trate-o com diplomacia. Se for necessário, ofereça-lhe um chapéu de cardeal. Mas, acalme-o." Savonarola recebeu bondosamente o último cartucho e ofereceu o suborno. A resposta do monge foi: "Venha ouvir meu sermão amanhã; dar-lhe-ei a resposta". E não foi sem surpresa que, no dia seguinte, o bispo ouvia ataques ainda mais severos aos erros da Igreja, ataques que culminaram com a declaração final que encerrava o assunto: "Não desejo outro chapéu vermelho senão o do martírio, colorido com o meu próprio sangue". 28.10.2009