Ilustrações  Ilustrações C

Comemoração

 

...um dos problemas da falta de produção agrícola é a desvalorização do "homem do campo" que é humilhado nas festas juninas, nas danças de quadrilhas, tido como um coitado, eu pergunto: que criança diria: Quando eu crescer quero ser um caipira, ou homem do campo? com as roupas remendadas? Na miséria? As crianças querem ser médicos, professoras, atrizes, pois estes não são humilhados nas festas juninas. As Festas Juninas são para humilhar as pessoas do campo, o caipira quando não é banguela é desdentado, seu andar é torto, corcunda por causa da enxada, a botina é furada, suas roupas são rasgadas e remendadas, uma alusão ao espantalho, talvez seja assim que os grandes latifundiários os vêem o caipira, e agora nossas crianças nas Escolas, se isto é FOLCLORE, CULTURA, não quero, agradeço, se lambuzem os que gostam de humilhar os outros. A Bíblia diz : O que escarnece (humilha) do pobre insulta ao que o criou Prov.17:5 - Fonte: artigoseestudos@yahoogrupos.com.br

 

Quando adoramos a Deus, somos abençoados; Os que adoram os ídolos, são amaldiçoados. Aqueles que participam da Festa Junina, além de humilhar e escarnecer do homem do campo é amaldiçoado pelos demônios que recebem as comidas, doces, danças. Pois está escrito: "... aqueles que oferecem alimentos a estes ídolos estão unidos no sacrifício aos demônios, e não a Deus, não quero que sejais participantes com os demônios". (I Cor. 10:20). - Fonte: artigoseestudos@yahoogrupos.com.br

 

A avó de um cidadão desocupado morre, deixando-lhe uma enorme fortuna. Ele manda imprimir centenas de cartõezinhos e envia aos amigos e parentes, comunicando o falecimento, nos seguintes termos: "Dia 25 do corrente, às 5 horas da manhã, Filomena e eu passamos desta vida para uma melhor. Adagoberto".

 

Fazer festa por coisa pouca, por causa pequena, é até engraçado. É como naquela situação em que alguém ficou feliz da vida, só porque conseguiu montar um quebra-cabeças em apenas 6 meses, quando na caixa estava escrito assim: "De 2 a 4 anos". 

 

A questão defendida pelas escolas é que as festas Juninas são festas folclóricas, mas o que a própria história nos mostra é que ela é uma festa religiosa desde a antiguidade. A origem desta comemoração vem desde a antiguidade, quando se prestava culto á deusa "Juno" da mitologia Romana. (Migalhas folclóricas, p.99 Mariza Lira), os festejos a esta deusa eram denominados Junônias, origem do nome atual "festas juninas".

 

Carnevale - vocábulo italiano, que significa "adeus à carne", é festa de muita alegria, folia e orgia que precede à quarta-feira de cinzas. A comemoração do carnaval é de origem pagã. Na Grécia, tomou o nome de Dionisíaca em honra ao Deus do vinho - Dionísio e em Roma, Bacanal em homenagem ao deus do vinho, Baco. Nessas comemorações, a aristocracia misturava-se com o populacho, os tribunais e estabelecimentos oficiais se fechavam, e se abriam todos os lugares de divertimentos, onde a devassidão, a orgia e os prazeres sensuais eram inomináveis. 14.2.2008

 

Uma rica senhora resolveu oferecer uma festa, um jantar, em sua casa. Contratou orquestra, mandou imprimir convites, ornamentou a casa, preparou a mesa com abundantes iguarias. Tudo estava caprichosamente preparado. A orquestra tocava e, estando já a mesa posta, a anfitriã, ricamente vestida, esperava os convidados. Passou todo o dia e a boa senhora, com o coração em ânsias, viu chegar a noite sem que nenhum convidado aparecesse. Já muito tarde, despediu os músicos, os copeiros, e todos os demais empregados e, profundamente triste, foi para o seu quarto. Só então verificou porque nenhum convidado comparecera, à sua festa. Esquecera de enviar os convites. Deixara-os sobre a mesa. 13.3.2008

 

Idosa faz grande festa na Índia para garantir lugar no céu  | Data: 10 de Junho de 2008 - 0:37 - Viúva gastou US$ 37,5 mil em evento para milhares de convidados. Ela não tem herdeiros e afirmou que agora sua alma pode descansar em paz - Uma rica viúva indiana de 80 anos gastou cerca de US$ 37,5 mil em uma festa para milhares de convidados, na esperança de que essa ação possa lhe garantir um lugar no céu, conforme relatou a mídia local. Para encher sua festa de pessoas, Phuljharia Kunwar convidou os moradores de vilas e cidades perto de sua casa. Autoridades locais disseram que a viúva, que vive em Bihar, não tem parentes próximos e gastou todo esse dinheiro porque não tem para quem deixar suas posses. “Ela nos disse que agora poderia começar sua jornada final e que sua alma poderia descansar em paz no céu”, afirmou Ajay Kumar Bulganin, que participou da festa (brnoticia.com). 29.10.2008

 

Conta-se que num certo país, um senhor muito distinto, resolveu fazer uma grande festa e mandou colocar um anúncio nas ruas, convidando a todos para o banquete. Um homem mendigo ouviu o anúncio e disse consigo: "eu também vou a este jantar". E no dia e hora anunciados, lá estava ele no portão de entrada pedindo ao guarda que o deixasse entrar. Mas o guarda respondeu que era impossível por causa das roupas que usava, afinal, não eram roupas de festa. Mas ele insistiu e falou: "Ouvi o anúncio dizendo que a festa é para todos! Não é justo me deixar de fora"! O guarda foi categórico: "Todos devem vestir vestes de festa" e o mendigo insistia no direito de entrar. Neste instante, veio o filho do dona da festa, ouviu a insistência, se aproximou e disse ao porteiro que deixasse o mendigo entrar. Então, o levou até seu quarto, mostrou um guarda roupas cheios de peças, e mandou que escolhesse uma. O mendigo tomou um banho e vestiu roupas de festa... em seguida, pegou as roupas sujas e velhas que usava e fez um embrulho. Ele se negou a deixar aquelas roupas; não quis abandonar nenhuma delas. Agora, como estava bem vestido, entrou para o para o jantar, mas com o seu pacote de roupas velhas e sujas debaixo do braço. Ele se sentou à mesa, todo mundo começou a comer, mas ele, porém, nem conseguia cortar o filé no prato, porque estava com uma das mãos ocupadas. Todo mundo comendo, e ele permanecendo com fome. Alguém disse: "Coma!" Mas ele não podia comer, pois estava com a mão ocupada, segurando o embrulho de roupas sujas. Não quis deixar as roupas velhas. 1.12.2008

 

O auditório estava repleto. As cadeiras haviam sido colocadas estrategicamente de frente para o palco. Os homens, cada um com as suas esposas, esperavam o músico dar o seu primeiro acorde no violino. Mas logo perceberam que a festa não tinha músico. Alguns casais até arriscaram cantarolar um pouco, mas tudo revelou-se monótono, sem graça. Preferiram, então, permanecer silenciosos, olhando uns para os outros até que a festa terminou. Você já imaginou uma festa assim? Fato semelhante acontece também em nossa vida espiritual. Quantas pessoas fazem festa sem música, sem que o Dono da Festa esteja presente. Deus é o músico por excelência, que faz vibrar as cordas de nossos corações em uma suave melodia. Somente Ele tem poder para mover os nossos corações com a verdadeira alegria do Céu. Jesus é a mais esplendorosa festividade descida dos Céus. Nosso motivo maior de júbilo, de alegria, de contentamento. Ele é o sorriso de Deus Pai à humanidade. Convide esse grande músico para a sua festa. Deixe que Ele encha o seu lar de felicidade. Você descobrirá que a sua festa será muito diferente com a presença desse Convidado Especial.7.7.2009