Ilustrações Ilustrações A

Ausência

 

"Os vasos vazios são os que fazem mais barulho" - William Shakespeare

 

Séculos atrás, Santo Agostino disse, "Senhor, Tu nos fizeste para Ti mesmo, e nosso coração não descansa até que descanse em Ti." A Bíblia declara que: "Deus pôs a eternidade no coração do homem" (Ecl. 3:11). Em outras palavras, existe uma lacuna-tamanho-Deus no coração de cada um de nós. Não adianta tentar preenchê-lo com qualquer outra coisa, a não ser Deus.

 

Uma igreja na Índia, ouvi dizer, há pendurado no teto uma grande estrutura de metal com uma centena de bocais para a colocação de lâmpadas. Sem as lâmpadas o templo fica às escuras completamente. Mas cada membro daquela igreja, à medida que vai chegando para o culto, recebe uma lâmpada na porta e a coloca no bocal. Quando as luzes são acessas o templo fica todo iluminado; mas quando os crentes não vão ao culto, acontece que o templo fica às escuras.

 

Certa manhã, meu pai, muito sábio, convidou-me a dar um passeio no bosque e eu aceitei com prazer. Ele se deteve numa clareira e depois de um pequeno silêncio me perguntou: - Além do cantar dos pássaros, você está ouvindo mais alguma coisa? Apurei os ouvidos alguns segundos e respondi: - Estou ouvindo um barulho de carroça. - Isso mesmo, disse meu pai, é uma carroça vazia... Perguntei ao meu pai: - Como pode saber que a carroça está vazia, se ainda não a vimos? Ora, respondeu meu pai. É muito fácil saber que uma carroça está vazia por causa do barulho. Quanto mais vazia a carroça maior é o barulho que faz. Tornei-me adulto, e até hoje, quando vejo uma pessoa falando demais, gritando (no sentido de intimidar), tratando o Próximo com grossura inoportuna, prepotente, interrompendo a conversa de todo mundo e, querendo demonstrar que é a dona da razão e da verdade absoluta, tenho a impressão de ouvir a voz do meu pai dizendo: "Quanto mais vazia a carroça, mais barulho ela faz..."

 

Segundo o costume judaico, quando uma moça estava prestes a casar-se, deveria adquirir um vaso de alabastro cheio de perfume. Se levasse o vaso de alabastro cheio de perfume, ela seria bem sucedida na casa de seu marido. Mas se levasse apenas um pequeno vaso, com pequena porção do perfume, a recepção não seria tão calorosa. Por isso, o vaso de alabastro cheio de perfume significava muito para a moça desejosa de casar-se. Maria tinha preparado esse vaso havia muito tempo: ano após ano viera ela economizando aqui e ali, para adquiri-lo. Todavia, quando ela se encontrou com Cristo, seu coração abriu-se em adoração ao Senhor. Ela O amava tanto que quando Jesus foi a Betânia, ela trouxe seu tesouro mais precioso, o vaso de alabastro cheio de perfume. Removendo a tampa, ela derramou o ungüento sobre a cabeça do Senhor e em Seus pés, enxugando-os com seus cabelos. Muitas pessoas vão à Igreja pelo caminho do ritualismo e pensam ter cultuado a Deus. Mas Deus não aceita esse tipo de culto. Deus quer seu tesouro, seu coração; Deus quer você inteirinho, inclusive seu vaso de alabastro cheio de perfume. (Mateus 26.6-13). 

 

Um testemunho dado por um pastor acerca de Jorge Washington: "Muitas vezes sua casa em Monte Vernon, nos domingos de manhã, estava cheia de hóspedes. Mas isso não era razão para que ele deixasse de ir ao culto na igreja. Ia e convidava os hóspedes a acompanhá-lo". 

 

Um testemunho dado por um pastor acerca de Jorge Washington: “Muitas vezes sua casa em Monte Vernon, nos domingos pela manhã, estava cheia de hóspedes. Mas isso não era razão para que ele deixasse de ir ao culto na Igreja. Ia e convidava os hóspedes a acompanhá-lo.”

 

Havia nos alpes, uma pequenina igreja no alto de uma montanha coberta de neve. Era uma linda construção, que chamava a atenção de todos. Um turista que visitava aquela cidade, observou um fato curioso: aquele templo não tinha luzes acessas durante a noite. O gerente do hotel explicou: “Foi um homem muito rico quem construiu aquele templo, doando-a à nossa comunidade. Em seu testamento ele colocou a exigência de que nunca deveria haver luz própria no templo. Contudo, hoje é dia de culto e o senhor pode observar o que acontece”. Então, quando escureceu, aquele turista observou que uma luzinha surgira ali, outra acolá, todas subindo o monte rumo à igrejinha e, em dado momento, quando as luzinhas se encontraram dentro do templo, a igreja toda brilhou, espalhando luz em seu redor, como um verdadeiro milagre. ...o mundo, jaz em trevas. Somos a luz do mundo. Unamo-nos para afastar a escuridão do pecado!

 

Foi muito interessante o que uma senhora disse ao doutor, seu médico. Ela estava enferma e após ter-se consultado e sido medicada, seu médico, com a receita de remédios na mão, lhe disse: “Agora por seis meses, repouso absoluto. Não saia de casa”. A senhora na concordou e disse ao médico: “Pois, é, eu sou crente. Como é que vai ser? E a minha igreja, doutor?” “Ora,”, protestou o médico, “a igreja pode passar muito bem sem a senhora”. “Sim, eu sei”, retrucou a mulher, “eu é que não posso passar muito bem sem a minha igreja”!

 

Lembre-se da banana - quando saiu do cacho, foi descascada. (Pequeno Manual de Instruções de Deus Para Mulheres, pg. 62).

 

Um dos primeiros sinais de queda é deixar a comunhão dos crentes. Quando um crente começa a não freqüentar assiduamente a igreja, alguma coisa de negativo está acontecendo. (Darrel W. Robinson em, Vida Total da Igreja, pg 106)

 

Duas amigas voltaram a se encontrar depois de muitos anos de separação forçada. Uma delas continuava solteira, mas a outra havia se casado, era muito feliz ao lado do esposo e dos três filhos já crescidos. Depois de horas de reminiscências agradáveis, a amiga que chegou quis saber um pouco mais a respeito da vida pessoal da outra. Daí se justifica a pergunta aparentemente indiscreta: - Mas, amiga, como aconteceu o seu casamento? - De uma forma bastante curiosa e quase mágica! Tem até uma aparência de enredo de novela... - responde a amiga. - Você me deixa curiosa... Dá pra contar os principais capítulos? - É claro que sim. Eu aprecio falar daquelas experiências que me proporcionaram felicidade! Resumindo a coisa, foi mais ou menos assim: "Mudamos de bairro e dentro de algum tempo comecei a fazer novas e sólidas amizades. Entre elas estava a amizade de Otávio, o nosso mais próximo vizinho. Ele era militar e estava iniciando a carreira. Começamos a namorar. Meigo, equilibrado e seguro, ele conquistou a minha confiança e o meu amor. Foram dias felizes aqueles que vivemos, podendo desfrutar da presença um do outro; mas, surgiu a sua transferência para extremo norte do país. Isso nos fez sofrer muito, mas ele partiu prometendo solenemente escrever-me todos os dias. Por longo tempo Otávio cumpriu com fidelidade o prometido. Todas as manhãs eu me postava junto ao portão, à espera do carteiro. E com que emoção eram diariamente recebidas as suas cartas. Algumas longas, outras mais curtas, porém, todas cheias de juras de amor... esperanças no amanhã... saudades! Assim os dias passavam em desfile, formando semanas e depois meses; mas eu sempre esperava com o mesmo anseio pelas suas cartas. Embora, como é natural, eu já houvesse me habituado com a ausência permanente do Otávio, e até já houvesse percebido que as cartas estavam ficando menos ardorosas, ainda assim gostava de esperar por elas! Agora eu achava muito agradável ouvir o comentário do carteiro, que ao entregar cada carta sempre acrescentava alguma frase como, por exemplo: 'Novas notícias... espero que sejam alvissareiras!' ou então: 'Chegou outra carta... desejo que a faça feliz!' E cada dia ele sempre juntava algumas palavras simpáticas, quando da entrega da carta." Acontece que, dentro de pouco tempo, elas foram diminuindo, diminuindo e se tornando cada vez mais frias e rotineiras. O rumo das coisas mudou... Todavia, amiga, como vê estou casada, sou feliz e mãe coruja de três lindos filhos! - Bem, de qualquer maneira o final com o Otávio foi feliz, pois se casaram, tiveram filhos... Se estou entendendo, casou-se com ele, não foi? - Não. A distância conseguiu esfriar totalmente nosso relacionamento. Eu me casei com o carteiro, sempre presente...

 

Ao concentrar-se em mim mesmo só vejo a minha condição de nudez e miséria. Ao concentrar-se em Deus vejo somente conforto e segurança! - C.H. Mackintosh

 

De acordo com o o filósofo e matemático cristão Blaise Pascal, por dentro, todos nós somos vazios da forma de Deus. - Sam Hinn, em "Beijando a Face de Deus".

 

Já montou um quebra-cabeças? Você já teve um espaço vazio e encontrou uma peça que parecia se encaixar perfeitamente naquele vazio? Entretanto, por mais que tentasse... ou forçasse... a peça que parecia exatamente igual não se encaixava naquele lugar que você desejava preencher. Nada pode preencher aquele lugar, exceto a peça correta do quebra-cabeças. Somente o Deus vivo e verdadeiro Deus, pode preencher a forma vazia de Deus em nossas vidas. - Sam Hinn

 

“O volume do seu vazio determina o quanto você pode ser cheio.” - Tommy Tenney

 

Quanto mais vazia é a pessoa por dentro, mais cheia de coisas por fora ela procura ser.

 

William Cowper: "A ausência de ocupação não é descanso. Um espírito completamente vazio é um espírito angustiado". - Dicionário de Citações.

 

Houve um dia que faltou água lá em casa, só lá em casa... era um dia de domingo. Na hora de preparar as crianças para o banho e arrumá-las para o culto na igreja, minha esposa descobriu que não havia uma gota de água no cano do chuveiro. Depois verificou que não havia água na casa inteira... nossas duas caixas, que juntas somam 2 mil litros, estavam vazias. Naquele dia nós fomos surpreendidos pela falta de água.

 

Quando a igreja está cheia de pessoas vazias, é hora do avivamento ser buscado.

 

Não há membro de igreja avulso. Ovelha que vive isolada do rebanho vira petisco de lobo!

 

O pr Robert Lay aconselha que quando alguém for embora da igreja, deve-se entregar a chave prá ele levar, significando: "volte quando quiser"!

 

O poeta grego Homero diz, em seus escritos, que os deuses do Olimpo desejam que os mortais vivam com medo e tristamente. Por que então se apegar à eles? - Paulo Roberto Sória

 

"Nossas igrejas estão cheias mas os crentes estão vazios do Espírito". Ademir Paulo Pimentel, em O Jornal Batista.

 

O mundo sem Deus é pouco demais, mas o pouco com Ele em muito se faz.

 

Uma recente pesquisa de opinião revelou que o desemprego e os salários constituem as maiores preocupações entre os brasileiros. Até mesmo muitos cristãos estão dedicando todo seu esforço e tempo na tentativa de satisfazer suas necessidades econômicas para garantir sua sobrevivência e algum conforto. O resultado dessa luta tem sido um gradual mas contínuo afastamento de Deus e Seu plano. - Árvore da Vida

 

O grande escritor mexicano Amado Nervo, escrevendo a respeito do amor, diz o seguinte: "Sempre que existir um vazio em tua vida, enche-o de amor". - Revista Manancial

 

Alguém disse certa vez: “Sempre que existe um vazio em sua vida, enche-o de amor”. 10/1/07

 

"Um coração vazio pesa mais do que um cheio" 12/1/07

 

Certa manhã, meu pai, muito sábio, convidou-me a dar um passeio no bosque  e aceitei com prazer. Ele se deteve numa clareira e depois de um pequeno silêncio me perguntou: - Além do cantar dos pássaros, você está ouvindo mais alguma coisa? Apurei os ouvidos alguns segundos e respondi: - Estou ouvindo um barulho de carroça. - Isso mesmo, disse meu pai, é uma carroça vazia...  Perguntei ao meu pai: - Como pode saber que a carroça está vazia, se ainda não a vimos? Ora, respondeu meu pai, é muito fácil saber que uma carroça está vazia por causa do barulho. Quanto mais vazia a carroça maior é o barulho que faz! Tornei-me adulto, e até hoje, quando vejo uma pessoa falando demais, gritando (no sentido de intimidar), tratando o próximo com grossura inoportuna, prepotência, interrompendo a conversa de todo mundo e querendo demonstrar que é a dona da razão e da verdade absoluta, tenho a impressão de ouvir a voz do meu pai dizendo: ... "Quanto mais vazia a carroça, mais barulho ela faz!" 11.3.2008

 

Foi com alegria que li na revista VEJA, de 13 de dezembro de 2006, uma reportagem muito interessante sobre a iniciativa do promotor José Heitor dos Santos, do município paulista de Mirassol. O promotor está obrigando todos os pais (homens) a reconhecerem seus filhos e registrá-Ios. Heitor, numa rápida entrevista à VEJA, afirmou que a maioria do jovens que comete crimes não tem o nome do pai na certidão de nascimento. Ele está certo quando afirmou: "Acho que a ausência paterna leva muitos meninos ao crime". 13.3.2008

 

Quando buscamos ser aceitos, na verdade estamos inconscientemente buscando a Deus. Quando buscamos ser amados, na verdade estamos inconscientemente buscando a Deus. Quando buscamos ser notados, na verdade estamos inconscientemente buscando a Deus. Quando buscamos o sucesso, a realização pessoal, a felicidade... na verdade estamos inconscientemente buscando a Deus. 23.10.2008

 

O filme épico baseado no romance de Margaret Mitchell, E o Vento Levou, começa com essas linhas: "Havia uma terra de fidalgos e plantações de algodão, chamava-se Velho Sul. Lá, nesse belo mundo o cavalheirismo teve seu último grande momento… Você só vai encontrá-lo nos livros, pois ele não é mais que um sonho relembrado, uma civilização que o Vento Levou". Não é somente uma forma de vida que desaparece, mas também os sonhos que guiam os personagens principais. Durante a Guerra Civil, Scarlett O'Hara está preocupada com o seu amado Ashley Wilkes, no final da história, está desiludida. Salomão viu a futilidade em buscar satisfação em pessoas e coisas. Apesar da riqueza acumulada e do conhecimento, de ter completado grandes obras e casado com muitas mulheres, ele disse: "… tudo é inútil, é correr atrás do vento!" (Eclesiastes 1:14). Por que a busca por coisas transitórias não nos realiza? A resposta bíblica é de que fomos criados para encontrar nossa verdadeira satisfação e realização em Deus. Jesus prometeu: "… eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente" (João 10:10). Pessoas e coisas vêm e vão. Mas a satisfação espiritual que Cristo nos oferece vai durar neste mundo e perdurar até a eternidade. 9.12.2008

 

Eu estava brincando com meu filho Josh, numa tarde bastante agradável, no sofá de nossa sala de estar. Em determinado momento, eu fechei os dedos em minha mão e bati de leve em sua cabeça, perguntando: "Está Josh em casa?" Ele riu bastante. De repente, virando-se com uma expressão séria, fechou também a sua mão e, batendo também de leve em meu peito, perguntou: "Papai, está Jesus em casa?" (Rev. Matt Neace). Quem tem estado dentro de nosso coração? Quem tem dirigido a nossa casa espiritual? Será que há alguém em casa? E se há, quem está lá?25.5.2009

 

Um membro de uma determinada igreja, sem nenhum aviso deixou de participar de suas atividades. Após algumas semanas, o pastor foi visitá-lo. Era uma noite muito fria. O pastor encontrou o homem em casa sozinho, sentado diante da lareira, onde ardia um fogo brilhante e acolhedor. Adivinhando a razão da visita, o homem recebeu o pastor e o conduziu a uma poltrona perto da lareira e ficou quieto, esperando. O líder acomodou-se no local indicado, mas não disse nada. No silêncio que se formara, apenas contemplava a dança das chamas na lareira, que ardiam. Ao cabo de alguns minutos, o pastor examinou as brasas que formaram e cuidadosamente selecionou uma delas, a mais incandescente de todas, empurrando-a para o lado. Voltou então a sentar-se, permanecendo silencioso e imóvel. O anfitrião prestava atenção a tudo. Aos poucos a brasa solitária diminuía seu brilho até que apagou-se de vez. Em pouco tempo, o que antes era uma fonte de calor e luz, agora não passava de um frio e morto pedaço de carvão. Nenhuma palavra tinha sido dita desde que os dois se cumprimentaram. O pastor antes de ir embora, manipulou novamente o carvão frio e inútil, colocado-o de volta no meio do fogo. Quase que imediatamente ele tornou a incandescer, alimentado pelo fogo e calor das brasas ardentes em torno dele. Quando o líder alcançou a porta para partir, seu anfitrião disse: - Obrigado por sua visita e pelo belíssimo sermão. Estou voltando ao convívio da igreja. Deus te abençoe.30.6.2009

 

O navio atravessava o oceano e levava, em sua carga, grande número de pássaros em gaiolas. Em pleno mar, abriu-se uma gaiola e seu prisioneiro escapou rapidamente, alçando-se no ar, muito feliz com a liberdade. E lá se foi distanciando-se do navio de modo que, não demorou muito, sua figurinha apagou-se ao longe. Que delícia de liberdade! Passadas algumas horas, para admiração e encanto de passageiros e tripulação, eis que volta o fujão. Cansado, ofegante, deixou-se apanhar sem reação e voltou tranqüilo para a gaiola. Um passageiro sabiamente observou: "O mesmo ocorre com o coração do homem em relação à religião, à igreja. Pretendem alguns libertar-se de Deus ou da igreja, mas no mar imenso do mundo sem Deus e sem paz, o coração crente volta à Igreja após descobrir que ali está o seu verdadeiro lar". 28.10.2009