REAÇÕES À PALAVRA DE DEUS

Marcos 4.1-20

 

Vamos ler o texto bíblico, Mc 4.1-20.

1 Novamente Jesus começou a ensinar à beira-mar. Reuniu-se ao seu redor uma multidão tão grande que ele teve que entrar num barco e assentar-se nele. O barco estava no mar, enquanto todo o povo ficava na beira da praia.

2 Ele lhes ensinava muitas coisas por parábolas, dizendo em seu ensino: 3 "Ouçam! O semeador saiu a semear. 4 Enquanto lançava a semente, parte dela caiu à beira do caminho, e as aves vieram e a comeram. 5 Parte dela caiu em terreno pedregoso, onde não havia muita terra; e logo brotou, porque a terra não era profunda. 6 Mas quando saiu o sol, as plantas se queimaram e secaram, porque não tinham raiz. 7 Outra parte caiu entre espinhos, que cresceram e sufocaram as plantas, de forma que ela não deu fruto. 8 Outra ainda caiu em boa terra, germinou, cresceu e deu boa colheita, a trinta, sessenta e até cem por um". 9 A seguir Jesus acrescentou: "Aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça! "

10 Quando ele ficou sozinho, os Doze e os outros que estavam ao seu redor lhe fizeram perguntas acerca das parábolas.

11 Ele lhes disse: "A vocês foi dado o mistério do Reino de Deus, mas aos que estão fora tudo é dito por parábolas, 12 a fim de que, ‘ainda que vejam, não percebam, ainda que ouçam, não entendam; de outro modo, poderiam converter-se e ser perdoados! ’"

13 Então Jesus lhes perguntou: "Vocês não entendem esta parábola? Como, então, compreenderão todas as outras parábolas? 14 O semeador semeia a palavra. 15 Algumas pessoas são como a semente à beira do caminho, onde a palavra é semeada. Logo que a ouvem, Satanás vem e retira a palavra nelas semeada. 16 Outras, como a semente lançada em terreno pedregoso, ouvem a palavra e logo a recebem com alegria. 17 Todavia, visto que não têm raiz em si mesmas, permanecem por pouco tempo. Quando surge alguma tribulação ou perseguição por causa da palavra, logo a abandonam. 18 Outras ainda, como a semente lançada entre espinhos, ouvem a palavra; 19 mas quando chegam as preocupações desta vida, o engano das riquezas e os anseios por outras coisas, sufocam a palavra, tornando-a infrutífera. 20 Outras pessoas são como a semente lançada em boa terra: ouvem a palavra, aceitam-na e dão uma colheita de trinta, sessenta e até cem por um".

 

Faz pouco tempo, aliás, foi em Janeiro agora, eu preguei sobre esta parábola. Você devia estar na praia, Guaxintiba, região dos lagos, Guarapari... O tema foi “Terrenos do Coração”. E eu pensei que tinha acabado o assunto; mas não.

Esta parábola que Jesus contou é muito rica de conteúdo e é também muito conhecida, porque se repete em três evangelhos: aparece aqui no Evangelho de Marcos, aparece no Evangelho de Mateus e aparece no Evangelho de Lucas também.

Quem não gosta de repetição, fica em dificuldade, porque Deus repete as Palavras, repete as lições, repete os mandamentos. A repetição é didática, facilita o aprendizado.

Então, aqui está a famosa Parábola do Semeador. Com ela somos ensinados sobre as diferentes reações que se pode ter para com a Palavra de Deus.

O curioso é que esta parábola é contada numa praia, está aí no v.1: “Novamente Jesus começou a ensinar à beira-mar (quer dizer, não foi a primeira vez). Reuniu-se ao seu redor uma multidão tão grande que ele teve que entrar num barco e assentar-se nele. O barco estava no mar, enquanto todo o povo ficava na beira da praia”.

Os princípios de Deus não são para serem compartilhados somente entre quatro paredes de um prédio. As casas e os lugares públicos, como a praia, são ótimos locais para reunir as pessoas e compartilhar as verdades de Deus com elas.

Um sofá serve de púlpito e a sala da casa serve de templo. Aqui, com Jesus, o barco foi o púlpito e a praia, o templo. Todo lugar é especial para a pregação do Evangelho.

Pois bem, nos v.11-12, Jesus diz algo impressionante. Ele fala que a Parábola é um método de ensino adotado por Ele, para servir de janela aberta para uns e fechada para outros.

Entenda: parábola é uma pequena história que transmite um ensinamento através de alguma comparação que é feita.

Aqui, Jesus vai falar da Palavra de Deus e conta uma história, uma parábola, porque compara a Palavra de Deus com uma semente que se semeia na terra.

Mas esta história, uma parábola que faz uma comparação como essa, só vai ser entendida por aqueles que têm o coração aberto para as coisas de Deus. Aqueles que confiam em Deus, encontrarão a janela do entendimento aberta. Deus vai iluminar a mente e eles vão entender.

Mas, aqueles que ignoram as coisas de Deus, que desprezam a Deus, que resistem crer em Deus, a janela do entendimento ficará fechada pra eles; eles vão escutar, mas não irão ouvir, não irão entender.

Porque as coisas de Deus, são assim: pra você entender, não é questão de ter capacidade intelectual, leitura ou estudo. Ter entendimento das coisas de Deus é uma questão espiritual.

Aqueles que têm o coração aberto e desejoso de ouvir a voz de Deus, é que entenderão as coisas de Deus!

Segunda-feira, quando faleceu o jornalista Ricardo Boechat, homem culto, inteligente, foi professor universitário, me deu tremor por dentro, quando ouvi a viúva, declarar no começo do velório para a imprensa, que Boechat era o ateu que mais praticava o amor ao próximo.

Ateu... quer dizer, havia coisas de Deus que Boechat, mesmo com toda a sua capacidade, com a sua cultura, com a sua formação, com todo o conhecimento adquirido, ele não conseguiu entender; coisas que uma criança, de coração aberto para Deus, é capaz de entender.

Eu tinha 9 anos de idade quando entendi que precisava de Deus dirigindo e abençoando a minha vida!

Portanto, as coisas de Deus são compreendidas de maneira espiritual e não por capacidade intelectual.

No v.13, Jesus faz uma afirmação muito importante. Ele diz que esta parábola, a Parábola do Semeador, é a chave para se entender todas as outras parábolas.

Jesus está dizendo: “Essa parábola aqui, é o abc, é a base pra você entender as outras”. Por isso que essa Parábola do Semeador é a primeira que Jesus conta. Tem outras: tem a parábola do grão de mostarda, do bom samaritano, do filho pródigo... os estudiosos falam em 40 parábolas contadas por Jesus.

Mas essa é a primeira, exatamente porque ela abre o caminho para as outras. Entendendo esta, você vai entender as outras.

Outro detalhe é que o texto diz também no v.1, que “ajuntou-se grande multidão”, naquela hora na praia. E praia é assim, ou faz muito calor ou venta muito. É desconfortável se você não estiver preparado. Mas, as pessoas estavam lá, tinha ajuntado uma grande multidão.

Mas, isso não impressionava nenhum pouco a Jesus, porque Ele tinha plena consciência de um fato: toda essa gente vai ouvir a mesma mensagem, a mesma Palavra, mas essa Palavra é como a semente quando está sendo semeada pelo semeador: ela não vai cair no mesmo tipo de solo.

Numa multidão, Jesus sabia, tem gente que é como um chão batido, como terreno da beira de uma estrada; a semente não vai entrar, porque é terra batida.

Numa multidão, tem pessoas que quando escutam a Palavra de Deus, a resposta é imediata, obedecem logo e com entusiasmo; mas, depois, a Palavra não encontra profundidade na vida delas, então, quando chegam as lutas, as dificuldades, elas páram.

É por isso que tem havido tantos crentes desviados, decepcionados com Deus, com igreja. Pensaram que ser crente é um mar de rosas, e quando começaram a ser provados, não aguentaram.

Numa multidão, há outros que, diz o texto, a semente cai, mas como tem muita coisa crescendo ao mesmo tempo com a Palavra de Deus no coração da pessoa, a Palavra acaba sufocada, sem ter espaço para crescer e frutificar.

 

O que a Bíblia está dizendo pra nós? Que numa reunião como essa, temos muitas pessoas ouvindo, muitas pessoas recebendo a Palavra de Deus, mas que apenas uma pequena parte é que vai escutar e vai dar frutos.

Por isso, Jesus não Se impressiona com as multidões, porque nem todos têm o coração realmente receptivo como a boa terra que recebe a semente.

Precisamos, portanto, prestar atenção e conferir logo, de que tipo de solo é o nosso coração.

Portanto, o grande propósito desta Parábola é mostrar as diferentes atitudes que se pode ter para com a Palavra de Deus.

Cada solo de que Jesus fala, é um tipo de coração ou um tipo de reação à Palavra de Deus.

Vejamos, em primeiro lugar, os chamados corações endurecidos, aparece no v.4: “Enquanto lançava a semente, parte dela caiu à beira do caminho, e as aves vieram e a comeram”.

Agora, no v.15 está a interpretação disso: “Algumas pessoas são como a semente à beira do caminho, onde a palavra é semeada. Logo que a ouvem, Satanás vem e retira a palavra nelas semeada”.

Como é esse coração endurecido? É um coração que ouve a Palavra de Deus, mas não compreende a Palavra.

Já que a parábola se repete nos outros evangelhos, vamos ler como está em Mt 13.19: “Quando alguém ouve a mensagem do Reino e não a entende, o Maligno vem e lhe arranca o que foi semeado em seu coração. Este é o que foi semeado à beira do caminho”.

Como é o terreno que fica à beira do caminho? Pensa: o caminho é por onde as pessoas passam, os carros passam, os cavalos passam... o caminho é por onde se passa pra lá e pra cá. O que acontece com esse caminho de terra? Ele fica batido.

Com isso, irmãos, o que a Bíblia está ensinando, é que há pessoas com o coração assim, porque no caminho da vida delas, as coisas do mundo vão tendo permissão pra ficar passando pra lá e pra cá.

São essas músicas de letras indecentes, esses sites impróprios, essas companhias de conversa ruim... vão passando pelo coração da pessoa e o resultado é que vão deixando que o coração fique endurecido.

 

Então, quando essa pessoa ouve a Palavra de Deus, ela não compreende, escuta, mas não entende. Jesus gostava de dizer: “Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça”. E não é porque tem pouco estudo. Não, é questão espiritual. É que janela do entendimento delas está fechada.

Eu conheço um senhor que frequenta igreja ano após ano, os filhos cresceram, vieram os netos, e ele frequentando igreja sem conseguir entender o sacrifício de Jesus, a necessidade se arrepender e de crer para a sua salvação. Domingo após Domingo ele podia ser visto ao lado da esposa no culto da igreja, mas esse assunto de entregar a vida para Deus dirigir e abençoar, ele não entendia. Ele ouvia a Palavra, mas acontecia o que acontece quando chove sobre uma pedra: a chuva cai na pedra, mas não entra na pedra.

Mas esse senhor, é José o nome dele, no início desse ano, ele foi batizado na igreja que sempre frequentou. Ele foi ajudado por Deus, alcançou misericórdia, a janela do entendimento abriu pra ele e ele recebeu Jesus como o Salvador.

Porém, quanta gente que permanece ouvindo a Palavra de Deus, até pela televisão dentro de casa, mas que não muda, não toma posição, não entende, porque a semente da Palavra tem caído num coração de terreno parecido com a beira do caminho. E aí, só a misericórdia de Deus!

Agora, como a parábola também se repete no evangelho de Lucas, vamos lá e enxergar mais de perto o que é esse coração duro.

Lemos em Lc 8.5: “O semeador saiu a semear. Enquanto lançava a semente, parte dela caiu à beira do caminho; foi pisada, e as aves do céu a comeram”. Coração endurecido é um coração onde a semente é pisada. Não chega nem a brotar porque é pisada.

E muito curioso é que a semente que o diabo mais teme, é a semente que os homens pisam.

Aquela mensagem que o homem aplaude, o diabo não tem muito medo, mas aquela semente que o homem pisa, porque toca o seu orgulho, o seu ego, nos reduzindo a nada para que Deus seja tudo, essa é a semente que o diabo tem pressa de bicar e tirar fora do coração das pessoas.

Portanto, a pessoa que abre o seu coração para todo tipo de gente, todo tipo de influência, todo tipo de conversa, essa pessoa está em perigo de desenvolver um coração insensível a Deus, um coração endurecido.

 

E, outro detalhe: o coração endurecido é aquele onde a semente é roubada, roubada pelo diabo, para que a pessoa não creia e não seja salva.

Olha, por favor, o que está escrito em Lc 8.12: “As que caíram à beira do caminho são os que ouvem, e então vem o diabo e tira a palavra dos seus corações, para que não creiam e não sejam salvos”.

 

Irmão, quando a igreja se reúne para cultuar a Deus, tem o louvor, tem as orações, tem a dedicação dos dízimos e ofertas, tem a pregação da Palavra de Deus, olha, o culto é um campo de batalha.

Tem membros de igrejas por aí, que falam assim, como que querendo contar vantagem: “Lá na minha igreja, o diabo nem passa perto, de tão poderoso que o louvor é, a pregação é, o culto é”.

Que ignorância, porque, quando você chega para o culto, o diabo já definiu certinho o que vai fazer para arrancar a semente da Palavra de Deus no seu coração: ele vai dar sono, ele vai argumentar que tá calor demais, ele vai distrair com o celular, ele vai dar ideia de você ficar rabiscando... ele tem pressa em tirar a Palavra do seu coração para que você não entenda, não creia e não seja salvo.

Como diz um escritor cristão, Warren W. Wiersb: “Algumas pessoas se sentem muito surpreendidas quando descobrem que Satanás também vai à igreja”.

Ele pode estar no púlpito. Tem havido falsos profetas... ele pode ser encontrado no louvor. Tem havido muito adorador idolatrado, cantor gospel hoje em dia tem fã clube, dão autógrafos...

Então, resista a tudo isso, porque é uma luta espiritual.

E mais um detalhe final, por hoje: note que todas as criaturas existentes no mundo, também criam dificuldades para a semente da Palavra de Deus não prosperar.

Todas as criaturas que existem no mundo se resumem em quatro gêneros: tem as criaturas racionais, os seres humanos. O que eles fazem contra a semente? Pisam.

Tem as criaturas sensitivas, os animais e as aves, por exemplo. O que as aves da parábola fazem à semente? Comem.

Tem as criaturas vegetativas, como as plantas, os espinhos. O que essas criaturas fazem à semente? Sufocam.

E tem as criaturas insensíveis, como as pedras. O que elas fazem à semente? Fazem com que se seque. A Bíblia diz que o mundo jaz no maligno (1Jo 5.19), e a própria natureza confirma isso.

Então, aonde está escrito (v.4) que as aves vieram e comeram a semente, aí está o resumo de toda essa fúria da natureza do mundo que jaz no maligno. Quer dizer, o diabo e o mundo, estão interessados em criar dificuldades para que a semente que é a Palavra de Deus, semeada no seu coração, não cumpra com o seu propósito.

Mas, por que? Porque, na comparação que Jesus faz, a semente é a Palavra de Deus, o coração humano é o terreno, que se receber a semente, isto é, se a pessoa ouvir a Palavra de Deus e crer nela, crer em Deus, o diabo sabe, ela será salva.

O diabo sabe que se a semente da Palavra de Deus cair num coração aberto para crer, aberto para confiar em Deus, a pessoa vai ser salva.

Ele sabe que em vez de condenação ao inferno, essa pessoa que acolher a Palavra de Deus, terá vida eterna.

 

Ministração

E você sabia disso?

Como o seu coração reage à Palavra de Deus? Você está ouvindo e está entendendo?

Será que o seu coração diz: eu acolho a Palavra de Deus, eu recebo? Deus tem as palavras de vida eterna e eu creio nEle?

 

Pr Walter Pacheco da Silveira