JESUS, SALVA-ME!

Mateus 14.22-33

 

Introdução

Que história fantástica! Jesus andou sobre as águas, andou sobre o mar. Jesus andou sobre as ondas!

Quem ama muito este texto da Bíblia são os Surfistas de Cristo. Inclusive, um simpatizante deste grupo, é o brasileiro e bicampeão mundial de surfe, Gabriel Medina, que frequenta uma igreja evangélica de vez em quando. Os Surfistas de Cristo gostam bastante desta parte da Bíblia, porque baseados nela, eles costumam dizer que Jesus foi o primeiro surfista, que Jesus deslizou sobre as ondas! E pensa: sem prancha!

Mas, a Bíblia conta que não apenas Jesus andou sobre as águas. Pedro também! Bem, pelo menos alguns passos, Pedro deu. Pode ter sido durante um minuto, meio minuto, mas Pedro, andou algum tempo sobre as águas.

A diferença foi que, ao contrário de Jesus, depois de um certo tempo, Pedro, começou a afundar.

Analisando um pouco, o próprio nome de Pedro já não ajudava muito nesta aventura, psicologicamente não ajudava.

Porque o nome Pedro significa “pedra”, uma rocha! Parece não ter sido uma boa ideia, um homem chamado Pedro, que significa pedra, querer andar sobre as águas. Qualquer pedra afunda mesmo!

Mas, deixando isso de lado, porque foi algo sobrenatural, foi mais um dos milagres de Jesus, mas desse acontecimento, uma analogia podemos fazer e tirar lições para a nossa vida.

Há momentos em que nós nos sentimos como Pedro, afundando, sendo engolidos pelo mar da vida, inundados por um mar de problemas, um mar de preocupações, um mar de dificuldades.

 

O que devemos fazer quando estamos afundando?

Eu acredito que nessas horas, devemos clamar como Pedro clamou e dizer: “Jesus! Salva-me!” É a coisa mais acerta a fazer.

Então, eu quero pensar junto com você, algumas coisas. Primeira coisa, por que afundamos?

Se eu sinto que estou afundando, seja na vida financeira, seja na vida sentimental, na vida profissional, na vida física, na vida emocional, na vida espiritual... se sinto que estou afundando, é bom parar um pouco e pensar: por que isso está acontecendo comigo?

Muitas vezes a sensação de que se está afundando, aparece num sonho. É, acontece da gente sonhar que está afundando e que não consegue se segurar em nada. É verdade, isso tá mais pra pesadelo do que pra sonho. Acontece.

Mas, sabe o que é pior? O mais sério é quando não é sonho; você está acordado e percebe que como gente que é, pessoa que é, você está realmente afundando em alguma situação. Nessa hora, a gente tem que parar e se perguntar: por que isso acontecendo? Por que estou afundando?

Vamos pensar. Qual a razão de estarmos afundando? Por que Pedro afundou?

 

Primeira observação lógica: foi porque ele saiu do barco.

Você pode dizer o que você quiser sobre Pedro, mas ele foi o único dos discípulos que teve a coragem pra sair do barco. Dos doze discípulos, foi somente Pedro quem disse: “se és tu, [Senhor] manda-me ir ao teu encontro por sobre as águas” (v.28).

No v.31, apesar dos poucos passos dados sobre as águas, lemos que Jesus disse que Pedro tinha uma fé pequena. Jesus chamou Pedro de “homem de pequena fé”. Se a fé de Pedro era pequena, o que dizer da fé dos outros discípulos? Quase nível zero!

Então, a primeira coisa que quero dizer pra você é a seguinte: se você está enfrentando problemas, dificuldades na sua vida, se você sente que está afundando, talvez, isso esteja acontecendo porque você teve coragem, você se arriscou em sair do barco.

Portanto, em primeiro lugar, tem algo bom nisso. Significa que você não é acomodado, você se levantou, saiu da acomodação e se lançou em fazer alguma coisa.

Então, talvez você esteja passando por um momento difícil na sua vida, porque teve coragem de se arriscar, você correu o risco de fazer alguma coisa. Isso é bom!

Porque tem pessoas que não passam pelas dificuldades que você está passando, mas em compensação, elas deixam de conquistar o que você pode conquistar.

Há pessoas que não se arriscam fazer nada, são acomodadas, passam pela vida sem vontade de conseguir nada, nenhuma conquista, porque simplesmente não se arriscam.

O Chico Buarque tem uma música gravada em 1966, que diz assim: “Estava à toa na vida/ O meu amor me chamou/ Pra ver a banda passar/ Cantando coisas de amor”.

Oh! Presta atenção: se você está vivendo pra ver a banda passar, se você continua à toa na vida... você não ganhará nada. Porque, ganha quem participa da vida e corre riscos! É o ditado popular: “Quem não arrisca, não petisca”.

Então, se você está afundando, talvez, seja por que, em algum momento, você teve a coragem de viver, a coragem de entregar o coração e fazer alguma coisa.

Alguns de vocês tiveram a coragem de acreditar no amor, a coragem de sonhar com o casamento, a coragem de ter filhos, a coragem de deixar um emprego seguro e se arriscar em um empreendimento próprio.

Irmão, muitas vezes, se nós estamos afundando, há algo positivo nisso. Mostra que a gente se arrisca, que a gente não ficou vendo a banda passar, porque a gente se arriscou.

 

Agora, às vezes, a gente se arrisca e as coisas não saem da maneira que nós pensamos. Coisas adversas, que a gente não planejou, não previu, acontecem. Foi isso que ocorreu com Pedro.

Pedro, afundou porque deixou o barco, mas ele também afundou porque enfrentou situações adversas.

O v.24 fala que o barco estava “no meio do mar, açoitado pelas ondas” (ACF) e que o vento era contrário. Pedro se viu em uma situação adversa, inesperada. As coisas não correram do jeito que ele pensou.

E às vezes, é assim também com você. O preço das coisas muda e o seu plano frustra. O coração do seu amado muda e ele termina o namoro. O coração da sua amada muda e ela pede o divórcio. Uma pessoa em quem você confia, muda e você se decepciona. A condição física muda e o diagnóstico é uma doença grave. Coisas que você não imaginava, não previa. São os golpes da vida.

O verso fala que o barco dos discípulos aqui, estava sendo açoitado, fustigado pelas ondas do mar, isto é, golpeado, era só pancada.

É possível, então, que a vida tenha golpeado você com força e, agora, você está tentando se equilibrar, tentando ficar de pé, porque sofreu situações adversas, situações que não esperava.

 

Agora, é verdade também, que nós afundamos porque deixamos de olhar para Jesus. Mudança de foco.

O fator principal que levou Pedro afundar, não foi ele ter saído do barco. O fator principal de Pedro afundar, não foi o vento ser forte.

O fator principal de Pedro afundar, é que ele parou de olhar para Jesus e começou a olhar para as circunstâncias. E quando Pedro fez isso, ele começou a afundar.

Eu quero dizer isso pra você e falo com carinho, mas querendo colocar uma verdade de Deus diante dos seus olhos: a sua parcela na dificuldade que voce está enfrentando, é ter deixado de olhar para Jesus.

Você não é culpado por ter saído do barco. Você não é culpado de ter corrido risco e ido atrás do seu sonho. Aliás, foi um ato de coragem. Parabéns por sua coragem!

Você também não é culpado porque as ondas foram adversas, porque problemas inesperados surgiram. Eles surgem!

Mas, talvez, você seja culpado por permitir que essas circuntâncias, desviassem o seu olhar de Jesus. E se isso aconteceu, a maior parcela de responsabilidade é sua.

Um pastor norte-americano, Robert Shulher, já falecido, mas famoso por motivar pessoas à fé, disse o seguinte: A vida é composta de 10% do que acontece com você e 90% de como voce reage às essas coisas que te acontecem. Uma grande verdade.

Embora as ondas tenham açoitado o barco, embora o vento tenha soprado forte, Pedro não afundou por causa das ondas. Pedro não afundou por causa dos ventos. Ele afundou por causa da maneira como ele reagiu àquelas circunstâncias.

A indicação do v.30 é que Pedro parou de olhar pra Jesus. O verso fala que Pedro “reparou” no vento. Reparar é o que? É ver e ficar vendo.

Pedro desviou o seu foco. Antes, ele estava olhando pra Jesus, mas num dado momento, começou a reparar no vento. Foi nessa hora, na hora em que parou de olhar pra Jesus, é que ele ficou sem chão.

Algumas pessoas falam assim, não é: “Olha, estou sentindo como se o chão tivesse sumido de debaixo dos meus pés. Eu peguei o resultado de um exame e não foi o que eu esperava. Eu recebi um telefonema a respeito do meu filho, e não era o que eu esperava. Eu fui chamado pelo meu chefe até o escritório dele e não foi o que eu esperava. Estou sem chão”.

Foi o caso de Pedro. Tirou os olhos de Jesus e s mundo sumiu debaixo dos pés dele e ele começou a afundar.

Então, porque afundamos? Porque saímos do barco, porque encontramos situações adversas, mas também porque deixamos de olhar para Jesus.

 

E se isso aconteceu com você, se o chão sumiu debaixo dos seus pés, se voce está afundando, três coisas você deve estar sentindo. O que sente quem está afundando?

 

Primeiro, é possivel que você esteja se sentindo fracassado, fracassada. Sabe aquele gosto amargo na boca depois de uma derrota, depois de um fracasso? E pior, talvez voce esteja se sentindo o próprio fracasso.

Ah! Mas veja esse verso da Bíblia em Pv 13.12: “A esperança adiada faz o coração ficar doente, mas o desejo realizado enche o coração de vida” (NTLH). Olha que sabedoria da Palavra de Deus. Ela fala da esperança adiada.

A Bíblia não está dizendo que o seu sonho acabou, que não vai mais ser realizado. A Bíblia não está dizendo que você estragou tudo e que acabou tudo pra você. Não. A Bíblia está falando da esperança adiada. O seu erro não estragou tudo, apenas adiou.

Mas, a Bíblia diz que isso entristece o coração; que quando acontece da esperança ser adiada, o coração sente.

Então, é possivel que neste momento, como diz a Bíblia, o seu coração esteja triste. Você está afundando. E a sua sensação é de fracasso.

 

Em segundo lugar, é possivel que você esteja se sentindo tolo, dizendo: “Por que eu fui pensar tão alto?”.

Talvez, Pedro, tenha pensado: “Poxa vida, que mico que eu fui pagar na frente dos meus colegas. Eu fui pensar alto demais, achando que podia, e agora eles vão pegar no meu pé, vão ficar me zoando”.

Pedro deve ter pesando: “Quem eu achei que eu era? Eu fui um tolo em sonhar alto demais, de sair do barco, acreditando que eu podia andar por sobre as águas pela fé! Onde é que eu estava com a cabeça?”

Alguns de vocês podem estar pensando assim: “Aonde que eu tava com a cabeça quando eu deixei o emprego e montei meu próprio negócio? O que eu tava pensando quando eu fiz aquele concurso pra tão longe? Eu devia ter diminuído minhas espectativas. Quem eu achei que era?”

Porque nessas horas o diabo diz coisas no nosso ouvido: “Quem você pensava que é?” E nos faz sentir bobos, tolos.

 

E a terceira coisa que, talvez, você sinta, se está afundando, é um certo medo.

De fato, o v.30, fala que Pedro ficou com medo e começando a afundar, gritou. A emoção de Pedro naquele grito foi de medo.

Ele afundava, e o sentimento devia ser: “E agora? O que vai ser de mim? As coisas tomaram um rumo que eu não esperava! Estou afundando. Meu casamento tá afundando, minha saúde tá afundando, minhas finanças tá afundando, minha vida tá afundando... e agora?”

Foi uma mistura de emoções. Pedro sentiu medo porque quando se está afundando, não se sente nada de bom mesmo. Só de ver essa imagem aí, os sentimentos, as sensações são terríveis.

Mas, se isso aconteceu com você ou está acontecendo, se você está afundando, há três coisas que você pode fazer e eu quero terminar falando delas.  

 

Primeira coisa: se você está afundando>

1- CLAME POR JESUS.

Foi o que Pedro fez. Ele disse (lemos no v.30): “Senhor, salva-me”. Então, clame!

Mas, olha, clame pela Pessoa certa. Clame por Jesus. Porque na hora do desespero, na hora da dificuldade, muitas vezes a gente pode correr o risco de chamar pelo Nome errado. de clamar pela Pessoa errada, e de colocar a nossa fé numa base falsa. Pedro clamou certo. Ele clamou por Jesus.

E aquela experiência foi boa pra ele, sabe por que? Porque anos mais tarde, Pedro estava fazendo um discurso (At 4.12) e nesse discurso, Pedro disse, vamos ler juntos? “Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos” (NVI).

Quando será que Pedro descobrou isso? Talvez, tenha sido naquele dia em que ele estava afundando no mar da Galiléia e clamou por Jesus.

O fato é que ele aprendeu e se pôs a ensinar a todos, dizendo que não existe outro nome que você pode clamar e ser salvo, que só Jesus salva. Quem disse isso foi Pedro, inspirado por Deus e está aqui, registrado na Bíblia.

Isto serve para mostrar a você, o caminho certo, o caminho da salvação, o caminho da superação. Então, clame, mas clame por Jesus.

 

Segunda coisa que você precisa fazer:

2- SEGURE A MÃO QUE JESUS TE ESTENDE.

Lemos no v.31, que “Imediatamente Jesus estendeu a mão” e segurou Pedro. Pedro clamou: “Senhor, salva-me!”, e imediatamente Jesus estendeu a mão e segurou Pedro.

Irmão, se você clamar pela ajuda de Jesus, ela poderá vir imediatamente. Mas você só precisa ter fé e segurar na mão estendida para você.

Olha o que Deus diz nesse verso da Bíblia: “Pois eu sou o Senhor, o seu Deus, que o segura pela mão direita e lhe diz: Não tema; eu o ajudarei” (Is 41.13 – NVI).

Mas, às vezes, a gente escapole da mão de Jesus. Ele nos estende a mão e a gente não segura, a gente não agarra. Deixamos pra depois, pra outra hora, pra outro dia. Pra quem está afundando, que loucura é fazer isso!

Então, é hora de você tomar posição. Não fique em cima do muro. Segure na mão de Jesus! Porque às vezes, o que acontece, você clama, você pede, você ora e Jesus estende a mão, mas você não agarra.

Muda sua atitude para o modo fé. Sabe o celular? Tem vezes que a gente muda para o modo avião, o modo silencioso. No WhatsApp, tem grupo que eu pra preservar, só colocando no modo silencioso. A gente troca o modo e fica tudo bem.

É isso. Você tem que mudar o seu modo. Tira do modo incredulidade, tira do modo preguiça, tira do modo moleza, tira do modo dureza de coração, tira do modo adiamento... coloca no modo fé. Jesus está estendendo a mão pra você, segura!

 

Terceira e última coisa que você deve fazer:

3- DÊ À JESUS O LUGAR QUE É DEVIDO À ELE.

O final desta história é maravilhoso. Diz o v.32 que o vento cessou. Quer dizer: Jesus estendeu a mão para Pedro e aí, segurando na mão de Jesus, Pedro: voltou para o barco, o vento parou e as ondas acalmaram.

Quem presenciou aquilo, os outros discípulos, com certeza, ficaram de olhos arregalados e de queixo caído. Foi extraordinário!

Mas o detalhe principal do v.33, está na frase “Então os que estavam no barco o adoraram”. Os que estavam no barco adoraram a Jesus.

Sabe, o que isto significa? Que eles estavam reconhecendo que Jesus é o Senhor, o Filho de Deus, o Salvador prometido!

Então, adoraram a Jesus, porque Jesus é Deus, o Deus que nos fez, que nos criou. Se não fosse Deus, não teríamos vida, sequer existiríamos!

 

Conclusão

Portanto, temos que dar lugar a Jesus no nosso coração. Temos que amá-lO, temos que adorá-lO!

Mas, se Jesus não ocupar esse lugar na nossa vida, as coisas não serão boas pra nós, nem nesta vida e muito menos na vida da eternidade.

Nesta vida, quem não se apegar em Jesus, vai afundar. Vai de mal à pior. E na eternidade, ficará separado de Jesus, sem salvação, para todo o sempre. Com Jesus será céu, sem Jesus será inferno.

Mas quando a gente segura na mão de Jesus, nossa vida é transformada. Então, pra quem sente que está afundando, clame pelo nome de Jesus. Agarre a mão que Jesus estende. Para ser salvo, tudo o que você precisa, é pronunciar duas palavras: “Jesus, salva-me”.

 

Pr Walter Pacheco da Silveira

Referência: Marcelo Aguiar