ARQUEOLOGIA

  • Terça-feira, 10 junho de 2008: O Estado de São Paulo - Achada 1.ª igreja cristã do mundo, na Jordânia. Arqueólogos afirmam ter descoberto "a primeira igreja cristã do mundo" na localidade jordaniana de Rihab, 40 quilômetros da capital Amã, revelou o chefe do Centro de Estudos Arqueológicos local, Abdul Qader Hussan. "(A igreja foi) construída entre os anos 33 e 70 d.C.", afirmou. Segundo ele, a caverna subterrânea serviu de residência e local de oração para os cristãos quando sua religião ainda era perseguida. Sobre o templo foi construída outra igreja, que ainda está de pé. 19.2.2009

 

  • Mistérios e Crendices - Até hoje ainda existem muitos mistérios sobre a maneira como foram construídas as pirâmides no antigo Egito. Os cientistas não conseguiram responder perguntas, como: De que forma 100 mil homens durante 20 anos puderam construir grandes pirâmides com tanta organização e administração, sem que existissem meios de comunicação eficientes naquela época? De que forma os seus construtores puderam transportar cerca de 2.300 milhões de enormes pedras das pedreiras até o lugar em que foram elas construídas? E onde teriam aprendido as técnicas de engenharia que ainda hoje maravilham o mundo? Outro ritual cercado de mistério e curiosidade era o processo da mumificação. O corpo era lavado com uma mistura de substâncias químicas chamada de natrão (carbonato hidratado de sódio natural). Os egípicios extraíam o cérebro, as víceras e os pulmões, só deixando no cadáver o coração. Pois este era considerado por eles a sede da inteligência, da consciência e dos conhecimentos. Vários aromas, entre eles a mirra e a canela, perfumavam o interior do corpo. No tórax eram introduzidos resina líquida, pedaços de linho etc. Dependendo do tamanho da pessoa, até 270 quilos de sal eram depositados sobre o cadáver para secá-lo. Após 35 dias coberto com natrão, o cadáver tomava a aparência de múmia. Outras substâncias como óleo, ungüento e leite devolviam a elasticidade da pele. Até hoje os especialistas não conseguiram ainda explicar cientificamente porque tudo isso se manteve conservado por milhares e milhares de anos. Os mistérios das pirâmides ainda impressionam muitas pessoas que utilizam esses objetos como amuletos dentro de sua casa para “afastar o mau olhado”. Quem já entrou em uma pirâmide fica impressionado. Muitos dizem: “Quando entro em uma pirâmide tenho uma sensação diferente”. Muitas dessas pessoas são cultas e inteligentes, têm um amplo conhecimento cultural. Mas não usam a sua inteligência para pesquisar e descobrir o engano em que estão envolvidas. Deus nunca ofereceu nem oferece bobagens a ninguém. Porém, o homem tem trocado os bons projetos de Deus para a sua vida pelas besteiras deste mundo. Querido leitor, Deus tem projetos de bem e não de mal para a sua vida. Mesmo que a situação pareça estar difícil, mesmo que você não encontre solução para os seus problemas, não perca as esperanças nem faça das religiões esotéricas o seu guia. Tenha o Senhor como o seu piloto. Exercite a sua fé nEle. Diga: “Deus tem projetos de bem e não de mal para mim”. Silas Malafaia2.10.2009

 

  • Descoberto por acaso fragmento do «Codex Sinaiticus» - Um fragmento do texto bíblico considerado o segundo mais antigo do mundo, o Codex Sinaiticus, foi encontrado por acaso há alguns dias no Mosteiro de Santa Catarina, no sopé do Monte Sinai (Egipto). A notícia foi avançada pelos jornais “The Independent” e “Daily Telegraph”, tendo grande repercussão em todo o mundo ortodoxo. O autor do achado, um estudante grego de 30 anos Nikolas Sarris, encontrou o fragmento enquanto pesquisava no mosteiro, para estudos de doutoramento, em obras manuscritas do século XVIII. Por acaso, Sarris foi um dos encarregados da edição online do Codex Sinaiticus, iniciada no último mês de Julho, por iniciativa da Biblioteca Britânica, pela Biblioteca Universitária de Leipzig e pela Biblioteca Nacional da Rússia, assim como do arcebispo ortodoxo do Sinai, Daminaus, e pelo abade do Mosteiro de Santa Catarina. Isso permitiu-lhe reconhecer imediatamente a origem do fragmento, pelo tipo de letra e a altura das colunas. A parte encontrada correspondia ao início do livro de Josué, achado que foi confirmado pelo Pe. Justin, bibliotecário do mosteiro. Por enquanto, o mosteiro não conta com os meios tecnológicos necessários para a investigação. O Codex é uma Bíblia manuscrita, realizada entre os anos 330 e 350, segundo a tradição, a pedido do imperador Constantino. É considerado o segundo texto mais antigo do mundo, depois do Codex Vaticanus. Foi encontrado em 1844 pelo téologo Konstantin von Tischendorf, no mosteiro de Santa Catarina. Os monges autorizaram o teólogo a levar para Leipzig apenas 43 páginas do pergaminho. Em 1859, von Tischendorf voltou ao Sinai, descobriu mais partes do manuscrito e enviou-os para o czar Alexandre II da Rússia, que patrocinou a sua viagem. Em 1933, a União Soviética vendeu parte dos documentos ao Museu Britânico, enquanto a outra parte ficou em S. Petersburgo. Redacção/Zenit (Out/2009). 2.10.2009

 

  • Pesquisadores evangélicos descobrem vestígios de embarcação de 5 mil anos no local onde a nau bíblica teria supostamente ancorado - Um grupo de arqueólogos religiosos afirma ter descoberto o paradeiro da Arca de Noé. A equipe, formada por pesquisadores chineses e turcos, encontrou em outubro de 2008 uma estrutura de madeira enterrada no Monte Ararat, na Turquia. Baseados em relatos bíblicos, os estudiosos acreditaram ter identificado o local onde a Arca teria supostamente ancorado após o Grande Dilúvio. Os arqueólogos observaram que a estrutura continha uma série de compartimentos, alguns com vigas de madeira, que podem ter servido para abrigar animais. Além disso, todos os encaixes foram feitos sem pregos de metal, o que indica a possível antiguidade do achado. O teste de carbono 14 confirmou essas suspeitas, mostrando que a suposta arca tem cerca de 4.800 anos de idade. A missão científica foi patrocinada pela Noah’s Ark Ministries, entidade evangélica dedicada à busca de indícios que comprovem a narrativa bíblica. No site oficial da instituição (http://www.noahsarksearch.net/eng/), o público pode ver fotografias e vídeos da descoberta e das peças retiradas do sítio para análise laboratorial. Os resultados dos trabalhos da expedição foram divulgados em uma coletiva de imprensa realizada no último domingo. O grupo luta, agora, para que a Unesco reconheça o local como patrimônio mundial da humanidade, o que garantiria a devida proteção do sítio arqueológico. Com isso, os pesquisadores esperam poder aprofundar os estudos na região e realizar novas escavações. fonte : UOL/http://www.noahsarksearch.net/eng/release.php 7.5.2010

 

  • Em 1877 alguns arqueologistas fizeram escavações em Fayoum, no Egito. Descobriram ali o que teria sido a "cidade dos crocodilos". Num dos túmulos escavados, onde se procuravam muitos sinais arqueológicos valiosos, descobriram apenas crocodilos mumificados. Foi uma decepção. Mas, quando um dos trabalhadores, irritado, partiu com a pá um dos "bichos", descobriu que estava recheado de documentos. Eram papiros com recibos, cartas, contratos e até porções da Bíblia, muitas de enorme valor! 5.7.2010

  • Arqueólogos encontram esqueleto de casal que foi enterrado de mãos dadas há 1.500 anos. Do UOL Tabloide Em São Paulo. O amor verdadeiro já existiu. Essa é para você que não acredita mais no amor, que acha que no mundo só existe ódio, traição e está doido (doida) para acabar com a raça daquela (daquele) desgraçada (desgraçado) que te trocou por outro (outra). O amor verdadeiro já existiu. É o que tentam provar arqueólogos e antropólogos que encontraram, em Modena, na Itália, um casal que foi enterrado de mãos dadas há 1.500 anos, durante o século 5, nos últimos dias do Império Romano. “É uma imagem tocante e bonita de se ver. A cabeça da mulher está virada para o homem e os dois estão de mãos dadas”, descreve a antropóloga Vania Milani. Os arqueólogos não conseguem ter muita certeza do que aconteceu, mas desconfiam que os dois morreram em datas próximas, provavelmente de alguma praga que assolou a região na época. Além disso, uma aliança de bronze também foi encontrada, sinal que os dois eram casados. Enfim, o casal mostrou que a frase “até que a morte os separe” às vezes não é válida. Quem sabe você também não encontra alguém para passar o resto da vida junto?  Já pensou a notícia em 3511 aqui no UOL: ‘Estudiosos encontram esqueleto de casal que foi enterrado em forma de conchinha’. *Com informações do "Daily Mail" 18/11/2011

 

  • Ciência

  • Um conceituado médico falou que “embora a ciência explique como um vírus se multiplica, não é capaz de explicar por que se derrama uma lágrima”.

  • Renan, no começo do século XX, disse que "a ciência haveria de enxugar a lágrima da humanidade".

  • Jesus disse e também o profeta Daniel no capítulo 12.4, que nos últimos dias a ciência se multiplicaria sobre a face da terra. Is 31.5 diz assim: “Os homens voarão como as aves”. Ele escreveu isso 700 anos antes de Jesus Cristo nascer. Os homens voarão como pássaros. E, meus amigos, eis o homem voando em jatos, em espaçonaves, numa velocidade incrível. E notem isto: 80% dos cientistas que viveram desde o primeiro homem, Adão, estão vivos ainda conosco. Há cinco mil revistas científicas em todo o mundo, publicando a cada dia, novas descobertas que se fazem. E mais, 75% de todos os remédios que nós usamos hoje, foram descobertos depois da segunda guerra mundial. A ciência está se multiplicando como diz a Bíblia!

  • Renan, no começo do século XX, disse que a “ciência haveria de enxugar a lágrima da humanidade”.

  • Biólogos marinhos soviéticos, eu soube, vem treinando focas para a exploração do fundo do mar, principalmente para localizar reservas potenciais de gás de petróleo. Elas são capazes de mergulhar à profundidade de 600 metros e manter a respiração suspensa por uma hora. As focas treinadas são capazes de localizar petróleo e gás, recolher amostras da flora e até tirar fotos com câmaras montadas em suas costas.

  • Acerca desse assunto [clonagem humana], o médico húngaro Peter Nagy, que dirige um centro de pesquisas em reprodução humana, declarou: “Todas as células do corpo humano, com exceção das reprodutivas – óvulos e espermatozóides – carregam 46 pares de cromossomos, dispostos em dois conjuntos de 23. As células reprodutivas só têm a metade do número normal para, justamente, gerar uma única célula com 46 pares de cromossomos, base do embrião humano, quando ocorre a fecundação. No caso da clonagem, pega-se um óvulo, que pode vir de uma mulher doadora e retira-se o seu núcleo. (...) Depois, coloca-se ali o núcleo de outra célula qualquer do indivíduo a ser clonado, que terá 46 cromossomos. O óvulo, por um processo de ativação, desenvolve-se e gera um embrião (...) que é implantado, no útero de uma mulher, para desenvolver-se. O resultado será um indivíduo que, geneticamente e em sua aparência, será uma cópia perfeita da pessoa clonada (...)”. - Fonte: Revista Graça - Nº 20 - Ano 2

  • O filósofo Pascal exclamou: “Quantos reinos nos ignoram! O silêncio eterno destes espaços infinitos me espanta”.

  • Outro dia vi uma reportagem que me impressionou. Uma equipe médica tinha a missão de separar duas crianças siamesas, aquelas que nascem coladas uma à outra. Era uma cirurgia muito delicada e, após vários meses de estudo e preparação, aqueles médicos obtiveram sucesso e salvaram suas vidas. Isso me impressiona! - Danilo Figueira

  • Lineu, o grande botânico sueco, declarou de certa feita que uma mão cheia de musgos lhe daria material para pesquisas que durariam toda uma existência de trabalho intenso. Acrescentou Lineu: "no musgo há mistérios maravilhosos desse grande mundo de Deus". - David Gomes

 

  • Achado recente: uma urna de pedra, ou ossário, com as palavras: "Tiago, filho de José, irmão de Jesus", inscritas em aramaico, datada do ano 63 da era cristã; e uma tábua de arenito, encontrada no local sagrado do Monte do Templo em Jerusalém, da época do Rei Joás de Judá, com inscrição em fenício antigo, contendo ordens para reparar o Templo de Salomão. No caso do ossário, seria a mais antiga referência extra-bíblica a Jesus. Alguns já o estão considerando "a maior descoberta relacionada com o Novo Testamento" na nossa geração, "tão importante quanto os Manuscritos do Mar Morto" (Ben Witherington, professor de Novo Testamento nos E.U.A.). Seriam evidências da real existência de Jesus, e também de Tiago e José, personagens citados na Bíblia. A inscrição foi feita em aramaico, justamente a língua falada por Jesus e seus contemporâneos. - Extraído da Revista Impacto Ano5 Nr 27.

 

  • Vejamos, a seguir, alguns depoimentos de exponenciais da ciência a favor da fé. Max Plank (1858-1947), prêmio Nobel de Física em 1918, declarou que "O impulso de nosso conhecimento exige que se relacione a ordem do universo com Deus". Antoine Henri Becquerel (1852-1908), Nobel de Física em 1918, descobridor da radiotividade, afirmou: "Foram minhas pesquisas que me levaram a Deus". Andrews Millikan (1863-1953), prêmio Nobel de Física em 1923, pela descoberta da carga elétrica, declara: "A negação de Deus carece de toda base científica". Erwin Schrödinger (1887-1961), Nobel de Física em 1933, afirmou: "A obra mais eficaz, segundo a Mecânica Quântica, é a obra de Deus". Edward Mitchell, astronauta da Apolo 14, um dos primeiros homens a pisar na Lua, declarou: "O universo é uma revelação da divindade, uma prova da ordem universal da existência de uma inteligência acima de tudo que podemos compreender". Albert Einsten (1879-1955), o mais célebre cientista do século 20, prêmio Nobel de Física em 1921, responsável por teorias que revolucionaram não apenas a física, mas o próprio pensamento humano... a teoria da relatividade, afirma: "Quanto mais acredito na ciência, mais acredito em Deus. O universo é inexplicável sem Deus". Nilzon Dimárzio, em O Jornal Batista.

 

  • Na França, um senhor de 70 anos viajava de trem ao lado de um jovem universitário que, compenetrado, lia um livro de ciência. O senhor, por sua vez, lia um livro de capa preta, que o jovem logo identificou como sendo a Bíblia. Sem muita cerimônia, o jovem interrompeu a leitura daquele senhor e perguntou: "O senhor ainda acredita nesse livro cheio de fábulas e crendice?" "Sim", disse o senhor acrescentando: "mas não é um livro de crendices, é a Palavra de Deus. Estou errado?". Com uma risadinha sarcástica respondeu o jovem: "Claro que está. Creio que o senhor deveria estudar a História Geral. E veria que a Revolução Francesa, ocorrida há mais de 100 anos, fez o favor de mostrar a miopia da religião. Somente pessoas sem cultura ainda crêem nessa história de que Deus criou o mundo em seis dias. O senhor deveria ler um pouco mais sobre o que os cientistas dizem sobre isso". "É mesmo?", perguntou o senhor: "e o que dizem os cientistas sobre a Bíblia?". "Bem", respondeu o universitário: "agora eu vou descer na próxima estação, mas deixe-me o seu cartão que lhe enviarei o material pelo Correio". O idoso interlocutor então, cuidadosamente, abriu o bolso interior do paletó, e deu seu cartão ao universitário. Quando o jovem leu o que estava escrito, abaixou a cabeça e saiu cabisbaixo e pensativo. O cartão dizia: "Louis Pasteur, Diretor do Instituto de Pesquisas Científicas da École Normale de Paris".  Isso aconteceu em 1872. Mas serve para confirmar a verdade tantas vezes repetida: "A pouca ciência afasta de Deus; a muita ciência a Ele conduz". - O Jornal Batista.

 

  • Ser oportunista na pregação... George Washington Carver, cientista negro, descobriu inúmeras utilidades do uso do amendoim. Quando dava uma entrevista, perguntaram-lhe: Como o senhor conseguiu fazer tantas coisas com o amendoim? Carver respondeu: Lendo e estudando a Bíblia. Mas a Bíblia não fala de amendoim. Na Bíblia, no entanto, respondeu o cientista, eu conheci o Deus que fez o amendoim.

 

  • "O mundo moderno trouxe muita ciência, mas pouca sabedoria" - Hans Küng.

 

  • Em 21 de outubro de 2002, foi divulgado pela revista Biblical Archaelogy Rewiew (Sociedade de Arqueologia Bíblica) a descoberta de uma inscrição que, além de trazer a mais antiga referência a Jesus, em conjunto com outros nomes mencionados nos evangelhos, fora do Novo Testamento, faz referência a Tiago, "o irmão do Senhor". Segundo a Folha de São Paulo (28.10.02), "a descoberta é uma inscrição, na qual se lê: "Tiago, filho de José, irmão de Jesus", encontrada em  um ossuário - caixa de pedra calcária onde eram guardados os ossos das pessoas". Medindo mais ou menos 50cm de comprimento e 28cm de largura, o ossuário tem uma data estimada em 63 d.C., o que confirma com o ano da morte de Tiago em 62. d.C. Portanto, entre a morte de Tiago e a data da inscrição do ossuário, de 63, medeia um ano apenas, o que é confirmado por Alan Millard, especialista em arqueologia bíblica: "Um ano depois dos sepultamentos, não raro os ossos eram recolhidos em caixas compridas o bastante para conter folgadamente os ossos das pernas". E diz mais: "Centenas de ossuários estão hoje em museus, especialmente em Jerusalém. A maioria é lisa, mas dezenas delas, lisos e decorados, ostentam nomes (...). Geralmente dão o nome do morto, muitas vezes o nome do pai, que funcionava como os modernos sobrenomes" (Descoberta dos tempos bíblicos, São Paulo - Vida, 1999, p.285). Por isso, a recente descoberta do ossuário traz em aramaico: "Tiago, filho de José, irmão de Jesus". Seria o irmão de Jesus mesmo? É possível. - Roberto do Amaral Silva

 

  • Einstein, o maior cientista do século 20 afirmou: "Quanto mais acredito na ciência, mais acredito em Deus. O universo é inexplicável sem Deus".

 

  • Um grupo de cientistas estava decidindo qual deles iria encontrar com Deus e dizer que eles não precisavam mais Dele. Finalmente um dos cientistas apresentou-se como voluntário e foi dizer a Deus que Ele não era mais necessário... Assim, ao encontrar Deus, o cientista diz a Ele: Deus sabe como é, um punhado de nós tem estado pensando neste assunto e eu vim dizer que você não é mais necessário. Quero dizer, nós temos elaborado grandes teorias e idéias, nós clonamos uma velha e logo, logo iremos clorar humanos. Como você pode ver, nós realmente não precisamos de você. Deus balança a cabeça, compreensivamente e diz: Bom, sem ressentimentos. Mas, antes, vamos fazer um concurso. O que você acha?  O cientista diz: Para mim, tudo bem. Que tipo de concurso? Um concurso de fazer homem – Deus responde. Legal! Sem problemas! - Exclama o cientista , e rapidamente se adianta pegando um punhado de barro e diz: Vamos lá, estou pronto!!! E Deus diz: - Não assim. Você tem que criar seu próprio barro.

  • Quando uma doença ou um ferimento compromete tecidos inteiros, certos cientistas, chamados de engenheiros de tecidos, já conseguem criar substitutos em laboratório. Em 2004, o médico Kohji Nishida e seus colegas do departamento de Medicina da Universidade de Osaka, no Japão, cortaram um pedaço de tecido de dentro da bochecha de um homem de 58 anos que estava quase cego devido a uma doença, ocular rara. A partir desse tecido, cultivaram células-tronco, transplantaram-na para dentro da córnea prejudicada e a cobriram com uma lente de contato genatinosa. Dali a seis semanas, o homem conseguir enxergar com clareza, e sua visão continuou igualmente nítida um ano mais tarde. – Seleções Readers´Digest-Janeiro, 2006.

 

  • Albert Einstein, o maior cientista do século 20, assim se expressou: “Quanto mais acredito na ciência, mais acredito em Deus. O universo é inexplicável sem Deus”. 16/12/06

 

  • Através da ciência, Galileu Galilei trouxe ao mundo a descoberta significativa de Nicolau Copérnico, no século 17, a disposição do sistema solar. Antes se acreditava que a Terra era planeta e o Sol girava em torno dela. Portanto, a ciência tem sido usada por Deus para o benefício do Homem. 16/12/06

 

  • Convém lembrar, como disse Einsten: “A ciência sem fé é capenga, a fé sem ciência é cega”. De onde se conclui que existe total importância entre a fé e a ciência. Ambas são ferramentas nas mãos de Deus em benefício do Homem. 16/12/06

 

  • Um dos cientistas afirmou que o maior computador não é mais do que um “pobre idiota” comparado com o intelecto humano. Em comparação com o sistema de intercâmbio de informações das nossas células cerebrais, uma ligação telefônica é uma “coisa estúpida”. Um neurônio pode conseguir mais ligações num dia do que todas as ligações do mundo juntas. O cérebro de uma pessoa contém milhões de neurônios e todos têm ligações uns com os outros. Tal capacidade resulta em trilhões e trilhões de possibilidades. 18/12/06

 

  • Quando Madame Curie alcançou a tremenda vitória científica, oferecendo ao mundo a bênção dos raios-x, alguém sugeriu que ela tirasse patente de seu descobrimento, pois poderia assim compensar-se do trabalho que tivera e ga-nhar dinheiro. Ela, porém, recusou-se a fazê-lo. Queria que os raios-x fossem usados por todos, sem qualquer objetivo de lucro. O mesmo ocorreu com o grande cientista brasileiro Vital Brasil, quando seu instituto lançou um medi­camento a base de curare, elemento precioso nos casos de intervenção cirúr­gica. Um amigo perguntou se ele ia tirar a patente. Deu ele um sorriso e ex­clamou: "Patente p'ra quê? Quem quiser que o use para o beneficio do po­vo..." 8.2.2008

 

  • Não muito afastado do túmulo de Napoleão, e em tremendo contraste, está o túmulo de Pasteur. Que fez Pasteur pela humanidade? Não é muito fácil enumerar tudo, pois não houve fanfarras acompanhando seus atos. Seu uni­forme era apenas um avental manchado pelos ácidos. No entanto, fez ele incalculáveis contribuições à medicina, como os anti-sépticos na cirurgia. Far­tamente conhecida é a sua contribuição no campo dos soros e vacinas. Cada pessoa vacinada contra alguma doença constitui-se em glorioso troféu de suas pacíficas vitórias. Quando falamos de "leite pasteurizado" nem sempre esta­mos conscientes da obra de Pasteur, embora de certo modo o estejamos ho­menageando. Nos seus trabalhos, mais de uma vez pôs em risco a própria vi­da, e às observações feitas por amigos a respeito disso, respondia: "Que im­portância tem? A vida real é a que vivemos no meio dos perigos, a vida de sa­crifício, de exemplo, de frutificação". Pouco antes de expirar, falou a um gru­po de estudantes: "Moços... vivei até que chegue o dia em que possais gozar a imensa felicidade de verificar que contribuístes, de algum modo, para o pro­gresso e o bem da humanidade". 12.2.2008

 

  • O cientista Werner von Braun, inspirador do desenvolvimento dos gran­des foguetes espaciais, afirmou uma vez: "Os materialistas do século XIX e os marxistas do século XX procuraram nos ensinar que a Ciência, que nos deu mais informações sobre a criação, nos capacita a viver sem fé num Criador. Mas, ao contrário, em cada resposta des­cobrimos novas questões. Quanto mais sabemos sobre o mundo da estrutura  atômica, sobre a natureza da vida e sobre o itinerário das galáxias, mais razão encontramos para admirar a maravilha da criação de Deus. A nossa necessi­dade de Deus não se baseia no medo apenas. O homem necessita da fé como necessita de alimento, água e ar. Com toda a ciência do mundo, precisamos de fé em Deus". 18.2.2008

 

  • Quem pensa que pode haver um conflito real entre ciência e religião deve ser muito inexperiente em ciência ou muito ignorante em religião.  Phillip Henry. 17.3.2008

 

  • Já dizia Agostinho que a melhor hermenêutica é a própria Bíblia. Concordamos. Mas não podemos prescindir das ciências auxiliares e de certo conhecimento das línguas originais. São ciências auxiliares: a Eurística, que auxilia a encontrar o texto; a Noemática, que ajuda a encontrar o sentido que o texto revela; a Proforística, que auxilia a aplicar o texto para hoje. A exegese tem a finalidade de dar a correta interpretação do texto bíblico, usando, para isso, os recursos científicos, históricos, literários e os das ciências, como a filosofia. 27.3.2008

 

  • O DIA, 15.05.08 - ETs são filhos de Deus - Para o Vaticano, é provável que haja vida inteligente em outras galáxias. A tese não contradiz a fé católica, segundo consultor do Papa, porque não se pode limitar a criatividade divina. O astrônomo-chefe do Vaticano deu uma declaração que pode fazer os católicos mais criativos adaptarem para algo como “Assim na Terra como no Espaço” o famoso trecho da oração do Pai Nosso. Segundo o padre José Gabriel Funes, que dá consultoria científica ao Papa Bento XVI, a crença em Deus e a possibilidade de existirem “irmãos extraterrestres”, talvez até mais evoluídos que os humanos, não são incompatíveis. 28.1.2009

  • Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima! 1.4.2009

 

  • Vaticano admite que pode haver vida fora da Terra - Assimina Vlahou, De Roma para a BBC Brasil:  http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2008/05/080513_vaticanoetsavdt.shtml Padre Funes diz que estudo da astronomia não leva a ateísmo - O diretor do observatório astronômico do Vaticano, padre José Gabriel Funes, afirmou que Deus pode ter criado seres inteligentes em outros planetas do mesmo jeito como criou o universo e os homens. "Como existem diversas criaturas na Terra, poderiam existir também outros seres inteligentes, criados por Deus", disse o diretor do observatório conhecido como Specola Vaticana. "Isso não contradiz nossa fé porque não podemos colocar limites à liberdade criadora de Deus", acrescentou Funes, em entrevista ao jornal L'Osservatore Romano, órgão oficial de imprensa da Santa Sé. Na entrevista ao jornal do papa, o padre Funes, jesuíta argentino de 45 anos de idade, cita São Francisco ao dizer que possíveis habitantes de outros planetas devem ser considerados como nossos irmãos. "Para citar São Francisco, se consideramos as criaturas terrestres como 'irmão' e 'irmã', por que não poderemos falar tambem de um 'irmão extraterrestre'?", pergunta o padre. "Ele tambem faria parte da criação." Perspectiva: Na opinião do astrônomo do Vaticano, podem haver seres semelhantes a nós ou até mais evoluídos em outros planetas, ainda que não haja provas da existência deles. "É possível que existam. O universo é formado por 100 bilhões de galáxias, cada uma composta de 100 bilhões de estrelas, muitas delas ou quase todas poderiam ter planetas", afirmou Funes. "Como podemos excluir que a vida tenha se desenvolvido também em outro lugar?", acrescentou. "Há um ramo da astronomia, a astrobiologia, que estuda justamente este aspecto e fez muitos progressos nos últimos anos." Segundo o cientista, estudar o universo não afasta, mas aproxima de Deus porque abre o coração e a mente e ajuda a colocar a vida das pessoas na "perspectiva certa". Padre Funes diz ainda que teorias como a do Big Bang e a do evolucionismo de Darwin, que explicam o nascimento do universo e da vida na Terra sem fazer relação com a existência de Deus, não se chocam com a visão da Igreja. "Como astrônomo, eu continuo a acreditar que Deus seja o criador do universo e que nós não somos o produto do acaso, mas filhos de um pai bom", afirma. "Observando as estrelas, emerge claramente um processo evolutivo, e este é um dado cientifico, mas não vejo nisso uma contradição com a fé em Deus." Ateísmo: Na visão do religioso, estudar astronomia não leva necessariamente ao ateísmo. "É uma lenda achar que a astronomia favoreça uma visão atéia do mundo", disse o padre. "Nosso trabalho demonstra que é possível fazer ciência seriamente e acreditar em Deus. A Igreja deixou sua marca na história da astronomia." Diretor da Specola Vaticana desde 2006, padre Funes lembrou na entrevista que astrônomos do Vaticano fizeram importantes descobertas como o "raio verde", o rebaixamento de Plutão e trabalhos em parceria com a Nasa, por meio do centro astronômico do Vaticano em Tucson, nos Estados Unidos. A sede do observatório do Vaticano se localiza em Castelgandolfo, cidade próxima de Roma, onde fica situado o palácio de verão do papa, desde 1935. O interesse dos pontífices pela astronomia surgiu com o papa Gregório 13, que promoveu a reforma do calendário em 1582, dividindo o ano em 365 dias e 12 meses e introduzindo os anos bissextos. 10.4.2010

 

  • Roger Payne passou toda a sua vida de cientista estudando as baleias-jubarte. Seria de se supor que, aos 75 anos de idade, ele soubesse responder, por exemplo, à seguinte pergunta de um repórter: "O que se pode dizer com segurança sobre o papel do canto entre machos, no caso das baleias?" No entando, sua resposta foi: "Ainda sofremos de uma completa ignorância em relação a isso. Ainda não dá para saber se o propósito principal é repelir outros machos, atrair fêmeas ou os dois". É essa atitude -- reconhecer a ignorância -- que faz dele um pesquisador respeitado no mundo todo. Quem sabe não pesquisa porque não precisa. Ele não sabe, mas quer saber. Então, eu me lembro de algumas pessoas que, sabendo um pouquinho, acham que sabem tudo. Vão continuar sabendo só um pouquinho. Mas me lembro de algumas pessoas cuja humildade ("não sei") gera nelas uma curiosidade que só se satisfaz com o conhecimento que se adquire. E este conhecimento lhes mostra que precisam continuar estudando. Eu admiro o pesquisador quer saber mais. Eu admiro o músico que estuda e ensaia horas a fio. Eu admiro a pessoa que não se contenta com o que lê e ouve, mas procura conferir tudo. Há um caso muito interessante na Bíblia. Os bereanos ouviram Paulo falar de Jesus Cristo e decidiram conferir tudo para ver se o que o apóstolo dizia estava fundamentado no Antigo Testamento. Eles "receberam a mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras, para ver se tudo era assim mesmo" (Bíblia -- Atos dos Apóstolos 17.11). Em todas as áreas da vida, precisamos agir como os bereanos. ISRAEL BELO DE AZEVEDO 2.9.2010

 

  • Uma equipe de engenheiros e cientistas desenvolveu um dispositivo eletrônico autoadesivo, parecido com uma tatuagem e capaz de reunir informações sobre o coração, ondas cerebrais e atividade muscular. A novidade é tema da edição da revista Science. O Sistema Eletrônico Epidérmico (EES, na sigla em inglês) foi criado por uma equipe de pesquisadores americanos, britânicos, chineses e cingapurianos. Na prática, o aparelho funciona como se estivesse "colado" à pele (veja a foto abaixo), já que não são visíveis costuras após o implante. A grossura da "tatuagem" eletrônica é de 50 micrôns, a metade do diâmetro de um fio de cabelo. O aparelho precisa de pouca energia para funcionar e pode armazenar energia em pequenos "painéis" solares. Ainda que outros aparelhos consigam fazer as mesmas medições que o EES, a vantagem do novo dispositivo está na ausência de cabos externos e na leveza dos componentes. No futuro, os pesquisadores esperam conseguir incorporar fluidos ao dispositivo, para criar curativos e "peles" com capacidade de regeneração maior, como tratamento para queimaduras e doenças. 23/1/2014