ORAÇÕES QUE VÃO MUDAR A SUA VIDA 1 - A ORAÇÃO DE CONFISSÃO

Salmo 32.5

 

Introdução

Talvez as suas orações sejam mais ou  menos assim: “Deus, me ajude a conseguir  aquele trabalho; Jesus, cure a minha  garganta; Senhor, manda dinheiro  suficiente para eu pagar as contas. Senhor,  tira o meu medo”.

Porque nos empolgamos com versos da  Bíblia, como o que diz: “Peçam, e lhes  será dado; busquem, e encontrarão;  batam, e a porta lhes será aberta. Pois  todo o que pede, recebe” (Mt 7.7-8 –  NVI). Um outro verso diz: “a razão pela  qual vocês não têm o que desejam é que  não pedem a Deus” (Tg 4.2 – BV). E  falamos “Ótimo! Vou pedir, então!”, mas  experimentamos poucos resultados na  nossa vida de oração. Por que será?

 

Um verso bíblico para abrir o nosso olho  é esse: “Quando pedem, não recebem,  pois pedem por motivos errados, para  gastar em seus prazeres” (Tg 4.3). Será  que o tipo de oração que diz “Deus me dê  isso, faça aquilo, me ajude nessa!”, é a  oração que Deus mais espera ouvir?

Orar não é simplesmente pedir coisas a  Deus, embora pedir faça parte da oração.  Entenda uma coisa: orar é conversar com  Deus.

Eu aprendi isso numa das férias de  escola. Eu tinha 8 anos de idade e amava  passar semanas inteiras na casa de  minha avó Izaura, em Petrópolis. Ela era  zeladora da Primeira Igreja Batista e  frequentemente, hospedava em sua casa  um seminarista, hoje pastor Nilton Antônio de Souza. Houve um dia que ao tomar o  café da tarde, ele pediu: “Waltinho, faz  oração para agradecer a Deus”. E eu  fiquei envergonhado e disse que não  sabia orar. Então o seminarista me  explicou da forma mais simples pra uma  criança entender. Ele disse: “Você não  conversa com seu pai: Não fala com  ele? Pois orar é falar com Deus que é o  nosso Pai que está no céu!” E ele me  encorajou a fazer minha primeira oração  com outras pessoas perto.

 

Orar é conversar com Deus. É falar com  Deus e tirar um tempo para também dizer:  “Senhor, fala ao meu coração o que eu  preciso ouvir”.

Isso é importante porque não podemos  viver a vida loucamente. Ora, vivemos no  mundo de Deus. Isso aqui foi criado por  Ele e pertence a Ele. Nós mesmos  viemos à existência por causa da  vontade dEle. Então, temos que andar em  acordo com Deus.

Para isso, temos que conversar com  Deus sobre tudo e o tempo todo, e não  apenas quando as coisas dão errado pra  nós.

Então, eu quero falar sobre sete orações  que vão mudar a sua vida. Vamos ver a  primeira hoje: A ORAÇÃO DE CONFISSÃO.

Lemos no Salmo 32.5, que Davi disse:  “Confessei-te o meu pecado, e a minha  maldade não encobri. Dizia eu:  Confessarei ao SENHOR as minhas  transgressões; e tu perdoaste a maldade  do meu pecado” (NVI).

Pecado é uma palavra que antigamente  era usada na prática do arco e flecha. O  cidadão mirava o alvo, mas algumas  vezes acontecia da flecha ir em outra  direção.

Os gregos chamavam isso de hamartia,  pecado, errar o alvo. É comum usar essa  expressão ainda hoje. Por exemplo, no  futebol, o juiz marca um pênalti que não  existiu e o torcedor diz: “Que pecado!” Aí,  o jogador chuta a bola para o gol, é o  alvo, mas ela vai pra fora. A gente fala:  “Ah! Que pecado!”

Em termos bíblicos, o alvo pra nós é  obedecer a lei de Deus, mas quando  falhamos nisso, pecamos. Erramos o alvo.

Quando você mira um serviço honesto,  mas acaba acertando a tapeação, isso é  pecado, é “errar o alvo”. Quando você  mira numa noite legal com os seus  amigos para se divertir, mas acaba  acertando na fofocaiada, ou na  bebedeira, ou nas drogas, isso é errar o  alvo, é pecado.

Toda coisa que não é da vontade de  Deus para a nossa vida, é pecado.  Qualquer coisa fora da vontade de Deus  para a nossa vida, é pecado.

 

Então, porque existimos pela vontade de  Deus e ocupamos um lugar no mundo de  Deus, importa que vivamos de acordo com  as leis de Deus. Obedecer a Deus é o alvo.

Agora, note que o salmista percebeu que  errou o alvo, porque ele diz: “Confessei-te  o meu pecado” (KJA).

Desobedecer a lei de Deus é a coisa  mais trágica na história da humanidade.  Adão e Eva nos representavam quando  comeram do fruto que Deus havia  orientado que não comessem. Eles  desobedeceram e por essa causa,  sofreram a morte. No momento do  pecado, sofreram morte espiritual, foram  separados de Deus. Depois, a morte  física os alcançou também.

A gravidade do pecado está descrita com  precisão nos v.3-5: “Quando eu guardei  silêncio, envelheceram os meus ossos  pelo meu bramido em todo o dia. Porque  de dia e de noite a tua mão pesava  sobre mim; o meu humor se tornou em  sequidão de estio. Confessei-te o meu  pecado, e a minha maldade não encobri.  Dizia eu: Confessarei ao SENHOR as  minhas transgressões; e tu perdoaste a  maldade do meu pecado” (ACF).

Quando o pecado não é confessado, uma  parede é levantada entre você e Deus.  Mesmo que você deixe de praticar aquele  pecado, se ele não foi confessado a Deus,  ele ainda estará entre você e Deus.

Eu sei disso porque quando acontece  comigo, eu sinto como se estivesse  carregando nas costas uma mochila tão  pesada que eu mal consigo me mover. O  pecado não confessado é tão pesado que  você fica curvado espiritualmente.

Ah! Mas quando fazemos como diz o  salmista, quando confessamos os nossos  pecados, sentimos o peso dessa mochila  ser retirado das nossas costas. Deus  providenciou o meio para nos libertar  disso: a oração de confissão!

Todos nós erramos o alvo muitas vezes.  Quantos que carregam feridas emocionais  profundas por conta de “erradas do alvo”  que têm tido na vida!

É horrível o sentimento de culpa, de  incapacidade, de frustração, de se sentir  indigno... Mas, ouça: não precisamos  ficar nos torturando, nos consumindo num  sentimento de culpa, porque Deus tem o  meio de nos livrar desse mal. Aleluia!

 

Portanto, faça um calculo: a nossa paz  interior está na distância de daqui aonde?  Calcule. A paz interior está na distância  de uma oração de confissão.

O salmista, no momento em que reconheceu  ter pecado, ele confessou.

Entre o cometimento do pecado e o  reconhecimento do pecado, infelizmente,  levou tempo pra ele, ao ponto dele ficar  fraco, gemendo de dor e aflição o dia  inteiro (Sl 32.3 – BV).

Mas, no momento que a ficha caiu, ele  não pensou duas vezes e confessou para  Deus o pecado que havia cometido. E  antes de dizer o “amém” do final da  oração, ele diz: “e tu [Senhor] perdoaste  a culpa do meu pecado” (v.5 – NVI).

Mas, é verdade, se não confessarmos o  nosso pecado, o peso dele continua nos  esmagando.

Então, se quiser ser libertado do peso do  pecado, você deve fazer confissão a  Deus.

Confessar é falar toda a verdade sobre o  seu pecado. É reconhecer que errou o  alvo de Deus, é admitir a sua culpa.

 

Agora, como é essa oração de confissão?  Como que a gente faz esse tipo de oração?

Anote isto, primeiro: 

1- Faça oração de  confissão com arrependimento. 

Para  que a confissão tenha validade, ela deve  ser feita com arrependimento.

Arrependimento, literalmente, significa  uma mudança de pensamento, mudança  de mente. Significa que se você fez uma  coisa que está fora da vontade de Deus,  agora você dá as costas pra essa ideia;  você está decidido a não cometer o  mesmo pecado novamente.

Agora, fazer confissão de um pecado para  Deus sem arrependimento, não tem  validade.

Ao confessar um pecado para Deus, você  deve dizer: “Senhor, a culpa é minha. Eu  não vou fazer mais isso”, porque se você  faz confissão sem a intenção de mudar, a  confissão de nada vale.

Portanto, toda vez que confessar algo,  veja se você, honesta e verdadeiramente,  não sente mais vontade de fazer aquilo.

A Bíblia diz que Deus “conhece os  segredos do coração” (Salmo 44.21).  Você não conseguirá enganá-Lo, como  alguns dos bandidos fazem diante do  delegado.

O meliante é preso, fica sem graça,  admite chorando que praticou o crime,  sente tristeza, fala que tá arrependido,  mas, ganhando a liberdade, quantos que  voltam para o crime! Não houve mudança  porque não houve arrependimento.

Pode acontecer da pessoa ser  completamente sincera e dizer: “Eu pequei e  não quero cometer esse pecado de novo”,  e, porém, voltar a cometer o mesmo pecado.

Se você descobrir que está repetindo o  mesmo pecado várias vezes, mesmo  confessando com arrependimento  sincero, você precisa confessá-lo todas  as vezes e aprender a fazer resistência,  pra não ficar caindo no mesmo pecado.

Se você, muito sincero, cometeu um  pecado que acabou de confessar,  confessa novamente.

A Bíblia diz: “Arrependam-se, pois, e  voltem-se para Deus, para que os seus  pecados sejam cancelados, para que  venham tempos de descanso da parte do  Senho” (At 3.19-20 – NVI). E diz o Sl  32.1-2: “Como é feliz aquele que tem  suas transgressões perdoadas e seus  pecados apagados! Como é feliz aquele  a quem o Senhor não atribui culpa e em  quem não há hipocrisia!” (NVI).

Portanto, para estar em paz com Deus e  consigo mesmo, para estar feliz da vida,  faça oração de confissão com  arrependimento.

 

Em segundo lugar, como que a gente faz  esse tipo de oração? Anote mais isso: 

2- Faça  oração de confissão com frequência.

É da nossa cultura, todos os dias, depois  de tantos movimentos e atividades,  tomarmos um banho e trocar nossas  roupas suadas e sujas!

E, assim como precisamos de limpeza  diária para o corpo, também precisamos  de limpeza diária para a nossa alma.

Pensa nas contaminações da alma no  final de um dia com você acordado e em  movimento. Ora, durante a noite, mesmo  dormindo, quantas vezes acontece do  sonho ser pervertido, ser imoral... e  durante o dia, acordado, você ouve cada  coisa, você fala cada coisa, você pensa  em cada coisa, você sente cada coisa,  você faz cada coisa... coisas que são  contrárias a vontade de Deus. São muitas  “erradas de alvo”, são muitos pecados.

Então, a gente precisa frequentemente de  uma limpeza para a alma, que pode ser  conseguida através da oração de confissão.  

Pratique isso todos os dias. Ore com  frequência, pedindo a Deus para trazer à  luz os pecados que você deve confessar  e se arrepender deles para ser perdoado.

O salmista orava assim (Sl 139.24): “Vê  se em minha conduta algo que te ofende,  e dirige-me pelo caminho eterno”. No Sl  51.10, lemos: “Cria em mim, ó Deus, um  coração puro, e renova em mim um  espírito reto”. Você ora assim?

Às vezes, quando não achamos que temos  algo para confessar, uma oração pedindo  que Deus mostre, ajuda. A coisa que Deus  mais deseja é que sejamos puros, santos  como Ele é santo.

Outra forma de ser ajudado nisso é contar  com um irmão discipulador, um irmão na  fé, interessado no nosso crescimento,  que pergunta como estamos. Um  relacionamento discipulador ajuda muito.

No livro dos Provérbios, está escrito: “Quem  tenta esconder os seus pecados não terá  sucesso na vida, mas Deus tem  misericórdia de quem confessa os seus  pecados e os abandona” (Pv 28.13 –  NTLH).

Fazer oração de confissão é dizer ao  Senhor: “Deus, hoje eu fui grosso, fui  grossa, com Fulano. Eu me arrependo  dessa atitude, porque eu quero ser mais  parecido com Jesus”.

Aí, Deus te perdoa. Você não merecia,  mas Deus te perdoa. E você ganha uma  paz interior tão grande, fica tão feliz, tão  abençoado, que pra chegar para a  pessoa e dizer pra ela: “Ah! Eu fui tão  grosseiro com você naquele dia. Me  perdoe”, não vai custar nada fazer isso.

 

Conclusão

Irmão, a oração de confissão não serve  para Deus ser informado dos alvos que  você errou. Deus já sabe.

A oração de confissão serve para que  você se refaça, serve para que você se  renove.

Então, pratique a oração de confissão.  Faça essa oração acompanhada de  arrependimento e faça essa oração com  frequência.

Porque as pessoas que confessam terão  sucesso na vida e alcançam a  misericórdia de Deus.

 

Pr Walter Pacheco da Silveira, 28.07.2019